Boa madrugada, sexta-Feira, 20 de Setembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras


































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Novembro 2011

Manezinho do Bispo, doidinho de Deus

Há homens e mulheres que, quando nascem, um anjo torto, desses que vivem na sombra, diz: “Vai, criatura, ser doido na vida...” Não louco em fúria, com olhos de dar medo e revólver na mão, mas daqueles que não fazem mal a ninguém, a vagar pelo mundo como guardiães de estrelas, pastores de sonhos e peregrinos do bem. São os “doidinhos de Deus” que marcaram nossa infância, no tempo em que cada cidade tinha o seu, oficial, juntamente com o mentiroso e o bêbado. A essa irmandade santa pertencem o Profeta Gentileza, que deixou nos pilares dos viadutos cariocas sua pregação de amor e de paz; Maurílio, que passa o tempo a discursar contra Lula e o PT nos estacionamentos da Câmara dos Deputados, em Brasília; Luciano, o locutor de uma rádio imaginária na Praça da Lagoinha, em Fortaleza, que não precisava de relógio para dar a hora certa, com absoluta precisão; Arthur Bispo do Rosário, artista de gênio, recluso por mais de 50 anos em uma cela do hospital psiquiátrico Juliano Moreira, no Rio; e Manezinho do Bispo, pernambucano que entrou para o melhor capítulo da história do Ceará, em que se encontram os tipos folclóricos e a gente simples do povo.

Porteiro do Palácio do então Bispo (hoje Arcebispo) de Fortaleza (daí a alcunha com que ganhou fama), chamava- se Manoel Cavalcante Rocha, nasceu em 1856 e morreu aos 67 anos, em 1923. Valia-se da seção “Ineditoriais”, que a imprensa da época reservava às colaborações dos leitores, para publicar seus confusos escritos sobre religião e astronomia. O órgão de preferência era o Correio do Ceará, que os trouxe, de 1917 a 1922, sob a curiosa rubrica V + D, “Viva mais Deus”, em que o “mais” pode ser tido como advérbio ou como equivalente à preposição “com”. Foram reunidos, meticulosa e competentemente, pelo pesquisador Geová Lemos Cavalcante no livro O Porteiro da Religião (Fortaleza: LCR, 2010). Os textos, que o jornal sempre estampava com os erros de ortografia e sintaxe do autor, traziam “máximas e pensamentos”, alguns sem pé nem cabeça:

“Assim dizia, naquele tempo, a pedra que falava, para a bezerra do curral, não vale a pena se lidar com quem não tem caracter, ambas tinham razão, ella berrava muito, ella dizia, viva S. João, cala a boca da Estação, da Estrada de Ferro de Baturité, certo está que pela passificação da imprensa, dominam-se as nações do mundo civilizado, respeitador e amante do catholicismo”; “Se o mar fosse insoço era desengraçado e não tínhamos o bom sal para as comidas”; “Quem tem recurso e não socorre a sua pátria, é como o bocório que anda pelas calçadas comendo banana com rapadura”.

De vez em quando, Manezinho do Bispo acertava a mão, prova da tênue fronteira que separa a inteligência da loucura: “Com o trabalho e a economia se faz senhores a prosperidade e a nobreza das Nações”; “Os pensamentos são semelhantes as chitas, se um não agrada a este, agrada aquele”; “Se os ignorantes comprehendessem bem o valor extraordinário do silêncio, por certo que raríssimas vezes abriam a bocca para fallar”; “A litteratura é como o oceano onde os bravos marinheiros fazem suas manobras para com acerto dirigir bem o leme do seu navio...”; “Se algum homem ou mulher sentir-se vaidoso ou dosa nas manobras do saber eu da parte de Deos aconselho que não aprofunde muito as lettras, pois n’elle tem espinhos bem perigosos para os que são imprudentes e com os trabalhos da penna querem, fazer enormes fortunas...”; “É dificil encontrar-se uma Senhora que fale pouco, e com acerto ao mesmo tempo, porém á felizmente algumas trabalhadoras e virtuosas dignas de bom exemplo, estas são que ornam o lar domestico”; “Amar sem ser amado é correr atrás de um trem e perder”; “O bacharel pobre que casa com uma moça pobre dá um tiro com a pistola do passado nos miolos do futuro”.

Curioso da ciência astronômica, era mística e primária sua compreensão do cosmos: “Astronomia é a poesia diurna de Deus dos Anjos e dos Santos”; “As estrellas, ao meu vêr, não são mais do que a filharada da rainha lua com o rei Sol”. Mesmo assim noticiou, com jeito de repórter, a observação do eclipse do sol na cidade de Sobral, em 29 de maio de 1919, quando pela primeira vez se confirmou a Teoria da Relatividade Geral de Einstein.

Como sói acontecer, a figura popular mitificou-se com o tempo, e a ela se atribuem páginas que não escreveu e ideias que não teve. Como a do título Biografia de sua ex- mãe, sobre a finada que lhe dera à luz, folheto realmente denominado Biografia de sua bondosa mãe. Para muitos, converter-se em lenda é imortalizar-se, mas não para Manezinho do Bispo, que passou pela terra indiferente às pompas do mundo e às glórias da vida. Afinal de contas, era um dos doidinhos de Deus, homens e mulheres que nunca se sentem vaidosos ou dosas...

(*) Edmilson Caminha (Fortaleza), escritor

 

Untitled Document

Edmilson Caminha (Fortaleza), escritor


                                            


:: Outras edições ::

> 2017

– Setembro
A Grandeza e o Talento de Caio Porfírio Carneiro

> 2015

– Novembro
A noviça rebelde e o buraco do tuco

– Outubro
Carlos Zéfiro, meu parente

– Setembro
O Professor, Beethoven e o Ladrão

> 2014

– Agosto
Ubaldo, o Imortal de Bermudas

> 2013

– Dezembro
Dom Helder o Fertilizador de Desertos
– Outubro
A Senhora do não me deixes
– Agosto
Memórias de um quase médico
– Julho
Um trem de ferro, cheio de cristão
– Junho
Adeus às armas
– Maio
O talento e a grandeza de Leonardo Sampaio
– Abril
Com Raposão, perdidos em Jerusalém
– Março
A eterna praga dos erros de revisão

> 2012

– Dezembro
O Rei Luiz e o Jovem Carrapicho
– Outubro
Lustosa foi pra Sobral
– Agosto
Hábitos antigos
– Fevereiro
Aloysio Campos, da paz e do bem

> 2011

– Novembro
Manezinho do Bispo, doidinho de Deus
– Agosto
Olavo Pimenta e a Boina de Fidel
– Março
Também do Quixadá, e bom como Rachel de Queiroz



:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -