Boa madrugada, segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras


































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Fevereiro 2009

Rompimento Ideológico

 


Conta o Queiroz, que quando esteve preso no “Esmeraldino Bandeira”, lá por 1976, fez amizade com um operário oriundo do M.E.P. Era um sujeito Inteligente e engraçado. Certa vez o Queiroz perguntou ao proleta as razões que determinaram o rompimento com seu grupo e ouviu uma explicação muito convincente. Procuro aqui reproduzir o diálogo entre os dois presos políticos:

Queiroz, que na vida presidiária era conhecido por Ceará dirigiuse ao operário:

- Afinal você diz que rompeu com o MEP mas nunca explicou claramente os motivos que o levaram a tal atitude...

- Ceará, responde o proletário com a cara mais séria deste mundo, percebi a manobra daqueles caras, o MEP, um grupamento de proposta ultraradical como tantos outros desses grupos, não passava de um grupinho pequeno burguês, que na realidade explorava do modo mais mesquinho a classe operária!

- Como assim, volveu Ceará, como eles podiam explorar a classe operária se nem sequer eram patrões?

- Fácil de entender, imagine que eu pertencia a um grupo de uns 10 caras, eram nove profissionais liberais, tinha engenheiro, advogado, professor, executivo de empresa e até um cineasta!

- Mesmo assim, como eles exploravam os trabalhadores?

- Certa vez, nós nos reunimos para discutir a forma de como conduzir um nosso documento ultra clandestino, foi uma discussão demorada, pois papel “caísse” ia ser o fim! A questão era onde e como conduzir tal papel com absoluta segurança. Foi quando um daqueles revolucionários “boa pinta” teve uma idéia que logo classificou de genial. A coisa parecia simples e seu autor explicou: faz-se um canudo envolto em papel plástico e o responsável por sua condução enfia no ânus, Pode assim conduzi-lo seguramente, fácil, não?

- E quem foi o escolhido para a “tarefa”? – indagou o Ceará. - Velho, foi só que deu... um dos caras voltou-se para mim e disse: “o homem é você, o representante da classe operária na nossa organização... Aceita ou não aceita?

- Fiquei muito puto! Berrei na cara dos nove, pois todos estavam aplaudindo a minha escolha – vocês são uns revolucionários de merda, o discurso é o mais radical deste mundo, mas na hora de “amarrar o sino no rabo do gato” só serve um legítimo proletário, um operário metalúrgico como eu, NE? Pois fiquem-se lá com o MEP que eu vou caindo foram vocês querem é meter no cu da classe operária, é isso que vocês querem!”

Torcidas Aladas

Meu genro, Gilvando, não é um técnico em assuntos agrários, mas vem sendo um bom observador notando a afluência dos muitos casais de pombas “asa branca” nidificando nas árvores maiores de Brasília e vizinhanças. E ele faz a pergunta: Mas por que? Quando o natural é as belas pombas façam ninhos nas matas?

É que as matas foram arrasadas pelas lavouras de soja. Onde havia mata, agora só resta planície limpa, pronta para receber os milhões de sementes. Sem alternativa, os pombos buscaram as galhadas aptas para a reprodução.

Qualquer observador pode vê-las montando seus ninhos, nos quais logo mais esvoaçaram os casais novos disputando espaço. É uma migração inversa.

A asa branca deixando até o som da sanfona do mestre Luiz Gonzaga. São as velozes e elegantes pombinhas arrulhando eucaliptos e nos “pinus” altaneiros e solitários, geralmente em torno de quadras esportivas.

Outro fato é a marca positiva, sumiram as atiradeiras e espingardas de chumbinho, para a paz e a felicidade das pombinhas, que podem cuidar de seus ninhos na cidade. O alegre arrulhar nas galharias, o amoroso trocar dos bicos enamorados.

Logo mais, quando das competições esportivas estaremos vendo o alegre esvoaçar das asas brancas transformadas em “torcidas” que não conhecerem a violência, senhoras do espaço, plenas de felicidade.

(*) Luciano Barreira (Quixadá), jornalista e escritor


Untitled Document

Luciano Barreira
Jornalista e Escritor

                                            


:: Outras edições ::

> 2017

– Outubro
Encontro de portugas. ora, pois, pois

– Setembro
Carta omante e consultas espirituais

> 2015

– Novembro
Tenóbio

– Outubro
Conversa Íntima Entre Dois Amigos Idosos

– Setembro
Conversa Íntima Entre Dois Amigos Idosos

– Agosto
A causa da desavença do casal

> 2014

– Dezembro
Pão De Queijo
– Novembro
Os novos comandos
– Outubro
Quando se tem o mesmo nome
– Setembro
Diálogo entre Dircinéia e Craudete
– Agosto
Cabaré processa Igreja
– Julho
As frases geniais e seus autores...
– Junho
Repassando...........
– Maio
O tal do “meia” em português...
– Abril
Coisas do Brasil
– Março
Enquete de São Pedro
– Fevereiro
Quando o trabalho dignifica o homem
– Janeiro
Reações inusitadas

> 2013

– Dezembro
Dicas judaicas de economia
– Novembro
Notícias de Lisboa
– Outubro
A Internet nunca substituirá o Jornal
– Agosto
A depressão da gorila
– Julho
Dicas para fazer sexo na 3ª idade:
– Junho
Repassando...........
– Maio
O tal do “meia” em português...
– Abril
Coisas do Brasil
– Março
Enquete de São Pedro
– Fevereiro
Quando o trabalho dignifica o homem
– Janeiro
Reações inusitadas

> 2012

– Dezembro
ASSALTANTE BAIANO
– Novembro
Tempos Modernos
– Outubro
O Grande Passo
– Setembro
Como a briga começa
– Agosto
O Grande Passo
– Julho
“Se um dia você tiver que escolher entre o mundo e o amor, lembre-se: se escolher o mundo, ficará sem amor; mas se você escolher o amor, com ele conquistará o mundo” Albert Einstein
– Junho
Exigências da vida moderna (quem aguenta tudo isso???) Haja fôlego!!!!!
– Maio
O amor não ilumina o seu caminho. O nome disso é poste
– Abril
Advogado x Engenheiro
– Março
Riqueza semântica
– Fevereiro
Diferença entre macho e muito macho
– Janeiro
Conseqüências da crise na Grécia:

> 2011

– Novembro
Show da língua portuguesa!
– Setembro
Despedida do TREMA
– Agosto
Considerações aleatórias
– Julho
Prezado Técnico
– Maio
15 dicas para fazer sexo na 3ª idade:
– Junho
Ensinamentos das MÃES DE ANTIGAMENTE
– Maio
Humor Negro ¨Branco Humor’’ Corrigindo velhos ditados
– Abril
Entre quimeras e devaneios (dos outros)
– Fevereiro
Bárbara é Udentista!
– Janeiro
Algodão, o novo éden
– Dezembro
A Flor do Araguaia
– Novembro
Homenagens póstumas
– Outubro
O Policial Pichado
– Setembro
Bárbara é udenista
– Agosto
Paixão Canina
– Julho
Se é traição conjugal...
– Junho
Um comunista competente e importante
– Maio
Comuna Paidégua
– Abril
Caçadores ou Cassadores
– Março
Esse Partido Existe!
– Fevereiro
Rompimento Ideológico
– Janeiro
Negro
– Dezembro
É como dente
– Novembro
Bem merecia uma medalha
– Outubro
Algodão, o novo éden
– Setembro
Revolucionário que caga em penico
– Agosto
Combata a crise, não combata Acrisio
– Julho
O Negócio é por tapas
– Junho
As Cabras do Caio
– Maio Os Poetas cantam,
os Idealistas choram



:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -