Bom dia, segunda-Feira, 16 de Setembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras


































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Junho 2009

Acopiara – O Estrago da Crise Global


Acopiara está entre os municípios brasileiros que não arrecadam o suficiente para pagar suas contas, mas estas são corretamente fechadas, como fluxo de caixa até positivo, nos termos das exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Percebem-se duas coisas neste enunciado: que os pagamentos dos benefícios previdenciários do INSS e os assistenciais (Beneficio de Prestação Continuada) e Bolsa Família, bolsa isto e bolsa aquilo, superam as transferências do Fundo de Participação dos Municípios (União) e do ICMS (Estado). Outra parte da receita municipal é constituída pelos convênios de investimento e custeio da União, para saúde, educação, habitação, transporte, saneamento. A receita própria é mínina.

Conclui-se que o regime federativo está fraudado e fadado a desmoronar. O ente municipal encontra-se falido, tal como a General Motors, Ford, Chrysler.

Mas não se vê, neste país, alias“ nunca dante nefe paif” se viu, uma autoridade pública se mover para resolver este problema que é estrutural e dos mais graves.

Qual empresa de qualquer setor, indústria, transformação, comércio, serviço, agricultura que sobreviveu sem que seus donos não bancassem suas contas? Acabamos de ver a implosão da Sadia, um império que até jun de 2008 era padrão de confiança, austeridade e liquidez. Com a crise global virou pó. Inúmeros impérios desabaram no Brasil nos últimos tempos como Matarazzo, Varig, Vasp, Mappim, Mesbla, Transbrasil, Cofap, Indústrias Villares, Bamerindus, Nacional. Econômico. Não puderam ficar de pé. Desmoronaram-se em cima de suas dívidas.

Um economista de ponta um dia disse que ainda não se inventou a falência de ente público. Meus pêsames.

A tese vem sendo aperfeiçoada, pois mais de 30% dos estados e50% dos municípios brasileiros estão falidos.

O famoso Distrito Federal, Brasília, não arrecada para se manter. Não supre 20% de suas necessidades, sendo 80% cobertas pela União, incluindo custeio da educação, saúde e segurança. Além disso, através do Fundo Constitucional transfere bilhões para investimentos. Dentro do DF, há a cidade do Congresso Nacional, com 130 mil pessoas, que não arrecada um tostão, não produz uma batata e custa bilhões, pagos pelo Rei das Florestas do Cerrado. Um professor do 1º grau em Brasília ganha três vezes que ganha um da cidade do Rio de Janeiro, um médico, quatro, um soldado, cinco, um coronel da PM, três, assim por diante. Isto é porque o dinheiro dá em arvore.

É duro vermos a crise municipal se alastrando, todos os prefeitos com pires na mão, em passeatas e manifestações mensais em Brasília para pedir dinheiro, a benção ao nosso guia e prometer apoio ao 3º, mandato ou ao herdeiro do 2º. reinado!

Se existe a ciranda financeira, também existe a ciranda política.

Apesar da baita crise presente na União, nos Estados, DF e Municípios, de alto baixo, em todas as esferas de poder, Executivo, Legislativo e Judiciário, só se pensam no próprio umbigo: quanto vou ganhar? Primeiro no singular, depois no plural, seja, quanto minha cambada vai ganhar? Todos acabam ganhando, de forma legal ou ilegal, por cima ou por baixo do pano.

Diz-se em Brasília que de cada 1 real liberado pela União, 20 centavos chegam aos municípios, ficando com os bocões e gueludos (federais e estaduais) os outros 80 centavos. Pode ser.

Diante deste quadro, dá para imaginar como vivem o pacato cidadão numa cidade como Acopiara, em que os horizontes são encurtados pelas serras e serrotes que a cercam.

Que tipo de expectativas, sonhos, esperanças, tem o nosso pessoal em termos de futuro? Um município com poucas indústrias, com agricultura e pecuária de subsistência, serviços escassos, comércio limitado. Na outra ponta, nossos jovens estão na escola, à vacinação existe, a mortalidade infantil está contida, a sobrevida das pessoas é elevada, a saúde dá pro gasto, toda semana tem festas, há telefone, internet, radio e televisão. São contrapontos de uma realidade em que os padrões médios de vida, não há luxo e nem ostentação (nem dos mais abastados) mas em que as condições de crescimento da comunidade estão amarradas . Acopiara está carregada de problemas de toda espécie e os acopiarenses cheios de dívidas.

A propósito, me contaram o seguinte:

Há tempos, um rico turista paulista, destes que se divertem com a nossa miséria coletiva, passou por Acopiara numa Land Rover, das que fazem a fantasia dos corruptos do regime.

Procurou um hotel, bateu no Acopiara Sheraton, de Zé do Bar e d.Maria, numa tarde de sábado. Pediu a melhor suíte e colocou na mesa da recepção (caixa) cinco notas de 100 reais. Foi-lhe entregue a chave da suite premium no 3º andar.

Nada mais disse e nem quis saber..

Conta a lenda, digo lenda pois jamais conversei com o Zé sobre isso, que o Zé pegou uma nota de 100 e pagou dívida ao fornecedor de carne. O marchante correu para pagar o atacadista, este pegou os 100 e disparou para pagar o frigorífico, este foi pagar ao pecuarista. O hilário desta estória é que o pecuarista contou que mandaria os seus 100 para uma madame de Fortaleza que lhe abastece de garotas de programa... Os bois agradeceram no pasto.

No outro dia, domingo,o paulista acordou,tomou café e disse que ia embora. Neste momento, o Zé compreende que os 500 reais era muito dinheiro, colocou 400 reais na mão do paulista, que explodiu de contentamento, pois conseguira dormir o sono dos justos, sem ser explorado. Agradeceu à hospedagem, a cortesia, o atendimento, o gesto civilizado do Zé que faz do Acopiara Sheraton o melhor hotel do território do Alto Salgado.

Moral da estória: não houve neste movimento de dinheiro qualquer lucro ou valor acrescido. Todos liquidaram suas dívidas. Vida que segue.

(*)JB Serra e Gurgel (Acopiara), jornalista e escritor.    

Untitled Document

JB Serra e Gurgel
Jornalista e Escritor
http://www.cruiser.com.br/girias
gurgel@cruiser.com.br


:: Outras edições ::

> 2017

– Outubro
Como os cearenses vem os cearenses nativos e forasteiros

– Setembro
Ascensão e queda de Cleto Meireles: Colmeia, Haspa e Cidade Ocidental

– Julho
Para a Forbes, o Califa Abu Bakral Bagdadi é a 57ª pessoa mais poderosa do mundo

> 2016

– Setembro
Sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor

> 2015

– Novembro
Para a Forbes, o Califa Abu Bakral Bagdadi é a 57ª pessoa mais poderosa do mundo

– Outubro
Um cavaleiro andante que caminhou entre aforismos e citações

– Setembro
Por uma claraboia no meio do Salão Nobre do Palácio da Abolição

– Agosto
As cem edições do Jornal da Gíria. Um marco no mundo gírio

> 2014

– Setembro
Acopiara : “Meton, notas de uma vida”, uma trajetória e um exemplo

– Agosto
O Ceará poderia ter tido mais um presidente: Juarez Távora

– Julho
Sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor

– Junho
Dionísia aumentou a presença de Acopiara na Siqueira Gurgel

– Maio
Estão querendo Revogar a lei do morro: não sei, não vi, não conheço

– Abril
Faça como o velho marinheiro...

– Março
Tereza Aragão Serra, uma lenda quase esquecida em Tauá

– Fevereiro
José de Alencar e a língua portuguesa

– Janeiro
Moreira de Acopiara - o poeta popular de Diadema/SP

 

> 2013

– Dezembro
A presença dos Cearenses na população de Brasília

– Novembro
O cearense que escolheu o local para implantação de Brasília

– Outubro
Acopiara – Tia Nenem uma guerreira entre os Guilherme

– Agosto
As citações que marcam o cotidiano de Osvaldo Quinsan

– Julho
O último apito do trem que passava por Acopiara

– Junho
Dionísia aumentou a presença de Acopiara na Siqueira Gurgel

– Maio
Estão querendo Revogar a lei do morro: não sei, não vi, não conheço

– Abril
Faça como o velho marinheiro...

– Março
Tereza Aragão Serra, uma lenda quase esquecida em Tauá

– Fevereiro
José de Alencar e a língua portuguesa

– Janeiro
Moreira de Acopiara - o poeta popular de Diadema/SP

> 2012

–Dezembro
O acopiarense Vicente dos dez mares e oceanos

–Novembro
A presença de marranos e ciganos no Ceará

–Outubro
No modo de dizer dos italianos, as raízes de expressões brasileiras

–Setembro
Nobreza Cearense: Barões e viscondes não assinalados

–Agosto
A linguagem de Paco, regional e universal

–Julho
As armas e os barões assinalados

–Junho
Acopiara - Eita Brazilzão sem porteira

–Maio
Acopiara - Nertan Holanda Gurgel. Auto retrato de um homem simples

–Abril
José Alves de Oliveira: “árvore velha não se muda”

– Março
A gíria presente na obra de Eça de Queiroz II

– Fevereiro
Miguel Galdino - uma vida pelas justas causas

– Janeiro
História do Ceará de todos nós, presentes e ausentes

> 2011

– Dezembro
A gíria ou o calão presente na obra de Eça de Queiroz

– Novembro
A gíria ou o calão presente na obra de Eça de Queiroz
– Setembro
Como o Ceará libertou seus 30 mil escravos
– Agosto
Manoel Edmilson Teixeira um homem simples e de bem
– Julho
Acopiara - Apelidos e o que não falta
– Junho
Acopiara -Zé Marques Filho, uma referencia de respeito
– Maio
Os cearenses do Rio de Janeiro
– Janeiro
Acopiara - não é só mineiro que é desconfiado

> 2010

– Dezembro
Acopiara – os brasileiros reclamam de que mesmo?
–Novembro
Marcas da presença do Ceará na Guerra do Paraguai
– Outubro
Como o Brasil começou a fabricar seu papel moeda
– Junho
Um cearense acima de qualquer suspeita
– Maio
Acopiara – O centenário de Alcebíades da Silva Jacome
– Abril
Acopiara e o Seminário do Crato
– Fevereiro
A queda de braço entre o Presidente Castello Branco e seu irmão Lauro

> 2009

– Dezembro
Os desencontros entre José de Alencar e dom Pedro II
– Novembro
Tem uma Teresa que foi a 1ª. mulher cearense a ser delegada da mulher em Brasília
– Outubro
Acopiara - Dom Newton 60 anos de padre, 30 anos de bispo
– Agosto
Acopiara - O passado é um pais estrangeiro
– Julho
Futebol cearense atravessa mau momento
– Junho
Acopiara – O Estrago da Crise Global
–Maio
Meu avô – Henrique Gurgel do Amaral Valente II
–Abril
Acopiara - Reverência aos nossos heróis anônimos
– Fevereiro
Acopiara vista à distancia, em cruzeiro
– Janeiro
Chico Sobrinho o líder do clã que fará 20 anos de poder em Acopiara

> 2008

– Dezembro
- Acopiara comemorou cinco centenários em 2008
– Novembro
- Acopiara – os 50 anos do padre Crisares.
– Outubro
-Acopiara – como nos despedimos dos que se foram
– Setembro
-Acopiara – Mazinho e Erosimar, os empreendedores
– Agosto
-Acopiara – Ezequiel partiu e deixou saudade
– Julho
- Acopiara - Meu avô, Henrique Gurgel do Amaral Valente
– Junho
- As mães que povoaram Acopiar
– Maio
- Chico Guilherme, a hora e a vez do Coronel




:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -