Boa tarde, quinta-Feira, 21 de Novembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras
































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Julho 2011

Acopiara - Apelidos e o que não falta

O brasileiro põe apelido em todo mundo. Ninguém escapa. Nem Lula, o grande molusco, o sapo barbudo, o grande mentecapto, nem Sarney, o do bigode, Figueiredo, o Figa, Geisel, o alemão.na literatura, Paulo Coelho virou Pau no Coelho, Na musica, Carmem Miranda (A pequena notável), Alcione (Marrom), Jovelina (Pérola Negra), tem Nelson (Cavaquinho), Jackson (do Pandeiro), Luis Gonzaga (Gonzagão), Bezerra da Silva (Bezerrão), Pinxinguinha, Cartola, Zé Catimba. No futebol, Leonidas (Diamante Negro), Castilho (Leiteiro), Ademir (Queixada), Gerson (Canhotinha), Didi (Folha Seca), Manoel (Garrincha), Nilton Santos, (Enciclopédia), Edson (Pelé), Zico (Galinho de Quintino), Rivelino (Patada Atômica), Roberto, (Dinamite) Ronaldo (o Fenômeno) , Falcão (Rei de Roma), Adriano (o Imperador), Romário, (o Baixinho), Luis Fabiano (o Fabuloso), Abel (Abelão) Luxemburgo (Luxa).

No Ceará, em cada esquina há uma fabrica de piadas e outra de apelidos. O caso mais emblemático, no Ceará, é o do padre Cícero Romão Batista, o líder político e religioso de Juazeiro do Norte, chamado Padim Ciço, meu Padim, Padim. Ainda em Juazeiro, Seu Lunga virou o Tolerância Zero. Em Fortaleza, o governador Cesar Cals foi chamado de Orelhão e Tasso Jereissati de Galeguim dos Zoi Azul e prefeito Juracy Magalhães de Juracy Balanttines.

Acopiara não foge da regra. Começa pelos dados aos bairros, Rabo da Gata e Colchete, berços dos cabarés, e o Alto dos Bodes.

No passado tivemos o Afonso Gogó, pedreiro e sanfoneiro, Antonio dos Anjos, botador d’agua, Chica Camelo, lavadeira, Peba (Francisco Lopes da Silva), carreteiro, (Francisco Martins) Chico Come Figo ou Chico Traira, verdureiro,João Sapato (Joao Batista de Lima), carreteiros, Patim (Valdevino Félix), c Patury João Cantonila (João Silva de Oliveira), Zé Buchinho, (Jose Alexandre da S ilva), Dedé Tiburcio (José Pereira Veras) , trabalhava para o dr. Tirburcio, Manoel Tapioca (Manoel Dionísio Batista),levava merenda (tapioca) para trabalhadores), Maria Viúva (Maria Paz da Silva), dona de café, Maria Pretinha (Maria Petronilia Tavares de Oliveira),lavadeira, Bila (Maria Brigida da Silva), engomadeira e professora leiga, Raimundo Porca (Raimundo Hipólito da Silva), vaqueiro e animador de festas, Chica Pneu (Francisca Ernesta de Freitas), senhora de predicados, Maria da Vara, Frango de Nazária, Jararaca, Antonio Vitorino (Belota), Vigário, João Ventinha.

Tivemos também os eletricistas Dedé, Faísca e Caravelha, vendedores de frutas Maria Banana Boa e Pedro da Verdura, jogador de futebol e motorista do dr. Jairo, Pissica, lavadora de fato Rita Fateira, auxiliar de pedreiro Capuchu, o vendedor de ovos, Joaquim Fonfon, o carceiro Ernesto Carcereiro, vacinador de gado, Fransquinho Nico, o flandeiro, Zezinho da Adelia, o mecânico Sorriso, o pipoqueiro Antonio Loló, a chefe de cabaré Leoa, carreteiro e coveiro Fussura, rezadeira Expedita Gago, tirador de goteira e pintor de parede Mané Vei, fotografo Besouro, lavador de carro Parabela, biscateiro Bichoca, lavadeiras Adélia Polda Braba e Chiquinha Rola, louceira Maria do Barro, botador d’agua Cajueiro, sapateiro Dezim, Nego da Lavínia, Zezim da Malhada, Antonio Gaspar do Vale (Paixandu), Antonio Antonio Elvira (Antonio do Cedro) Jackson Silva (Peru), Flavio Tó (Pio), José Alves de Lima (Popó), Zé do Bar.

Na casa de meu avô, os filhos tinham apelido, o dele era Mansim: Nertan (Mutamba), Nestor (Gata Melada), Nicanor (Boi Velho), Francisco (Patativa,depois Chico da Bomba), Neon (casca de feijão), Neófito (bodete), Newton (olho de umbu), José (Zé preguim), Nilo Gurgel (Galinha, Torto), Luis (Borrombó e Calendário), Niceas (fio da Rufina), Napoleão (Pulão, Mandapulão), João Bosco (Boquinha), Maria Leônia (Garrota), Nereida ( perna de sibito).

Auriberto Gurgel e Claudio Moreira escalaram um time de futebol: Teimoso, Pissica e Nego da Lavínia, Alberto Cacete, Zé Pixato e Meladim, 100 kilos, Manoel Galinha, Capote, Quaresma, e Gastura.
No estoque da fabrica de apelidos há os aplicativos genéricos: tanajura (mulher de bunda grande); varapau, general suvela, espanador da lua, vara de virar tripa, (pessoa alta e magra); rolha de poço, porca baé, barril, caminhão caçamba e barriga de soro azedo, (pessoa gorda), rodapé de parede, tamborete de forró, rodapé de b...,anão de jardim, (pessoa baixa, anã); pouca telha, aeroporto de mosquito, (careca); carga torta, capenga e deixa que eu chuto, (pessoa pensa de um lado), leva e traz, Maria vai com as outras, fuleiro, (fofoqueiro); ladrão de galinha, (pessoa rouba coisa sem importância). É grande a listagem dos apelidos preparados para mulher bonita ou feia, cornos, caloteiros, engraçados ou chulos.

Os que passaram pela vida carregaram seus apelidos e viraram saudade. Fizeram parte de gerações distanciadas do stress e dos sofás dos psicólogos, psiquiatras e analistas. Podem ter tido problemas. Infelizmente, os apelidos hoje são fonte de uma responsabilização de agravos e desvios de personalidade. O buylling e o políticamente correto querem punir e criminalizar o apelido, vilões de uma modernidade dos tempos bicudos em que vivemos em que as minorias barulhentas querem impor seus direitos em detrimento da maioria silenciosa.

JB Serra e Gurgel (Acopiara), jornalista e escritor.

 

Untitled Document

JB Serra e Gurgel
Jornalista e Escritor
http://www.cruiser.com.br/girias
gurgel@cruiser.com.br


:: Outras edições ::

> 2017

– Outubro
Como os cearenses vem os cearenses nativos e forasteiros

– Setembro
Ascensão e queda de Cleto Meireles: Colmeia, Haspa e Cidade Ocidental

– Julho
Para a Forbes, o Califa Abu Bakral Bagdadi é a 57ª pessoa mais poderosa do mundo

> 2016

– Setembro
Sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor

> 2015

– Novembro
Para a Forbes, o Califa Abu Bakral Bagdadi é a 57ª pessoa mais poderosa do mundo

– Outubro
Um cavaleiro andante que caminhou entre aforismos e citações

– Setembro
Por uma claraboia no meio do Salão Nobre do Palácio da Abolição

– Agosto
As cem edições do Jornal da Gíria. Um marco no mundo gírio

> 2014

– Setembro
Acopiara : “Meton, notas de uma vida”, uma trajetória e um exemplo

– Agosto
O Ceará poderia ter tido mais um presidente: Juarez Távora

– Julho
Sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor

– Junho
Dionísia aumentou a presença de Acopiara na Siqueira Gurgel

– Maio
Estão querendo Revogar a lei do morro: não sei, não vi, não conheço

– Abril
Faça como o velho marinheiro...

– Março
Tereza Aragão Serra, uma lenda quase esquecida em Tauá

– Fevereiro
José de Alencar e a língua portuguesa

– Janeiro
Moreira de Acopiara - o poeta popular de Diadema/SP

 

> 2013

– Dezembro
A presença dos Cearenses na população de Brasília

– Novembro
O cearense que escolheu o local para implantação de Brasília

– Outubro
Acopiara – Tia Nenem uma guerreira entre os Guilherme

– Agosto
As citações que marcam o cotidiano de Osvaldo Quinsan

– Julho
O último apito do trem que passava por Acopiara

– Junho
Dionísia aumentou a presença de Acopiara na Siqueira Gurgel

– Maio
Estão querendo Revogar a lei do morro: não sei, não vi, não conheço

– Abril
Faça como o velho marinheiro...

– Março
Tereza Aragão Serra, uma lenda quase esquecida em Tauá

– Fevereiro
José de Alencar e a língua portuguesa

– Janeiro
Moreira de Acopiara - o poeta popular de Diadema/SP

> 2012

–Dezembro
O acopiarense Vicente dos dez mares e oceanos

–Novembro
A presença de marranos e ciganos no Ceará

–Outubro
No modo de dizer dos italianos, as raízes de expressões brasileiras

–Setembro
Nobreza Cearense: Barões e viscondes não assinalados

–Agosto
A linguagem de Paco, regional e universal

–Julho
As armas e os barões assinalados

–Junho
Acopiara - Eita Brazilzão sem porteira

–Maio
Acopiara - Nertan Holanda Gurgel. Auto retrato de um homem simples

–Abril
José Alves de Oliveira: “árvore velha não se muda”

– Março
A gíria presente na obra de Eça de Queiroz II

– Fevereiro
Miguel Galdino - uma vida pelas justas causas

– Janeiro
História do Ceará de todos nós, presentes e ausentes

> 2011

– Dezembro
A gíria ou o calão presente na obra de Eça de Queiroz

– Novembro
A gíria ou o calão presente na obra de Eça de Queiroz
– Setembro
Como o Ceará libertou seus 30 mil escravos
– Agosto
Manoel Edmilson Teixeira um homem simples e de bem
– Julho
Acopiara - Apelidos e o que não falta
– Junho
Acopiara -Zé Marques Filho, uma referencia de respeito
– Maio
Os cearenses do Rio de Janeiro
– Janeiro
Acopiara - não é só mineiro que é desconfiado

> 2010

– Dezembro
Acopiara – os brasileiros reclamam de que mesmo?
–Novembro
Marcas da presença do Ceará na Guerra do Paraguai
– Outubro
Como o Brasil começou a fabricar seu papel moeda
– Junho
Um cearense acima de qualquer suspeita
– Maio
Acopiara – O centenário de Alcebíades da Silva Jacome
– Abril
Acopiara e o Seminário do Crato
– Fevereiro
A queda de braço entre o Presidente Castello Branco e seu irmão Lauro

> 2009

– Dezembro
Os desencontros entre José de Alencar e dom Pedro II
– Novembro
Tem uma Teresa que foi a 1ª. mulher cearense a ser delegada da mulher em Brasília
– Outubro
Acopiara - Dom Newton 60 anos de padre, 30 anos de bispo
– Agosto
Acopiara - O passado é um pais estrangeiro
– Julho
Futebol cearense atravessa mau momento
– Junho
Acopiara – O Estrago da Crise Global
–Maio
Meu avô – Henrique Gurgel do Amaral Valente II
–Abril
Acopiara - Reverência aos nossos heróis anônimos
– Fevereiro
Acopiara vista à distancia, em cruzeiro
– Janeiro
Chico Sobrinho o líder do clã que fará 20 anos de poder em Acopiara

> 2008

– Dezembro
- Acopiara comemorou cinco centenários em 2008
– Novembro
- Acopiara – os 50 anos do padre Crisares.
– Outubro
-Acopiara – como nos despedimos dos que se foram
– Setembro
-Acopiara – Mazinho e Erosimar, os empreendedores
– Agosto
-Acopiara – Ezequiel partiu e deixou saudade
– Julho
- Acopiara - Meu avô, Henrique Gurgel do Amaral Valente
– Junho
- As mães que povoaram Acopiar
– Maio
- Chico Guilherme, a hora e a vez do Coronel




:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -