Boa noite, quinta-Feira, 21 de Novembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras
































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Setembro 2015

Por uma claraboia no meio do Salão Nobre do Palácio da Abolição

A História do Ceará não é bem conhecida dos cearenses e está mal retratada no link Historia do Ceará no site do Governo do Ceará .

Quando estudei no Ceará até os 20 anos não me recordo de ter ouvido falar da História do Ceará nos cursos primário, ginasial e clássico. Não sei se isso mudou, já que a indigência da nossa escola continua. Quem não conhece o passado não entenderá o presente e será sombria a perspectiva de futuro

De 1531 a 1556, a capitania do Ceará foi entregue Antonio Cardoso de Barros, donatário que não tomou posse.

De 1603 a 1621, três capitães mores governaram o Ceará. De Martim Soares Moreno já se ouviu falar.

De 1621 a 1655, a capitania do Ceará foi subordinada a do Maranhão; 34 anos de abandono.

De 1659 a 1799,a capitania do Ceará passou a ser subordinada a de Pernambuco. Foram 140 anos de abandono. Que fizeram do Ceará um imenso deserto de homens e ideias. Uma terra inculta, um paraíso perdido, sem elo com o Reino , sendo a vila dos confins da Colônia. Era o inferno da pedra, no semiárido com relevo de depressões, maciços, caatingas arbustiva e floresta espinhosas . Sem gado, minas e cana de açúcar.

De 1799 a 1824,o Ceará teve Governadores autônomos, começando por .Bernardo Manoel de Vasconcelos que ficou no cargo de 1799 a 1802.Instalou a Junta da Fazenda para arrecadar mais tributos, construiu a alfândega de Fortaleza e de Aracati , criou casas de inspeção de algodão, abriu estradas para o interior, reformulou o quartel da tropa de linha, levantou baterias no Mucuripe, reedificou as vilas indígenas de Arronches (Parangaba), Soure (Caucaia) e Messejana implantou as vilas de Russas e Tauá em 1801.

Com a Independencia e inauguração do Império, a Província enfrentou turbulências.

De 1912 a 1820, Manuel Ignacio e Sampaio e Pina , conhecido como Governador Sampaio, administrou a capitania . Trouxe para auxiliá-lo o engenheiro português Antônio da Silva Paulet, que elaborou o primeiro plano urbanístico de Fortaleza e projetou a reconstrução do forte de Nossa Senhora da Assunção. Em 1812, Sampaio instalou correios, construiu mercado público em Fortaleza e espalhou alfândegas em Granja, Sobral e Crato.

Em 1817, com o Governador Sampaio no poder, Barbara de Alencar, mais os filhos Carlos Jose dos Santos , padre José Martiniano Pereira de Alencar e Tristão Gonçalves de Alencar Araripe e o tio Leonel Pereira de Alencar, aderiram à Revolução Penambucana e chegaram a proclamar a República no Crato.

Cesar Maia, ex-prefeito do Rio, um dia escreveu no seu ex-blog: “ Em 2010, cumpriram-se os 250 anos do nascimento da primeira mulher presidente no Brasil, Bárbara de Alencar. Ela nasceu em Exu (PE), em 1760. Mudou-se para o Crato (CE) depois do casamento, em 1782, com José Gonçalves dos Santos, comerciante de tecidos naquela vila, com quem teve quatro filhos. Foi a primeira mulher a se envolver, para valer, em política no Brasil -durante a revolução pernambucana de 1817, com vistas à independência e à República. O Ceará e outras províncias limítrofes aderiram -no Ceará, especialmente na região do Cariri.

Bárbara de Alencar liderou esse movimento no Crato, ampliando a revolução em Pernambuco. Ela declara a independência e proclama a República do Crato, assumindo a presidência. Com a derrota em Pernambuco, a rebeldia nas demais províncias foi sendo desmontada pelas forças do Conde dos Arcos, governador da Bahia, a mando de dom João 6º. Bárbara foi presa em Fortaleza. Por quatro anos, foi mantida presa em Fortaleza, Recife e Salvador. Ganha a liberdade no ato de anistia geral de novembro de 1821”.

A Historia do Ceará esqueceu Barbara de Alencar e sua casa no Crato, ao lado da Catedral, foi demolida, como atestado do desprezo do Ceará por sua História.

O Ceará se livrara da dependência de Pernambuco, em 1799, mas a influencia pernambucana sempre foi efetiva na região do Cariri onde do lado da Chapada do Aaripe, no Ceará ,ficam Crato, Barbalha, Juazeiro do Norte, Araripe, Salitre, Penaforte e Jardim e de outro lado, em Pernambuco, Araripina, Exu, São José do Belmonte e Salgueiro. .Esta influencia econômica, financeira, social , politica e cultural permaneceu até a metade do século XX, quando o Ceará incorporou o Cariri às suas fronteiras. O s cearenses do Cariri estudavam no Recife, ouviam as rádios, liam os jornais e viam tevês locais.O caminho para Salvador, Rio e São Paulo passava por Recife.

Em 1824, teve uma Junta governativa presidida por Francisco Pinheiro Landim, de família conhecida neste território, que entregou , de 19 a 29 de abril, a Presidência da Provincia Pedro José da Costa Barros, de Aracati, que fora deputado nas cortes de Lisboa, . NO mesmo ano, Tristão Gonçalves de Alencar Araripe, com mandato da Confederaçao do Equador, assumiu o poder.mas logo renunciou e entregando de novo a Costa Barros que ficou o cargo , de 18 de dezembro de 1824 a 13 de janeiro de 1825.

Em 1824, a Confederação do Equador, liderada por Frei Caneca, teve apoio no Ceará nas cidades de Crato, Icó e Quixeramobim. Barbara de Alencar e seus três filhos envolveram. Em 26 de agosto foi declarada a República do Ceará e designado presidente Tristão de Alencar.. A repressão das forças imperiais culminou com a sua prisão e a morte de dois de seus filhos: Tristão e Carlos.

O padre José Martiniano Pereira de Alencar sobreviveu e, mais tarde, foi nomeado deputado às cortes de Lisboa, de 1830 a 1833, depois foi senador no Rio de Janeiro e presidente da Província do Ceará de 6.10.1834 a 25.11.1837 e de 20.10.1840 a 06.04.1841.

(*) JB Serra e Gurgel (Acopiara), jornalista e escritor.

Untitled Document

JB Serra e Gurgel
Jornalista e Escritor
http://www.cruiser.com.br/girias
gurgel@cruiser.com.br


:: Outras edições ::

> 2017

– Outubro
Como os cearenses vem os cearenses nativos e forasteiros

– Setembro
Ascensão e queda de Cleto Meireles: Colmeia, Haspa e Cidade Ocidental

– Julho
Para a Forbes, o Califa Abu Bakral Bagdadi é a 57ª pessoa mais poderosa do mundo

> 2016

– Setembro
Sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor

> 2015

– Novembro
Para a Forbes, o Califa Abu Bakral Bagdadi é a 57ª pessoa mais poderosa do mundo

– Outubro
Um cavaleiro andante que caminhou entre aforismos e citações

– Setembro
Por uma claraboia no meio do Salão Nobre do Palácio da Abolição

– Agosto
As cem edições do Jornal da Gíria. Um marco no mundo gírio

> 2014

– Setembro
Acopiara : “Meton, notas de uma vida”, uma trajetória e um exemplo

– Agosto
O Ceará poderia ter tido mais um presidente: Juarez Távora

– Julho
Sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor

– Junho
Dionísia aumentou a presença de Acopiara na Siqueira Gurgel

– Maio
Estão querendo Revogar a lei do morro: não sei, não vi, não conheço

– Abril
Faça como o velho marinheiro...

– Março
Tereza Aragão Serra, uma lenda quase esquecida em Tauá

– Fevereiro
José de Alencar e a língua portuguesa

– Janeiro
Moreira de Acopiara - o poeta popular de Diadema/SP

 

> 2013

– Dezembro
A presença dos Cearenses na população de Brasília

– Novembro
O cearense que escolheu o local para implantação de Brasília

– Outubro
Acopiara – Tia Nenem uma guerreira entre os Guilherme

– Agosto
As citações que marcam o cotidiano de Osvaldo Quinsan

– Julho
O último apito do trem que passava por Acopiara

– Junho
Dionísia aumentou a presença de Acopiara na Siqueira Gurgel

– Maio
Estão querendo Revogar a lei do morro: não sei, não vi, não conheço

– Abril
Faça como o velho marinheiro...

– Março
Tereza Aragão Serra, uma lenda quase esquecida em Tauá

– Fevereiro
José de Alencar e a língua portuguesa

– Janeiro
Moreira de Acopiara - o poeta popular de Diadema/SP

> 2012

–Dezembro
O acopiarense Vicente dos dez mares e oceanos

–Novembro
A presença de marranos e ciganos no Ceará

–Outubro
No modo de dizer dos italianos, as raízes de expressões brasileiras

–Setembro
Nobreza Cearense: Barões e viscondes não assinalados

–Agosto
A linguagem de Paco, regional e universal

–Julho
As armas e os barões assinalados

–Junho
Acopiara - Eita Brazilzão sem porteira

–Maio
Acopiara - Nertan Holanda Gurgel. Auto retrato de um homem simples

–Abril
José Alves de Oliveira: “árvore velha não se muda”

– Março
A gíria presente na obra de Eça de Queiroz II

– Fevereiro
Miguel Galdino - uma vida pelas justas causas

– Janeiro
História do Ceará de todos nós, presentes e ausentes

> 2011

– Dezembro
A gíria ou o calão presente na obra de Eça de Queiroz

– Novembro
A gíria ou o calão presente na obra de Eça de Queiroz
– Setembro
Como o Ceará libertou seus 30 mil escravos
– Agosto
Manoel Edmilson Teixeira um homem simples e de bem
– Julho
Acopiara - Apelidos e o que não falta
– Junho
Acopiara -Zé Marques Filho, uma referencia de respeito
– Maio
Os cearenses do Rio de Janeiro
– Janeiro
Acopiara - não é só mineiro que é desconfiado

> 2010

– Dezembro
Acopiara – os brasileiros reclamam de que mesmo?
–Novembro
Marcas da presença do Ceará na Guerra do Paraguai
– Outubro
Como o Brasil começou a fabricar seu papel moeda
– Junho
Um cearense acima de qualquer suspeita
– Maio
Acopiara – O centenário de Alcebíades da Silva Jacome
– Abril
Acopiara e o Seminário do Crato
– Fevereiro
A queda de braço entre o Presidente Castello Branco e seu irmão Lauro

> 2009

– Dezembro
Os desencontros entre José de Alencar e dom Pedro II
– Novembro
Tem uma Teresa que foi a 1ª. mulher cearense a ser delegada da mulher em Brasília
– Outubro
Acopiara - Dom Newton 60 anos de padre, 30 anos de bispo
– Agosto
Acopiara - O passado é um pais estrangeiro
– Julho
Futebol cearense atravessa mau momento
– Junho
Acopiara – O Estrago da Crise Global
–Maio
Meu avô – Henrique Gurgel do Amaral Valente II
–Abril
Acopiara - Reverência aos nossos heróis anônimos
– Fevereiro
Acopiara vista à distancia, em cruzeiro
– Janeiro
Chico Sobrinho o líder do clã que fará 20 anos de poder em Acopiara

> 2008

– Dezembro
- Acopiara comemorou cinco centenários em 2008
– Novembro
- Acopiara – os 50 anos do padre Crisares.
– Outubro
-Acopiara – como nos despedimos dos que se foram
– Setembro
-Acopiara – Mazinho e Erosimar, os empreendedores
– Agosto
-Acopiara – Ezequiel partiu e deixou saudade
– Julho
- Acopiara - Meu avô, Henrique Gurgel do Amaral Valente
– Junho
- As mães que povoaram Acopiar
– Maio
- Chico Guilherme, a hora e a vez do Coronel




:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -