Bom dia, segunda-Feira, 16 de Setembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras


































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Novembro 2011

A gíria ou o calão presente na obra de Eça de Queiroz

Já me disseram que Eça de Queiroz escrevia mal, era descuidado com a língua, que não era um purista, coisas do gênero dos que querem minimizar o impossível. Eça nasceu em 25.11.1845 e morreu em 16.08.1900. De 1872 a 1874, com 22 anos, serviu em Havana, de 1874 a 1878, em Londres, de 1878 a 1900, em Paris. O Brasil não tem um Eça. O que viu em Portugal lhe assegurou a glória de ser o maior escritor da língua portuguesa e ponto final, expressão máximo do realismo português.

O embaixador Dario Castro Alves (Fortaleza) escreveu “O Vinho do Porto na obra de Eça de Queiroz e “Roteiro de os Maias de Eça de Queiroz, e de todas as comidas e bebidas do romance”, além de “Era Lisboa e Chovia” – roteiro histórico, literário, artístico e sentimental da cidade de Lisboa em toda a obra de Eça de Queiroz, ontem e hoje”, “Era Tormes e Amanhecia” – Dicionário de gastronomia cultural de Eça de Queiroz” e “Era Porto e Entardecia – de Absinto a Zurrapa” dicionário de bebidas na obra de Eça de Queiroz”. Na sua cuidadosa e caudalosa pesquisa, deu mais dimensão à monumental obra de Eça.

Quem sou eu, diante do mestre Dario?. Um aprendiz de Eça de Queiroz, que ouso identificar calão (gírias) em apenas um dos seus romances, “A Correspondência de Fradique Mendes”, da L#PM Pocket, com apresentação, posfácio e notas de Fabio Bortolazzo Pinto, reimpressão de agosto de 2010.

Os portugueses que dicionarizaram o termo gíria no clássico Dicionário do padre Raphael Bluteau, em 1712, há 300 anos, marco da gíria na língua portuguesa,não tem o hábito de utilizá-lo, preferindo o termo calão.

Carlos Fradique Mendes, criado por ele, Antero de Quental e Jaime Batalha Reis, surgiu em 1869. Em 1870, segue vivo com Ramalho Ortigão. Em 1888, Eça coloca biografia e correspondência em Fradique. Logo depois do nascimento do livro. Não viu o seu imenso sucesso que passou de um centenário.

No livro, há uma referência de Fradique segundo a qual “Lisboa é uma cidade traduzida do Frances em calão”(linguajar típico de um país ou de uma região, gíria), numa crítica azeda a papalva, a saloia, a macaqueação que corria na vida social de Lisboa, na vã tentativa de seguir o mundanismo de Paris”. Acrescentaria Fradique o provincianismo reles “põe em calão as comédidas de Labiche e os acepipes de Gouffe. Estamonos nutrindo miseravelmente dos sobejos democráticos do Boulevard, requentados e servidos em chalaça e galantina”.

Assim, na Parte I do livro, Memórias e Notas, facundo significa, falador, – rojos, rastos – quinzena de alpaca, jaquetão de alpaca, – airosa, elegante – enfardelar, colocar em embalagem – boleeiro, condutor de carruagem – carrascão, vinho forte e áspero – intrujar, enganar – tipóia, carruagem simples, de aluguel – bater, ir – pilecas, cavalos reles – bem catita, bonita, admirável – escachar – pitéu, petisco, iguaria delicada – maganão, figurão, brincalhão – rabona, fraque, jaquetão de abas curtas – pudibunda, pudica, recatada – frascário, libertino, devasso – femeeiro, mulherengo - abichei, obtive, consegui – paxá, influente – anafados, bem alimentados – casaca de cook, roupa de uso doméstico – fiacre, carruagem de aluguel – fato feito, roupa sob medida – escarolado, lavado, limpo – gloríola, boa reputação imerecida – morgadinho, rapaz exageradamente elegante, afetado – telega, antiga carroça – pecamente, estupidamente – cavaqueira, conversa informal, agradável, sem assunto específico – politiquice, adjetivo pejorativo – politiquete, político insignificante, sem expressão – papalva, palerma, tola – saloia, grossseira, rude – macaqueação – frandulagem, quinquilharia, reunião de objetos sem valor – sécio, afetado, artificial – alfaias, objetos usados cômo enfeites – estofo, mobília – cocotte, cortesã – caturreira, caturrice – coupé, carruagem de dois lugares – carrejão, carregador, moço de fretes, – especioso, enganador, ilusório – bolçando, vomitando – maninho, inculto, estéril.

Na Parte II, as Cartas, geba, significa corcunda da idade avançada – flerte, paquera – quintarola, pequena quinta – trolha, servente de pedreiro, operário de baixa hierarquia – chinós, cabeleira postiça – panegírias, discurso laudatório – rabulice, prática desleal de advogado – nédio, lustroso, devido à gordura, brilhante – guedelhudo, cabeludo – amolgado, amassaddo – sabujice, servilismo – escroqueria, ato do escroque, ladrão – garrulice, tagarelice – fâmulo, criado – aurispice, vidente, profeta – blagues, patranhas, enganações, falsidades – boceta, caixinha para guardar pequenos objetos – tresmalhada, dispersa – gonzo, dobradiça – relassa, corruptela de relapsa, contumaz – palreiras, faladoras – langor, preguiça – mundanal, mundano – esbatida, pálida – ganga, tecido vulgar – prestamista, indivíduo que empresta dinheiro – regrantes, seguidores de regras monásticas – tulhas depósitos – pingue, farto, abundante – comezaima, reunião para beber e comer – rebuçado, doce feito de calda de açúcar endurecida – gárrulo, falador – maganão, malandro, inescrupuloso – tagarela, falador – chalaça, gracejos, ditos espirituosos – esparrinha, amontoa confusamente – quimérica, utópica, fantástica – gemebundo, gemedor – alambicadamente, pretensiosamente – ceitis, trocados, centavos – mastins, cães de guarda – patos, parvos, tolos – fero, feroz violento – hoste, tropa, exército.

(*) JB Serra e Gurgel (Acopiara), jornalista e escritor.

Untitled Document

JB Serra e Gurgel
Jornalista e Escritor
http://www.cruiser.com.br/girias
gurgel@cruiser.com.br


:: Outras edições ::

> 2017

– Outubro
Como os cearenses vem os cearenses nativos e forasteiros

– Setembro
Ascensão e queda de Cleto Meireles: Colmeia, Haspa e Cidade Ocidental

– Julho
Para a Forbes, o Califa Abu Bakral Bagdadi é a 57ª pessoa mais poderosa do mundo

> 2016

– Setembro
Sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor

> 2015

– Novembro
Para a Forbes, o Califa Abu Bakral Bagdadi é a 57ª pessoa mais poderosa do mundo

– Outubro
Um cavaleiro andante que caminhou entre aforismos e citações

– Setembro
Por uma claraboia no meio do Salão Nobre do Palácio da Abolição

– Agosto
As cem edições do Jornal da Gíria. Um marco no mundo gírio

> 2014

– Setembro
Acopiara : “Meton, notas de uma vida”, uma trajetória e um exemplo

– Agosto
O Ceará poderia ter tido mais um presidente: Juarez Távora

– Julho
Sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor

– Junho
Dionísia aumentou a presença de Acopiara na Siqueira Gurgel

– Maio
Estão querendo Revogar a lei do morro: não sei, não vi, não conheço

– Abril
Faça como o velho marinheiro...

– Março
Tereza Aragão Serra, uma lenda quase esquecida em Tauá

– Fevereiro
José de Alencar e a língua portuguesa

– Janeiro
Moreira de Acopiara - o poeta popular de Diadema/SP

 

> 2013

– Dezembro
A presença dos Cearenses na população de Brasília

– Novembro
O cearense que escolheu o local para implantação de Brasília

– Outubro
Acopiara – Tia Nenem uma guerreira entre os Guilherme

– Agosto
As citações que marcam o cotidiano de Osvaldo Quinsan

– Julho
O último apito do trem que passava por Acopiara

– Junho
Dionísia aumentou a presença de Acopiara na Siqueira Gurgel

– Maio
Estão querendo Revogar a lei do morro: não sei, não vi, não conheço

– Abril
Faça como o velho marinheiro...

– Março
Tereza Aragão Serra, uma lenda quase esquecida em Tauá

– Fevereiro
José de Alencar e a língua portuguesa

– Janeiro
Moreira de Acopiara - o poeta popular de Diadema/SP

> 2012

–Dezembro
O acopiarense Vicente dos dez mares e oceanos

–Novembro
A presença de marranos e ciganos no Ceará

–Outubro
No modo de dizer dos italianos, as raízes de expressões brasileiras

–Setembro
Nobreza Cearense: Barões e viscondes não assinalados

–Agosto
A linguagem de Paco, regional e universal

–Julho
As armas e os barões assinalados

–Junho
Acopiara - Eita Brazilzão sem porteira

–Maio
Acopiara - Nertan Holanda Gurgel. Auto retrato de um homem simples

–Abril
José Alves de Oliveira: “árvore velha não se muda”

– Março
A gíria presente na obra de Eça de Queiroz II

– Fevereiro
Miguel Galdino - uma vida pelas justas causas

– Janeiro
História do Ceará de todos nós, presentes e ausentes

> 2011

– Dezembro
A gíria ou o calão presente na obra de Eça de Queiroz

– Novembro
A gíria ou o calão presente na obra de Eça de Queiroz
– Setembro
Como o Ceará libertou seus 30 mil escravos
– Agosto
Manoel Edmilson Teixeira um homem simples e de bem
– Julho
Acopiara - Apelidos e o que não falta
– Junho
Acopiara -Zé Marques Filho, uma referencia de respeito
– Maio
Os cearenses do Rio de Janeiro
– Janeiro
Acopiara - não é só mineiro que é desconfiado

> 2010

– Dezembro
Acopiara – os brasileiros reclamam de que mesmo?
–Novembro
Marcas da presença do Ceará na Guerra do Paraguai
– Outubro
Como o Brasil começou a fabricar seu papel moeda
– Junho
Um cearense acima de qualquer suspeita
– Maio
Acopiara – O centenário de Alcebíades da Silva Jacome
– Abril
Acopiara e o Seminário do Crato
– Fevereiro
A queda de braço entre o Presidente Castello Branco e seu irmão Lauro

> 2009

– Dezembro
Os desencontros entre José de Alencar e dom Pedro II
– Novembro
Tem uma Teresa que foi a 1ª. mulher cearense a ser delegada da mulher em Brasília
– Outubro
Acopiara - Dom Newton 60 anos de padre, 30 anos de bispo
– Agosto
Acopiara - O passado é um pais estrangeiro
– Julho
Futebol cearense atravessa mau momento
– Junho
Acopiara – O Estrago da Crise Global
–Maio
Meu avô – Henrique Gurgel do Amaral Valente II
–Abril
Acopiara - Reverência aos nossos heróis anônimos
– Fevereiro
Acopiara vista à distancia, em cruzeiro
– Janeiro
Chico Sobrinho o líder do clã que fará 20 anos de poder em Acopiara

> 2008

– Dezembro
- Acopiara comemorou cinco centenários em 2008
– Novembro
- Acopiara – os 50 anos do padre Crisares.
– Outubro
-Acopiara – como nos despedimos dos que se foram
– Setembro
-Acopiara – Mazinho e Erosimar, os empreendedores
– Agosto
-Acopiara – Ezequiel partiu e deixou saudade
– Julho
- Acopiara - Meu avô, Henrique Gurgel do Amaral Valente
– Junho
- As mães que povoaram Acopiar
– Maio
- Chico Guilherme, a hora e a vez do Coronel




:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -