Boa tarde, sexta-Feira, 22 de Novembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras
































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Abril 2009

Fortaleza: bela e amada cidade


Fortaleza aniversaria. Convencionou-se que será no dia 13 de abril.

Mas há quem diga que seria no dia 12, data em que o povoado batizado pelos portugueses de Fortaleza de Nossa Senhora de Assunção foi elevado à condição de cidade em 1726 A nova denominação foi sendo reduzida ao longo dos anos até ficar somente Fortaleza. Mas bem antes de 1726, Fortaleza já existia.

Os historiadores batem boca sobre a verdadeira data de fundação. Dizem que, na verdade, o povoado data de 1604 quando o português Pero Coelho de Souza aí aportou. Ergueu o Fortim de São Tiago às margens do rio Ceará, lá Barra do Ceará e chamou o povoado em volta do fortim de Nova Lisboa.

Oito anos depois, veio Martins Soares Moreno e seus colonizadores, estabeleceram na cidade um posto de defesa na tentativa de expulsar os franceses. E trocaram o nome do forte para São Sebastião. Sem os franceses, não tardaram a aparecer os holandeses que dominaram a região até 1644.

Até hoje não se sabe direito quem fundou a cidade. Polêmica à parte, o fato é que ao longo dos anos foi tomando jeito até ficar conhecida por seu charme que atrai turistas do mundo inteiro.

A principio tímida tirou a cadeira da calçada quando o rádio começou a prender a atenção da população com seus musicais e novelas. O calçamento que facilitava o escoamento da água da chuva e ajudava a manter a temperatura amena, foi trocado por línguas negras de asfalto.

A brisa que sopra do mar acariciando a pele das pessoas como uma mão fazendo massagem, foi interrompida por uma parede de prédios levantados ao longo da beira-mar. A chegada de novos habitantes, atraídos do interior e de outros estados, retirou o comércio do centro da cidade. A descentralização espalhou tudo pelos bairros que continuam surgindo para abrigar tanta gente.

Os ricos, que no começo moravam em São Gerardo, Jacarecanga e Benfica, foram todos para a Aldeota e de lá também, se espalharam pela imensa cidade.

Fortaleza tem apanhado muito. Prédios históricos são demolidos, lagoas e praças desaparecem com num passe de mágica. O verde é só o do parque do Cocó. Os pés de frutas somem junto com os quintais. Os oitis, as árvores que sombreavam as ruas foram cortadas pela raiz, aumentando a incidência dos raios solares, esquentando a cidade.

A" Fortaleza, a loira desposada do Sol que dormitava a sombra dos palmares”, cantada por Paula Ney, despertou em meio ao barulho ensurdecedor de milhares de carros que entopem as ruas. “As brancas praias embaladas pelas ondas azuis dos verdes mares” foram invadidas por barracas, turistas e farofeiros. A cidade está inchando, contaminada pelo crescimento desordenado.

Fortaleza é hoje uma cidade adulta, adulterada, corrompida, deformada.

A terra de Iracema, de alegria e beleza universais, decantada no esplêndido poema de Paula Ney, já não vê passarinho em cada ramo nem ouve pipilos de amor em cada ninho na solidão dos verdes matagais.

Virou selva de pedra. Aos 282 anos prestes a explodir, a cidade pede socorro.

(*) Wilsom Ibiapina (Ibiapina), jornalista

 

 

Untitled Document

Wilson Ibiapina
Jornalista

                                            


:: Outras edições ::

> 2017

– Outubro
Cearês

– Setembro
Um cearense longe de casa:Debaixo de chuva, frio e neve

> 2015

– Novembro
Capado, mas muito macho

– Outubro
Capado, mas muito macho

– Setembro
Os chefes cearenses

– Agosto
Morreu Orlando Orfei Os Circos que alegraram nossas vidas

> 2014

– Setembro
Carlos Augusto, Ava Gardner e Fernando César

– Agosto
A praça é do povo como o céu é do Condor

– Julho
Rui Diniz, um português bem brasileiro

– Junho
Lembrando Tarcísio Tavares

– Maio
Os Paraquedistas da Política

– Abril
Zé Tatá, esse era macho

– Março
A cidade de Ibiapina está sendo tombada

– Fevereiro
O Adeus a Flávio Parente

– Janeiro
Gente que nunca morreu nem tem inveja de quem morre

> 2013

– Dezembro
O Lançamento do livro do Bartô em ritmo de Facebook

– Novembro
Você ainda tem vergonha de pedir uma cachaça?

– Outubro
Ivanildo Sax de Ouro

– Agosto
A Imprensa nossa de cada dia

– Julho
No Ceará é Assim

– Junho
Lembrando Tarcísio Tavares

– Maio
Os Paraquedistas da Política

– Abril
Zé Tatá, esse era macho

– Março
A cidade de Ibiapina está sendo tombada

– Fevereiro
O Adeus a Flávio Parente

– Janeiro
Gente que nunca morreu nem tem inveja de quem morre

> 2012

– Dezembro
-Oscar Niemeyer, o Amigo solidário que tinha medo da morte

– Novembro
-O uso do chapéu por cearenses A Elegancia do Chapéu

– Novembro
-Um paraibano que amava Sobral

– Outubro
-Operário da Justiça

– Setembro
-No Ceará é assim

– Agosto
-Ava Gardner e o cantor cearense Carlos Augusto

– Agosto
-Velha República: O presidente que exibiu o corta jaca no Catete

– Julho
- Pulando a cerca

– Junho
- Lúcio Paco Brasileiro no Espaço e no Tempo

– Maio
- As “MENINAS” de Brasília
- Um cearense na guerra

– Abril
- As “MENINAS” de Brasília

– Março
- Os Chefs Cearenses

– Fevereiro
- O melhor Rei Momo do Ceará

– Janeiro
- Vamos exibir nossa cultura, sem vergonha

> 2011

– Novembro
- Ubajara que o tempo levou
– Setembro
- Pega Pinto: uma bebida que refrescava os fortalezense
– Agosto
- Pra onde vamos?
– Julho
- Julho em Ubajara
– Junho
- História do Ceará
– Junho
- Pise no chão devagar
– Maio
- O inventor de talentos que alegrava a cidade
– Maio
- Jornalista, que profissão!
– Abril
- O balão que iluminou Fortaleza
– Março
- O defensor da Natureza
– Fevereiro
- Quando se vê, não tem mais tempo
– Janeiro
- Vaidade que mata

> 2010

– Dezembro
- O Ano Novo e suas ameaças
– Novembro
- Os jardineiros de Brasília
– Outubro
- Quando se vê, não tem mais tempo
– Setembro
- Vamos comer farinha
–Agosto
- Cearense anônimo, mas nem tanto
– Julho
- Vamos Repensar o DF
– Junho
- Cearense anônimo, mas nem tanto
– Junho
- A morte do Augusto Pontes, o homem que brincava com as palavras. Foi-se o guru.
– Maio
- O Tempo do Rádio
– Abril
- Fortaleza: bela e amada cidade
– Março
- Um recanto dentro da noite
– Fevereiro
- Vale cultura
– Janeiro
- A última do Português

> 2009

– Dezembro
- Um presente para Fernando
– Novembro
- Da caserna para o livro
– Outubro
- Falta Garçon
– Setembro
- Cidade sem cara
– Agosto
- De quem é a floresta amazônica?
– Julho
- Memórias de Tarcísio – O Repórter
– Junho
- Esperança negra
- Apagando a cidade
- Novo Dinheiro
– Maio
- No escurinho do cinema


:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -