Boa madrugada, sexta-Feira, 20 de Setembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras


































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Maio 2013

Os Paraquedistas da Política

Eles descem em todo lugar. São os aventureiros da política em busca do voto do eleitor pobre e ignorante. A necessidade e a falta de educação levam o nosso eleitor a trocar o voto por dentadura, óculos, um par de chinelos. Entra dinheiro também. Não tem como impedí-los. Compram o mandato e chegam a Brasília sem a menor experiência política, mas dispostos a recuperar o dinheiro gasto. Vendem até a alma. Como pagaram pelo mandato não se sentem na obrigação de trabalhar pelos que votaram nele. Se metem em trambiques, empobrecem a vida política da nação, desmoralizam o Congresso onde se juntam àqueles que fazem qualquer negócio. Hoje temos até partidos paraquedistas, aqueles que abrigam os oportunistas que se engajam aos governos em troca de benesses.

O jornalista J. Ciro Saraiva no seu livro “Antes dos Coronéis”, recém lançado em Fortaleza, revela o nome do cidadão que introduziu o paraquedismo na política cearense:

“Os jornais de 23 de setembro de 1950 – conta ele- registram, com destaque, a chegada a Fortaleza do dr. Antônio Horácio Pereira, diretor de divisão de administração do Sesi, no Rio de Janeiro, que seria candidato (e eleito) a deputado federal pelo PSD. Foi ele depois considerado pela imprensa como o pioneiro dos “paraquedistas” no Ceará. Eram assim chamados os políticos que passaram a ser eleitos comprando votos. Viajando por terra, “para manter contato” e fechar contratos (teve votos no Rio Grande do Norte e na Paraíba), Horácio Pereira seria recepcionado em Messejana, distrito de Fortaleza, por um grupo de motoristas.” O jornalista Ciro lembra que um dia, ele ainda menino, viu o dr. Horácio visitar o pai dele, Raimundo Cristino, na localidade de Lacerda, Quixeramobim: “os dois lembraram os tempos de telegrafista da Estrada de Ferro e ele deu à minha mãe, para espanto de todos, uma cédula de mil cruzeiros, daquelas vermelhinhas que traziam a efígie de Pedro Àlvares Cabral. Ganhou com isso, um almoço de galinha guisada que só dona Amanda sabia preparar. A partir daí, sempre que havia eleição, ela lamentava: -Antônio Horácio não apareceu mais!

Foi eleito uma vez.”

(*) Wilson Ibiapina (Ibiapina), jornalista

Untitled Document

Wilson Ibiapina
Jornalista

                                            


:: Outras edições ::

> 2017

– Outubro
Cearês

– Setembro
Um cearense longe de casa:Debaixo de chuva, frio e neve

> 2015

– Novembro
Capado, mas muito macho

– Outubro
Capado, mas muito macho

– Setembro
Os chefes cearenses

– Agosto
Morreu Orlando Orfei Os Circos que alegraram nossas vidas

> 2014

– Setembro
Carlos Augusto, Ava Gardner e Fernando César

– Agosto
A praça é do povo como o céu é do Condor

– Julho
Rui Diniz, um português bem brasileiro

– Junho
Lembrando Tarcísio Tavares

– Maio
Os Paraquedistas da Política

– Abril
Zé Tatá, esse era macho

– Março
A cidade de Ibiapina está sendo tombada

– Fevereiro
O Adeus a Flávio Parente

– Janeiro
Gente que nunca morreu nem tem inveja de quem morre

> 2013

– Dezembro
O Lançamento do livro do Bartô em ritmo de Facebook

– Novembro
Você ainda tem vergonha de pedir uma cachaça?

– Outubro
Ivanildo Sax de Ouro

– Agosto
A Imprensa nossa de cada dia

– Julho
No Ceará é Assim

– Junho
Lembrando Tarcísio Tavares

– Maio
Os Paraquedistas da Política

– Abril
Zé Tatá, esse era macho

– Março
A cidade de Ibiapina está sendo tombada

– Fevereiro
O Adeus a Flávio Parente

– Janeiro
Gente que nunca morreu nem tem inveja de quem morre

> 2012

– Dezembro
-Oscar Niemeyer, o Amigo solidário que tinha medo da morte

– Novembro
-O uso do chapéu por cearenses A Elegancia do Chapéu

– Novembro
-Um paraibano que amava Sobral

– Outubro
-Operário da Justiça

– Setembro
-No Ceará é assim

– Agosto
-Ava Gardner e o cantor cearense Carlos Augusto

– Agosto
-Velha República: O presidente que exibiu o corta jaca no Catete

– Julho
- Pulando a cerca

– Junho
- Lúcio Paco Brasileiro no Espaço e no Tempo

– Maio
- As “MENINAS” de Brasília
- Um cearense na guerra

– Abril
- As “MENINAS” de Brasília

– Março
- Os Chefs Cearenses

– Fevereiro
- O melhor Rei Momo do Ceará

– Janeiro
- Vamos exibir nossa cultura, sem vergonha

> 2011

– Novembro
- Ubajara que o tempo levou
– Setembro
- Pega Pinto: uma bebida que refrescava os fortalezense
– Agosto
- Pra onde vamos?
– Julho
- Julho em Ubajara
– Junho
- História do Ceará
– Junho
- Pise no chão devagar
– Maio
- O inventor de talentos que alegrava a cidade
– Maio
- Jornalista, que profissão!
– Abril
- O balão que iluminou Fortaleza
– Março
- O defensor da Natureza
– Fevereiro
- Quando se vê, não tem mais tempo
– Janeiro
- Vaidade que mata

> 2010

– Dezembro
- O Ano Novo e suas ameaças
– Novembro
- Os jardineiros de Brasília
– Outubro
- Quando se vê, não tem mais tempo
– Setembro
- Vamos comer farinha
–Agosto
- Cearense anônimo, mas nem tanto
– Julho
- Vamos Repensar o DF
– Junho
- Cearense anônimo, mas nem tanto
– Junho
- A morte do Augusto Pontes, o homem que brincava com as palavras. Foi-se o guru.
– Maio
- O Tempo do Rádio
– Abril
- Fortaleza: bela e amada cidade
– Março
- Um recanto dentro da noite
– Fevereiro
- Vale cultura
– Janeiro
- A última do Português

> 2009

– Dezembro
- Um presente para Fernando
– Novembro
- Da caserna para o livro
– Outubro
- Falta Garçon
– Setembro
- Cidade sem cara
– Agosto
- De quem é a floresta amazônica?
– Julho
- Memórias de Tarcísio – O Repórter
– Junho
- Esperança negra
- Apagando a cidade
- Novo Dinheiro
– Maio
- No escurinho do cinema


:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -