Boa madrugada, quinta-Feira, 21 de Novembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras
































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Junho 2009

A morte do Augusto Pontes, o homem que brincava com as palavras. Foi-se o guru.


Augusto se definia como “apenas um rapaz latino americano, sem dinheiro no banco e sem parentes importantes” A frase aproveitada por Belchior, parceiro, ficou famosa. Guru de várias gerações, incentivou cabeças para a música, literatura, jornalismo artes plásticas. Solidário, detestava brigas, embora fosse o primeiro a brigar. Arranjava motivo para abandonar um projeto quando se sentia desmotivado. Mas estava sempre pronto a ajudar. A união só se faz à força, dizia. Parceiro de Ednardo, Fagner, Rodger Rogério. Nos versos de o Carneiro, exaltava o sonho de todos de ir para o Rio e voltar em revistas coloridas e na TV. Isso se amanhã der o carneiro..  Conheci Augusto nos programas da PRE-9, respondendo as perguntas que João Ramos fazia ao auditório. O hai-kai, inventado pelo japonês, foi aperfeiçoado por ele. “A felicidade dos outros me deixa de saco cheio. Papai Noel” Na mesma noite em que agonizava em Fortaleza, o Aderbal aproveitava, no Rio, o intervalo do ensaio e contava para o elenco histórias dele. Lembrava uma que Fausto Nilo conta, a do prêmio Pessoa Anta que criou para o Melhor Poeta Ruim e o Pior Poeta Bom. Um vencedor de O Melhor Poeta Ruim não gostou e foi se queixar. Augusto disse que não tinha nada a ver e aconselhou o poeta a ficar com o prêmio, pois é Bom ser o Melhor.. Augusto esteve nos bastidores dos movimentos culturais que sacudiram Fortaleza. Idealizou festivais, gravação de discos, edição de livros. Sua bagagem cultural foi reconhecido pelo governador Ciro Gomes que o levou para ser Secretário de Cultura. Formou-se em jornalismo na UnB, onde foi professor de Comunicação. Foi também, editor na Rede Globo. No período em que morou em Brasília, teve dificuldade para assimilar as siglas que identificam as vias e logradouros da cidade: SQS, SQN, SHIN, EPTG, SCS, SBN, etc. Um dia perguntei se ele já sabia andar pela cidade. Disse, brincando, que ainda estava nas primeiras letras. A última vez que nos vimos foi no clube do Gato, no Country, em Fortaleza. Estava com o poeta Luciano Maia. Ficamos molhando a palavra numa noite que quase não acaba. O acervo deixado por ele tem material para muitos livros, que não quis escrever em vida. O Francis Vale e o Rodger Rogério chegaram a compor uma música para homenageá-lo, mas sem nunca pensar que ele fosse furar a fila. Estava com 73 anos de idade Ficou doente numa terça, foi hospitalizado na quarta e morreu na madrugada de sexta, dia 15. Muito rápido, sem dar trabalho. Antes de ser apanhado por essa hepatite medicamentosa, Augusto foi atacado pela gota. Quando melhorou foi levada pelo Sérgio Costa ao Dr. Dari, homeopata que estava mudando a vida de seus pacientes Tratamento a longo prazo, que ele rejeitou argumentando que não teria mais tempo. É como ele dizia: ”Vida, vento, vela, leva-me daqui”. .

(*) Wilsom Ibiapina (Ibiapina), jornalista

 

 

Untitled Document

Wilson Ibiapina
Jornalista

                                            


:: Outras edições ::

> 2017

– Outubro
Cearês

– Setembro
Um cearense longe de casa:Debaixo de chuva, frio e neve

> 2015

– Novembro
Capado, mas muito macho

– Outubro
Capado, mas muito macho

– Setembro
Os chefes cearenses

– Agosto
Morreu Orlando Orfei Os Circos que alegraram nossas vidas

> 2014

– Setembro
Carlos Augusto, Ava Gardner e Fernando César

– Agosto
A praça é do povo como o céu é do Condor

– Julho
Rui Diniz, um português bem brasileiro

– Junho
Lembrando Tarcísio Tavares

– Maio
Os Paraquedistas da Política

– Abril
Zé Tatá, esse era macho

– Março
A cidade de Ibiapina está sendo tombada

– Fevereiro
O Adeus a Flávio Parente

– Janeiro
Gente que nunca morreu nem tem inveja de quem morre

> 2013

– Dezembro
O Lançamento do livro do Bartô em ritmo de Facebook

– Novembro
Você ainda tem vergonha de pedir uma cachaça?

– Outubro
Ivanildo Sax de Ouro

– Agosto
A Imprensa nossa de cada dia

– Julho
No Ceará é Assim

– Junho
Lembrando Tarcísio Tavares

– Maio
Os Paraquedistas da Política

– Abril
Zé Tatá, esse era macho

– Março
A cidade de Ibiapina está sendo tombada

– Fevereiro
O Adeus a Flávio Parente

– Janeiro
Gente que nunca morreu nem tem inveja de quem morre

> 2012

– Dezembro
-Oscar Niemeyer, o Amigo solidário que tinha medo da morte

– Novembro
-O uso do chapéu por cearenses A Elegancia do Chapéu

– Novembro
-Um paraibano que amava Sobral

– Outubro
-Operário da Justiça

– Setembro
-No Ceará é assim

– Agosto
-Ava Gardner e o cantor cearense Carlos Augusto

– Agosto
-Velha República: O presidente que exibiu o corta jaca no Catete

– Julho
- Pulando a cerca

– Junho
- Lúcio Paco Brasileiro no Espaço e no Tempo

– Maio
- As “MENINAS” de Brasília
- Um cearense na guerra

– Abril
- As “MENINAS” de Brasília

– Março
- Os Chefs Cearenses

– Fevereiro
- O melhor Rei Momo do Ceará

– Janeiro
- Vamos exibir nossa cultura, sem vergonha

> 2011

– Novembro
- Ubajara que o tempo levou
– Setembro
- Pega Pinto: uma bebida que refrescava os fortalezense
– Agosto
- Pra onde vamos?
– Julho
- Julho em Ubajara
– Junho
- História do Ceará
– Junho
- Pise no chão devagar
– Maio
- O inventor de talentos que alegrava a cidade
– Maio
- Jornalista, que profissão!
– Abril
- O balão que iluminou Fortaleza
– Março
- O defensor da Natureza
– Fevereiro
- Quando se vê, não tem mais tempo
– Janeiro
- Vaidade que mata

> 2010

– Dezembro
- O Ano Novo e suas ameaças
– Novembro
- Os jardineiros de Brasília
– Outubro
- Quando se vê, não tem mais tempo
– Setembro
- Vamos comer farinha
–Agosto
- Cearense anônimo, mas nem tanto
– Julho
- Vamos Repensar o DF
– Junho
- Cearense anônimo, mas nem tanto
– Junho
- A morte do Augusto Pontes, o homem que brincava com as palavras. Foi-se o guru.
– Maio
- O Tempo do Rádio
– Abril
- Fortaleza: bela e amada cidade
– Março
- Um recanto dentro da noite
– Fevereiro
- Vale cultura
– Janeiro
- A última do Português

> 2009

– Dezembro
- Um presente para Fernando
– Novembro
- Da caserna para o livro
– Outubro
- Falta Garçon
– Setembro
- Cidade sem cara
– Agosto
- De quem é a floresta amazônica?
– Julho
- Memórias de Tarcísio – O Repórter
– Junho
- Esperança negra
- Apagando a cidade
- Novo Dinheiro
– Maio
- No escurinho do cinema


:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -