Boa madrugada, quinta-Feira, 21 de Novembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras
































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Junho 2010

Pise no chão devagar


Cuidado com a importância que você pensa que tem. As homenagens geralmente são para o cargo, para o papel que você exerce profissionalmente. Não adianta sair por aí botando banca, arrotando importância. Ator fora de novela, sem fazer filme ou atuar numa peça não é chamado nem para animar festa de quinze anos.

O jornalista Rangel Cavalcante costuma lembrar a história do diretor da SUDENE que foi demitido e que continuou recebendo mimos de uma empresa nos finais de ano. Um dia ele se emocionou e ligou para agradecer o presente e a amizade dos empresários, os únicos que ainda continuavam lhe homenageando, mesmo depois de ter deixado a SUDENE. Foi o suficiente para ser cortado da relação, onde continuava por descuido de um funcionário. O mesmo acontece com os políticos. Em fim de mandato o capim cresce na porta da maioria. O papel de representante do povo é passageiro, como o prestígio que ele pensa que tem.

Qualquer um que se ache importante quebra a cara. Até mesmo jornalista. O Armando Nogueira, grande cronista esportivo que durante anos dirigiu a Central Globo de Jornalismo, estava sempre preocupado com os repórteres que aparecem no vídeo. Martelava que o importante é a empresa e não ele. Um dia o Chacrinha, que dava a maior audiência à Globo, teve de ouvir do Boni que a maior estrela ali era a emissora e não ele.

Tem muito repórter de TV, dominado pela vaidade, se achando mais importante até mesmo do que a notícia que tenta transmitir. Jornalista sem jornal, sem TV, revista ou rádio não é lembrado nem para forró ou roda de samba. E se quiser testar o prestígio é só pedir um favor a uma autoridade. As pessoas dão importância é ao órgão que se trabalha. E quando se tem consciência disso, as falsas homenagens que nos chegam causa mais tristeza que alegria.

Agora mesmo, Carlos Heitor Cony escreveu que um famoso cronista, estava sem jornal, quando aniversariou, ano passado. Como ninguém apareceu ou mesmo telefonou. resolveu mobilizar cinco amigos e foram a um restaurante, jantar por conta dele. Ninguém sabia que ele estava se comemorando. Este ano, conta Cony, empregado, com coluna em jornal de grande circulação, não reconhecia todos aqueles que lhe festejavam. A festa de aniversário foi organizada pelos amigos que pagaram tudo. Pensou até esquecer o aniversário do ano passado. A uma amiga que perguntou se agora ele estava mais feliz, ele disse: “estou pior do que no ano passado.” Estiveram lá festejando o colunista do jornal , não a ele. Uma lição de vida,

para sempre lembrarmos: somos o que somos e não o que pensamos que somos.

(*) Wilson Ibiapina (Ibiapina) jornalista

Untitled Document

Wilson Ibiapina
Jornalista

                                            


:: Outras edições ::

> 2017

– Outubro
Cearês

– Setembro
Um cearense longe de casa:Debaixo de chuva, frio e neve

> 2015

– Novembro
Capado, mas muito macho

– Outubro
Capado, mas muito macho

– Setembro
Os chefes cearenses

– Agosto
Morreu Orlando Orfei Os Circos que alegraram nossas vidas

> 2014

– Setembro
Carlos Augusto, Ava Gardner e Fernando César

– Agosto
A praça é do povo como o céu é do Condor

– Julho
Rui Diniz, um português bem brasileiro

– Junho
Lembrando Tarcísio Tavares

– Maio
Os Paraquedistas da Política

– Abril
Zé Tatá, esse era macho

– Março
A cidade de Ibiapina está sendo tombada

– Fevereiro
O Adeus a Flávio Parente

– Janeiro
Gente que nunca morreu nem tem inveja de quem morre

> 2013

– Dezembro
O Lançamento do livro do Bartô em ritmo de Facebook

– Novembro
Você ainda tem vergonha de pedir uma cachaça?

– Outubro
Ivanildo Sax de Ouro

– Agosto
A Imprensa nossa de cada dia

– Julho
No Ceará é Assim

– Junho
Lembrando Tarcísio Tavares

– Maio
Os Paraquedistas da Política

– Abril
Zé Tatá, esse era macho

– Março
A cidade de Ibiapina está sendo tombada

– Fevereiro
O Adeus a Flávio Parente

– Janeiro
Gente que nunca morreu nem tem inveja de quem morre

> 2012

– Dezembro
-Oscar Niemeyer, o Amigo solidário que tinha medo da morte

– Novembro
-O uso do chapéu por cearenses A Elegancia do Chapéu

– Novembro
-Um paraibano que amava Sobral

– Outubro
-Operário da Justiça

– Setembro
-No Ceará é assim

– Agosto
-Ava Gardner e o cantor cearense Carlos Augusto

– Agosto
-Velha República: O presidente que exibiu o corta jaca no Catete

– Julho
- Pulando a cerca

– Junho
- Lúcio Paco Brasileiro no Espaço e no Tempo

– Maio
- As “MENINAS” de Brasília
- Um cearense na guerra

– Abril
- As “MENINAS” de Brasília

– Março
- Os Chefs Cearenses

– Fevereiro
- O melhor Rei Momo do Ceará

– Janeiro
- Vamos exibir nossa cultura, sem vergonha

> 2011

– Novembro
- Ubajara que o tempo levou
– Setembro
- Pega Pinto: uma bebida que refrescava os fortalezense
– Agosto
- Pra onde vamos?
– Julho
- Julho em Ubajara
– Junho
- História do Ceará
– Junho
- Pise no chão devagar
– Maio
- O inventor de talentos que alegrava a cidade
– Maio
- Jornalista, que profissão!
– Abril
- O balão que iluminou Fortaleza
– Março
- O defensor da Natureza
– Fevereiro
- Quando se vê, não tem mais tempo
– Janeiro
- Vaidade que mata

> 2010

– Dezembro
- O Ano Novo e suas ameaças
– Novembro
- Os jardineiros de Brasília
– Outubro
- Quando se vê, não tem mais tempo
– Setembro
- Vamos comer farinha
–Agosto
- Cearense anônimo, mas nem tanto
– Julho
- Vamos Repensar o DF
– Junho
- Cearense anônimo, mas nem tanto
– Junho
- A morte do Augusto Pontes, o homem que brincava com as palavras. Foi-se o guru.
– Maio
- O Tempo do Rádio
– Abril
- Fortaleza: bela e amada cidade
– Março
- Um recanto dentro da noite
– Fevereiro
- Vale cultura
– Janeiro
- A última do Português

> 2009

– Dezembro
- Um presente para Fernando
– Novembro
- Da caserna para o livro
– Outubro
- Falta Garçon
– Setembro
- Cidade sem cara
– Agosto
- De quem é a floresta amazônica?
– Julho
- Memórias de Tarcísio – O Repórter
– Junho
- Esperança negra
- Apagando a cidade
- Novo Dinheiro
– Maio
- No escurinho do cinema


:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -