Boa madrugada, quinta-Feira, 21 de Novembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras
































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Julho 2013

Lembrando Tarcísio Tavares

“Meus amigos, obrigado por atenderem nosso convite.

Meus colegas acadêmicos, passo a desfrutar da honra de sentar-me entre vós.

Quero expressar a gratidão pela generosa acolhida. Muito grato aos que me elegeram.

Senhoras e senhores, muito me orgulha ocupar a cadeira 39 que tem como patrono meu querido e saudoso amigo Tarcísio Tavares e que tinha como titular o professor José Alves Fernandes. Tarcísio foi homem de rádio, publicidade, teatro e televisão, Muito criativo. Nos anos 60, a programação das emissoras de rádio era escrita. Só os bons podiam improvisar. Tarcísio improvisava.

Na sua luta para mudar costumes, liberar mentes numa Fortaleza ainda provinciana, Tarcísio lançava slogans tipo “Virgindade dá câncer”; “O biquíni é necessário” dizia ao microfone, incentivando a garotada a trocar o maiô inteiro pelo o de duas peças. Edilmar Norões lembra de um Tarcísio apaixonado, fazendo frases para uma linda moça: “ela tem a cor do primeiro minuto da aurora”.

Foi o TT que colocou as festas dos clubes dos subúrbios na ordem do dia. Falava com tanto charme dessas reuniões que atraiu os jovens da sociedade. Muitos trocavam as festas do Ideal, Maguari, Náutico pelas noitadas suburbanas. Foi o jornalista Pádua Lopes quem me chamou a atenção. Tarcísio não precisava beber para estimular suas ações e garantir noites alegres. Pádua acredita que ele era movido a emoções.

O teatrólogo B de Paiva, que foi menino com ele na rua Barão de Aratanha, escreveu: “TT foi uma das pessoas mais significativas da geração dos anos 40/50 do século passado. Muito lutou, sofreu de saúde atrapalhada, mas riscou com a vida e os sonhos do tempo um caminho digno e responsável como profissional e como ser.”

A cadeira 39 era ocupada pelo filólogo José Alves Fernandes, também membro da Academia Cearense de Letras e autor do Dicionário de formas e construções opcionais da língua portuguesa. Não o conheci pessoalmente, só através de sua obra e de depoimentos de amigos que conviveram com ele.

Vou substituir o Mestre com muito orgulho. Sem o saber e o conhecimento que ele detinha, mas com a audácia que move os jornalistas. A Academia é de Literatura e Jornalismo. Ele literato eu jornalista. Como lembrou o político pernambucano Marco Maciel no dia de sua posse na Academia Brasileira de Letras, “em todas as academias não se estabelece vinculação entre patrono, antecessor e sucessor por gênero literário ou profissão. A sucessão é ideográfica. Todos nós somos confrades a trabalhar para uma obra comum”. A responsabilidade é igual, é de todos.

(*) Wilson Ibiapina (Ibiapina). Discurso de posse na Academia Cearense de Literatura e Jornalismo, em Fortaleza, em 04.05.2013

Untitled Document

Wilson Ibiapina
Jornalista

                                            


:: Outras edições ::

> 2017

– Outubro
Cearês

– Setembro
Um cearense longe de casa:Debaixo de chuva, frio e neve

> 2015

– Novembro
Capado, mas muito macho

– Outubro
Capado, mas muito macho

– Setembro
Os chefes cearenses

– Agosto
Morreu Orlando Orfei Os Circos que alegraram nossas vidas

> 2014

– Setembro
Carlos Augusto, Ava Gardner e Fernando César

– Agosto
A praça é do povo como o céu é do Condor

– Julho
Rui Diniz, um português bem brasileiro

– Junho
Lembrando Tarcísio Tavares

– Maio
Os Paraquedistas da Política

– Abril
Zé Tatá, esse era macho

– Março
A cidade de Ibiapina está sendo tombada

– Fevereiro
O Adeus a Flávio Parente

– Janeiro
Gente que nunca morreu nem tem inveja de quem morre

> 2013

– Dezembro
O Lançamento do livro do Bartô em ritmo de Facebook

– Novembro
Você ainda tem vergonha de pedir uma cachaça?

– Outubro
Ivanildo Sax de Ouro

– Agosto
A Imprensa nossa de cada dia

– Julho
No Ceará é Assim

– Junho
Lembrando Tarcísio Tavares

– Maio
Os Paraquedistas da Política

– Abril
Zé Tatá, esse era macho

– Março
A cidade de Ibiapina está sendo tombada

– Fevereiro
O Adeus a Flávio Parente

– Janeiro
Gente que nunca morreu nem tem inveja de quem morre

> 2012

– Dezembro
-Oscar Niemeyer, o Amigo solidário que tinha medo da morte

– Novembro
-O uso do chapéu por cearenses A Elegancia do Chapéu

– Novembro
-Um paraibano que amava Sobral

– Outubro
-Operário da Justiça

– Setembro
-No Ceará é assim

– Agosto
-Ava Gardner e o cantor cearense Carlos Augusto

– Agosto
-Velha República: O presidente que exibiu o corta jaca no Catete

– Julho
- Pulando a cerca

– Junho
- Lúcio Paco Brasileiro no Espaço e no Tempo

– Maio
- As “MENINAS” de Brasília
- Um cearense na guerra

– Abril
- As “MENINAS” de Brasília

– Março
- Os Chefs Cearenses

– Fevereiro
- O melhor Rei Momo do Ceará

– Janeiro
- Vamos exibir nossa cultura, sem vergonha

> 2011

– Novembro
- Ubajara que o tempo levou
– Setembro
- Pega Pinto: uma bebida que refrescava os fortalezense
– Agosto
- Pra onde vamos?
– Julho
- Julho em Ubajara
– Junho
- História do Ceará
– Junho
- Pise no chão devagar
– Maio
- O inventor de talentos que alegrava a cidade
– Maio
- Jornalista, que profissão!
– Abril
- O balão que iluminou Fortaleza
– Março
- O defensor da Natureza
– Fevereiro
- Quando se vê, não tem mais tempo
– Janeiro
- Vaidade que mata

> 2010

– Dezembro
- O Ano Novo e suas ameaças
– Novembro
- Os jardineiros de Brasília
– Outubro
- Quando se vê, não tem mais tempo
– Setembro
- Vamos comer farinha
–Agosto
- Cearense anônimo, mas nem tanto
– Julho
- Vamos Repensar o DF
– Junho
- Cearense anônimo, mas nem tanto
– Junho
- A morte do Augusto Pontes, o homem que brincava com as palavras. Foi-se o guru.
– Maio
- O Tempo do Rádio
– Abril
- Fortaleza: bela e amada cidade
– Março
- Um recanto dentro da noite
– Fevereiro
- Vale cultura
– Janeiro
- A última do Português

> 2009

– Dezembro
- Um presente para Fernando
– Novembro
- Da caserna para o livro
– Outubro
- Falta Garçon
– Setembro
- Cidade sem cara
– Agosto
- De quem é a floresta amazônica?
– Julho
- Memórias de Tarcísio – O Repórter
– Junho
- Esperança negra
- Apagando a cidade
- Novo Dinheiro
– Maio
- No escurinho do cinema


:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -