Boa tarde, sábado, 19 de Setembro de 2020
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras


































:: Jornal Ceará em Brasília


::Odontoclínica
Site Oficial da Casa do Ceará em Brasília

Notícias da Casa do Ceará

O que faz as escolas do Ceará serem as melhores do Brasil, segundo o Ideb
Construção e manutenção de vínculo entre família e escola, atenção aos contextos sociais e às carências educacionais de cada aluno, ampliação da jornada escolar...
Dia 18 de Setembro de 2020 - Atualizada em 18/09/2020 às 02:00h
veja mais...



Governo do Ceará assina memorando para instalação de refinaria no Pecém. Será que agora vai?
O Governo do Ceará assinou um memorando de entendimento para a instalação de uma refinaria de petróleo na Zona de Processamento de Exportação (ZPE)...
Dia 17 de Setembro de 2020 - Atualizada em 17/09/2020 às 02:00h
veja mais...



Bolsonaro diz que 'está proibido' falar em Renda Brasil e afirma que Bolsa Família vai continuar
O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (15) que, no governo dele, "está proibido" se falar em Renda Brasil...
Dia 16 de Setembro de 2020 - Atualizada em 16/09/2020 às 02:00h
veja mais...



Maia defende urgência no controle dos gastos obrigatórios
Em artigo publicado neste domingo no jornal Folha de S. Paulo, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ),...
Dia 15 de Setembro de 2020 - Atualizada em 15/09/2020 às 02:00h
veja mais...



Evento do Ministério da Saúde é autuado por descumprir regras do governo do Ceará contra Covid
Um evento realizado pelo Ministério da Saúde nesta sexta-feira (11) em Fortaleza resultou em autuação por descumprimento do decreto que proíbe esse tipo de encontro no Ceará...
Dia 12 de Setembro de 2020 - Atualizada em 12/09/2020 às 02:00h
veja mais...



Circulação viral da Covid-19 está abaixo de 1% no Ceará; casos e óbitos da doença caem semanalmente, afirma secretário
O Ceará tem redução de casos e óbitos pela Covid-19 semanalmente, segundo o secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins, o Dr. Cabeto, nesta quinta-feira (10)...
Dia 11 de Setembro de 2020 - Atualizada em 11/09/2020 às 02:00h
veja mais...



Sancionada lei que amplia área de atuação da Codevasf. Ceará entrou. Codevasf fortalecida. DNOCS deve acabar
Está publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (9) a Lei 14.053, de 2020, que inclui novas bacias hidrográficas na área de atuação da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf)...
Dia 10 de Setembro de 2020 - Atualizada em 10/09/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará registra 8.588 mortes por Covid-19 e tem mais de 222 mil casos confirmados
O Ceará registra, até o fim da tarde desta terça-feira (8), 222.884 casos confirmados de Covid-19 e 8.588 mortes em decorrência da doença...
Dia 09 de Setembro de 2020 - Atualizada em 09/09/2020 às 02:00h
veja mais...



Mortes por Covid-19 voltam a crescer no Ceará enquanto média móvel no país cai pela 1ª vez
Enquanto a média móvel de óbitos por Covid-19 no Brasil caiu pela primeira vez desde o início da pandemia nessa semana...
Dia 08 de Setembro de 2020 - Atualizada em 08/09/2020 às 02:00h
veja mais...



Custo das medidas anticrise da Covid-19 chega a R$ 605 bilhões
Subiu para R$ 605 bilhões o custo das medidas federais para o enfrentamento da crise do coronavírus...
Dia 08 de Setembro de 2020 - Atualizada em 08/09/2020 às 02:00h
veja mais...



Reforma administrativa propõe fim da estabilidade e proibição de progressão automática
Após quase um ano de adiamentos sucessivos, o governo Jair Bolsonaro apresentou nesta quinta-feira (3) as linhas gerais da proposta de reforma administrativa...
Dia 04 de Setembro de 2020 - Atualizada em 04/09/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará desativa 42,5% dos leitos exclusivos para Covid-19 após redução nos índices de casos e mortes
Com a queda nos indicadores de Covid-19, o Ceará desativou 1.255 leitos exclusivos para o tratamento da doença, entre junho e setembro, conforme a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa)...
Dia 03 de Setembro de 2020 - Atualizada em 03/09/2020 às 02:00h
veja mais...



Auxílio Emergencial será de R$ 300 até o fim do ano
Mais quatro parcelas do auxilio emergencial com valor de R$ 300 e impacto de R$ 25 bilhões/mês. O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira (1º) em um café da manhã oferecido pelo presidente Jair Bolsonaro aos líderes dos partidos...
Dia 02 de Setembro de 2020 - Atualizada em 02/09/2020 às 02:00h
veja mais...



Orçamento 2021: governo indica restrições de gastos e vê alta no PIB de 3,2%
Após a recessão neste ano devido à pandemia do novo coronavírus, o governo federal estima um retorno do crescimento econômico em 2021...
Dia 01 de Setembro de 2020 - Atualizada em 01/09/2020 às 02:00h
veja mais...



Porto do Pecém recebe o maior navio já atracado no Ceará e dá início a exportação da safra de frutas
Maior navio a atracar em um porto cearense na história, o MSC Shuba B chegou ao Porto do Pecém, na Região Metropolitana de Fortaleza...
Dia 31 de Agosto de 2020 - Atualizada em 31/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Auxílio emergencial deve ser prorrogado até dezembro com valor de R$ 300, diz colunista
A equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro parece ter chegado a um acordo em relação à prorrogação do auxílio emergencial...
Dia 31 de Agosto de 2020 - Atualizada em 31/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Quatro de 22 áreas de saúde do Ceará apresentam incremento dos casos de Covid-19 em um mês
Entre as 22 Áreas Descentralizadas de Saúde (ADS) do Ceará, quatro apresentaram incremento da quantidade casos confirmados e suspeitos de Covid-19...
Dia 28 de Agosto de 2020 - Atualizada em 28/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Emenda que torna Fundeb permanente e aumenta repasses da União é promulgada
O Congresso Nacional promulgou, nesta quarta-feira (26), a emenda constitucional (EC 108) que torna permanente o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e aumenta o repasse do Governo Federal para o fundo...
Dia 27 de Agosto de 2020 - Atualizada em 27/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Rompimento de barragem da transposição do são Francisco.Governo Federal autoriza repasse de mais de R$ 100 mil para assistência às famílias de Jati
Para suprir as necessidades imediatas com alimentação, transporte e alocação de moradores impactados com o rompimento de uma tubulação da barragem da Transposição do Rio São Francisco...
Dia 26 de Agosto de 2020 - Atualizada em 26/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará registra 205.564 casos e 8.292 mortes por Covid-19
O Ceará chegou a 205.564 casos confirmados da Covid-19 e 8.292 mortes em decorrência da doença, segundo dados da plataforma IntegraSUS...
Dia 25 de Agosto de 2020 - Atualizada em 25/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Centro de testagem para Covid-19 no Ceará
Com capacidade para liberar até 10 mil resultados de testes RT-PCR por dia, a Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19 no Ceará foi inaugurada na manhã desta segunda-feira (24) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)...
Dia 25 de Agosto de 2020 - Atualizada em 25/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Barragem em Jati deve ser estabilizada em até 72h, diz ministro do Desenvolvimento Regional
Após a análise de técnicos, estima-se que a barragem da Transposição do Rio São Francisco, no município de Jati, deverá ser estabilizada em até 72 horas...
Dia 23 de Agosto de 2020 - Atualizada em 23/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Indicadores apontam para recuperação econômica do país no 3º trimestre deste ano
“Aprojeção oficial de crescimento real do PIB para 2020 foi mantida, diante da melhoria dos indicadores, refletindo efeito positivo das políticas que têm sido adotadas...
Dia 22 de Agosto de 2020 - Atualizada em 22/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará passa de 202 mil casos de Covid-19
O Ceará chegou a 202.422 casos confirmados da Covid-19 e 8.245 mortes em decorrência da doença, segundo dados da plataforma IntegraSUS...
Dia 21 de Agosto de 2020 - Atualizada em 21/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará passa de 201 mil casos de Covid-19, com 8.241 óbitos
O Ceará ultrapassou a marca de 201 mil casos confirmados de Covid-19 nesta quarta-feira (19), com 201.201 diagnósticos positivos...
Dia 20 de Agosto de 2020 - Atualizada em 20/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Secretário da Saúde não acredita em segunda onda da Covid-19 no Ceará
O secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins, o Dr. Cabeto, ponderou nesta terça-feira (18) que o Ceará poderá atravessar a pandemia de Covid-19...
Dia 20 de Agosto de 2020 - Atualizada em 20/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Corte nas universidades federais do Ceará deve causar prejuízo de R$ 62 milhões
O corte de verba determinado pelo Ministério da Educação (MEC) para o ano de 2021 deve causar prejuízo de cerca de R$ 62 milhões nos orçamentos das instituições de ensino federais no Ceará...
Dia 19 de Agosto de 2020 - Atualizada em 19/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará chega a 8.163 mortes por Covid-19, com mais de 198 mil casos
O Ceará chegou a 198.202 casos confirmados e 8.163 mortes causadas pela Covid-19, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizada às 14h52 desta segunda-feira (17)...
Dia 19 de Agosto de 2020 - Atualizada em 19/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Covid-19: 3.932 estudantes foram infectados no Ceará, aponta Sesa
Quase quatro mil estudantes já foram infectados pelo novo coronavírus no Ceará...
Dia 19 de Agosto de 2020 - Atualizada em 19/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Covid-19: Ceará contabiliza 197.619 casos da doença e 8.133 mortes
O Ceará contabiliza 197.619 casos confirmados de Covid-19 e 8.133 óbitos causados pela doença. Os dados são da plataforma IntegraSUS...
Dia 17 de Agosto de 2020 - Atualizada em 17/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Fortaleza tem média diária de até 10 óbitos por Covid-19 pela terceira semana seguida
Pela terceira semana seguida, Fortaleza registra no máximo 10 mortes por Covid-19 ao dia...
Dia 17 de Agosto de 2020 - Atualizada em 17/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Cearense conquista medalha de prata e tem o melhor resultado do Brasil em olimpíada mundial de química
Representando o Ceará, o estudante Ygor de Santana Moura, 18, conquistou, pelo segundo ano consecutivo, uma medalha de prata na Olimpíada de Química Internacional (IChO)...
Dia 15 de Agosto de 2020 - Atualizada em 15/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará tem queda de 48% na realização de transplantes no 1º semestre de 2020
Os efeitos da pandemia do novo coronavírus afetaram o número de transplantes realizados no Ceará, com queda de 48,4% de janeiro a junho...
Dia 13 de Agosto de 2020 - Atualizada em 13/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Mortes por Covid-19 no Ceará ultrapassam 8 mil; são 190 mil casos confirmados
O número de mortes pela Covid-19 no Ceará chegou a 8.011, com 190.550 casos confirmados da doença...
Dia 12 de Agosto de 2020 - Atualizada em 12/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Média diária de óbitos por Covid-19 cai mais de 60% em Juazeiro do Norte
Maior município do interior do Ceará, Juazeiro do Norte, no Sul do Estado, apresenta tendência de queda no número de mortes e infectados pelo novo coronavírus...
Dia 11 de Agosto de 2020 - Atualizada em 11/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Estabilidade fiscal deve impulsionar retomada no CE
O Ceará foi um dos estados mais impactados pela crise gerada pelo novo coronavírus, que ainda não tem um prazo para terminar.....
Dia 11 de Agosto de 2020 - Atualizada em 11/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Região de Baturité tem maior aumento percentual dos casos da Covid-19 e Juazeiro do Norte a maior redução
Dezoito das 21 Áreas Descentralizadas de Saúde (ADSs) nas quais é dividido o Ceará (86%) tiveram redução nos casos de Covid-19 entre junho e julho, conforme a Secretaria Estadual da Saúde (Sesa).....
Dia 08 de Agosto de 2020 - Atualizada em 08/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará peroximo de 8 mil mortos na Covid 19
O Ceará contabiliza 183.301 casos confirmados de Covid-19 e 7.893 mortes em decorrência da doença. O número de pessoas recuperadas é de 154.545....
Dia 07 de Agosto de 2020 - Atualizada em 07/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Beach Park retoma atividades próximo dia 10; hóspedes já têm acesso a parque aquático
O Beach Park anunciou que reabriu o parque aquático nesta quinta-feira (6) exclusivamente para hóspedes dos hotéis da rede Beach Park....
Dia 07 de Agosto de 2020 - Atualizada em 07/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Um em cada 3 profissionais de saúde mortos por Covid-19 no Ceará era médico
No Ceará, dos 29 profissionais de saúde que morreram em decorrência da Covid-19 desde o início da pandemia, nove eram médicos....
Dia 06 de Agosto de 2020 - Atualizada em 06/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Casos de Covid-19 no Ceará chegam a 176.773; mortes já são 7.710
O Ceará chegou a 7.710 mortes em decorrência da Covid-19, com 176.773 casos confirmados, segundo dados da plataforma IntegraSUS....
Dia 04 de Agosto de 2020 - Atualizada em 04/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Fiocruz alerta para possível segunda onda de Covid-19 no Rio, no Ceará e no Maranhão; no Brasil, ‘situação não está tranquila’, diz pesquisador
A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) alerta para uma possível segunda onda de Covid-19 nos estados do Rio de Janeiro, Ceará e Maranhão....
Dia 01 de Agosto de 2020 - Atualizada em 01/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Cada pessoa infectada com Covid-19 transmitiu doença para outras 3 nos primeiros meses da epidemia no Brasil, mostra estudo
Uma pesquisa publicada nesta sexta-feira (31) na revista científica"Nature Human Behaviour", do grupo "Nature", um dos mais importantes no mundo...
Dia 01 de Agosto de 2020 - Atualizada em 01/08/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará tem 11% dos casos de coronavírus entre padres infectados no Brasil; 4 morreram pela doença
A Igreja Católica também foi um dos setores afetados pela pandemia do coronavírus...
Dia 31 de Julho de 2020 - Atualizada em 31/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Deputados aprovam projeto que concede auxílio financeiro a catadores do Ceará
A Assembleia Legislativa do Ceará aprovou, nesta quinta-feira (30), em sessão híbrida...
Dia 31 de Julho de 2020 - Atualizada em 31/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará tem 7.648 mortes por Covid-19 e mais de 169 mil diagnósticos positivos
O Ceará registrou, até a tarde desta quarta-feira (29), 169.138 casos confirmados e 7.648 mortes pela Covid-19...
Dia 31 de Julho de 2020 - Atualizada em 31/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Banco Central vai lançar cédula de R$ 200 no fim de agosto
O Banco Central anunciou nesta quarta, 29, por meio de nota à imprensa, que lançará cédulas de R$ 200 no Brasil...
Dia 31 de Julho de 2020 - Atualizada em 31/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará tem mais de 165 mil casos de Covid-19, com 7.616 mortes
O Ceará chegou, na tarde desta terça-feira (28) a 165.703 casos confirmados de Covid-19, com 7.616 mortes ocasionadas pela doença...
Dia 29 de Julho de 2020 - Atualizada em 29/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará é o 4º do país em aumento de leitos do SUS nos últimos 10 anos
Um levantamento feito pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) aponta que o Ceará é uma das 10 unidades da federação que apresentou aumento no número de leitos de internação no Sistema Único de Saúde (SUS)...
Dia 29 de Julho de 2020 - Atualizada em 29/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará contabiliza 162.429 casos confirmados da Covid-19, com 7.509 mortes pela doença
O número de casos confirmados da Covid-19 no Ceará contabiliza 162.429, com 7.509 mortes em decorrência do vírus Sars-Cov-2...
Dia 28 de Julho de 2020 - Atualizada em 28/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará tem quase 160 mil casos da Covid-19 e mais de 131 mil recuperados
O Ceará contabiliza 7.454 mortes confirmadas pela Covid-19 e 159.953 diagnósticos positivos, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizada pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) às 17h08 desta sexta-feira (24)...
Dia 25 de Julho de 2020 - Atualizada em 25/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Municípios cearenses vão receber cerca de 2 milhões de EPIs para profissionais no combate à pandemia
O Governo do Ceará iniciou a distribuição de cerca de 2 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para profissionais atuando no combate à Covid-19 nos municípios do interior...
Dia 25 de Julho de 2020 - Atualizada em 25/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Casos Covid-19 no Ceará são mais de 156 mil, com 7,4 mil mortes
O Ceará registra 156.265 casos de pessoas com Covid-19 e 7.411 óbitos causados pela doença, segundo dados atualizados pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa)...
Dia 24 de Julho de 2020 - Atualizada em 24/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Mundo tem 166 candidatas a vacina contra a Covid em desenvolvimento; 24 são testadas em humanos
O mais recente balanço da Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que 166 vacinas estão em desenvolvimento contra a Covid-19 em todo o mundo...
Dia 24 de Julho de 2020 - Atualizada em 24/07/2020 às 02:00h
veja mais...



CASA DO CEARÁ PERDE SEU PRESIDENTE DO CONSELHO FISCAL
A casa do Ceará em Brasilia perdeu o presidente do Conselho Fiscal, o auditor fiscal Evandro Pedro Pinto que por longo tempo serviu em Brasília, como assessor...
Dia 23 de Julho de 2020 - Atualizada em 23/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Fortaleza tem mais de 40 mil casos confirmados da Covid-19, e Ceará ultrapassa marca de 148 mil
Fortaleza ultrapassou os 40 mil casos confirmados da Covid-19. Em todo o Ceará, o número de diagnósticos positivos soma 148.986 casos, com 7.284 óbitos em decorrência da doença...
Dia 22 de Julho de 2020 - Atualizada em 22/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará tem 6,8 mil casos de Covid-19 em profissionais de saúde em investigação
Pelo menos 6.809 casos suspeitos de Covid-19 em profissionais dos serviços de saúde seguem em investigação no Estado...
Dia 22 de Julho de 2020 - Atualizada em 22/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará registra 7.256 mortes pela Covid-19, com mais de 147,8 mil casos confirmados
O Ceará registrou 7.256 mortes em decorrência da Covid-19 e 147.818 casos confirmados da infecção, conforme dados da plataforma IntegraSUS...
Dia 21 de Julho de 2020 - Atualizada em 21/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Brasil tem média de 1.055 mortes por dia por coronavírus na última semana; 8 estados têm alta de mortes, mostra consórcio de veículos de imprensa
O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde...
Dia 21 de Julho de 2020 - Atualizada em 21/07/2020 às 02:00h
veja mais...



CASA DO CEARÁ RECEBE DOAÇÕES PARA MANTER SUAS ATIVIDADES ASSISTENCIAIS AS ÚLTIMAS DOAÕES FORAM DO ITAÚ-UNIBANCO E DA VICE PESIDENCIA DA REPUBLICA
O programa Todos pela Saúde, uma iniciativa do Itaú Unibanco, em uma ação ao combate à Covid-19 junto à população idosa, realizou testagem RT-PCR (coleta de SWAB) na Casa do Ceará nos dias 15 e 16/07...
Dia 19 de Julho de 2020 - Atualizada em 19/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Covid-19: casos se aproximam de 146 mil no Ceará; já são 7.165 mortes pela doença
Até a última atualização da plataforma IntegraSUS, o número de casos de Covid-19 no Ceará chegou a quase 146 mil, totalizando 145.938 diagnósticos...
Dia 18 de Julho de 2020 - Atualizada em 18/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará registra mais de 144 mil casos confirmados da Covid-19, com 7.139 mortes pela doença
O Ceará contabiliza 144.058 mil casos confirmados da Covid-19, com 7.139 mortes pela doença. Os dados foram atualizados pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa)...
Dia 17 de Julho de 2020 - Atualizada em 17/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Iguatu volta a ter 100% de ocupação de leitos de UTI para Covid-19
O crescimento de casos e o agravamento de pacientes com Covid-19, na região Centro-Sul cearense, resultaram na ocupação total dos 20 leitos de UTI, na cidade de Iguatu...
Dia 17 de Julho de 2020 - Atualizada em 17/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará ultrapassa 7 mil mortes pela Covid-19; casos já são mais de 141,8 mil
O Ceará ultrapassou a marca de 7 mil mortes por Covid-19, com 7.081 óbitos...
Dia 15 de Julho de 2020 - Atualizada em 15/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Seis em cada dez cearenses acima de 25 anos não completaram estudos básicos, aponta IBGE
Números também mostram diferença entre nível de acesso ao ensino básico entre jovens brancos e negros...
Dia 15 de Julho de 2020 - Atualizada em 15/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará tem 139.437 casos de Covid-19, com 6.977 mortes pela doença
O Ceará contabiliza 139.437 casos confirmados da Covid-19, com 6.977 mortes em decorrência da infecção...
Dia 14 de Julho de 2020 - Atualizada em 14/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Aeroporto: Tráfego de passageiros aumenta 75,7% em junho na comparação com maio
O tráfego de passageiros no Aeroporto Internacional de Fortaleza aumentou 75,7% em junho na comparação com maio deste ano...
Dia 14 de Julho de 2020 - Atualizada em 14/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará tem quatro municípios entre as 20 cidades do Nordeste com mais casos de Covid-19
Quatro cidades do Ceará aparecem na lista das 20 cidades do Nordeste com maior número de casos confirmados de Covid-19...
Dia 13 de Julho de 2020 - Atualizada em 13/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Prefeito de Fortaleza anuncia até quarta-feira plano de apoio fiscal para recuperar a economia da cidade
O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, anunciou nesta segunda-feira (13), que a prefeitura deve lançar até a próxima quarta-feira (15)...
Dia 13 de Julho de 2020 - Atualizada em 13/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Casos de Covid-19 chegam a 131 mil no Ceará; 6.741 óbitos foram registrados pela doença
O número de casos confirmados de Covid-19 no Ceará chegou a 131.000 na tarde desta quinta-feira (9)...
Dia 10 de Julho de 2020 - Atualizada em 10/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Juazeiro do Norte passa dos 3 mil casos de Covid-19; Ceará tem quase 130 mil diagnósticos
Juazeiro do Norte ultrapassou os 3 mil casos de Covid-19. Conforme apontado às 20h36 desta quarta-feira (8) pela plataforma IntegraSUS...
Dia 10 de Julho de 2020 - Atualizada em 10/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará ultrapassa 100 mil recuperados da Covid-19; número de mortes é de 6.665
O Ceará ultrapassou a marca de 100 mil recuperados da Covid-19, com 101.678 pessoas que se curaram da doença...
Dia 09 de Julho de 2020 - Atualizada em 09/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Taxa de isolamento social no Ceará permanece abaixo de 50% há uma semana
O Ceará registra, há sete dias, índices de isolamento social inferiores a 50% da população...
Dia 09 de Julho de 2020 - Atualizada em 09/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará contabiliza 124.952 casos confirmados da Covid-19 e registra 6.556 óbitos
O IntegraSUS aponta ainda que outros 68.130 casos suspeitos do Taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 73,9%, segundo a plataforma IntegraSUS — novo coronavírus estão em investigação...
Dia 08 de Julho de 2020 - Atualizada em 08/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Mais de 90% dos municípios cearenses tiveram óbitos pela Covid-19
Pelo menos 92,39% das cidades cearenses já registram mortes pela Covid-19 até esta segunda-feira (6), segundo a plataforma IntegraSUS...
Dia 08 de Julho de 2020 - Atualizada em 08/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará chega a 122.477 casos confirmados de Covid-19 e número de óbitos vai a 6.481
O Ceará chegou a 122.477 casos confirmados de Covid-19, com 6.481 mortes pela enfermidade, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizados às 14h57 desta segunda-feira (6)...
Dia 07 de Julho de 2020 - Atualizada em 07/07/2020 às 02:00h
veja mais...



47% dos casos de Covid-19 registrados no Ceará estão na Região Metropolitana de Fortaleza
A maioria dos casos de coronavírus registrados no Ceará está nos municípios do Interior. Mais de 64 mil dos infectados...
Dia 07 de Julho de 2020 - Atualizada em 07/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Todas as regiões do Ceará apresentam crescimento nos casos de Covid-19
Todas as regiões do Ceará ainda apresentam crescimento nas incidências de casos confirmados de Covid-19 em relação às semanas anteriores...
Dia 06 de Julho de 2020 - Atualizada em 06/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Todas as regiões do Ceará apresentam crescimento nos casos de Covid-19
Todas as regiões do Ceará ainda apresentam crescimento nas incidências de casos confirmados de Covid-19 em relação às semanas anteriores...
Dia 03 de Julho de 2020 - Atualizada em 03/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará teve duas ondas de casos da Covid-19, diz Secretaria da Saúde
Desde o início da pandemia do coronavírus, o Ceará já teve duas ondas de casos da Covid-19, conforme registros feitos pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa)...
Dia 03 de Julho de 2020 - Atualizada em 03/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará chega a 113 mil casos confirmados de Covid-19 e tem 6.180 óbitos
O Ceará contabiliza 113.017 casos confirmados de Covid-19 e 6.180 óbitos em decorrência da doença, segundo dados da plataforma IntegraSUS...
Dia 02 de Julho de 2020 - Atualizada em 02/07/2020 às 02:00h
veja mais...



PIB do Ceará cai 4,65% no primeiro trimestre de 2020
O Produto Interno Bruto (PIB) do Ceará apresentou retração de 4,65% no primeiro trimestre de 2020 na comparação com os últimos três meses de 2019...
Dia 02 de Julho de 2020 - Atualizada em 02/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Sancionado auxílio para instituições de acolhimento de idosos
O presidente Jair Bolsonaro sancionou com vetos a Lei 14.018, de 2020 que destina auxílio financeiro da União no valor de até R$ 160 milhões para instituições de longa permanência para idosos (Ilpis)...
Dia 01 de Julho de 2020 - Atualizada em 01/07/2020 às 02:00h
veja mais...



Mais de 6 mil pessoas morreram por Covid-19 no Ceará
O Ceará ultrapassou as 6 mil mortes pela Covid-19, conforme dados da plataforma IntegraSUS atualizados à 16h18 desta segunda-feira (29)...
Dia 30 de Junho de 2020 - Atualizada em 30/06/2020 às 02:00h
veja mais...



300 respiradores que chegaram da China serão enviados a cidades do interior do Ceará, afirma secretário da Saúde; 7 já estão definidas
Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Brejo Santo, Iguatu, Icó e Missão Velha estão entre os municípios que contarão com os novos equipamentos para que possam montar leitos de UTI, exclusivamente destinados ao tratamento da Covid-19...
Dia 30 de Junho de 2020 - Atualizada em 30/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Bolsonaro viaja ao Ceará e inaugura trecho da transposição do Rio São Francisco
O presidente Jair Bolsonaro viajou nesta sexta-feira (26) ao Ceará para inaugurar trecho do Eixo Norte da transposição do Rio São Francisco...
Dia 27 de Junho de 2020 - Atualizada em 27/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Fortaleza tem queda de 78,2% na média diária de óbitos por Covid-19 em junho
A média diária de óbitos por Covid-19 caiu 78,2% em Fortaleza, se comparado os números de 1º a 25 de maio com o mesmo período em junho...
Dia 27 de Junho de 2020 - Atualizada em 27/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará ultrapassa 102 mil casos de Covid-19 e tem 5.875 mortes pela doença
O Ceará ultrapassou os 100 mil casos confirmados de Covid-19 nesta quinta-feira (25), segundo dados da plataforma IntegraSUS...
Dia 26 de Junho de 2020 - Atualizada em 26/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Levantamento aponta que taxa de isolamento social no Ceará está em 40,2%
A taxa de isolamento social registrada até esta segunda-feira (22) por meio de mapeamento de sinal telefônico aponta que 40,2% da população cearense obedece às restrições de combate à Covid-19...
Dia 26 de Junho de 2020 - Atualizada em 26/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará registra mais de 97,5 mil casos confirmados de Covid-19, com 5.717 mortes pela doença
O Ceará chegou nesta terça-feira (23) a 97.528 casos de Covid-19. O total de mortes em decorrência da doença está em 5.717...
Dia 24 de Junho de 2020 - Atualizada em 24/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Governo do Ceará prevê liberação de 100% da atividade econômica até fim de julho
O Governo do Ceará prevê que até o fim de julho 100% das atividades econômicas estejam liberadas para o retorno no Estado...
Dia 24 de Junho de 2020 - Atualizada em 24/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará tem mais de 94,1 mil casos da Covid-19 e 5.604 óbitos
Chegou a 94.158 o número de pessoas diagnosticadas com Covid-19 no Ceará, enquanto as mortes causadas pela doença subiram para 5.604...
Dia 22 de Junho de 2020 - Atualizada em 22/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Como o sistema de saúde reage aos 100 dias da Covid-19 no Ceará
Há 100 dias, fazia sol em Fortaleza. Era domingo. E a polêmica momentânea era o jogo de portões fechados entre Ceará e Sport, na Arena Castelão...
Dia 22 de Junho de 2020 - Atualizada em 22/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará chega a quase 90 mil casos confirmados da Covid-19, com 5.460 mortes pela doença
O Ceará contabiliza 89.863 diagnósticos positivos da Covid-19 e acumula 5.460 mortes pela doença...
Dia 20 de Junho de 2020 - Atualizada em 20/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Mais de 10 mil profissionais da saúde já foram diagnosticados com Covid-19 e 23 morreram no Ceará
Pelo menos 10.063 profissionais da saúde já foram diagnosticados com Covid-19 em todo o Ceará...
Dia 20 de Junho de 2020 - Atualizada em 20/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará tem mais de 87 mil casos confirmados da Covid-19, com 5.377 mortes pela doença
Os dados foram atualizados às 15h27 desta quinta-feira (18), na plataforma IntegraSUS, ferramenta da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa)...
Dia 19 de Junho de 2020 - Atualizada em 19/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Balanço da Secretaria Estadual da Saúde aponta que somente 23 cidades não registraram óbitos pela doença
Apenas 23 municípios do Ceará não possuem registros de óbitos por Covid-19. Isso indica que 161 das 184 cidades...
Dia 19 de Junho de 2020 - Atualizada em 19/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará tem quase 85 mil casos de Covid-19, com 5.282 mortes
O Ceará tem quase 85 mil diagnósticos positivos do agente infeccioso da Covid-19. O Estado soma agora 84.967 casos positivos do novo coronavírus e 5.282 mortes...
Dia 18 de Junho de 2020 - Atualizada em 18/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará registra 32 óbitos por Covid-19 em crianças e adolescentes
Pelo menos 32 óbitos foram registrados por Covid-19 em crianças e adolescentes até 19 anos no Ceará desde março...
Dia 18 de Junho de 2020 - Atualizada em 18/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará passa de 5 mil óbitos por Covid-19 três meses após o anúncio dos três primeiros casos da doença
Três meses após a confirmação dos três primeiros casos de Covid-19 no estado, o Ceará ultrapassa os cinco mil mortos em razão da enfermidade...
Dia 17 de Junho de 2020 - Atualizada em 17/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Pandemia: arrecadação de impostos no CE recua 45,2% em maio; no ano, queda foi de 11,7%
Quase cinco mil pessoas morreram no Ceará em decorrência da Covid-19. Até as 14h32 desta segunda-feira (15)...
Dia 17 de Junho de 2020 - Atualizada em 17/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Quase 5 mil mortes por Covid-19 no Ceará; casos chegam a 79,4 mil
Quase cinco mil pessoas morreram no Ceará em decorrência da Covid-19. Até as 14h32 desta segunda-feira (15)...
Dia 16 de Junho de 2020 - Atualizada em 16/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Vacina que virá para o Brasil se mostrou 90% segura em aplicações feitas durante estudo na China
A vacina contra o novo coronavírus que virá para o Brasil e será produzida em parceria entre o Instituto Butantan e o laboratório chinês Sinovac Biotech...
Dia 16 de Junho de 2020 - Atualizada em 16/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará tem 76.748 casos de Covid-19 e mais de 4,8 mil mortes pela doença; número de recuperados chega a 56.377
O número de casos de infecção pelo novo coronavírus chegou a 76.748 no Ceará. Já o número de pessoas que perderam a vida em decorrência de complicações causadas...
Dia 15 de Junho de 2020 - Atualizada em 15/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Moradores denunciam entrada ilegal de turistas e falta de fiscalização do isolamento social em Jericoacoara
Moradores da Vila de Jericoacoara, no município de Jijoca de Jericoacoara, no Ceará, denunciam descumprimento das medidas de isolamento social...
Dia 15 de Junho de 2020 - Atualizada em 15/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará tem mais de 4,8 mil mortes por Covid-19; Fortaleza ultrapassa 30,2 mil casos da doença
Nesta sexta-feira (12) o Ceará passou a contabilizar 4.812 mortes pela Covid-19 e 75.784 casos da doença...
Dia 13 de Junho de 2020 - Atualizada em 13/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Taxa de mortalidade da Covid-19 no Ceará sobe para 46 mortes para cada 100 mil habitantes
A taxa de mortalidade de Covid-19 no Ceará teve um aumento para 46,8 óbitos por cada 100 mil habitantes do estado, conforme avaliado pelo boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde (Sesa), divulgado na noite desta quarta-feira (10)...
Dia 13 de Junho de 2020 - Atualizada em 13/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Covid-19 atinge mais de 71,9 mil pessoas no Ceará; número de mortes pela doença chega a 4.519
Um total de 4.519 pessoas morreram no Ceará em decorrência da Covid-19, que também conta com 71.947 infecções no estado até as 17h47...
Dia 11 de Junho de 2020 - Atualizada em 11/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Pesquisa da UFC prevê estabilização da curva de mortes por Covid-19 no mês de julho, em Fortaleza
Dados da Universidade Federal do Ceará (UFC) indicam que a velocidade de registro de novos óbitos por Covid-19 deve cair em Fortaleza a partir de julho...
Dia 11 de Junho de 2020 - Atualizada em 11/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará registra mais de 4,3 mil mortes por Covid-19 e ultrapassa 68,3 mil casos da doença
O Ceará registra 4.309 óbitos por Covid-19 e 68.384 casos confirmados da doença até as 14h23 desta terça-feira (9)...
Dia 09 de Junho de 2020 - Atualizada em 09/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Isolamento social impediu morte de mais de 9 mil pessoas por Covid-19 em Fortaleza, estima prefeito
O número de vidas salvas em razão do isolamento social adotado em Fortaleza superou o número de 9 mil pessoas, conforme estimativa apresentada pelo prefeito Roberto Cláudio...
Dia 09 de Junho de 2020 - Atualizada em 09/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará registra quase 64 mil casos de Covid-19 e mais de 3,9 mil mortes pela doença
O Ceará tem 63.957 casos de Covid-19 e 3.981 mortes, conforme a atualização das 14h29 da plataforma IntegraSUS...
Dia 07 de Junho de 2020 - Atualizada em 07/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará tem 292 mortes em casa causadas pela Covid-19; 75% dos casos não tiveram assistência
O Ceará já registrou 292 mortes em casa causadas pelo novo coronavírus, de acordo com o Serviço de Verificação de Óbitos (SVO)...
Dia 07 de Junho de 2020 - Atualizada em 07/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará ultrapassa os 61 mil casos de Covid-19; óbitos pela doença chegam a 3.890. Neste fim de semana chegará aos 4 mil
O Ceará ultrapassou os 60 mil casos de Covid-19, conforme os dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria de Saúde, atualizados nesta sexta-feira (5)...
Dia 06 de Junho de 2020 - Atualizada em 06/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Senado confirma R$ 160 milhões para asilos no combate à pandemia; texto vai à sanção
O Plenário do Senado Federal aprovou nesta quinta-feira (4) o auxílio financeiro da União no valor de até R$ 160 milhões para Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs)...
Dia 06 de Junho de 2020 - Atualizada em 06/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Vítimas de Covid-19 no Ceará morrem cerca de 7 dias após início dos sintomas
Pacientes com quadro confirmado de Covid-19 levam cerca de 7,8 dias internados em unidades hospitalares no Ceará...
Dia 05 de Junho de 2020 - Atualizada em 05/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Prejuízo estimado aos cofres públicos em fraudes para compras de EPIs no Ceará é de R$ 17 milhões, diz polícia
A Polícia Civil do Ceará (PCCE) investiga práticas fraudulentas em dois processos de compras de equipamentos de proteção individual (EPIs)...
Dia 05 de Junho de 2020 - Atualizada em 05/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará contabiliza mais de 56 mil casos confirmados da Covid-19, com 3.605 mortes
O Ceará tem 56.056 mil casos positivos de Covid-19 e 3.605 óbitos, segundo dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde...
Dia 04 de Junho de 2020 - Atualizada em 04/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Mais de 70 municípios do Ceará são alvos de fiscalização do MPCE após denúncias de irregularidades em uso de recursos para a saúde
Mais de 70 municípios cearenses são alvos de fiscalização do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE)...
Dia 04 de Junho de 2020 - Atualizada em 04/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará ultrapassa 3,4 mil mortes por Covid-19; Caucaia é o 3º município cearense a superar 100 óbitos
O Ceará tem 53.073 casos positivos de Covid-19 e 3.421 óbitos, segundo dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde...
Dia 04 de Junho de 2020 - Atualizada em 04/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará ultrapassa 50 mil casos de Covid-19, com 3.188 mortes
Mais de 50 mil diagnósticos positivos de Covid-19 já foram registrados no Ceará. Os dados da plataforma IntegraSUS...
Dia 04 de Junho de 2020 - Atualizada em 04/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Quadra chuvosa no Ceará fica acima da média histórica pela primeira vez nos últimos 10 anos
Quadra chuvosa no Ceará fica acima da média histórica pela primeira vez nos últimos 10 anos...
Dia 04 de Junho de 2020 - Atualizada em 04/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Ceará perde seu maior Cantor e compositor ; Morre Evaldo Gouveia
O músico compositor, cantor e violonista cearense Evaldo Gouveia morreu aos 91 anos nesta sexta-feira (29)...
Dia 04 de Junho de 2020 - Atualizada em 04/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Evaldo Gouveia, falece aos 91 anos, vítima de Covid-19. deixa muitas saudades
Morreu nesta sexta-feira (29), em um hospital particular de Fortaleza, vítima de Covid-19...
Dia 04 de Junho de 2020 - Atualizada em 04/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Casos de Covid-19 no Ceará são quase 37,5 mil, com 2.686 óbitos
O número de mortes provocadas pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) chegou a 2.686 nesta quinta-feira (28) no Ceará...
Dia 04 de Junho de 2020 - Atualizada em 04/06/2020 às 02:00h
veja mais...



Prefeitura de Fortaleza move processos milionários contra empresa que não entregou respiradores
A Prefeitura de Fortaleza deu entrada em dois processos milionários na Justiça cearense contra a empresa BuyerBR...
Dia 04 de Junho de 2020 - Atualizada em 04/06/2020 às 02:00h
veja mais...



























O que faz as escolas do Ceará serem as melhores do Brasil, segundo o Ideb



Construção e manutenção de vínculo entre família e escola, atenção aos contextos sociais e às carências educacionais de cada aluno, ampliação da jornada escolar, oferta de ensino profissional atrelado ao formal e estratégias continuadas são alguns dos motivos que fazem com que a política cearense de educação se destaque como a melhor do Brasil, segundo os critérios avaliados no cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

O Ideb, cujos resultados mais recentes foram divulgados na última terça-feira, 15, pelo Governo Federal, é um dos principais indicadores de qualidade educacional do País. Considera, em seu cálculo, a proficiência dos estudantes do ensino fundamental (anos iniciais e finais) e médio em português e matemática e as taxas de aprovação deles entre etapas/anos.

O destaque dado ao Ceará no Ideb 2019 evidencia uma série de conquistas dos equipamentos públicos de ensino que, há anos, trabalham de forma sistemática para melhorar a aprendizagem dos estudantes. Se sobressaem, principalmente, unidades do Interior, que, muitas vezes, menos têm recursos e mais têm adversidades a enfrentar.

Com 99 alunos, situada na zona rural do município de Granja, no Interior, a Escola Nossa Senhora Aparecida mantém há quatro anos a melhor nota do Brasil no Ideb — nos anos finais do ensino fundamental. Fica na comunidade Brejo dos Sabinos, no distrito Pessoa Anta. É a única escola da região e atende estudantes da pré-escola ao 9º ano.

São essas características, relata a diretora Ariana Sousa da Rocha, que fazem com que “todos os profissionais (da escola) conheçam as famílias (dos estudantes), criem vínculo. Conhecemos todos os alunos pelo nome, sabemos identificar as dificuldades de cada um”.

Na localidade, explica Ariana, a maioria dos pais são agricultores. Famílias, em geral, de baixa renda. Outros, professores da escola.

“Como a gente conhece os alunos desde as salas iniciais, quando vamos percebendo que um está apresentando algum tipo de dificuldade, já realizamos atividades diferenciadas e (damos) mais atenção. Porque entendemos que, se o aluno entra no primeiro ano do ensino fundamental, eu consigo identificar isso e deixo passar, gera uma defasagem que, mais à frente, não iremos conseguir reverter”, conta.

Além disso, a diretora ressalta que auxilia nesse processo o Programa Aprendizagem na Idade Certa (Mais Paic), que é uma ação pactuada entre o Governo do Ceará e seus 184 municípios, com a finalidade de garantir apoio pedagógico nos processos de formação dos estudantes da educação infantil e do fundamental.

Fortaleza reduz em 90,1% taxas de reprovação e abandono escolar

Guilherme sente que os diferenciais de sua escola são a atenção prestada pelos professores aos alunos, o cuidado da coordenação em garantir que todas as crianças estejam em sala de aula e o incentivo a participar de olimpíadas, por exemplo, de matemática, sua disciplina preferida. “Minha escola é pequena, tem poucos alunos, mas é uma boa escola.

Gosto dela”.

Destaque no Ensino Médio

A divulgação das notas do Ideb também evidenciou que, embora o Ceará, desde 2013, não tenha mais atingido a meta nesta etapa do ensino, a distância entre a nota real e o objetivo estabelecido para o desempenho dos alunos tem sido reduzida. A nota do Estado em 2019 foi de 4,4 enquanto que a meta era de 4,9. Ainda assim, é o 7º melhor índice do país.

Em Itapajé, Interior do Ceará, a Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) Adriano Nobre alcançou a nota 7,1 no Ideb 2019. A unidade tem 511 alunos. Lá, conta a professora de matemática, Tyara Lima, “embora seja de ensino profissionalizante, os estudantes nem sempre chegam preparados e é preciso estar atento”. Umas das principais estratégias, portanto, é o nivelamento dos estudantes a cada início de ciclo.

Na prática, essa iniciativa busca identificar logo no princípio das aulas qual o desempenho dos estudantes de cada sala e em cada nível. A partir disso, os alunos são distribuídos em grupos com níveis classificados em: muito crítico, crítico, intermediário e adequado. “Esse trabalho é feito de forma simultânea às aulas. Matemática, por exemplo, é uma a matéria que requer uma base e, muitas vezes, ela não foi tão bem construída”, justifica Tyara.

Além disso, a EEP Adriano Nobre também estabeleceu o chamado “6º tempo”. “Pela manhã, a escola tem cinco aulas. Redividimos para que pudesse ter um 6º tempo. Nessas atividades, além dos professores, os alunos monitores auxiliam os demais. O conteúdo é o mesmo para todos, mas o trabalho é de maneira diferente para cada nível de dificuldade”. Aulas extras à noite e aos sábados para os alunos do 3º ano compõem outra ação adotada. Na unidade, 80% dos estudantes, segundo a professora, são oriundos do ensino fundamental da rede pública e 20% da rede particular.

Escrito por Thatiany Nascimento, Marina Alves e Luana Severo, 12:28 / 17 de Setembro de 2020



Topo
Governo do Ceará assina memorando para instalação de refinaria no Pecém. Será que agora vai?



O Governo do Ceará assinou um memorando de entendimento para a instalação de uma refinaria de petróleo na Zona de Processamento de Exportação (ZPE), no Pecém, a ser construído pela empresa brasileira Noxis Energy.

“A previsão inicial da companhia é implantar o projeto em 30 meses, gerando 150 empregos diretos e 3 mil empregos indiretos”, disse o governador, na manhã desta quarta-feira (16), em suas redes sociais. O valor total do investimento para a implantação do projeto é de R$ 4,240 bilhões.

A refinaria terá como principal produto o óleo combustível marítimo (bunker), com a capacidade de refino de 50.000 BBL/dia, e quando totalmente implantada a produção prevista é de 1.500.000 toneladas/ano de combustível, até 2025. O prazo para a implantação será de 30 meses após o licenciamento ambiental.

Sediada no Rio de Janeiro, a Noxis Energy trabalha principalmente no refino de petróleo em plantas instaladas ao longo da costa brasileira.

Em fevereiro, a empresa obteve licença ambiental prévia para construção de uma refinaria de pequeno porte em Sergipe, em um projeto avaliado em US$ 700 milhões com capacidade de processar um volume estimado de 35 mil barris diários de petróleo.

Histórico

Após a desistência da Petrobras de construir uma refinaria no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp), o Governo do Estado buscou firmar uma parceria com investidores chineses para a instalação de uma refinaria no local.

Em 2017, o governo assinou um memorando de entendimento com a China Development Bank (CDB) e representantes da companhia chinesa Qingdao Xinyutian Chemical, para a instalação do empreendimento, mas o projeto não foi concluído.

Por G1 CE



Topo
Bolsonaro diz que 'está proibido' falar em Renda Brasil e afirma que Bolsa Família vai continuar



O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (15) que, no governo dele, "está proibido" se falar em Renda Brasil e que o programa Bolsa Família vai continuar em vigor.

O Renda Brasil chegou a ser discutido no governo como um programa de assistência social para substituir o Bolsa Família. A intenção era aproveitar a experiência do auxílio emergencial, que acaba no fim do ano, e criar um programa que aumentasse o valor do benefício do Bolsa Família.

No entanto, Bolsonaro e a equipe econômica não conseguiram chegar a um acordo sobre os cortes em gastos do governo que deveriam ser feitos para financiar o novo programa, o que vinha deixando suspensa a criação do Renda Brasil.

Presidente Bolsonaro desiste de criar o Renda Brasil para substituir o Bolsa Família

Em entrevista ao G1 no domingo (13), o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, disse que a equipe econômica chegou a estudar o congelamento de benefícios como aposentadorias e pensões. Outra medida discutida foi a redução do seguro-desemprego.

Ao comentar o tema nesta terça, Bolsonaro disse que cogitar esse tipo de ação é um "devaneio".

"E a última coisa, para encerrar: até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final", afirmou Bolsonaro em um vídeo publicado em seu perfil no Facebook.

"Congelar aposentadorias, cortar auxílio para idosos e pobres com deficiência, um devaneio de alguém que está desconectado com a realidade", completou o presidente.

Bolsonaro também disse que vai dar um "cartão vermelho" a quem, de dentro do governo, lhe apresentar propostas de congelar aposentadorias ou reduzir benefícios.

"Quem porventura vier propor para mim uma medida como essa, eu só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa. É gente que não tem o mínimo de coração, o mínimo de entendimento [sobre] como vivem os aposentados no Brasil", ressaltou Bolsonaro.

Entrevista do secretário

Na entrevista ao G1, Waldery disse que uma das alternativas para viabilizar o Renda Brasil era desvincular aposentadoria e pensões do salário mínimo e congelar os benefícios por dois anos.

A ideia evitaria, por exemplo, a correção automática do piso de aposentadorias e pensões – que hoje não podem ser menores que o salário mínimo. A área econômica também apoia que os benefícios maiores fiquem congelados no período.

"A desindexação que apoiamos diretamente é a dos benefícios previdenciários para quem ganha um salário mínimo e acima de um salário mínimo, não havendo uma regra simples e direta [de correção]. O benefício hoje sendo de R$ 1.300, no ano que vem, ao invés de ser corrigido pelo INPC, ele seria mantido em R$ 1.300. Não haveria redução, haveria manutenção", disse Waldery na ocasião.

Por Guilherme Mazui, G1 — Brasília



Topo
Maia defende urgência no controle dos gastos obrigatórios



Em artigo publicado neste domingo no jornal Folha de S. Paulo, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu a aprovação de propostas urgentes e temporárias, que visam o controle dos gastos públicos, juntamente com as reformas definitivas, para viabilizar o equilíbrio fiscal e a manutenção dos investimentos e serviços do governo federal.

Entre as proposições que tramitam no Congresso estão a PEC dos gatilhos, que cria mecanismos para conter as despesas públicas e preservar a regra de ouro, e as reformas tributária e administrativa. Para o presidente, a origem do desequilíbrio fiscal brasileiro é o crescimento da despesa obrigatória primária.

No texto, Maia reafirmou a importância da emenda constitucional que limitou o aumento das despesas públicas, criando o chamado teto de gastos. Segundo ele, o teto deu credibilidade à política fiscal de longo prazo no País e contribuiu para o controle da inflação e queda dos juros baixos.

O presidente da Câmara reforçou que o teto não pode ser descumprido. “Perder o controle fiscal pode jogar o País em mais uma década perdida”, alertou o presidente.

“Afinal, quem vai correr o risco de desrespeitar a Constituição? Só reafirmando a estabilidade fiscal, enfrentando a verdadeira causa dos problemas e implementando reformas estruturais vamos assegurar a retomada da economia”, afirmou Rodrigo Maia.

Gastos com a pandemia

Maia destacou que a pandemia aumentou a demanda por gastos públicos de caráter permanente como, por exemplo, a criação de um novo programa de transferência de renda, mais amplo que o Bolsa Família.

Além disso, o presidente afirmou que o ritmo e a profundidade das reformas não garantiram a desaceleração suficiente das despesas obrigatórias. “Precisamos enfrentar o verdadeiro problema: o crescimento das despesas obrigatórias. Na Câmara, a PEC 438/18 (e, no Senado, as PECs 186 e 188/19) buscam dar respostas a esse problema”, afirmou Rodrigo Maia.

“A maior parte do conteúdo dessas propostas, contudo, limita-se a evitar que as despesas obrigatórias continuem a crescer em ritmo acelerado. Uma das poucas iniciativas que buscam efetivamente reduzir despesas é a que permite a redução temporária do salário dos servidores conjuntamente com a redução da jornada de trabalho”, defendeu Maia.

Medidas emergenciais

Maia destacou ainda que, além da diminuição de jornada com redução da remuneração dos funcionários públicos, que, na avaliação do presidente abriria espaço fiscal de R$ 7 bilhões em dois anos, outras medidas urgentes poderiam ser votadas, como o não reajuste nominal do salário mínimo para quem ganha acima do salário mínimo, por dois exercícios (que abriria espaço de R$ 60 bilhões em 2021 e 2022).

Maia também afirmou que a instituição de auditoria e maior rigor nas regras de concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC), aposentadoria rural seguro defeso e de outros benefícios previdenciários e assistenciais, poderiam evitar fraudes e abrir um espaço fiscal.

“A maior focalização dos programas assistenciais com a incorporação ao Bolsa Família do Abono Salarial e do Seguro Defeso (dois programas sem impacto na redução da pobreza e com graves problema de gestão) representaria um espaço de mais de R$ 20 bilhões para que se ponha em prática a tão demandada expansão da política de transferência de renda”, destacou.

Reformas

No artigo, Maia destacou ainda que a combinação de medidas duras, porém temporárias, com reformas permanentes pode viabilizar a transição até 2023, quando daria início um novo mandato presidencial.

“Ao mesmo tempo em que os efeitos da reforma da Previdência se farão sentir de modo mais intenso. É indispensável aumentar a eficiência da máquina pública por meio da reforma administrativa”, afirmou o presidente.

Além da reforma administrativa, no texto, Rodrigo Maia afirmou que é inadiável a aprovação de uma reforma tributária para criar um ambiente de negócios mais favoráveis ao crescimento econômico brasileiro.

“Com isso, conjugaremos ajuste fiscal com aumento de produtividade da economia, com impacto positivo no potencial de crescimento”, disse.

Reportagem – Luiz Gustavo Xavier

Edição - Natalia Doederlein

Fonte: Agência Câmara de Notícias



Topo
Evento do Ministério da Saúde é autuado por descumprir regras do governo do Ceará contra Covid



Um evento realizado pelo Ministério da Saúde nesta sexta-feira (11) em Fortaleza resultou em autuação por descumprimento do decreto que proíbe esse tipo de encontro no Ceará.

Participaram o ministro interino da saúde, Eduardo Pazuello, e a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves. Promovida no Centro Universitário Christus (Unichristus), a conferência Ações de Educação em Saúde em Defesa da Vida teve "aglomeração e pessoas circulando sem máscara de proteção", segundo a Vigilância Sanitária.

Um decreto estadual publicado no final de agosto no Diário Oficial impede a realização de qualquer evento até 13 de setembro por causa da pandemia de Covid-19. Conforme determinação do governo do estado, eventos com até 100 pessoas poderão ser realizados a partir do dia 14 deste mês.

Em nota, o Ministério da Saúde disse ter informado ao governo do estado do Ceará e à Secretaria da Saúde do Ceará, com oito dias de antecedência, sobre a realização do evento. A pasta afirmou ainda que não foi avisada ou advertida a respeito de "qualquer impossibilidade de realização" (leia mais abaixo).

A Unichristus deverá responder administrativamente por descumprir o decreto e por permitir a circulação de pessoas sem máscaras. O G1 procurou o centro universitário, mas não havia recebido resposta até a última atualização desta reportagem.

A Vigilância Sanitária disse que partiu de uma denúncia anônima a informação sobre o evento irregular.

"Ao chegar ao local, a equipe verificou aglomeração e pessoas circulando sem máscara de proteção. Diante do descumprimento das medidas de prevenção à Covid-19, o estabelecimento foi autuado", disse o órgão, em nota.

Após a chegada dos agentes, a secretária de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde, Mayra Pinheiro, fez o discurso de encerramento e agradeceu aos fiscais por não terem interrompido o encontro.

"Agradeço a sensibilidade da [equipe da] Vigilância [Sanitária], que ficou ali fora e não interrompeu nosso evento e entendeu que, mesmo a gente não tendo cumprido o decreto do senhor governador do estado do Ceará, a gente está aqui numa missão importante demais para o Brasil", declarou Mayra.

• Confira as regras para realização de eventos no Ceará a partir de 14 de setembro

Ministério diz que informou sobre evento

O Ministério da Saúde disse, em nota, ter informado ao governo do Ceará, em 3 de setembro, sobre o evento Ações de Educação em Saúde em Defesa da Vida.

No comunicado, o ministério acrescentou que "não foi informado ou advertido de qualquer impossibilidade de realização".

A pasta afirma ainda que "não houve qualquer tentativa de descumprimento de diretrizes locais, tendo sido devidamente tomadas todas as medidas de segurança como distanciamento entre as poltronas, uso de máscara e álcool em gel".

Por Aline Oliveira e Thatiany Nascimento, G1 CE



Topo
Circulação viral da Covid-19 está abaixo de 1% no Ceará; casos e óbitos da doença caem semanalmente, afirma secretário



O Ceará tem redução de casos e óbitos pela Covid-19 semanalmente, segundo o secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins, o Dr. Cabeto, nesta quinta-feira (10). A circulação do vírus está abaixo de 1% no estado e a média atual de óbitos é flutuante, mas com tendência de queda, apresentando entre 4 e 7 mortes por dia, segundo o secretário.

Até a manhã desta quinta-feira (10), há 224.759 casos confirmados de Covid-19 e 8.639 mortes em decorrência da infecção. Além de 199.817 recuperadas da doença. Os dados são da plataforma IntegraSUS, atualizada pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) às 10h56.

Nesta quarta-feira (9), o Jornal Nacional apresentou o panorama da pandemia no país mostrando o Ceará como o único estado com aumento na média de mortes por Covid-19, com base em dados divulgados pelo consórcio de veículos de imprensa. No entanto, o secretário da Saúde do Ceará contesta o resultado.

“A realidade é que em nenhuma região do Ceará há acréscimo de casos e óbitos”, diz Cabeto. Para o secretário, o equívoco se dá ao confundirem os registros diários da Sesa sobre a doença com os casos ocorridos diariamente.

A Sesa registra os casos levando em consideração o início dos sintomas da doença nos pacientes. Com a realização de testes rápidos, por exemplo, o paciente entra no registro da secretaria no dia em que apresentou os sintomas e não quando fez o teste. Ou seja, é um dado retrospectivo.

“O problema é que quando, no numerador do cálculo, ele coloca os casos documentados e não os casos do dia, ele pode ter uma ideia errada. Naquele dia, foram realizados x exames com x positivos, isso faz parecer que os números analisados são mais altos do que o número real, já que algumas documentações são retrospectivas. A confirmação do óbito pode vir um, dois ou até três dias depois”, explica.

A secretaria informou que já solicitou a base dos cálculos usada pelo consórcio e vai disponibilizar uma simulação dos cálculos feitos pela Sesa para evitar erros de interpretação.

Flexibilização

Desde a flexibilização do isolamento e retorno das atividades econômicas na maior parte do estado, não houve aumento de casos do novo coronavírus, garantiu o secretário. Há ainda uma redução no número de demandas por UTIs nas últimas semanas, ficando abaixo de 10.

Neste feriado de 7 de setembro, a aglomeração gerada na vila de Jericoacoara chamou atenção e gerou preocupação da população. Ao comentar o caso, Cabeto informou que a Sesa vai realizar um trabalho para analisar a circulação viral nas regiões que apresentaram maior aglomeração. E reforçar o cumprimento dos protocolos em áreas que estão ampliando o retorno da atividades.

“Entendemos que há uma demanda no resgate da economia, dos empregos, as pessoas ficaram em isolamento muito grande e isso causou sofrimento, a gente entende. Agora, é preciso fazer com responsabilidade. Vamos discutir ao final dessa semana algumas especificidades que devem ser ajustadas para o uso das máscaras dentro das normas técnicas.

Entendemos a angústia que a população vive, mas não podemos retroceder”, comentou.

Volta às aulas

Com a autorização do retorno das atividades presenciais nas unidades de ensino infantil da rede privada, 6 mil kits de testagem foram disponibilizados para os profissionais da área. Até o momento, 13 colaboradores testaram positivos.

O retorno dos alunos de creches até o pré-escolar, com capacidade máxima de 30% nas unidades, foi autorizado pelo governo do Ceará no último dia 28 de agosto.

Por Cinthia Freitas, G1 CE



Topo
Sancionada lei que amplia área de atuação da Codevasf. Ceará entrou. Codevasf fortalecida. DNOCS deve acabar



Está publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (9) a Lei 14.053, de 2020, que inclui novas bacias hidrográficas na área de atuação da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf). O texto teve origem no PL 4.731/2019, do senador Davi Alcolumbre, que foi aprovado definitivamente pelo Senado em 13 de agosto e, agora, sancionado sem vetos pelo presidente Jair Bolsonaro.

Davi participou da solenidade de sanção da lei, na terça-feira (8), no Palácio do Planalto. Em entrevista à TV Senado nesta quarta, ele ressaltou a importância da Codevasf e disse que a medida trará aprimoramentos às condições socioambientais dessas regiões brasileiras, por meio de mais obras de infraestrutura hídrica, revitalização de orlas de cursos d'água, construção de barragens, saneamento básico, além de estruturar as cadeias produtivas pela economia criativa, artesanato e do cultivo de hortaliças e frutos orgânicos.

— Sempre com foco na agricultura familiar, para melhorar a qualidade de vida e o bem-estar do nosso povo e, consequentemente movimentar, ainda mais, a economia. A gente reconhece o papel da Codevasf, que é fundamental para promover ainda mais o desenvolvimento regional, então, é sem dúvida, uma grande conquista — comemorou.

Sudeste, Norte e Nordeste

A norma autoriza a Codevasf a atuar nas bacias hidrográficas dos rios Araguari (AP), Araguari (MG), Jequitinhonha, Mucuri e Pardo (MG) e as demais bacias hidrográficas e litorâneas dos estados do Amapá, Bahia, Ceará, Goiás, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte (antes apenas Alagoas, Maranhão e Sergipe tinham todo o território contemplado).

Havendo previsão orçamentária, a nova lei também autoriza a instalação e a manutenção de órgãos e setores de operação e representação dessas unidades pelo país.

O texto sancionado alterou a Lei 6.088, de 1974, que criou a Codevasf, já emendada em 2000, 2009, 2010, 2017 (por duas vezes) e 2018, sempre para ampliar a área de atuação do órgão estatal.

Criada em 1974, a Codevasf, antes dedicada à Bacia do Rio São Francisco, incorporou áreas das regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste.

Fonte: Agência Senado



Topo
Ceará registra 8.588 mortes por Covid-19 e tem mais de 222 mil casos confirmados



O Ceará registra, até o fim da tarde desta terça-feira (8), 222.884 casos confirmados de Covid-19 e 8.588 mortes em decorrência da doença. Já são 197.775 pessoas recuperadas da enfermidade. Os dados são da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), atualizada às 17h19.

O Estado contabiliza ainda 87.478 casos suspeitos e 611 mortes em investigação. Já foram aplicados 666.886 testes para identificar o novo coronavírus. Os casos notificados, desde o início da pandemia, somam 674.346.

As incidências de casos confirmados da Covid-19 por 100 mil habitantes são maiores nas cidades de Acarape (10.395,9), Frecheirinha (10.098,1), Groaíras (6.433), Chaval (6.075,4) e Moraújo (5.570,8).

Fortaleza é a cidade líder em números absolutos da infecção: 47.521 casos confirmados e 3.807 óbitos. A capital registra uma incidência de casos por 100 mil habitantes de 1.780,3.

Juazeiro do Norte, no Cariri, contabiliza 14.610 diagnósticos positivos e 266 mortes pela doença, e tem incidência de 5.328,1. Em Sobral, na Região Norte, 11.460 pessoas já foram infectadas e 299 não resistiram à enfermidade. A incidência na cidade está em 5.485.

Na Grande Fortaleza, Maracanaú concentra 6.517 casos positivos, 238 óbitos e incidência de 2.859,8. Caucaia, a segunda cidade em número de mortes (340), já confirmou 5.622 casos e tem incidência de 1.555,6. Maranguape tem 4.662 diagnósticos positivos, 115 mortes e incidência em 3.614,6.

Outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 54,73%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 34,95%;

• A letalidade da doença no Estado é de 3,9%;

• Quatro mortes aconteceram nas últimas 24 horas.

Turistas lotam hotéis do Ceará durante o feriado da Independência

Veja como está o plano de reabertura econômica por região:

• Fortaleza e municípios da Macrorregião de Fortaleza seguem na Fase 4;

• Macrorregiões de Sobral, Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe estão na segunda semana na Fase 4;

• Macrorregião do Cariri está na segunda semana da Fase 3.

• Por G1 CE



Topo
Mortes por Covid-19 voltam a crescer no Ceará enquanto média móvel no país cai pela 1ª vez



Enquanto a média móvel de óbitos por Covid-19 no Brasil caiu pela primeira vez desde o início da pandemia nessa semana, o Ceará volta a apresentar aumento nas mortes pela doença.

No sábado, às 20h, o balanço do consórcio de veículos de imprensa indicou 126.230 mortes confirmadas, 646 em 24 horas, em todo o país. Com isso, a média móvel de novas mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 819 óbitos, uma variação de -17% em relação aos dados registrados em 14 dias.

No Ceará, a média móvel teve aumento de 17% no número de óbitos, o único estado do Nordeste que teve alta. O estado teve uma média de 26 mortes por dia na semana; nos sete dias anteriores, ocorreram 22 óbitos por dia.

Segundo a Secretaria da Saúde, o Ceará soma 8.565 óbitos desde o início da pandemia.

Além do Ceará, os óbitos por Covi-19 subiram em Tocantins e Amazonas. Confira a situação nos demais estados:

• Em estabilidade, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu significativamente: PR, RS, SP, GO, MS, MT, PA, RO, RR, MA

• Em queda: SC, ES, MG, RJ, DF, AC, AP, AL, BA, PB, PE, PI, RN, SE

O governador do Ceará, Camilo Santana, usou as redes sociais neste sábado (6) para alertar a população de que a pandemia continua, e as pessoas devem colaborar com o distanciamento social.

"É inadmissível o que temos visto aqui e em vários locais do país. Por mais que equipes de fiscalização tentem agir, se não houver a colaboração das pessoas, fica tudo mais difícil."

O governador não citou pontos específicos de aglomeração, mas mensagem foi publicada um dia após imagens da lotação na Vila de Jericoacoara repercutir em todo o país.

Praia de Jericoacoara volta a receber visitantes

Média móvel de mortes por Covid-19 no Nordeste

• AL: -17%

• BA: -35%

• CE: +17%

• MA: -15%

• PB: -27%

• PE: -39%

• PI: -26%

• RN: -60%

• SE: -47%

• Por G1 CE



Topo
Custo das medidas anticrise da Covid-19 chega a R$ 605 bilhões



Subiu para R$ 605 bilhões o custo das medidas federais para o enfrentamento da crise do coronavírus. Com isso, a previsão de rombo no resultado primário do governo em 2020 também foi elevada, para um déficit de R$ 866,4 bilhões (ou 12,1% do PIB).

Os números foram divulgados nesta sexta-feira (4) pelo Ministério da Economia e elevam as previsões oficiais calculadas há cerca de um mês. Até então, o governo estimava um impacto de R$ 526 bilhões com as medidas e um déficit de R$ 787 bilhões (11% do PIB).

Com isso, fica ainda mais forte a perspectiva do pior resultado primário da história em 2020. Até hoje, o maior rombo foi registrado em 2016, quando o déficit foi de R$ 159,4 bilhões (em valores correntes), o que correspondeu a 2,5% do PIB.

A maior parte das medidas estão no lado das despesas, que demandam R$ 584,3 bilhões em recursos. A mais cara é o auxílio emergencial, que demanda agora R$ 321,8 bilhões após ser prorrogado por mais quatro meses.

O valor mensal com o auxílio emergencial foi reduzido em relação aos R$ 50 bilhões observados nos meses anteriores por três principais motivos. O primeiro é que o valor caiu de R$ 600 para R$ 300. Além disso, houve corte no público beneficiado (presos, por exemplo, não podem receber).

Além disso, o público do Bolsa Família passará a receber o valor do programa de transferência de renda mais um valor residual de auxílio emergencial para chegar aos R$ 300 programados. Antes, o governo pagava a esse público todo o valor a título de auxílio emergencial, o que elevava o custo registrado com o programa.

Lista

A lista das medidas mais caras segue com as destinações do Tesouro ao Pronampe (programa de crédito para empresas, que exige R$ 27,9 bilhões) e pelo programa de suspensão de contratos de trabalho ou redução de salário (R$ 17 bilhões).

Já entre as receitas, o governo está abrindo mão de R$ 20,6 bilhões. A medida com maior impacto nessa rubrica é o corte de IOF sobre crédito (que retira R$ 14,1 bilhões da arrecadação), seguida por redução de impostos aplicados a equipamentos hospitalares (R$ 3,2 bilhões).

O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, afirmou que os números demandam responsabilidade fiscal e a busca pela aprovação de reformas como a tributária e a administrativa.



Topo
Reforma administrativa propõe fim da estabilidade e proibição de progressão automática



Após quase um ano de adiamentos sucessivos, o governo Jair Bolsonaro apresentou nesta quinta-feira (3) as linhas gerais da proposta de reforma administrativa, que pretende racionalizar o serviço público e reduzir gastos com pessoal. A proposta propõe, entre outras medidas, acabar com a estabilidade para parte dos futuros servidores públicos.

(Veja abaixo o que muda com as novas regras)

> Reforma administrativa exclui parlamentares, juízes, procuradores e militares

As novas regras valem apenas para os servidores que ingressarem no serviço público após a aprovação da PEC. Os atuais servidores seguem com as regras já em vigor.

Entre as mudanças apresentadas, estão a vedação de promoção ou progressão na carreira exclusivamente por tempo de serviço e a proibição de mais de 30 dias de férias por ano.

Também será decretado o fim da aposentadoria compulsória como forma de punição do servidor e a impossibilidade de redução de carga horária se não houver a consequente redução da remuneração.

Confira os principais pontos da reforma:

• Vedação de promoção ou progressão na carreira exclusivamente por tempo de serviço;

• Proibição de mais de 30 dias de férias por ano;

• Fim da aposentadoria compulsória como forma de punição do servidor;

• Impossibilidade de redução de carga horária se não houver a consequente redução da remuneração, salvo por motivo de saúde;

• Fim do aumento retroativo;

• Fim da licença-prêmio;

• Fim do adicional por tempo de serviço, também conhecido como anuênio;

• Fim da Incorporação ao salário de valores referentes ao exercício de cargos e funções.

Como fica a estabilidade e a remuneração?

O Executivo afirma que a estabilidade dos servidores que já ingressaram no serviço público continua nos mesmos termos da Constituição, e os vencimentos atuais não serão reduzidos.

O atual Regime Jurídico Único (RJU) dará lugar a quatro vínculos distintos: vínculo por prazo determinado, cargo de liderança e assessoramento, cargo típico de Estado e cargo por tempo indeterminado (os dois últimos por concurso público).

Nos planos do governo, também estão a redução das remunerações de entrada no serviço público e a ampliação do número de faixas de salário para evolução ao longo da carreira. Esses pontos devem ser tratados em projetos que serão apresentados em um segundo momento.

Escrito por Redação/Folhapress, 12:07 / 03 de Setembro de 2020.



Topo
Ceará desativa 42,5% dos leitos exclusivos para Covid-19 após redução nos índices de casos e mortes



Com a queda nos indicadores de Covid-19, o Ceará desativou 1.255 leitos exclusivos para o tratamento da doença, entre junho e setembro, conforme a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa). O número corresponde a 42,5% do total de leitos disponibilizados durante a pandemia, 2.951.

No auge da pandemia, a estrutura de abril, de 1.121 leitos, somando os de UTI e de enfermaria, teve um acréscimo de 1830 leitos. Atualmente, a rede estadual registra 1.696 leitos disponíveis, tendo redimensionado os outros para atendimentos ambulatoriais e cirurgias eletivas.

Entre os meses de abril e junho, somente os leitos de enfermaria tiveram aumento de 265%, saindo de 771 para 2.040. Em relação aos de UTI, o acréscimo foi de 260%, variando de 350 para 911. No começo de setembro, a Sesa contabiliza 1.172 leitos de enfermaria e 524 de UTI para pacientes com o novo coronavírus.

A necessidade de internação reflete a transmissão de aproximadamente uma ou duas semanas atrás, conforme o epidemiologista e professor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Luciano Pamplona. Com a redução na demanda por atendimento, “a secretaria tem a possibilidade de flexibilizar esses leitos para outras doenças”, explica.

“Essa redução no número de leitos específicos ou exclusivos para a Covid-19, mostra que de fato há uma redução sustentável do número de casos novos da doença”, aponta o epidemiologista.

No entanto, reforça a importância de manter os cuidados na redução dos riscos de contaminação do coronavírus, como o distanciamento social e a utilização de máscaras.

No estado, são 218.396 casos confirmados da Covid-19 e 8.480 mortes em decorrência da doença, segundo dados da plataforma IntegraSUS, da Sesa, desta quarta-feira (2). O número de pessoas recuperadas, por sua vez, já contabiliza 192.399.

Por Beatriz Rabelo, G1 CE



Topo
Auxílio Emergencial será de R$ 300 até o fim do ano



Mais quatro parcelas do auxilio emergencial com valor de R$ 300 e impacto de R$ 25 bilhões/mês. O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira (1º) em um café da manhã oferecido pelo presidente Jair Bolsonaro aos líderes dos partidos, no Palácio da Alvorada, em Brasília. A iniciativa de conversar com os congressistas antes de finalizar a proposta é mais um gesto de aproximação do presidente em relação ao Legislativo.

"Agora resolvemos prorrogá-lo [o auxílio] por medida provisória até o final do ano. O valor definido agora há pouco é um pouco superior a 50% do Bolsa Família. R$ 300 reais", disse o presidente.

Ao redor de Bolsonaro, estavam nomes como o presidente do PP, Ciro Nogueira (PI), e os líderes do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), e no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE).

O valor e o período de extensão do benefício foi definido na segunda-feira (31), em reunião do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com o ministro da Economia, Paulo Guedes. No encontro, o ministro, que defendia novas parcelas de R$ 200, cedeu ao apelo do presidente.

Diferentemente do valor anterior, o novo auxílio emergencial precisa passar pelo Congresso Nacional. "R$ 600 é muito para quem paga e pouco para quem recebe", disse Bolsonaro. Isso porque a lei que rege o auxílio emergencial permite a prorrogação por ato do Executivo sem a necessidade de validação do Legislativo, mas desde que fosse mantido o valor original de R$ 600.

Não participaram no café da manhã o presidente da cãmra, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Os dois foram informados por telefone pelo presidente Bolsonaro.

A medida provisória tem força de lei imediata, embora o Congresso possa mudar o valor durante a tramitação. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), porém, já sinalizou a Bolsonaro que o Congresso aceitaria o novo valor a ser proposto pelo governo.

"Nós [os congressistas] temos responsabilidade", afirmou Maia neste mês. Segundo ele, a análise deve considerar o impacto da medida nas contas públicas.

O auxílio emergencial é a medida mais cara do pacote anticrise, e já demanda R$ 254,4 bilhões em recursos considerando as cinco primeiras parcelas.

O programa foi instituído após o agravamento da crise de saúde, com o objetivo de dar assistência a trabalhadores informais, fortemente impactados pelas políticas de isolamento social e restrições de circulação nas cidades.

Reforma Administrativa

Na ocasião, o presidente também informou que a reforma administrativa vai ser enviada ao Congresso na quinta-feira (3). "Encaminhar na quinta feira a reforma administrativa. Que fique bem claro, não atingirá nenhum dos atuais servidores. Ela se aplicará apenas aos futuros servidores concursados", afirmou Bolsonaro.

"Tivemos reunião muito produtiva com os líderes e tomamos duas decisões, a primeira é encaminhar na quinta-feira a reforma administrativa, que fique bem claro não atingirá nenhum dos atuais servidores. Ela se aplicará apenas aos futuros servidores concursados", disse Bolsonaro.

No ano passado, a equipe econômica apresentou ao presidente uma proposta de reforma administrativa, mas Bolsonaro preferiu engavetá-la.

Pelo que foi divulgado, a ideia era propor menores salários de entrada no serviço público e colocar "mais degraus" para a ascensão nas carreiras do funcionalismo, cuja escada hoje chegaria ao topo rápido demais.

Além disso, novos concursados devem ter mais exigências de tempo e qualidade do serviço antes de conquistarem estabilidade nos cargos.

Escrito por Redação, 09:58 / 01 de Setembro de 2020.



Topo
Orçamento 2021: governo indica restrições de gastos e vê alta no PIB de 3,2%



Após a recessão neste ano devido à pandemia do novo coronavírus, o governo federal estima um retorno do crescimento econômico em 2021.

A expectativa de alta de 3,2% do Produto Interno Bruto (PIB) está na proposta de orçamento para o ano que vem, encaminhada pelo governo ao Congresso nesta segunda-feira (31).

A estimativa apresentada no orçamento é próxima à divulgada pelo governo em abril e em julho. Para o mercado financeiro, o crescimento da economia será de 3,5% no próximo ano.

Restrições de gastos

A proposta de orçamento também revela um aumento das restrições para as chamadas despesas "discricionárias", ou seja, que não são obrigatórias.

Segundo a proposta de orçamento, o governo vai contar com R$ 92,052 bilhões para gastar livremente no ano que vem, valor que não inclui repasses para empresas estatais (controladas pelo governo).

A esse valor devem ser acrescidos, no ano que vem, outros R$ 16,344 bilhões em gastos propostos pelo Congresso por meio das chamadas emendas impositivas. O total de gastos discricionários, portanto, pode chegar a R$ 108,396 bilhões.

Após ter conseguido autorização do Congresso Nacional para realizar gastos extraordinários neste ano para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus e de seus efeitos na economia, o governo terá de voltar aos limites do teto de gastos em 2021.

O teto é uma regra que limita o aumento das despesas do governo à inflação do ano anterior.

Como as despesas obrigatórias, que representam cerca de 94% dos gastos totais da União, continuarão subindo acima da inflação em 2021, restarão menos recursos para as despesas que podem ser alocadas livremente pelo governo.

De acordo com estudo do economista e pesquisador Manoel Pires, ex-secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, quando se olha para "todos os indicadores disponíveis", a impressão é que, se a despesa discricionária ficar abaixo de R$ 120 bilhões, é "muito provável que o governo federal já esteja muito próximo de aplicar um 'shutdown' [paralisia] na prática".

De acordo com análise prévia da Instituição Fiscal Independente (IFI), a compressão dos gastos livres do governo ameaça comprometer parte dos serviços públicos em 2021.

"Se o governo espremer as discricionárias, pode ser que consiga cumprir [o teto de gastos], mas estará operando no 'fio da navalha'" disse recentemente o diretor-executivo da IFI, Felipe Salto. Ele avaliou que "há risco de 'shutdown' [paralisação da máquina pública], sem forçação de barra e sendo honesto".

Questionado por jornalistas, secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, afirmou que não há risco de "shutdown".

Ele citou estimativas do mercado financeiro de que haveria esse risco caso as despesas discricionárias ficassem abaixo dos R$ 90 bilhões, e lembrou que o orçamento prevê R$ 92 bilhões para as despesas livres do governo. "Não trabalhamos e não há risco de 'shutdown' da máquina", disse.

Entre os gastos não obrigatórios que podem ser afetados estão:

• investimentos públicos, incluindo infraestrutura e em universidades e institutos federais;

• ações de defesa agropecuária;

• bolsas de estudo, de pesquisa e para atletas;

• emissão de passaportes;

• Farmácia Popular;

• fiscalizações de trabalho escravo e do meio ambiente;

• aquisição e distribuição de alimentos para agricultura familiar;

• despesas administrativas do governo (água, energia elétrica, serviços terceirizados).

• Por Alexandro Martello e Lais Lis, G1 — Brasília.



Topo
Porto do Pecém recebe o maior navio já atracado no Ceará e dá início a exportação da safra de frutas



Maior navio a atracar em um porto cearense na história, o MSC Shuba B chegou ao Porto do Pecém, na Região Metropolitana de Fortaleza, na manhã de hoje. A embarcação levará cerca de 16 horas para embarcar um carregamento de frutas, entre as quais melões, uvas e mangas, exportadas por empresas da região à Europa.

O gigante de 330 metros de comprimento por 48 metros de largura veio do porto de Salvador e atracou no berço 10 do Terminal de Múltiplas Utilidades do porto pouco depois das 11h30. A operação total do Shuba B no Pecém vai durar quase 24 horas, por isso o navio deve desatracar do porto cearense somente na madrugada desse domingo (30) em direção, principalmente, a portos localizados no norte da Europa.

O primeiro deles será o porto de Roterdã, onde o navio deve chegar até o dia 10 do próximo mês. De lá, o Shuba B cumprirá o restante do serviço NWC para os seguintes portos de Londres (Inglaterra), Bremerhaven (Alemanha), Hamburgo (Alemanha), Antuérpia (Bélgica), Le Havre (França) e Sines (Portugal).

Com capacidade para 12.238 TEUs (unidade equivalente a um contêiner de 20 pés), o navio veio ao Ceará pela primeira vez para cumprir a rota do serviço NWC, operado pela MSC (Mediterranean Shipping Company).

Além das linhas que já ligavam o Porto do Pecém aos Estados Unidos e ao norte da Europa, em agosto do ano passado, o porto cearense começou a operar um nova linha ao continente europeu com direção a portos no Mediterrâneo, como Valência (9 dias de viagem) e Barcelona (11 dias), na Espanha, e Gênova (13 dias), na Itália.

Esse novo serviço, operado pela Mediterranean Shipping Company (MSC), permitiu a conexão dos contêineres de frutas a países do Oriente Médio, a partir de Valência

Exportação de frutas

Além de escoar as frutas produzidas no Ceará, o Porto do Pecém vem sendo a principal porta de saída para as frutas produzidas na região do Vale do Rio São Francisco, sobretudo uvas e mangas. No ano passado, o terminal foi responsável por 38% das exportações dos produtores da região, segundo dados da Associação dos Exportadores de Hortigranjeiros e Derivados do Vale do São Francisco (Valexport).



Topo
Auxílio emergencial deve ser prorrogado até dezembro com valor de R$ 300, diz colunista



A equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro parece ter chegado a um acordo em relação à prorrogação do auxílio emergencial. Nesta sexta (28), o Governo Federal deve anunciar que o benefício será prorrogado até dezembro deste ano e as parcelas serão de R$ 300. As informações são do colunista Gerson Camarotti, do G1.

Ainda conforme o colunista, o anúncio do programa Renda Brasil ficará para um segundo momento porque a equipe econômica do presidente ainda deve apresentar novos cálculos sobre assunto, o que deve nortear a decisão de Bolsonaro.

Auxílio Emergencial: 58,8% dos domicílios no Ceará receberam o benefício em julho.

Benefício até 2021

Diante do impasse em torno da elaboração do novo programa social do governo, batizado de Renda Brasil, o Palácio do Planalto avalia prorrogar o auxílio emergencial não apenas até dezembro, mas também nos primeiros meses de 2021.

Técnicos do Ministério da Economia alertam, no entanto, que o governo não tem recursos para fazer esses pagamentos. Travas fiscais, que inviabilizariam essa ideia, também impedem a criação do Renda Brasil sem a extinção de outros programas, como deseja o presidente Jair Bolsonaro.

Na quarta-feira (26), Bolsonaro interditou a proposta do ministro Paulo Guedes (Economia) de extinguir ou revisar programas sociais existentes hoje para ampliar o novo Bolsa Família. Para compensar o novo programa, que pode ter um custo anual de R$ 20 bilhões acima do Orçamento do Bolsa Família, hoje em R$ 32,5 bilhões, Guedes queria propor a extinção de assistências consideradas por ele ineficientes, como abono salarial, seguro-defeso (pago a pescadores) e Farmácia Popular.

O ministro argumenta que o abono e o programa Farmácia Popular são mal focalizados, direcionando recursos do governo a famílias de classes média e alta. No caso do seguro-defeso, afirma que milhares de fraudes consomem o caixa do governo.

O presidente, entretanto, disse não aceitar a criação do programa às custas do fim do abono salarial, que demanda R$ 18 bilhões ao ano e era a principal aposta da equipe econômica para custear o Renda Brasil.

"Discutimos a possível proposta do Renda Brasil e eu falei 'tá suspenso'. Vamos voltar a conversar. A proposta que a equipe econômica apareceu pra mim não será enviada ao Parlamento. Não posso tirar de pobres para dar para paupérrimos", disse Bolsonaro em evento na quarta.

A declaração conturbou o mercado, sob a avaliação de que o presidente estava desautorizando o ministro da Economia e poderia colocar em xeque a agenda de ajuste fiscal. Nesse dia, a bolsa registrou queda e o dólar foi ao patamar mais alto desde maio.

Escrito por Redação/Folhapress, 13:12 / 28 de Agosto de 2020.



Topo
Quatro de 22 áreas de saúde do Ceará apresentam incremento dos casos de Covid-19 em um mês



Entre as 22 Áreas Descentralizadas de Saúde (ADS) do Ceará, quatro apresentaram incremento da quantidade casos confirmados e suspeitos de Covid-19, no comparativo entre 19 de julho e 15 de agosto, de acordo com boletim da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), divulgado nesta quinta-feira (27). As ADS Icó (60,3%), Aracati (35,3%), Crateús (16,8%) e Iguatu (2,6%) lideram as estatísticas.

As ADS são divisões criadas pelo Governo do Estado do Ceará com municípios pólos para reunir as informações sobre a pandemia do coronavírus e descentralizar o foco da Capital. O mais recente boletim da Sesa compara as mudanças entre as semanas epidemiológicas 30 e 31 (de 19/07 a 01/08) com as semanas 32 e 33 (de 02/08 a 15/08).

Apesar de Icó ter apresentado o maior acréscimo quando comparadas as semanas, em números absolutos é Fortaleza que lidera a estatística, 2704 casos confirmados e suspeitos até o final da Semana Epidemiológica 33, em comparação à semana 30. A Capital também encabeça os números absolutos de óbitos confirmados e suspeitos com 42 registros até o último dia 15.

Em relação aos óbitos confirmados e suspeitos, foram cinco ADS a apresentar incremento dos números comparando as mesmas Semanas Epidemiológicas. As ADS Itapipoca (60%), Limoeiro do Norte (50%), Baturité (33,3%), Crato (11,1%) e Quixadá (7,4%) são as divisões que apresentaram o aumento dessa estatística.

Taxa de mortalidade

Já a taxa de mortalidade da Covid-19 no estado subiu de 90,4 para 92,1 óbitos a cada 100 mil habitantes. “Com destaque para as ADS Crato (42,0), Limoeiro do Norte (53,8), Brejo Santo (38,1) e Aracati (56,8) que apresentaram incrementos de 8,1%, 8,0%, 6,5% e 6,3%, respectivamente”, complementa o Boletim da Sesa.

Mais de 210 mil casos de Covid-19

O Ceará chegou, nesta quinta-feira (27), a 210.636 casos confirmados de Covid-19 e 8.364 mortes em decorrência da doença. São 185.196 pacientes recuperados da enfermidade no Estado. Os dados são da plataforma IntegraSUS, atualizada pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) às 9h30.

A marca de 200 mil casos de Covid-19 foi ultrapassa em 19 de agosto, há oito dias. O intervalo entre os 190 mil registros e 200 mil casos também foi de oito dias. Existem ainda 89.678 casos suspeitos e 613 mortes em investigação. O número de notificações é de 625.001. Já foram realizados 617.919 testes para identificar o novo coronavírus.

As maiores incidências de casos confirmados por 100 mil habitantes são registradas nas cidades de Acarape (9.511,7), Frecheirinha (8.968,2), Groaíras (6.261,3), Chaval (6.014,2) e Moraújo (5.502,1). Fortaleza chegou a 46.399 casos positivos e 3.777 óbitos pela Covid-19. A incidência da Covid-19 na capital está em 1.738,2.

Juazeiro do Norte, no Cariri, contabiliza 13.747 diagnósticos positivos e 257 mortes, com uma incidência de 5.013,4. Em Sobral, na Região Norte, foram confirmados 11.054 casos da infecção e 296 pessoas não resistiram à doença. A incidência na cidade é de 5.290,6.

Na macrorregião de Fortaleza, Maracanaú concentra 6.276 casos, 235 mortes e 2.754 de incidência. Caucaia, segunda cidade em mortes, tem 5.531 confirmações da doença, 329 óbitos e incidência de 1.530,4. Maranguape tem 4.621 diagnósticos positivos, 113 mortes e 3.582,8 de incidência.

Por G1 CE



Topo
Emenda que torna Fundeb permanente e aumenta repasses da União é promulgada



O Congresso Nacional promulgou, nesta quarta-feira (26), a emenda constitucional (EC 108) que torna permanente o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e aumenta o repasse do Governo Federal para o fundo.

A proposta foi aprovada pela Câmara dos Deputados em julho e, nesta terça (25), pelo Senado, que praticamente manteve o texto dos deputados.

No ano passado, o Fundeb distribuiu pouco mais de R$ 156 bilhões para a rede pública de ensino. O fundo é responsável por 2/3 do dinheiro investido pelos municípios na educação.

A emenda constitucional aumenta, dos atuais 10% para 23%, o repasse do Governo Federal para o fundo. O reajuste será feito de forma escalonada: no ano que vem, o índice será de 12%, chegando aos 23% em 2026. Esses recursos irão para estados e municípios que não conseguirem alcançar o valor mínimo aplicado por aluno na educação. Em 2020, nove estados receberam essa complementação.

Prioridade

Durante a sessão do Congresso para a promulgação da emenda, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ressaltou que mais entes federativos serão beneficiados com recursos do fundo. Ele também destacou o papel do Parlamento na construção do texto final da emenda, e reafirmou a escolha da educação como prioridade.

"Todos nós, daqui para frente, teremos novas responsabilidades, não apenas na regulamentação do Fundeb, que vai ser muito importante. Será mais uma vez um trabalho conjunto da Câmara e do Senado, como foi a relatoria da deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO) e do senador Flávio Arns (Rede-PR)", disse. "Quando nós decidimos que a educação é prioridade e que precisa de mais recursos, é decisão da política de colocar mais dinheiro na área, sabendo que, sem dúvida nenhuma, outras áreas terão menos prioridade."

Maia destacou ainda que o Parlamento tem compromisso com o serviço público de qualidade e citou, entre outros desafios para o futuro, as reformas tributária e administrativa.

Entenda o novo Fundeb

A emenda constitucional estabelece um modelo híbrido de distribuição entre os fundos. Os primeiros 10 pontos percentuais do dinheiro da União serão distribuídos como no cálculo atual de distribuição.

Outros 10,5 pontos percentuais da participação da União serão destinados às redes de ensino que não alcançarem um nível de investimento mínimo por aluno, considerando-se no cálculo desse valor mínimo não apenas os recursos do Fundeb (único critério existente hoje) mas a disponibilidade total de recursos vinculados à educação na respectiva rede.

Desses 10 pontos percentuais, pelo menos 5 pontos deverão ser destinados à educação básica — se for o caso, inclusive para escolas comunitárias, confessionais ou filantrópicas. A medida terá grande impacto, já que a educação infantil concentra a maior demanda não atendida pela rede pública no país.

Critérios de qualidade

Os outros 2,5 pontos percentuais de participação da União (totalizando os 23% da complementação deste ente) serão distribuídos às redes públicas que melhorarem a gestão educacional e seus indicadores de atendimento escolar e aprendizagem, com redução das desigualdades. Esses critérios ainda serão regulamentados por lei.

Melhoria em infraestrutura

A emenda prevê que, dentro da nova parcela da complementação federal, 15% desse dinheiro seja destinado para despesas de capital - para investimentos em infraestrutura, melhoria de equipamentos e instalações - e não somente gasto com despesas correntes.

Segundo dados do Censo Escolar 2018, 12% das escolas da rede pública não têm banheiro no prédio; 33% não têm internet; 31% não têm abastecimento de água potável; 58% não têm coleta e tratamento de esgoto; 68% não têm bibliotecas; e 67% não possuem quadra de esportes.

O Custo Aluno-Qualidade (CAQ), constante no Plano Nacional de Educação, será considerado como parâmetro para o padrão mínimo de qualidade do ensino.

Valorização dos profissionais

Ainda dentro da nova parcela de complementação de recursos da União, no mínimo outros 70% serão destinados ao pagamento de salários dos profissionais da educação.

Atualmente esse piso é de 60% e beneficia apenas professores.

Fundos estaduais

A emenda prevê ainda que os entes federados, uma vez recebida a complementação da União, devam redistribuir os recursos entre suas unidades de ensino, para diminuir desigualdades no âmbito de uma mesma rede de ensino.

ICMS

A emenda também prevê que os estados aprovem legislação, no prazo de dois anos a partir de sua promulgação, para distribuir entre os municípios parte dos recursos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) com base em indicadores de melhoria nos resultados de aprendizagem e de aumento da equidade.

Atualmente os estados repassam parte do ICMS arrecadado (25%) às cidades. A emenda diminui o total repassado proporcionalmente às operações realizadas no território de cada município e aumenta o mesmo tanto no repasse que nova lei estadual deverá vincular às melhorias na educação.

Alterações na Constituição

A emenda altera ainda o artigo da Constituição que define os princípios do ensino, incluindo a garantia do direito à educação e à aprendizagem ao longo da vida. Também foram incluídos os termos “a qualidade e a equidade” como metas a serem perseguidas pelos sistemas de ensino, atuando em regime de colaboração.

Financiamento

A cesta de recursos do Fundeb é composta de 20% das receitas provenientes das seguintes fontes, as quais foram mantidas pela emenda: Fundo de Participação dos Estados (FPE); Fundo de Participação dos Municípios (FPM); Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS); Imposto sobre Produtos Industrializados, proporcional às exportações (IPIexp); Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doações (ITCMD); Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA); e cota-parte de 50% do Imposto Territorial Rural (ITR) devida aos municípios.

Ficam de fora do fundo 5% dos referidos impostos e transferências, embora continuem vinculados à educação, além de 25% dos impostos municipais próprios (Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e Imposto sobre Serviços (ISS), bem como o Imposto de Renda retido na fonte de servidores públicos estaduais e municipais.

Escrito por Agência Câmara, 16:45 / 26 de Agosto de 2020



Topo
Rompimento de barragem da transposição do são Francisco.Governo Federal autoriza repasse de mais de R$ 100 mil para assistência às famílias de Jati



Para suprir as necessidades imediatas com alimentação, transporte e alocação de moradores impactados com o rompimento de uma tubulação da barragem da Transposição do Rio São Francisco, na cidade de Jati, no Cariri, o Governo Federal autorizou, nesta terça-feira (25), o repasse no valor de R$ 100.620 à cidade. Segundo a prefeita de Jati, Maria de Jesus Diniz, o valor deve chegar ao Município até sexta (28).

Duas Portarias (nº 2.279 e nº2.271), publicadas no Diário Oficial da União (DOU) reconhecem a situação de emergência em Jati por “rompimento ou colapso de barragem” e autorizam o montante repassado pela União. As Portarias são assinadas pelo secretário nacional Alexandre Lucas Alves.

“A União, por intermédio do Ministério do Desenvolvimento Regional, neste ato representado pelo secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, resolve autorizar o empenho e o repasse de recursos ao Município de Jati, no valor de R$ 100.620”, diz a Portaria nº 2.279.

O prazo de execução das ações é de 180 dias e, passado o primeiro mês, “o proponente deverá apresentar prestação de contas”. Segundo a prefeita de Jati, a situação de emergência já havia sido reconhecida ontem, com uma projeção inicial de R$ 93 mil. “O decreto servirá para assistir as famílias nesse primeiro momento", adiantou a representante ao Sistema Verdes Mares, na noite de ontem.

Ações esperadas

Durante o dia, a Prefeitura de Jati estará realizando, na Câmara Municipal, a distribuição das 200 cestas básicas recebidas ainda no domingo (23) para assistência aos moradores. "Estamos fazendo o cadastro dessas famílias e já distribuindo algumas cestas", disse a titular do Município. Segundo ela, há uma dificuldade de se chegar ao moradores que precisaram ir para casas de parentes.

"A empresa continua fazendo o reconhecimento da área com o cidadão e a gente permanece com assistência à saúde. Começamos uma vigilância na cidade, ontem à noite, e não tivemos nenhuma notícia de furtos, felizmente", pontua.

A Prefeitura ainda aguarda o resultado de um laudo técnico para reavaliação da área considerada crítica - que abrange mais de 250 residências próximas à barragem. "Deve sair à tarde, para ver se essas pessoas já poderão retornar", afirmou a prefeita.

Procuradoria

A Procuradoria do Município ressaltou, na tarde de ontem, que o valor não será usado para possíveis indenizações de moradores. "Cabe ao Governo Federal", disse. O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) informou que já está contratando uma auditoria independente para avaliar a situação. A empresa contratada deve apurar as causas do incidente.

Até o momento, a situação mais preocupante está na região mais próxima a barragem, que concentra mais de 250 residências. Técnicos da Defesa Civil e engenheiros do Consórcio estão reunidos para traçar os planos de ação executados durante o dia.

Escrito por Rodrigo Rodrigues, rodrigo.rodrigues@svm.com.br 12:00 / 25 de Agosto de 2020.



Topo
Ceará registra 205.564 casos e 8.292 mortes por Covid-19



O Ceará chegou a 205.564 casos confirmados da Covid-19 e 8.292 mortes em decorrência da doença, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizada pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) às 14h15, desta segunda-feira (24). O número de pessoas recuperadas chegou a 176.080.

O Estado contabiliza ainda 605.353 notificações e já foram realizados 593.230 testes para identificar a presença do novo coronavírus.

Fortaleza é líder em números absolutos: 45.623 casos confirmados e 3.774 óbitos. A incidência da Covid-19 na capital é de 1.709,1. Em seguida, está Juazeiro do Norte, no Cariri, com 13.241 diagnósticos positivos, 253 mortes e incidência de 4.828,8.

Em Sobral, na Região Norte, 10.843 pessoas já foram infectadas e 294 não resistiram à enfermidade. A incidência na cidade é de 5.189,7.

Na macrorregião de Fortaleza, Maracanaú registra 6.079 casos, 235 mortes e incidência de 2.667,6. Caucaia, segunda cidade em número de óbitos, registra 5.441 casos positivos, 329 mortes e tem incidência em 1.505,5. Maranguape registra 4.560 diagnósticos positivos, 113 óbitos e 3.535,5 de incidência.

Outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 58,92%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 32,8%;

• A letalidade da doença no Estado é de 4%;

• Houve uma morte nas últimas 24 horas.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.



Topo
Centro de testagem para Covid-19 no Ceará



Com capacidade para liberar até 10 mil resultados de testes RT-PCR por dia, a Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19 no Ceará foi inaugurada na manhã desta segunda-feira (24) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O equipamento foi instalado no Distrito de Inovação do Eusébio, na Grande Fortaleza.

Este é o tipo de teste considerado “padrão ouro” para o diagnóstico da Covid-19, porque permite identificar se o vírus ainda está ativo no organismo. No entanto, conforme levantamento exclusivo do G1 realizado junto às secretarias estaduais de Saúde, o teste RT-PCR corresponde a apenas 38% dos 11 milhões de exames feitos no Brasil.

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, participou da cerimônia e explicou que a unidade deve ampliar a capacidade nacional de processamento de testes moleculares para detecção da Covid-19.

O Ceará foi o quarto estado a receber infraestrutura tecnológica do tipo, após Rio de Janeiro, Paraná e São Paulo. Juntas, as quatro unidades poderão processar até 1 milhão de testes por mês, segundo estimativa da Fundação. As amostras serão encaminhadas pelo Ministério da Saúde e, segundo a Fiocruz, os resultados devem ser liberados em até 48 horas.

No Ceará, a proporção de testes RT-PCR em relação ao total é de 27%, de acordo com a plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa).

Por G1 CE



Topo
Barragem em Jati deve ser estabilizada em até 72h, diz ministro do Desenvolvimento Regional



Após a análise de técnicos, estima-se que a barragem da Transposição do Rio São Francisco, no município de Jati, deverá ser estabilizada em até 72 horas. A informação foi divulgada pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, durante coletiva de imprensa na tarde deste sábado (22).

Segundo o ministro, uma vez que a estabilidade seja garantida, as famílias que foram orientadas a deixar o local poderão retornar às suas casas. "Amanhã, nessa mesma hora, faremos uma outra avaliação. Pode ser até que haja uma antecipação desse retorno das pessoas às suas residências", avalia.

“Não houve danos na estrutura da barragem em si. O que ocorreu foi o rompimento do duto, o que impede que as águas continuem sendo jogadas no Eixo Norte, para que fossem levadas à Paraíba e Rio Grande do Norte”, explica Marinho.

Segundo ele, houve uma perda de quase 2 milhões de metros cúbicos de água, mas nem todo o volume foi desperdiçado. "Essa água foi escoada no canal do Eixo Norte, e está sendo recepcionada na barragem Atalho, que é a primeira em uma linha de seis barragens até a frotneira com a Paraíba", afirma.

O ministro acrescentou que, nos próximos 10 dias, deverá ser definido o período necessário para recompor o duto, para que volte a verter as águas no Eixo Norte.

Moradores evacuados

Após o rompimento da barragem em Jati, duas mil pessoas que moram no entorno do local foram evacuadas da região, segundo informações do Ministério do Desenvolvimento Regional. O procedimento abrangeu moradores cujas casas estão situadas a até 2 quilômetros da barragem. A medida está prevista no Plano de Ação Emergencial (PAE) do empreendimento.

Profissionais da Defesa Civil e da empresa operadora foram os responsáveis por informar os moradores. "Com o apoio do MDR, essas famílias estão sendo transportadas para hotéis, pousadas e alojamentos na região ou poderão ir para casas de parentes e amigos até que sejam feitas todas as avaliações técnicas das estruturas do reservatório", detalhou o Ministério do Desenvolvimento, por nota.

Rompimento

Uma parte da tubulação da barragem localizada no município de Jati, na região do Cariri, rompeu na tarde da sexta-feira (21). As águas fazem parte da obra de Transposição do Rio São Francisco e vão para o Açude Atalho, em Brejo Santo.

O titular da Secretaria dos Recursos Hídricos do Ceará (SRH), Francisco Teixeira, explicou o que aconteceu para ocasionar o vazamento: "Na ombreira direita, tem uma tubulação que se incia em concreto e depois um bloco, onde está a emenda da tubulação em concreto com a tubulação em aço. Então, parece que nessa emenda houve um rompimento, um vazamento da tubulação. Então, esse jato d'água é devido à pressão. E a única preocupação é porque o jato d'água está sendo lançado na ombreira e no maciço da barragem, e tem um pequeno processo erosivo que, aparentemente, não afeta a estrutura da barragem", disse.

Duas mil pessoas são evacuadas

Duas mil pessoas que moram no entorno da barragem de Jati foram evacuadas da região após rompimento da tubulação na tarde de sexta-feira, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento Regional. O reservatório recebe água da Transposição do Rio São Francisco e a direciona para o Açude Atalho, em Brejo Santo. (Veja o momento do rompimento abaixo) Conforme o Ministério, após a análise de técnicos, estima-se que a barragem deverá ser estabilizada em até 72 horas. Segundo o ministro Rogério Marinho, uma vez que a estabilidade seja garantida, as famílias que foram orientadas a deixar o local poderão retornar às suas casas.

Agentes dos Bombeiros e da Defesa Civil foram enviados à area para reforçar as ações.

A evacuação foi feita com pessoas que moram a até 2 km da barragem, ainda segundo o Ministério. A medida está prevista no Plano de Ação Emergencial (PAE) do empreendimento. Segundo a pasta, o vazamento foi contido, durante a noite, a falta de iluminação dificultou a avaliação técnica.

"Com o apoio do MDR, essas famílias estão sendo transportadas para hotéis, pousadas e alojamentos na região ou poderão ir para casas de parentes e amigos até que sejam feitas todas as avaliações técnicas das estruturas do reservatório", afirmou o Ministério do Desenvolvimento em nota. Profissionais da Defesa Civil e da empresa operadora eram os responsáveis por informar os moradores.

Entenda o rompimento

A tubulação se rompeu após a abertura de uma comporta da barragem, após a sangria do reservatório. De acordo com o secretário de Recursos Hídricos do Ceará, Francisco Teixeira, o jato d'água causa um pequeno processo erosivo, mas que não aparenta comprometer a estrutura.

"Na ombreira direita, tem uma tubulação que se inicia em concreto e depois um bloco, onde está a emenda da tubulação em concreto com a tubulação em aço. Então, parece que nessa emenda houve um rompimento, um vazamento da tubulação. Então, esse jato d'água é devido à pressão", explicou o secretário.

'Susto grande'

O aposentado José Cândido, de 75 anos, mora próximo ao local do rompimento. Ele teve de sair de casa e foi com a família a uma casa, uma estrutura de sapê na zona rural de jati.

"Eu estava em casa [quando ocorreu o rompimento], vi na estrada um monte de carro, um monte de gente correndo. A gente saiu de lá porque a gente tava correndo risco, não confiei de ficar lá. A sorte nossa é ter isso aqui [uma segunda casa], senão tava na rua."

Ele conta que saiu da residência próxima à barragem sem levar móveis ou pertences. "Só deu tempo pegar os documentos", conta.

Barragem não sofreu danos

O tenente Aílton Lima, do Corpo de Bombeiros, informou na última sexta-feira (21) que a avaliação inicial indica que a barragem não sofreu danos, mas a possibilidade do escorrimento de água afetar a estrutura é investigada.

A barragem em Jati foi inaugurada na última quinta-feira (20), com a presença do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinh.

Escrito por Redação, 15:03 / 22 de Agosto de 2020



Topo
Indicadores apontam para recuperação econômica do país no 3º trimestre deste ano



“Aprojeção oficial de crescimento real do PIB para 2020 foi mantida, diante da melhoria dos indicadores, refletindo efeito positivo das políticas que têm sido adotadas. Em outras palavras, mesmo com prolongamento do isolamento, as medidas tomadas contiveram o aprofundamento da crise ocasionada pela pandemia da Covid-19”. A análise é do coordenador-geral de Modelos e Projeções Econômico-Fiscais da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia (SPE/ME), Sérgio Gadelha, durante apresentação da Conjuntura Macroeconômica e Arrecadação Bruta de Tributos Federais, nesta quinta-feira (20/8), em coletiva virtual.

Segundo Gadelha, os principais indicadores de confiança reforçam a continuidade da recuperação do país. A exemplo das projeções econômicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), que vêm subindo desde julho, os indicadores demonstram retomada da atividade econômica na indústria, no comércio, serviços e construção civil.

Além disso, os Índices de Confiança do Empresário Industrial (CNI e Fiesp) sinalizam recuperação da produção industrial devido à melhora da percepção das condições atuais e, principalmente, da expectativa de retomada da atividade econômica.

Em relação ao varejo, os sinais também são otimistas e apresentam crescimento das vendas, o que sinaliza recuperação do consumo das famílias. De acordo com Gadelha, espera-se que o varejo continue em linha ascendente diante da flexibilização das medidas de distanciamento social e da recomposição da renda das famílias.

Os dados da Pesquisa Industrial Mensal (PIM) e da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) também refletem a melhora da atividade econômica em curso.

Alta frequência

A mediana das expectativas de mercado constantes no recente Relatório Focus, do Banco Central, indica contração de -5,52% (2020) e de 3,5% (2021). Esse resultado demonstra um alinhamento entre as projeções de mercado e as projeções da SPE mostradas anteriormente. Além disso, o consumo de energia segue próximo aos patamares de 2019.

Em relação ao faturamento nominal do comércio varejista, os resultados refletem a recuperação do consumo das famílias em bens, enquanto que o consumo das famílias em serviços – setor mais afetado pelas medidas de isolamento social – tem se recuperado a um ritmo mais lento. Mas espera-se uma melhora nesse setor nos próximos meses. Apesar do atual cenário apresentar incertezas, os dados de alta frequência no início de agosto indicam continuidade do processo de retomada econômica.

Arrecadação

A SPE comparou também os dados de arrecadação disponibilizados hoje pela Receita Federal com as expectativas mapeadas pelo Prisma Fiscal. O Prisma é um sistema de coleta de expectativas de mercado para acompanhar a evolução das principais variáveis fiscais brasileiras: arrecadação das receitas federais, receita líquida do governo central, despesa total do governo central, resultado primário do governo central e dívida bruta do governo geral.

Em particular, a arrecadação total em julho veio apenas 1,2% menor do que o esperado pelo mercado, denotando substancial redução da incerteza em relação ao valor da arrecadação federal. “Expectativas de aumento de arrecadação representam otimismo por parte do mercado com relação à recuperação da atividade econômica nos próximos meses”, informou Gadelha.



Topo
Ceará passa de 202 mil casos de Covid-19



O Ceará ultrapassou a marca de 201 mil casos confirmados de Covid-19 nesta quarta-feira (19), com 201.201 diagnósticos positivos. Já são 8.241 mortes em decorrência da enfermidade e 172.189 recuperados. Os números são da plataforma IntegraSUS, atualizada às 17h14 pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa).

A marca de 100 mil casos no Ceará foi ultrapassada em 25 de junho, há 55 dias. Os 150 mil diagnósticos positivos foram confirmados em 21 de julho, há 29 dias. As primeiras ocorrências da doença foram divulgadas em 15 de março, há 157 dias.

O Estado chegou a 190 mil casos na última terça-feira (11). O intervalo entre os 180 mil e os 190 mil casos confirmados foi de seis dias.

Há ainda 90.325 casos suspeitos do novo coronavírus e 612 mortes em investigação. Ao todo, já foram notificados 593.938 casos. O Estado realizou 575.361 testes para identificar o vírus.

Fortaleza é a cidade com o maior número de casos confirmados: 45.257. A capital registra 3.766 mortes pela doença e uma incidência de 1.695,4. Em seguida está Juazeiro do Norte, no Cariri, com 12.872 diagnósticos positivos, 250 mortes em decorrência da enfermidade e uma incidência de 4.694,3.

Em Sobral, na Região Norte, 10.720 pessoas já foram infectadas com o novo coronavírus e 294 não resistiram à doença. A incidência da Covid-19 na cidade é de 5.130,8.

Na macrorregião de saúde de Fortaleza, as cidades que apresentam o maior número de casos são Maracanaú ( 5.936), Caucaia (5.431) e Maranguape (4.294). Caucaia é a segunda cidade em número de mortes, com 327 falecimentos e uma incidência de 1.502,8. Maracanaú tem incidência de 2.604,8 e contabiliza 235 mortes. Maranguape tem 113 óbitos e incidência em 3.329,2.

As maiores incidências de casos confirmados da Covid-19 no Estado estão em Acarape (9.156,7), Frecheirinha (8.179,4), Groaíras (6.134,8), Chaval (5.983,6) e Moraújo (5.410,4).

Outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 55,41%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 36,34%;

• A letalidade da doença no Estado é de 4,1%

• Foram confirmadas 12 mortes nas últimas 24 horas

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Por G1 CE



Topo
Ceará passa de 201 mil casos de Covid-19, com 8.241 óbitos



O Ceará ultrapassou a marca de 201 mil casos confirmados de Covid-19 nesta quarta-feira (19), com 201.201 diagnósticos positivos. Já são 8.241 mortes em decorrência da enfermidade e 172.189 recuperados. Os números são da plataforma IntegraSUS, atualizada às 17h14 pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa).

A marca de 100 mil casos no Ceará foi ultrapassada em 25 de junho, há 55 dias. Os 150 mil diagnósticos positivos foram confirmados em 21 de julho, há 29 dias. As primeiras ocorrências da doença foram divulgadas em 15 de março, há 157 dias.

O Estado chegou a 190 mil casos na última terça-feira (11). O intervalo entre os 180 mil e os 190 mil casos confirmados foi de seis dias.

Há ainda 90.325 casos suspeitos do novo coronavírus e 612 mortes em investigação. Ao todo, já foram notificados 593.938 casos. O Estado realizou 575.361 testes para identificar o vírus.

Fortaleza é a cidade com o maior número de casos confirmados: 45.257. A capital registra 3.766 mortes pela doença e uma incidência de 1.695,4. Em seguida está Juazeiro do Norte, no Cariri, com 12.872 diagnósticos positivos, 250 mortes em decorrência da enfermidade e uma incidência de 4.694,3.

Em Sobral, na Região Norte, 10.720 pessoas já foram infectadas com o novo coronavírus e 294 não resistiram à doença. A incidência da Covid-19 na cidade é de 5.130,8.

Na macrorregião de saúde de Fortaleza, as cidades que apresentam o maior número de casos são Maracanaú ( 5.936), Caucaia (5.431) e Maranguape (4.294). Caucaia é a segunda cidade em número de mortes, com 327 falecimentos e uma incidência de 1.502,8. Maracanaú tem incidência de 2.604,8 e contabiliza 235 mortes. Maranguape tem 113 óbitos e incidência em 3.329,2.

As maiores incidências de casos confirmados da Covid-19 no Estado estão em Acarape (9.156,7), Frecheirinha (8.179,4), Groaíras (6.134,8), Chaval (5.983,6) e Moraújo (5.410,4).

Outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 55,41%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 36,34%;

• A letalidade da doença no Estado é de 4,1%

• Foram confirmadas 12 mortes nas últimas 24 horas

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Por G1 CE



Topo
Secretário da Saúde não acredita em segunda onda da Covid-19 no Ceará



O secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins, o Dr. Cabeto, ponderou nesta terça-feira (18) que o Ceará poderá atravessar a pandemia de Covid-19 sem passar por uma "segunda onda", ou seja, não ter um novo aumento de casos após o atual declínio dos diagnósticos positivos.

"Hoje, a minha percepção é de que nós não vamos ter uma segunda onda. Nós não temos qualquer indicador sobre isso", ressaltou o titular da Sesa.

A declaração foi dada durante a participação do médico no seminário online "O Futuro da Saúde", organizado pelo Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado do Ceará (Sindessec). O secretário debateu as perspectivas na saúde em âmbito local.

Para complementar a fala sobre as chances de uma nova alta de contaminações no estado, Dr. Cabeto citou que os 184 municípios cearenses, juntos, podem ter atingido uma "imunidade de rebanho" próximo do ideal - isto é, quando o número de pessoas imunes a uma contaminação alcança um nível que interrompe a sua disseminação.

"A minha impressão global é que nós temos uma imunidade de rebanho perto do que é adequado, e uma população que provavelmente vai ter pequenos aumentos ou pequenos surtos, mas nós não vamos ter a segunda onda como estava se achando anteriormente", frisou.

Por G1 CE



Topo
Corte nas universidades federais do Ceará deve causar prejuízo de R$ 62 milhões



O corte de verba determinado pelo Ministério da Educação (MEC) para o ano de 2021 deve causar prejuízo de cerca de R$ 62 milhões nos orçamentos das instituições de ensino federais no Ceará. Conforme noticiado pelo G1 em 11 de agosto, o reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Cândido Albuquerque, já havia adiantado em entrevista que “vai faltar dinheiro”.

Por nota, o Ministério da Educação informou que, “conforme Referencial Monetário recebido pelo Ministério da Economia, a redução de orçamento para suas despesas discricionárias foi de 18,2% frente à Lei Orçamentária Anual 2020 sem emendas. Esse percentual representa aproximadamente R$ 4,2 bilhões de redução”. Para as universidades federais, no entanto, o valor do corte chega a R$ 1 bilhão.

A pasta afirmou que a redução no orçamento do próximo ano é em razão da crise econômica ocasionada pela pandemia do novo coronavírus. O Projeto de Lei Orçamentária Anual 2021 deve ser encaminhado ao Congresso Nacional até o fim de agosto.

A UFC, por exemplo, deve sofrer com a perda de aproximadamente R$ 29 milhões. A instituição informou em nota que o orçamento previsto para o próximo ano era de R$ 148 milhões e, com o corte, chega a cerca de R$ 119 milhões.

“A UFC foi comunicada pelo MEC de que haverá um corte linear (ou seja, para todas as universidades e institutos federais) de 18,32% no orçamento de custeio previsto para 2021”, afirmou.

De acordo com a universidade, caso o corte seja mantido, a instituição poderá ter dificuldades no próximo ano para honrar contratos de manutenção relativos à infraestrutura. “Contudo, a Universidade está preparada para enfrentar a crise. Para isso, seguirá fazendo os ajustes necessários no sentido de administrar cada vez melhor seus recursos, mantendo a qualidade de ensino, pesquisa e extensão, bem como o compromisso de assistência aos alunos mais vulneráveis”, acrescentou.

Em entrevista, o reitor Cândido Albuquerque disse ainda que o cenário pode se agravar. “Os efeitos econômicos serão ainda mais amargos a partir de outubro ou novembro. O Estado está arrecadando pouco, os municípios estão em dificuldade, e a União vai ter de socorrer. Vai faltar dinheiro. Já estamos preparados na UFC para enfrentar uma grande crise”.

Segundo a Universidade Federal do Cariri, a pauta será debatida pelo Conselho Universitário (Consuni/UFCA) no próximo dia 20 de agosto. Porém, caso concretizada, “a redução orçamentária anunciada pelo Ministério da Educação (MEC) representaria, na UFCA, menos R$ 5,2 milhões no orçamento previsto para despesas discricionárias no ano que vem, sem dúvida, um forte impacto para a instituição”.

Por meio de nota, a UFCA informou que, em valores absolutos, o orçamento para despesas discricionárias da UFCA previsto para 2021 era de R$ 28,6 milhões.

Apoio aos estudantes

Outra instituição que deve amargurar os efeitos da crise é o Instituto Federal do Ceará (IFCE), com redução orçamentária em cerca de R$17,8 milhões. Conforme o IFCE, “o MEC disponibilizou os limites para elaboração da proposta orçamentária de 2021 com este percentual de redução, em relação ao orçamento de 2020”.

Embora o corte represente 18,2% no total das ações orçamentárias, a ação de Assistência ao Educando foi preservada, logo o maior impacto será na ação de funcionamento, com uma redução de 21% quando comparado ao deste ano. “Confirmada essa proposta na Lei Orçamentária de 2021, a ser votada no Congresso, o IFCE buscará soluções para garantir o funcionamento de suas unidades”, garantiu.

O campus da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) no Ceará, por sua vez, deve sofrer redução em torno de R$9,5 milhões. O reitor, Roque do Nascimento Albuquerque, garantiu que o posicionamento da Instituição é de priorizar os alunos.

“É unânime que um corte vai sempre ter um impacto no orçamento da universidade, especialmente um corte na casa de 18%. Vamos manter os auxílios que apoiam os estudantes a continuarem seus estudos e priorizar as bolsas de fomento, de pesquisa como um todo. Vamos realmente ter que nos adaptar a situação e apelar a emendas parlamentares para manter a continuidade de custeio e de investimento”, afirmou.

Por G1 CE



Topo
Ceará chega a 8.163 mortes por Covid-19, com mais de 198 mil casos



O Ceará chegou a 198.202 casos confirmados e 8.163 mortes causadas pela Covid-19, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizada às 14h52 desta segunda-feira (17). Já são 169.327 pessoas recuperadas da enfermidade.

O Estado tem ainda 87.464 casos suspeitos. O número de casos notificados desde o início da pandemia é de 580.925 Já foram realizados 560.709 testes para identificar o novo coronavírus.

Cidades

As maiores incidências de casos confirmados da Covid-19 são registradas em Acarape (8.935,6), Frecheirinha (7.745,9), Groaíras (6.080,6), Chaval (5.953) e Moraújo (5.376).

Fortaleza contabiliza 44.971 casos confirmados e 3.755 óbitos, com uma incidência de 1.684,7.

Juazeiro do Norte, no Cariri, concentra 12.645 diagnósticos positivos, 244 mortes e 4.611,5 de incidência.

Em Sobral, na Região Norte, 10.609 pessoas já se infectaram e 293 não resistiram à doença. A incidência na cidade, que avançou para a fase 3 do plano de reabertura econômica nesta segunda-feira, é de 5.077,7.

Na macrorregião da capital, Maracanaú registra 5.888 casos, 234 mortes e 2.583,7 de incidência. Caucaia, a segunda cidade em número de mortes, tem 5.385 diagnósticos positivos, 326 óbitos e uma incidência de 1.490.

Outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 60,46%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 34,59%;

• A letalidade da doença no Estado é de 4,2%

• Houve duas mortes confirmadas nas últimas 24 horas

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Veja como está o plano de retomada por região:

• Fortaleza segue na fase 4 (cinemas e bares ainda não têm permissão de funcionamento)

• Municípios da Macrorregião de Fortaleza permanecem na fase 4;

• Macrorregiões de Sobral, Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe seguem para a fase 3;

Macrorregião do Cariri segue para a fase 2 Por G1 CE



Topo
Covid-19: 3.932 estudantes foram infectados no Ceará, aponta Sesa



Quase quatro mil estudantes já foram infectados pelo novo coronavírus no Ceará. O dado foi disponibilizado pela Secretaria Estadual da Saúde do Ceará (Sesa-CE) por meio da plataforma IntegraSUS, na tarde desta segunda-feira (17). De acordo com estatística da plataforma, são 3.932 casos de Covid-19 confirmados entre estudantes. Destes, quatro morreram.

O maior número de discentes infectados está em Juazeiro do Norte, com 536, seguido pelos municípios: Sobral, com 266; Fortaleza, 247; Crato, 147; e Tianguá, 110. Mortes de estudantes devido à Covid-19 foram registradas em Acaraú (1), Fortaleza (1), Itapajé (1) e Paracuru (1).

Os estudantes que morreram são de diferentes faixas etárias, indo de 35 a mais de 80 anos de idade. Um era do sexo feminino e três do sexo masculino. Uma vítima era da cor parda, uma branca, e as outras duas estão entre os óbitos de raça/cor não informadas.

Até então, a taxa de letalidade da doença especificamente entre este público é de 0,1%. Ao todo, 3.649 estudantes já se recuperaram da Covid-19, 2.511 casos seguem em investigação e 10.169 exames já haviam sido feitos.

Escrito por Redação, 17:27 / 17 de Agosto de 2020



Topo
Covid-19: Ceará contabiliza 197.619 casos da doença e 8.133 mortes



O Ceará contabiliza 197.619 casos confirmados de Covid-19 e 8.133 óbitos causados pela doença. Os dados são da plataforma IntegraSUS, atualizados às 9h33 deste domingo (16) pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). Além disso, 168.300 pessoas foram consideradas recuperadas da infecção pelo coronavírus.

O Estado tem ainda 88.116 casos suspeitos. O número de casos notificados desde o início da pandemia, em março, é de 578.922. Desde então, também foram realizados 558.571 testes para detectar o vírus.

A mortalidade pela Covid-19, proporção entre as taxas de casos e mortes, está em 4,1%. Nenhuma morte foi registrada nas últimas 24h.

concentra os maiores números de casos e mortes, com 44.930 diagnósticos positivos e 3.756 óbitos. A incidência do novo coronavírus na capital está em 1.683,2 para cada 100 mil habitantes. Em Juazeiro do Norte, onde a taxa de incidência chega a 4.582,3, já foram confirmados 12.565 casos e 241 mortes. Sobral, na Região Norte, concentra 10.607 casos positivos, 292 mortes e taxa de incidência de 5.076,7.

Escrito por Redação, 11:09 / 16 de Agosto de 2020



Topo
Fortaleza tem média diária de até 10 óbitos por Covid-19 pela terceira semana seguida



Pela terceira semana seguida, Fortaleza registra no máximo 10 mortes por Covid-19 ao dia. Durante o pico da pandemia na cidade, ocorrido no mês de maio, a maior cidade do Ceará registrava uma média diária de 80 óbitos pela doença.

As informações são do boletim epidemiológico semanal da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgados na tarde desta sexta-feira (14).

Houve ainda uma redução de 33% na média móvel de mortes registrada nos últimos sete dias, que foi de 1,8 fatalidade, representando a menor já registrada na séria histórica, desde o início da pandemia em março. A queda é ainda maior quando se compara os dados de hoje com a máxima média móvel da curva, cerca de 91,6 óbitos.

Em relação à média móvel de casos, a redução chegou a 99% na semana atual, com média de 10 casos em comparação aos mais de 893 diagnósticos posivos para o coronavírus, na média verificada durante o chamado "platô" da doença, entre final de abril e meados de maio. Ainda segundo o informe, os dados mostram que a transmissão na capital cearense passou a ser residual e sujeita a pequenas oscilações.

Os registros da propagação do novo coronavírus no Ceará indicam 196.667 casos de infecção e 8.127 óbitos pela doença, de acordo com a atualização da plataforma IntegraSUS, às 17h25 desta sexta-feira (14). A ferramenta da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) também mostra que 166.158 pacientes foram curados da doença neste mesmo período.

No dia 15 de março, os três primeiros casos de infecção pelo SARS-Cov-2 foram notificados no Estado e, desde então, 555.482 exames para a identificação da doença foram feitos.

Estão em investigação, no aguardo do resultado dos dados, 88.623 pacientes.

Nesta atualização, quatro óbitos foram contabilizados nas últimas 24h. As vidas perdidas para a doença indicam a taxa de letalidade de 4,1% no Ceará.

Escrito por Redação, 19:49 / 14 de Agosto de 2020



Topo
Cearense conquista medalha de prata e tem o melhor resultado do Brasil em olimpíada mundial de química



Representando o Ceará, o estudante Ygor de Santana Moura, 18, conquistou, pelo segundo ano consecutivo, uma medalha de prata na Olimpíada de Química Internacional (IChO). Em 2020, a vitória veio na 52ª edição do evento, sendo o único brasileiro a conseguir a segunda posição. Ao todo, a competição reuniu 250 alunos de ensino médio de 60 países, ocorrendo entre os dias 23 e 29 julho, de forma remota.

Somente quatro brasileiros conquistaram medalhas, sendo as outras três de bronze. Dois estudantes moram no Rio de Janeiro, Davi Medeiros Fortunato e Pedro Yudi Honda, e um no Distrito Federal, Thiago José Velôso.

A trajetória de Ygor se iniciou no final de 2015, quando mudou-se com a família do Rio de Janeiro para o Ceará a fim de se dedicar os estudos. Em janeiro de 2016, já começava o ano letivo como bolsista do Colégio Ari de Sá Cavalcante. As três primeiras medalhas mundiais foram conquistadas em 2019, sendo ouro na Iberoamericana de Química (OIAQ), prata na IChO, e outra prata na Olimpíada Europeia de Física (EuPhO).

Até este ano, o jovem soma 47 premiações entre olimpíadas mundiais, nacionais, regionais e internas, sendo 19 medalhas de ouro, 13 de prata, 9 de bronze e 5 menções honrosas. Para alcançar tais resultados, a dedicação aos estudos foi constante, costumando estudar de 8h da manhã até o mesmo horário da noite. Nas férias, optava por participar dos cursos em exatas disponibilizados pelo colégio durante o período.

“O meu objetivo com Olimpíadas sempre foi ganhar conhecimento e eu gosto muito de pensar nos problemas de uma forma diferente do que você está acostumado em sala de aula. É uma coisa que dá para realmente se divertir”, afirma.

Conquista

Além das vitórias nas olimpíadas, o jovem também foi aprovado, no dia 14 de março deste ano, no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, com bolsa integral. A instituição irá custear passagem, moradia e anuidade na graduação. Com isso, Ygor organiza a mudança à cidade de Cambridge para início de 2021.

Para a mãe do estudante, Cleia Nunes de Santana, 54, foi uma alegria grande ver o esforço de Ygor se transformar nas vitórias olímpicas e, principalmente, na entrada no MIT. Com apenas o ensino médio completo, a costureira buscou sempre incentivar aos filhos, Ygor e Nicolas, a irem mais longe.

O jovem se tornou o primeiro da família a passar em uma universidade no exterior. Tanto Cleia, quanto o pai, Raimundo Luciano Moura da Silva, cursaram até o ensino médio.

“Eu vim de um povoado que a gente não sabia nem o que era universidade. Faculdade na nossa época era só para o rico, agora que a gente pode sonhar um pouco”, acrescenta a mãe.

Apoio

Ygor percebe o suporte da escola como essencial em sua trajetória, contando com uma rede de apoio por parte de professores, alunos e coordenadores. “Tudo que eu precisava, estava lá. Tem psicóloga para atender, professores muito bons, tiram dúvidas qualquer hora que precisar”, declara Ygor.

Segundo o coordenador de Olimpíadas Científicas do Colégio Ari de Sá, Francisco Alves, Ygor sempre buscou outros conhecimentos para além da sala de aula. Agora, o coordenador e outros professores que acompanharam o crescimento de Ygor, aguardam com ansiedade as próximas conquistas do aluno no exterior.

“Ygor está escrevendo uma história brilhante em sua vida acadêmica. Sentimo-nos extremamente orgulhosos e temos acompanhado grande parte da trajetória acadêmica e pessoal do Ygor, somos gratos à família por ter depositado confiança no nosso trabalho”, finaliza Alves, em nome da equipe da coordenação olímpica.



Topo
Ceará tem queda de 48% na realização de transplantes no 1º semestre de 2020



Os efeitos da pandemia do novo coronavírus afetaram o número de transplantes realizados no Ceará, com queda de 48,4% de janeiro a junho, como divulgado pela Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), nesta quarta-feira (12). Foram registrados 737 procedimentos no primeiro semestre do último ano e 380 transplantes em igual período de 2020.

Os transplantes renais tiveram a maior baixa durante a pandemia com o registro de 65 procedimentos no período. No primeiro semestre de 2019, foram 132 cirurgias do tipo - correspondente à 50,76% de redução. Além disso, os transplantes de córnea caíram 51%, coração 50%, medula óssea 46% e fígado 34,3%. Não foram feitos transplantes de pâncreas e de pulmão neste primeiro semestre.

Por meio do Relatório Brasileiro de Transplantes, a ABTO ressalta a queda acentuada dos procedimentos renais. “Com exceção dos estados da região Norte, que praticamente suspenderam os transplantes, os estados mais afetados foram Rio Grande do Norte, Pernambuco e Ceará. Analisando por região, apenas a Centro-Oeste apresentou pequeno aumento (2,2%) e houve queda importante na Norte (74,4%) e Nordeste (46,1%) e menor na Sul (3,1%) e Sudeste (17,2%)”, detalha.

Os registros da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) mostram que nos primeiros seis meses deste ano foram feitos 396 transplantes no Estado, ante 762 no igual período do ano passado, com leve diferença da contabilização feita pela ABTO. Em nota, a Sesa relacionou a queda às restrições de captação de órgãos durante a pandemia.

“Por se tratar de uma doença infecciosa, as recomendações do Ministério da Saúde, conforme nota técnica, foram a suspensão da busca ativa e da captação para doação de tecidos em doador falecido por parada cardiorrespiratória e a realização de transplantes somente em situações de urgência, após investigação laboratorial confirmatória para SARS-CoV-2.”

Desde o início da pandemia, os casos de transplantes são analisados para dimensionar os riscos, como relata Eliana Barbosa, coordenadora da Central de Transplantes do Ceará. "Em abril e maio, que pra gente foram os meses com maior impacto por causa da Covid, não realizamos transplantes de coração, de pulmão e nem o transplante renal, mas mesmo nesses dois meses mais críticos, a gente realizou transplantes de figado e de córnea", pondera.

Eliana destaca que o Ceará foi o primeiro estado a examinar os doadores para o novo coronavírus como forma de garantir a segurança dos procedimentos.

Retomada

O Relatório de Transplantes também destaca o avanço diferenciado do novo coronavírus nas cidades brasileiras e, dessa forma, períodos críticos distintos impactam na regulação do número de transplantes.

“Embora o pico tenha ocorrido em algumas regiões, não houve, como em outros países, uma queda rápida nas taxas de transmissão e de morte em alguns estados, pressupondo a manutenção desse quadro por alguns meses, possivelmente, até o início da vacinação, talvez no final deste ano ou início do próximo”, acrescenta.

Com isso, os pacientes que necessitam de procedimentos como hemodiálise aumentam em número e, nos casos de comprometimento de órgãos vitais, há maior número de óbitos, como analisa o médico Huygens Garcia, presidente da ABTO.

No Ceará, agora na segunda quinzena de julho e a primeira quinzena de agosto, começou a haver o retorno das doações e, consequentemente, dos transplantes, mas outro fator que preocupa ainda é que nossa taxa de negação familiar é alta”, pondera. O dado mais recente, como ressalta, evidencia que 39% das famílias entrevistadas recusaram a doação de órgãos.

Por Lucas Falconery e Nícolas Paulino, G1 CE



Topo
Mortes por Covid-19 no Ceará ultrapassam 8 mil; são 190 mil casos confirmados



O número de mortes pela Covid-19 no Ceará chegou a 8.011, com 190.550 casos confirmados da doença, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizada às 10h36 desta terça-feira (11). O número de pessoas recuperadas é de 161.997.

O intervalo entre o registro de 7 mil e de 8 mil casos foi de 27 dias. Já o intervalo entre os 6 mil óbitos e os 7 mil óbitos foi de 16 dias. As primeiras mortes pelo novo coronavírus no Estado foram confirmadas em 26 de março, há 138 dias.

O Estado tem ainda 85.437 casos em investigação e 602 mortes suspeitas do novo coronavírus. Já foram realizados 530.010 testes para identificar a presença do vírus. Ao todo, já foram notificados 553.782 casos.

A mortalidade da doença, proporção entre as taxas de casos e mortes, está em 4,2%. Das mortes confirmadas, três ocorreram nas últimas 24h.

Fortaleza lidera os número absolutos da doença: 3.743 mortes e 44.194 casos confirmados. A incidência da enfermidade na capital é de 1.655,6. Caucaia é a segunda cidade em número de mortes no Estado, com 321 óbitos, 5.305 casos confirmados e incidência de 1.467,9.

Em seguida no número de casos está Juazeiro do Norte, no Cariri, com 11.904 casos positivos, 235 óbitos e incidência de 4.341,2. Sobral, na Região Norte, contabiliza 10.357 diagnósticos positivos, 289 mortes e 4.957 de incidência.

Na Grande Fortaleza, Maracanaú tem incidência de 2.491,6 e concentra 5.678 casos e 234 óbitos. Em Maranguape, cidade com 3.292,8 de incidência, 4.247 pessoas já foram infectadas e 109 não resistiram à Covid-19.

A plataforma indica que as cidades com maior incidência de casos confirmados são Acarape (8.607,4), Frecheirinha (6.409,9), Chaval (5.838,2), Groaíras (5.836,6)e Moraújo (5.272,8).

Ocupação dos leitos

A ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva no Ceará está em 69,13%. Nos leitos de enfermagem, a ocupação é de 35,71%.

Escrito por Redação, 08:42 / 11 de Agosto de 2020



Topo
Média diária de óbitos por Covid-19 cai mais de 60% em Juazeiro do Norte



Maior município do interior do Ceará, Juazeiro do Norte, no Sul do Estado, apresenta tendência de queda no número de mortes e infectados pelo novo coronavírus. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, a terra do Padre Cícero reduziu a média de casos confirmados por dia, assim como o número de óbitos em 61,6%.

Entre os dias 25 de 1º de agosto, foram 26 vítimas no Município, que dá uma média de 3,7 morte/dia. Já na última semana (1º a 8 de agosto), este número caiu para dez mortes decorrentes do novo coronavírus. O valor representa uma média de 1,42 óbitos por dia.

A média de infectados também caiu em igual intervalo. Decresceu de 195 por dia, para 146,14, redução de 25%. Essa redução tem sido registrada ao longo das quatro últimas semanas.

Média de óbitos e casos de Covid-19 em Juazeiro do Norte

Média de casos por dia Média de mortes por dia 11 a 18 de julho 18 a 25 de julho 25 de julho a 1º deagosto 1º a 8 de agosto

A diretora de Vigilância em Saúde de Juazeiro do Norte, Evanusia de Lima, adverte que, embora ocorra essa tendência de queda, tanto em casos como em óbitos, ainda não há estabilidade nos números.

“Estão instáveis. Hoje posso ter 180, amanhã 150, depois 90 casos. Aí sobem de novo. Não há regularidade de queda. Para conseguir, precisamos ter um número de até 15% para mais ou para menos”, detalha.

Evanusia admite que houve uma diminuição na procura dos testes rápidos nas quatro unidades espalhadas na cidade e na Unidade Sentinela, mas, em contrapartida, a Secretaria da Saúde de Juazeiro do Norte começou a descentralizar os diagnósticos para os grupos de risco através da estratégia de saúde da família. “Não podemos dizer que a queda (de casos) é por isso”, adverte.

Com 31.846 pessoas já testadas, Juazeiro do Norte já examinou 11,62% de sua população, estimada em 274 mil pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o último boletim epidemiológico, 9.029 pessoas já estão recuperadas, o que representa 74,7% do número total de infectados.

O município é o segundo que mais soma casos confirmados (12.086), segundo dados da Secretaria da Saúde de Juazeiro do Norte. Já pelo IntegraSus, plataforma oficial da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), a cidade soma hoje 11.767 casos. A sutil diferença deve-se ao tempo em que a Sesa leva para incorporar os dados recebidos de alguns municípios.

Ceará autoriza retorno ao trabalho

Autoriza o retorno de idosos -- de 60 anos ou mais -- ao trabalho, desde que comprovem imunidade ao novo coronavírus. A comprovação pode ser obtida por meio de exames em pessoas que já tiveram a Covid-19 e se recuperaram da doença.

O decreto refere-se a trabalhadores acima de 60 (sessenta) anos ou com fatores de risco da Covid-19 que tenham comprovação de imunidade ou de que tenha contraído o coronavírus há mais de 30 (trinta) dias.

O decreto autoriza ainda atividade de lazer em condomínios de temporada ou veraneio em municípios que se encontram na Fase 4. Atualmente, apenas as cidades da Grande Fortaleza estão na Fase 4 da retomada econômica, a última etapa antes do retorno total das atividades. Nesses municípios, aulas presenciais e bares continuam suspensos.



Topo
Estabilidade fiscal deve impulsionar retomada no CE



O Ceará foi um dos estados mais impactados pela crise gerada pelo novo coronavírus, que ainda não tem um prazo para terminar. Contudo, pelos cuidados com a sanidade fiscal sendo mantidos de forma contínua e por um longo período de tempo, o Estado deverá apresentar uma recuperação mais rápida do que a média nacional. Segundo especialistas consultados pela reportagem, além dos esforços de manter as contas em dia, o que garantiu espaço para fazer investimentos durante a retomada e a capacidade de suprir os gastos com a saúde, o Governo deverá ter ainda uma boa capacidade de buscar novos financiamentos externos para impulsionar a saída da pandemia.

Sobre as projeções de futuro, o diretor geral do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), João Mário França, apesar das incertezas, corrobora a perspectiva apresentada por um estudo do Núcleo de Pesquisas Econômicas (Nupe) da Universidade de Fortaleza (unifor.Br/nupe) que a economia cearense deverá crescer 2,4% e 6,1%. Segundo João Mário, pela estabilidade fiscal construída ao longo dos anos, o Ceará deverá registrar queda menor que a média nacional em 2020, e apresentar uma taxa crescimento maior que a do País no próximo ano, mantendo a tendência registrada pelo Ipece nos últimos anos.

"A projeção que o Ipece fez é que o Ceará terá uma queda menos acentuada que o Brasil em 2020. Mas imaginamos que, com essa retomada do segundo semestre, já devemos ter uma recuperação, apesar de ser lenta e gradual. Em 2021 devemos ter números positivos para o País e para o Ceará", projetou.

Para 2020, a pesquisa da Unifor projeta uma queda do Produto Interno Bruto (PIB) entre 7,3% e 2,5%, mas que logo se torna positiva no ano seguinte, entre 2,4% a 6,1%.

As projeções otimistas se tornam reais uma vez que a máquina pública cearense não foi abatida como em outras unidades da federação e manteve salários e até o adiantamento da primeira parcela do 13º salário.

Escrito por Redação, negocios@svm.com.br 23:00 / 09 de Agosto de 2020



Topo
Região de Baturité tem maior aumento percentual dos casos da Covid-19 e Juazeiro do Norte a maior redução



Dezoito das 21 Áreas Descentralizadas de Saúde (ADSs) nas quais é dividido o Ceará (86%) tiveram redução nos casos de Covid-19 entre junho e julho, conforme a Secretaria Estadual da Saúde (Sesa).

Entre as Semanas Epidemiológicas (SEs) 29 e 30 (de 12 a 25 de julho), em comparação às SEs 27 e 28, (de 28 de junho à 11 de julho), a ADS Juazeiro do Norte apresentou a maior redução percentual de casos, 58,9% - de 6.075 para 2.496 ocorrências. O maior aumento foi registrado na ADS Baturité, com 32,7% - de 346 para 459.

Até a manhã desta sexta-feira (7), o Estado contabilizava 185.409 casos confirmados da Covid-19 e 7.921 óbitos pela doença. Ao todo, são 156.373 pessoas recuperadas no estado.

No interior, a cidade de Juazeiro do Norte, no Cariri, concentra 11.471 diagnósticos positivos, 231 mortes e tem incidência de 4.183,3. Sobral, com incidência em 4.872,8, contabiliza 10.181 casos confirmados e 288 mortes, de acordo com a Sesa.

Considerando a comparação das SEs 29 e 30 com as SEs 27 e 28, a área de saúde de Baturité teve a maior queda percentual de mortos, com 90% - de 10 óbitos para 1. Em contrapartida, a ADS Brejo Santo registrou elevação de 200% em número de mortes, passando de 8 para 18, e de 15,9% em quantidade de casos, saindo de 521 para 604.

Além de Brejo Santo e Baturité, a ADS de Tauá também teve um crescimento percentual no registro de ocorrências, com 29,1%, aumentando de 199 para 257.

As ADS de Canindé, Quixadá e Icó, por sua vez, tiveram acréscimo nos óbitos, com respectivamente, 25%, 15,7% e 125%. Em Canindé, o total passou de 16 para 20 mortes; em Quixadá, de 19 para 22, e em Icó, de 8 para 18.

Redução

Em quadro geral, o epidemiologista Luciano Pamplona percebe uma redução consistente de número de casos da Covid-19 no estado e reforça esperar que a queda se mantenha. “Assim como já aconteceu em Fortaleza, a maior parte das regiões do Ceará já entrou em um platô estabilizado e começou a reduzir”, afirma.

Para ele, o controle da doença se dará de forma similar a outras doenças de transmissão, como sarampo e catapora, sendo necessário investigar e bloquear a transmissão de novos casos logo que for registrada uma nova ocorrência.

“Enquanto não tiver uma vacina, a gente vai continuar convivendo com ela, mas vamos conviver com casos esporádicos da doença, com um limiar muito baixo no número de casos”, explica.

Mesmo com os números em queda, Luciano reforça a importância do uso de máscaras. “Agora, mais do que nunca, é fundamental que as pessoas que estejam saindo de casa continuem utilizando máscara de forma indiscriminada”, finaliza.

Coronavírus no interior

Em julho, a maior quantidade de casos confirmados da Covid-19 deixou de ser na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), passando a estar no interior. Na última segunda-feira (3), o interior do estado passou a representar quase 53% dos casos confirmados da Covid-19, com 93.329 ocorrências, segundo o IntegraSUS. Enquanto a RMF representava 47,3%, com 83.632 casos.

Com a redução de casos na capital e nos municípios próximos, aproximadamente 600 leitos exclusivos para a Covid-19 foram liberados para outras especialidades em Fortaleza e nas cidades da região metropolitana, segundo o titular da Sesa, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Doutor Cabeto.

No entanto, a migração dos casos para o interior do Estado seguem ocorrendo. No intervalo de 27 de julho a 4 de agosto, o total de casos nas regiões de saúde do Cariri e do Litoral Leste/Jaguaribe cresceu 1,09% e 0,73%, respectivamente. No mesmo período, o aumento no Ceará foi de 0,58%.

Covid-19 no Ceará

O Ceará chegou a 185.409 casos da Covid-19 e 7.921 mortes confirmadas pela doença, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizada pela Secretaria Estadual de Sáude às 9h38 desta sexta-feira (7). Para identificar o novo coronavírus, já foram realizados 501.226 testes.

• Por Beatriz Rabelo, G1 CE



Topo
Ceará peroximo de 8 mil mortos na Covid 19



O Ceará contabiliza 183.301 casos confirmados de Covid-19 e 7.893 mortes em decorrência da doença. O número de pessoas recuperadas é de 154.545. Os números são da plataforma IntegraSUS, atualizada pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) às 10h13 desta quinta-feira (6). A marca de 180 mil casos foi ultrapassada nesta quarta-feira (5).

• Cagece retoma atendimento presencial com agendamento obrigatório, em Fortaleza

• Serviços da prefeitura de Fortaleza voltam a ter funcionamento presencial a partir de segunda

A partir desta quinta-feira, a plataforma apresenta novos indicadores: o número de casos notificados e a incidência de casos confirmados da Covid-19 em cada cidade.

Ao todo, já foram notificados 527.522 casos. Existem ainda 81.733 casos em investigação (casos que aguardam o resultado de exame, casos com exames inconclusivos e casos notificados sem a solicitação de exame).

Há também 604 mortes suspeitas do novo coronavírus. O Estado já realizou 493.979 testes para diagnosticar a doença.

O IntegraSUS aponta que as cidades com as maiores incidências de casos do novo coronavírus são Acarape (8.259,1), Flecheirinha (5.841,4), Groaíras (5.746,3) Chaval (5.715,8) e Moraújo (5.123,8).

Em Fortaleza, o número de pessoas infectadas chegou a 42.834, com 3.724 óbitos pela Covid-19. A incidência da doença na cidade é de 1.604,7.

Em seguida no número de casos está a cidade de Juazeiro do Norte, no Cariri, com 11.046 confirmações. A incidência em Juazeiro, onde 228 pessoas não resistiram à doença, é de 4.028,3.

Sobral concentra 10.121 casos confirmados e 288 mortes pela enfermidade. A incidêndia é de 4.844,1 na principal cidade da Região Norte.

Na macrorregião de saúde de Fortaleza, Maracanaú contabiliza 5.487 diagnósticos positivos e 233 mortes, com incidência de 2.407,8. Caucaia, a segunda cidade em número de mortes, tem 5.132 casos confirmados 321 óbitos e incidência de 1.420. Maranguape, com 3.255,6 de incidência, registra 4.199 casos e 107 mortes.

. Por G1 CE



Topo
Beach Park retoma atividades próximo dia 10; hóspedes já têm acesso a parque aquático



O Beach Park anunciou que reabriu o parque aquático nesta quinta-feira (6) exclusivamente para hóspedes dos hotéis da rede Beach Park, em um modelo chamado de soft opening (abertura gradual para testar novos protocolos e procedimentos). No próximo dia 10, segunda-feira, o parque reabrirá ao público, com agendamento prévio e limite de até 30% da capacidade.

De acordo com o Beach Park, o Suites Beach Park Resort e o Restaurante de Praia também já estão abertos no modelo soft opening.

"Antes da abertura ao público, o Beach Park passou por uma rigorosa higienização de todas as instalações, incluindo a lavagem de pisos, escadas, corrimãos, banheiros, mesas, cadeiras, armários e outros pontos de contato com produtos apropriados para a desinfecção. Durante o funcionamento, todas as instalações serão constantemente higienizadas", diz nota do empreendimento.

Entre as medidas adotadas para evitar a propagação do coronavírus estão o agendamento das atividades no parque e cardápio digital no restaurante, além de esterilização por meio de luzes UV nos hotéis.

Escrito por Redação, 15:20 / 06 de Agosto de 2020



Topo
Um em cada 3 profissionais de saúde mortos por Covid-19 no Ceará era médico



No Ceará, dos 29 profissionais de saúde que morreram em decorrência da Covid-19 desde o início da pandemia, nove eram médicos. O total equivale a 31% de todas as fatalidades em agentes sanitários. Até esta quarta-feira (5), pelo menos 14.956 profissionais foram diagnosticados com o novo coronavírus no Estado. Os dados são da plataforma IntegraSUS, atualizada às 14h36 desta quarta. O painel é administrado pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).

A plataforma mostra ainda que o Ceará ultrapassou os 181 mil casos de Covid-19 e 7,8 mil óbitos pela doença.

Ainda de acordo com o IntegraSUS, a doença é mais fatal entre os médicos. A taxa de letalidade da profissão é de 0,6%, a mais alta entre os agentes sanitários do estado. O índice também é maior do que a letalidade estadual em servidores da saúde, que tem taxa por volta de 0,5%. Isso significa dizer que, no Ceará, a cada 160 casos de médicos infectados pela Covid-19, um deve evoluir para óbito.

Apesar de concentrar o número de óbitos, a categoria médica é a terceira em número de casos: 1.443 profissionais da medicina foram infectados pelo novo vírus desde o começo da pandemia. A categoria fica atrás, em ocorrências, dos enfermeiros (2.140 casos) e dos auxiliares e técnicos de enfermagem, profissões mais afetadas, com 4.299 casos confirmados.

Entre os técnicos de enfermagem, que lideram o número de casos da doença, 1 em cada 585 profissionais acometidos pelo novo coronavírus morrem em decorrência da doença (letalidade de 0,18%).

Fortaleza é a cidade com maior número de profissionais da área mortos pelo novo coronavírus do estado, com 12 óbitos desde 10 de abril, data da primeira morte entre os agentes de saúde. A capital também é o município com mais registros de médicos perdidos para doença: Pelo menos 5 mortes aconteceram na cidade.

Acompanhamento

O cuidado com a equipe de saúde, alerta a médica Fernanda Colares, especialista em Gestão Hospitalar, é fundamental para evitar o avanço da doença nas unidades de saúde. “Principalmente durante a rotina de atendimento. O que os principais estudos mostram para gente é que os contágios acontecem nesses espaços de retirada de equipamentos”, aponta Fernanda, responsável pela administração de um hospital particular na capital.

Além do acompanhamento, estabelecer e divulgar protocolos de saúde de maneira eficiente permitem adequar os profissionais à dinâmica da pandemia à medida em que ela avança. “Explicar através de material gráfico e vídeos os protocolos para cada EPI [Equipamento de Proteção Individual], como usar de acordo com cada atividade, e identificar os fluxos de locais adequados para paramentação”, detalha a médica.

Para aqueles em vulnerabilidade, o cuidado é dobrado. “No hospital onde trabalho direcionamos as pessoas consideradas grupos de risco para outras atividades. Eles foram encaminhados para funções de suporte, locais não tão expostos”, indica Fernanda, que reforça: os cuidados com a equipe na linha de frente não se restringem aos profissionais de saúde.

“Na linha de frente temos também os recepcionistas, os maqueiros, os profissionais que realizam exames como tomografia. Todos precisam de atenção porque são as pessoas que têm contato direto com esses pacientes”.

Quanto às orientações da Sesa para as unidades públicas de atendimento, a pasta explica que cada unidade de saúde é responsável por desenvolver um protocolo sanitário específico, mas que há recomendações gerais, são elas: o uso dos EPIs, manutenção de distanciamento físico mínimo e higienização adequada.

A técnica da Vigilância Sanitária do Estado, Jane Cris Cunha, explica que o órgão realiza fiscalizações nas unidades para verificar possíveis irregularidades. "Neste ano, já fiscalizamos em torno de 200 estabelecimentos de saúde. De todas as denúncias que a gente recebe, 60% vem do setor público e 40% do privado", afirma.

Por Cindy Damasceno, G1 CE



Topo
Casos de Covid-19 no Ceará chegam a 176.773; mortes já são 7.710



O Ceará chegou a 7.710 mortes em decorrência da Covid-19, com 176.773 casos confirmados, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizada às 17h40 deste domingo (2). Já são 147.622 pessoas recuperadas da doença no Estado.

Meireles, Aldeota e Messejana têm maior número de casos de Covid-19 em Fortaleza; veja situação nos bairros

A plataforma indica que há ainda 593 mortes em investigação e 77.714 casos suspeitos. Já foram realizados 471.329 exames para detectar o novo coronavírus.

Fortaleza concentra 3.689 óbitos pela Covid-19, com 42.272 diagnósticos positivos. Os bairros mais periféricos da capital registram as maiores taxas de mortalidade da enfermidade. No bairro Conjunto Ceará II, na Regional V, a cada dez casos confirmados, mais de sete (73%) chegam a óbito, portanto, a maior taxa de letalidade pelo Sars-CoV-2, conforme a Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Fortaleza está na quarta fase do plano de reabertura econômica e, a partir de segunda-feira (3), shoppings e salões de beleza terão o horário de funcionamento estendido.

De acordo com o Governador Camilo Santana, a permissão para aulas presenciais, que também estava prevista para a etapa quatro da retomada, não deve ocorrer antes de setembro.

Em seguida no número de casos está a cidade de Sobral, com 9.978 registros e 284 mortes. Em Juazeiro do Norte, no Cariri, o número de diagnósticos é de 9.632, com 220 óbitos pelo novo coronavírus.

Na Macrorregião de Fortaleza, Maracanaú contabiliza 5.350 casos confirmados e 232 mortes. Caucaia é a segunda cidade em óbitos pela doença, com 319 ocorrências e 5.043 diagnósticos positivos. Em Maranguape, que registra 4.086 casos, 107 pessoas não resistiram à Covid-19.

O número de casos do novo coronavírus também chama atenção nas cidades de Crato (3.277), Quixadá (2.899), Tianguá (2.642), Acaraú (2.470) e Itapipoca (2.257).

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 72,27%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 38,32%;

• A letalidade da doença no Estado é de 4,4%.

Os números apresentados pela Sesa são atualizados permanentemente. As mortes não foram contabilizadas no dia em que ocorreram, nem os casos, no dia dos primeiros sintomas, e sim, registrados conforme a liberação dos resultados de exames.

Por G1 CE





Topo
Fiocruz alerta para possível segunda onda de Covid-19 no Rio, no Ceará e no Maranhão; no Brasil, ‘situação não está tranquila’, diz pesquisador



A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) alerta para uma possível segunda onda de Covid-19 nos estados do Rio de Janeiro, Ceará e Maranhão.

O prognóstico consta de um boletim divulgado nesta quinta-feira (30) pelo Infogripe, o sistema que monitora a ocorrência da síndrome respiratória aguda grave (SRAG) no país.

Nesses três estados, um pico de casos foi registrado na primeira quinzena de maio. Em junho, houve quedas seguidas, mas, no fim de julho, segundo as estimativas, a curva tornou a subir — ainda que em um patamar bem abaixo do de dois meses atrás.

Nesta quarta-feira (29), o secretário estadual de Saúde do RJ, Alex Bousquet, anunciou a intenção de fechar, até o dia 12, todos os hospitais de campanha sob gestão do estado. O argumento de Bousquet é “uma queda confiável” nos casos.

Uma decisão da Justiça impede a desmobilização, mas o estado anunciou um recurso.

“Nossa argumentação será técnica. Nós tivemos um pico nas duas primeiras semanas de maio e, de lá para cá, nós temos uma curva descendente que já se mostrou confiável”, argumentou Bousquet.

Brasil em um ‘platô’

Já a projeção para todo o Brasil, segundo o pesquisador e coordenador do Infogripe, Marcelo Gomes, “indica que não estamos numa situação tranquila”.

“Estamos com uma estimativa de que o número de novos casos semanais pode estar acima do primeiro pico, registrado em maio”, afirmou Gomes.

A curva do Brasil é diferente da do RJ. Em vez de um pico e uma subsequente queda — com sinal de retomada no crescimento —, há uma oscilação num platô, com tendência de aumento.

Por Eduardo Pierre, G1 Rio



Topo
Cada pessoa infectada com Covid-19 transmitiu doença para outras 3 nos primeiros meses da epidemia no Brasil, mostra estudo



Uma pesquisa publicada nesta sexta-feira (31) na revista científica"Nature Human Behaviour", do grupo "Nature", um dos mais importantes no mundo, mostra que, entre 25 de fevereiro e 31 de maio, cada pessoa infectada com a Covid-19 no Brasil infectou, em média, outras três com a doença.

O estudo descreve as características epidemiológicas da doença no país, onde mais de 90 mil pessoas já morreram por causa da infecção. A pesquisa foi conduzida por cientistas do Instituto de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina da USP, da Universidade de Oxford e do Imperial College de Londres.

O Brasil teve uma taxa de transmissão mais alta se comparado a países como Itália, França, Reino Unido e Espanha, cujas estimativas ficaram entre 2,5 e 2,6. Isso significa dizer que, nesses países, uma pessoa infectada contaminava, em média, entre 2 e 3 outras.

Esse índice é chamado de R0, e identifica quantas pessoas uma pessoa infectada é capaz de contaminar com uma doença. Para que a transmissão de uma infecção seja contida, esse número precisa ficar abaixo de 1 (ou seja, é preciso que uma pessoa infectada não consiga contaminar nenhuma outra).

Os cientistas frisaram, entretanto, que, como os valores são uma média, os índices do Brasil podem se aproximar, na prática, daqueles dos países europeus.

"Os intervalos críveis de nossas estimativas são mais baixos em comparação com as estimativas publicadas anteriormente para o Brasil", lembraram.

"Também observamos a rápida disseminação da Covid-19 pelo país, com municípios mais populosos e com melhor conexão sendo afetados mais cedo e municípios menos populosos sendo afetados em um estágio posterior da epidemia", escreveram os pesquisadores no estudo.

Desigualdade

Os pesquisadores também identificaram uma associação entre maior renda e mais diagnósticos de Covid-19. Já entre a população com menor nível socieconômico, houve mais casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) de causa desconhecida. A SRAG é uma das principais consequências da infecção pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Por Lara Pinheiro, G1



Topo
Ceará tem 11% dos casos de coronavírus entre padres infectados no Brasil; 4 morreram pela doença



A Igreja Católica também foi um dos setores afetados pela pandemia do coronavírus. No Ceará, além da suspensão de atividades presenciais, como missas e celebrações, 41 padres tiveram Covid-19, segundo estatísticas do Conselho Nacional de Presbíteros (CNP), contabilizadas até 19 de julho e divulgadas nesta semana.

Ao todo, 37 padres receberam diagnóstico positivo e quatro faleceram em decorrência da doença. O número representa 11% dos 368 padres infectados pela doença em todo o Brasil.

Somente em Fortaleza, estão concentradas 21 ocorrências e três mortes, segundo o CNP. Contudo, dados mais atualizados da Arquidiocese de Fortaleza, de abril a 29 de julho, contabilizaram cinco óbitos de sacerdotes causados pela Covid-19. Durante o mesmo período, outras cinco mortes foram ocasionadas por enfermidades distintas, como insuficiência cardíaca ou renal, e câncer.

Ao todo, oito cidades cearenses apresentaram padres confirmados com o novo coronavírus. No interior, Sobral é o município com a maior quantidade de padres contaminados, com seis casos. O relatório do Conselho também apresenta Crato e Iguatu, ambos com quatro ocorrências, e Limoeiro do Norte, com duas. As cidades de Tianguá, Quixadá, Itapipoca contabilizam um caso, cada uma.

O padre Fernando Antônio, responsável pela Paróquia São Francisco das Chagas, em Maracanaú, conta que começou a sentir os sintomas da doença em maio. “Eu inicialmente achei que fosse uma crise alérgica. Depois, comecei a desenvolver uma febre e tosse seca. Achei que as dores no corpo fossem por causa das atividades do dia. Não tive perda de paladar nem de olfato, e também não tive perda de oxigênio”, relata.

O sacerdote recebeu a confirmação de que era Covid-19 depois que saiu do isolamento, que durou quase um mês, mais precisamente no dia 28 de maio. O exame de sorologia detectou que Fernando teve contato com o vírus e estava imune.

Já o bispo de Crateús, Dom Ailton Menegussi - um dos nove bispos acometidos pela doença no Brasil -, também recebeu o diagnóstico positivo, mas relembra que não manifestou sintomas. “Eu fui assintomático. Senti um mal-estar e foi pensado que era outra coisa, mas o pessoal achou por bem que eu fizesse o exame”, diz.

Uma das vítimas fatais no Estado foi o monsenhor Eusébio de Oliveira Lima, um dos membros mais idosos da Diocese do Crato. O sacerdote faleceu no dia 1º de julho, aos 91 anos, em Barbalha, onde estava internado. Natural de Limoeiro do Norte, ele exerceu atividades religiosas ao longo de 66 anos.

Por G1 CE



Topo
Deputados aprovam projeto que concede auxílio financeiro a catadores do Ceará



A Assembleia Legislativa do Ceará aprovou, nesta quinta-feira (30), em sessão híbrida, o projeto de lei do Governo do Estado que cria um auxílio emergencial de R$ 261,25 para catadores de materiais recicláveis de todo o Ceará.

O valor será pago mensalmente durante o período de calamidade pública provocado pela Covid-19, previsto para ir até 31 de dezembro deste ano. A matéria segue para sanção do governador Camilo Santana (PT).

A data para que os catadores comecem a receber o benefício deve ser definida pelo próprio governador. De acordo com o chefe do Executivo, a medida irá ajudar as famílias que continuam atuando nessa atividade no período de pandemia, além de incentivar a reciclagem dos materiais.

"Muitas famílias vivem dessa atividade. Esperamos atender os milhares de trabalhadores nessa área tão importante”, ressaltou Camilo Santana.

De acordo com o Governo do Estado, 1.249 catadores que atuam junto a nove cooperativas no Ceará devem ser beneficiados inicialmente. No entanto, o número deve ser ampliado para contemplar os profissionais autônomos de coleta seletiva que ainda não fazem parte do cadastro.

Outros 12 projetos de autoria de parlamentares também foram aprovados na sessão desta quinta. Entre as medidas, está a que trata da criação de uma delegacia especializada para o combate a crimes cibernéticos no Ceará, apresentada pelo deputado Renato Roseno (Psol). Por se tratar de um projeto de indicação, cabe ao Governo do Estado acatar ou não a sugestão.

Por G1CE



Topo
Ceará tem 7.648 mortes por Covid-19 e mais de 169 mil diagnósticos positivos



O Ceará registrou, até a tarde desta quarta-feira (29), 169.138 casos confirmados e 7.648 mortes pela Covid-19. O número de pessoas recuperadas chegou a 141.449. Os dados são da plataforma IntegraSUS, atualizada às 17h34 pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa). A cidade de Caucaia ultrapassou os 5 mil diagnósticos positivos.

Há ainda 75.786 casos suspeitos e 598 mortes em investigação. Já foram realizados 449.804 testes para identificar o novo coronavírus. Dentre os óbitos confirmados, 11 ocorreram nas últimas 24h.

Fortaleza concentra os maiores índices da Covid-19: 3.690 mortes e 41.912 casos confirmados. A capital, que está na segunda semana da fase 4 do plano de reabertura econômica, reduziu a média móvel de óbitos para quatro, em comparação com a semana de pico da transmissão.

Em seguida no número de casos estão as cidades de Sobral (9.735) e Juazeiro do Norte (7.907). Em Sobral, principal cidade da Região Norte, 282 pessoas não resistiram à doença. Juazeiro, no Cariri, contabiliza 215 mortes.

Na Região Metropolitana de Fortaleza, Maracanaú concentra 5.154 diagnósticos positivos 231 mortes. Caucaia, a segunda cidade em número de óbitos, registra 5.010 casos, e 318 desses evoluíram para a morte. Também macrorregião da capital, Maranguape contabiliza 3.932 diagnósticos positivos e 106 mortes.

O número de casos confirmados também se destaca nas cidades de: Crato (2.809), Quixadá (2.767) Tianguá (2.488), Acaraú (2.407) e Camocim (2.173).

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 66,98%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 38,60%;

• A letalidade da doença no Estado é de 4,5%.

Os números apresentados pela Sesa são atualizados permanentemente. As mortes não foram contabilizadas no dia em que ocorreram, nem os casos, no dia dos primeiros sintomas, e sim, conforme a liberação dos resultados de exames.

Veja como ficam as fases por região:

• Municípios da Macrorregião de Fortaleza seguem para a 2ª semana da Fase 3;

• Macrorregiões do Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe seguem para a 1ª semana da Fase 2;

• Macrorregião Norte segue para a 2ª semana da Fase 1;

• Macrorregião do Cariri permanece na Fase de Transição da Economia, por conta dos indicadores ainda em alerta

• Por G1 CE



Topo
Banco Central vai lançar cédula de R$ 200 no fim de agosto



O Banco Central anunciou nesta quarta, 29, por meio de nota à imprensa, que lançará cédulas de R$ 200 no Brasil. A nova cédula terá como personagem o lobo-guará. A previsão é de que a nota entre em circulação a partir do fim de agosto.

Conforme o BC, a nova cédula foi aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que conta com representantes da autarquia e do Ministério da Economia. Às 16 horas, a diretora de Administração do BC, Carolina de Assis Barros, dará entrevista coletiva virtual a respeito da nota.

Na manhã de hoje, o BC informou que de fevereiro - antes da pandemia - para junho, o Papel Moeda em Poder do Público (PMPP) saltou 28,9%, de R$ 210,227 bilhões para R$ 270,899 bilhões. Este é o maior valor da série histórica do BC, iniciada em dezembro de 2001.

De acordo com o chefe do Departamento de Estatísticas do Banco Central, Fernando Rocha, o aumento do papel moeda nas mãos do público nos últimos meses foi causado pela demanda da população com a liberação do auxílio emergencial mensal de R$ 600 pelo governo, durante a pandemia.

Em meio à busca por dinheiro em papel na crise, o Ministério da Economia havia confirmado em 22 de julho que o BC havia solicitado ao Conselho CMN um reforço de R$ 437,9 milhões para atendimento do meio circulante.



Topo
Ceará tem mais de 165 mil casos de Covid-19, com 7.616 mortes



O Ceará chegou, na tarde desta terça-feira (28) a 165.703 casos confirmados de Covid-19, com 7.616 mortes ocasionadas pela doença. Houve ainda 138.765 pessoas que conseguiram se recuperar da infecção pelo novo coronavírus. As informações foram divulgadas às 17h13 pela plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa).

Os resultados de 75.917 testes ainda são aguardados. No total, 439.787 já foram realizados para detectar ou não a doença.

Fortaleza lidera os números do coronavírus no Ceará, com 41.658 diagnósticos positivos e 3.689 óbitos. A capital iniciou a segunda semana da fase 4 do plano de reabertura econômica nesta segunda-feira (27), com retomada de academias e clubes esportivos.

Sobral, na Região Norte, concentra 9.648 casos confirmados e 282 mortes. No Cariri, a cidade de Juazeiro do Norte chegou a 7.190 confirmações da doença e 210 óbitos.

Na Região Metropolitana de Fortaleza, Maracanaú (5.100 casos) e Caucaia (4.972) se destacam nos índices. Caucaia é a segunda cidade em número de mortes pela Covid-19, com 317 óbitos. Em Maracanaú, 230 pessoas não resistiram à doença. Também na macrorregião da capital, Maranguape tem 3.863 casos e 106 destes evoluíram para morte.

Os casos confirmados também chamam atenção nas cidades de Quixadá (2.704), Crato (2.607), Tianguá (2.439), Acaraú (2.372) e Camocim (2.145).

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 67,39%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 41,64%;

• A letalidade da doença no Estado é de 4,6%.

Os números apresentados pela Sesa são atualizados permanentemente. As mortes não foram contabilizadas no dia em que ocorreram, nem os casos, no dia dos primeiros sintomas, e sim, conforme a liberação dos resultados de exames.

Veja como ficam as fases por região:

• Municípios da Macrorregião de Fortaleza seguem para a 2ª semana da Fase 3;

• Macrorregiões do Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe seguem para a 1ª semana da Fase 2;

• Macrorregião Norte segue para a 2ª semana da Fase 1;

• Macrorregião do Cariri permanece na Fase de Transição da Economia, por conta dos indicadores ainda em alerta

• Por G1 CE



Topo
Ceará é o 4º do país em aumento de leitos do SUS nos últimos 10 anos



Um levantamento feito pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) aponta que o Ceará é uma das 10 unidades da federação que apresentou aumento no número de leitos de internação no Sistema Único de Saúde (SUS) na última década. Conforme o levantamento, o Ceará é o primeiro do Nordeste e o quarto do país com maior incremento de leitos.

Quando se compara a situação de 2020 com 2011, o estado apresenta um crescimento de 5,87%, o que representa um aumento de 842 leitos. Atualmente, o número absoluto chega a 15.171, enquanto em 2011, o valor era de 14.329.

Os dados do levantamento mostram também que apenas Rondônia, Mato Grosso e Tocantins tiveram aumento proporcional maior que o do Ceará. No Estado, diferentemente de outras unidades da federação, no início de 2020, o número de leitos habilitados para funcionar pelo SUS era superior à quantidade de estruturas do tipo disponíveis em 2011. Na maioria dos outros estados, esse total vinha em queda gradual.

No Ceará, o epidemiologista, professor de Saúde Pública e membro do Grupo de Trabalho de Enfrentamento à Covid-19 da Uece, Marcelo Gurgel, ressalta que “o Ceará foi um dos (estados) que cresceu, mas não foi o maior. Pernambuco aumentou 2.697 leitos, e a população de lá é até um pouco menor que a daqui. A Bahia também aumentou um pouco mais do que o Ceará, mesmo tendo uma população maior do que a daqui. Na pandemia, por exemplo, o Maranhão criou mais leitos que o Ceará”.

Embora a pandemia seja um fator motivador para esse aumento, as estatísticas mostram que não foi o único, já que o número vem crescendo desde 2018. No entanto, a crise sanitária da Covid-19 acentuou a ampliação, pois, entre janeiro e junho 2020, foram garantidos 819 leitos a mais no Estado.

Os cálculos do CFM têm como base as informações do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). Os leitos incluídos no levantamento são aqueles destinados a quem precisa permanecer em um hospital por mais de 24 horas. Para o CFM, o aumento em alguns estados está diretamente relacionado à pandemia.

A entidade considera que, por isso, os brasileiros que dependem do SUS

• Por G1 CE



Topo
Ceará contabiliza 162.429 casos confirmados da Covid-19, com 7.509 mortes pela doença



O número de casos confirmados da Covid-19 no Ceará contabiliza 162.429, com 7.509 mortes em decorrência do vírus Sars-Cov-2, segundo a plataforma IntegraSUS, atualizada às 14h26 desta segunda-feira (27). O total de pacientes recuperados da enfermidade já chega a 136.415.

O IntegraSUS aponta que há ainda 75.080 casos suspeitos e 602 mortes em investigação. Desde o início da pandemia já foram realizados 429.120 testes para detecção do vírus.

Fortaleza lidera os números do coronavírus no Ceará, com 41.253 diagnósticos positivos e 3.665 óbitos. A capital entra na segunda semana da fase 4 do plano de reabertura econômica nesta segunda-feira (27), com retomada de academias e clubes esportivos.

Sobral, na Região Norte, concentra 9.600 casos confirmados e 279 mortes. No Cariri, a cidade de Juazeiro do Norte chegou a 6.457 confirmações da doença e 188 óbitos.

Na Região Metropolitana de Fortaleza, Maracanaú (5.063 casos) e Caucaia (4.931) se destacam nos índices. Caucaia é a segunda cidade em número de mortes pela Covid-19, com 313 óbitos. Em Maracanaú, 228 pessoas não resistiram à doença. Também na macrorregião da capital, Maranguape tem 3.745 casos, 106 destes evoluíram para morte.

Os casos confirmados também chamam atenção nas cidades de Quixadá (2.667), Crato (2.555), Tianguá (2.383), Acaraú (2.290) e Camocim (2.131).

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 66,72%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 40,05%;

• A letalidade da doença no Estado é de 4,6%.

Os números apresentados pela Sesa são atualizados permanentemente. As mortes não foram contabilizadas no dia em que ocorreram, nem os casos, no dia dos primeiros sintomas, e sim, conforme a liberação dos resultados de exames.

Veja como ficam as fases por região:

• Municípios da Macrorregião de Fortaleza seguem para a 2ª semana da Fase 3;

• Macrorregiões do Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe seguem para a 1ª semana da Fase 2;

• Macrorregião Norte segue para a 2ª semana da Fase 1;

• Macrorregião do Cariri permanece na Fase de Transição da Economia, por conta dos indicadores ainda em alerta

• Por G1 CE



Topo
Ceará tem quase 160 mil casos da Covid-19 e mais de 131 mil recuperados



O Ceará contabiliza 7.454 mortes confirmadas pela Covid-19 e 159.953 diagnósticos positivos, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizada pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) às 17h08 desta sexta-feira (24). O número de pacientes recuperados chegou a 131.816.

O Estado tem ainda 75.509 casos em investigação e 600 mortes suspeitas. Já foram realizados 420.769 exames para detectar o vírus.

A média móvel de casos confirmados por semana no Ceará teve uma redução de 39,4% entre a segunda quinzena de julho e os primeiros 15 dias de julho, segundo a Sesa.

Teve queda de 47,4% no índice de mortes nesse mesmo período.

A capital, cidade com as maiores taxas, concentra 40.992 casos confirmados e 3.659 mortes pela enfermidade. Em seguida no número de casos estão as cidades de Sobral, com 9.546 confirmações, e Juazeiro do Norte, que tem 5.934 registros.

Sobral, na Região Norte, tem 276 mortes causadas pelo novo coronavírus. Em Juazeiro do Norte, no Cariri, 188 pessoas não resistiram à Covid-19.

Cidades da macrorregião de saúde de Fortaleza somam altos índices da doença. Maracanaú concentra 4.935 casos e 227 mortes e Caucaia, a segunda cidade em número de mortes contabiliza 4.891 diagnósticos positivos e 312 óbitos. Maranguape tem 3.742 registros e 105 casos que evoluíram para morte.

O número de casos confirmados também é destaque nos municípios de Quixadá (2.659), Crato (2.458), Tianguá (2.320), Acaraú (2.290) e Camocim (2.113).

Veja outras informações da plataforma:

A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 68%;

A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 41,65%;

A letalidade da doença no Estado é de 4,7%.

Por G1 CE



Topo
Municípios cearenses vão receber cerca de 2 milhões de EPIs para profissionais no combate à pandemia



O Governo do Ceará iniciou a distribuição de cerca de 2 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para profissionais atuando no combate à Covid-19 nos municípios do interior. O material chegou a Fortaleza na última sexta-feira (17). Segundo divulgou o governador Camilo Santana em live nesta quinta-feira (23), essa é a segunda remessa de EPIs destinada aos municípios.

Santana também anunciou medidas sanitárias no Aeroporto de Fortaleza, em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com instalação de uma barreira sanitária para medição de temperatura nos passageiros que chegam à capital, e testagem de todos os profissionais do Aeroporto.

“Uma das mais importantes ações que precisamos fazer agora é monitoramento, rastreamento, acompanhamento, são protocolos pra que a gente possa manter o controle da pandemia aqui no estado do Ceará”, comentou o governador.

Ainda anunciando as medidas o estado diante da pandemia, Camilo Santana afirmou que no próximo mês de agosto deve lançar um pacote de investimentos para acelerar o crescimento da economia.

O número de infecções pelo novo coronavírus chegou a 156.265 no Ceará, com 7.411 óbitos causados pela doença, segundo dados atualizados pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), às 17h08 desta quinta-feira (23) na plataforma IntegraSUS.

Por G1 CE



Topo
Casos Covid-19 no Ceará são mais de 156 mil, com 7,4 mil mortes



O Ceará registra 156.265 casos de pessoas com Covid-19 e 7.411 óbitos causados pela doença, segundo dados atualizados pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), às 17h08 desta quinta-feira (23). O IntegraSUS indica ainda que já foram recuperados 129.221 pacientes. Já foram realizados 410.554 exames para detecção da doença e existem ainda 75.158 casos em investigação.

Fortaleza, é o município cearense com os maiores números da doença, contabiliza 40.683 casos e 3.643 óbitos. A capital entrou na fase 4 do processo de reabertura econômica nesta segunda-feira (20). Bares, academias e aulas presenciais continuam paralisados e restaurantes tiveram o horário de funcionamento estendido.

As cidades com os maiores números de diagnósticos positivos da Grande Fortaleza são Caucaia, com 4.838 casos e 310 mortes, e Maracanaú, 4.843 diagnósticos positivos e 227 óbitos.

Sobral, na Região Norte e segunda cidade do Ceará em número de casos, soma 9.444 diagnósticos positivos e 274 mortes. Na Região do Cariri, Juazeiro do Norte concentra 5.179 casos confirmados e 184 falecimentos pelo novo coronavírus. Cidades mais afetadas pela pandemia, Juazeiro, Crato, Barbalha, Brejo Santo e Iguatu estão em lockdown.

O número de casos diagnosticados também chama atenção nas cidades de Quixadá (2.618), Tianguá (2.257), Crato (2.381), Acaraú (2.253) e Camocim (2.108).

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 68,41%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 40,27%;

• A letalidade da doença no Estado é de 4,7%.

• Por G1 CE



Topo
Mundo tem 166 candidatas a vacina contra a Covid em desenvolvimento; 24 são testadas em humanos



O mais recente balanço da Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que 166 vacinas estão em desenvolvimento contra a Covid-19 em todo o mundo. Até terça-feira (21) ao menos 24 delas foram registradas em fase clínica, que é a etapa de teste em humanos.

Segundo a agência de saúde da ONU, de todas as vacinas em desenvolvimento, cinco já estão em sua terceira e última fase de estudo. É somente depois desta prova, em um número maior de participantes, que uma vacina pode ou não ser licenciada e liberada para a comercialização, veja quais são:

• Sinovac (China)

• Instituto Biológico de Wuhan/Sinopharm (China)

• Instituto Biológico de Pequim/Sinopharm (China)

• Oxford/AstraZeneca (Reino Unido)

• Moderna/NIAID (EUA) – ainda não começou a recrutar voluntários

É somente na fase 3, com um número maior de participantes, que a eficácia da vacina é comprovada. Um grupo de milhares de voluntários é avaliado antes de se considerar a comercialização em larga escala.

A vacina de Oxford já está na sua terceira fase – e final – de testes em humanos. Além dessa, apenas outra concorrente chinesa já chegou tão longe nas pesquisas e ambas são testadas no Brasil. A China tem ao menos oito vacinas em desenvolvimento, três delas na última fase.

Para se produzir uma vacina, leva tempo. A mais rápida desenvolvida até o momento foi a vacina contra a caxumba, que precisou de cerca de quatro anos até ser licenciada e distribuída para a população.

Etapas da vacina

Antes de começar os testes em voluntários, a imunização passa por diversas fases de experimentação pré-clinica (em laboratório e com cobaias). Só após ser avaliada sua segurança e eficácia é que começam os testes em humanos, a chamada fase clínica – que são três:

• Fase 1: é uma avaliação preliminar da segurança do imunizante, ela é feita com um número reduzido de voluntários adultos saudáveis que são monitorados de perto. É neste momento que se entende qual é o tipo de resposta que o imunizante produz no corpo. Ela é aplicada em dezenas de participantes do experimento.

• Fase 2: na segunda fase, o estudo clínico é ampliado e conta com centenas de voluntários. A vacina é administrada a pessoas com características (como idade e saúde física) semelhantes àquelas para as quais a nova vacina é destinada. Nessa fase é avaliada a segurança da vacina, imunogenicidade (ou a capacidade da proteção), a dosagem e como deve ser administrada.

• Fase 3: ensaio em larga escala (com milhares de indivíduos) que precisa fornecer uma avaliação definitiva da sua eficácia e segurança em maiores populações. Além disso, feita para prever eventos adversos e garantir a durabilidade da proteção. Apenas depois desta fase é que se pode fazer um registro sanitário.

• Por G1



Topo
CASA DO CEARÁ PERDE SEU PRESIDENTE DO CONSELHO FISCAL



A casa do Ceará em Brasilia perdeu o presidente do Conselho Fiscal, o auditor fiscal Evandro Pedro Pinto que por longo tempo serviu em Brasília, como assessor, chefe de gabinete e representante da Receita Federal em Assunção, Paraguai.

Nascido em Fortaleza, antes de entrar para a Receita |Federal , fez concurso para a magistratura cearense, sendo nomeado juiz de Icó.

Veio para a Casa do Ceará na administração de Fernando Cesar Mesquita, ocupando o cargo de diretor de Administração e Finanças.

Ultimamente vinha presidindo o Conselho Fiscal da Casa.

Esteve presente nas negociações da Casa com a Receita Federal que proporcionaram o funcionamento do Bazar que gera receitas para a administração da Casa e que se tornou uma tradição nos eventos sociais promovidos pela Casa do Ceará.

A GRANDEZA E O LEGADO DE EVANDRO PEDRO PINTO

Todos nós, que fazemos a Casa do Ceará em Brasília, lamentamos com profundo pesar o falecimento no dia de hoje, 22 de julho, do nosso querido e agora saudoso conterrâneo, amigo e companheiro de trabalho Evandro Pedro Pinto. Ao longo da vida, esse notável cearense se fez merecedor da admiração, do respeito e da estima de todos quantos tiveram o privilégio de conhecê-lo, pela nobreza de comportamento, pela doçura espiritual, pela correção de caráter e pela conduta ética que lhe nortearam a existência.

Presidente do Conselho Fiscal da nossa Casa do Ceará, Evandro sempre deu o melhor de si, como colega da Diretoria mas, sobretudo, como o cearense que se orgulhava de ser, membro de uma família ilustre que honra a história do Ceará.

De Evandro Pedro Pinto, recebemos um admirável exemplo e uma lição edificante: exemplo de grandeza humana, de força moral e de atitude reta; lição de generosidade cristã, de solidariedade fraterna e de amor ao próximo. A ele, nosso reconhecimento e nossa gratidão, pelo bem com que fez o mundo melhor e a vida mais bela.

DIRETORIA DA CASA DO CEARÁ

AUTOBIOGRAFIA DE EVANDRO PEDRO PINTO

Evandro Pedro Pinto



Meu casamento com Brasília



Não tive a mesma sorte de muitos amigos, principalmente jornalistas, que aqui chegaram na década de 60 e começo dos anos 70.

Minha sorte grande veio somente em 1979, embora tenha conhecido Brasília em julho de 1970 e, desde então, por ela me apaixonado. Naquele ano aqui vim em viagem de lua-de-mel, hóspede de meu irmão Ruperto, à época tenente-coronel do Exército, morador da 209 Sul, quadra muito esburacada e sem urbanização ainda, disso me recordo vagamente.

Pouco me lembro da Brasília de então, pois, recém-casado, tinha outros “que fazeres” mais prazenteiros com que me ocupar. Recordo-me muito bem do Gilberto Salomão, único sítio onde se podia, de alguma maneira, se divertir, considerado a Copacabana brasiliense (Ipanema ainda não alcançara o status de top of the line, que passou a gozar logo em seguida).

A imponência dos quatro viadutos ainda não existia. E, assim, para passarmos de uma Asa a outra, pela W-3, tínhamos de arrodear a Torre de Televisão, onde uma fonte trabalhava infatigavelmente em sua labuta diária para jorrar águas coloridas e sonoras, para encantamento dos transeuntes. Para quem, como eu, por atavismo crônico, se habituara à economia do “precioso líquido”, aquele “estrupiço” d’água parecia coisa de governo perdulário.

Em 1978, recém-nomeado para os quadros da Secretaria da Receita Federal, aprovado que fora em concurso público, minha colocação no certame permitia-me optar por servir em Fortaleza, e assim o fiz.

Talvez por meu desempenho no Curso de Formação da ESAF (Escola de Administração Fazendária), fui por diversas vezes convocado a prestar serviço em Brasília, no órgão central da Receita, o que, se de um lado me enchia de justificado orgulho, de outro me possibilitava o prazer de vir a Brasília, com quem já estava reatando o antigo namoro iniciado em 1970. Daí para o noivado e consequente casamento foi um estalar de dedos. Assim, ao final de 1978, numa dessas vindas, recebi formalmente um convite para ser removido para Brasília, com uma condição que me animava a aceitá-lo: era-me assegurado, após dois anos, o retorno a Fortaleza, caso o “casamento”, que se avizinhava, desse com os burros n’água. Nesse meio tempo seriam aferidos, pela Administração, o meu desempenho nas novas funções e, por mim, as condições de habitabilidade (nunca ouvira palavra tão feia!) da cidade.

Finalmente as “núpcias” aconteceram no dia 23 de abril de 1979, data de meu desembarque definitivo em Brasília, com quem o “casamento” perdura até hoje.

O fato é que os dois anos se passaram, e hoje se transformaram em 31 anos de felicidade e harmoniosa convivência, interrompidos, duas ou três vezes ao ano, por visitas a uma amante inesquecível – a loira desposada do sol.

Quando aqui bati com os costados, trazia, além do saco que fazia as vezes de malota, com o indefectível nó como cadeado, a mulher, Denise, e três filhos. Nessa época já eram gente o Evandro Filho, a Michelle e o Danilo, este ainda de colo. Brasilienses com muito orgulho somente as duas que aqui depois chegaram: as candangas Aline e Anelise.

A tal habitabilidade de Brasília foi favorecida por todas as belezas que a natureza e a mão humana nos ofereciam, e por aqui já morar, desde 1976, meu irmão, Clodoaldo Filho, a quem viria se juntar, em 1980, outro irmão, o Gen. Ruperto, vindo dos Estados Unidos da América, onde tinha sido adido militar junto à Embaixada do Brasil naquele país. Dessa maneira, os três filhos do mestre Clodoaldo Pinto estavam finalmente reunidos em Brasília.

As “crianças” aqui cresceram, estudaram, se formaram e dois já casaram, Evandro e Michelle, ele com Patrícia Romano, e ela com Antonio Márcio Nacif, de cujos casamentos me vieram três joias, às vésperas da quarta: João Vitor e Isabela (Evandro) e Antonio (Michelle).

Evandro é conceituado advogado, trabalhando na sucursal do escritório do Prof. Arnold Wald, em Brasília; Michelle, formada em Relações Públicas e Teatro, mora hoje em Belo Hrizonte; Danilo, engenheiro, é Perito Florestal da Polícia Federal, morando em Cuiabá.

Aline é médica e galgou relativa notoriedade por ter sido a primeira mulher a alcançar a primeira colocação no vestibular da UnB (2002); mora atualmente em São Paulo, onde cursa o terceiro ano de residência em cirurgia vascular, na Escola Paulista de Medicina (Hospital São Paulo), enquanto Anelise, formada em Comunicação Social (Publicidade e Propaganda), é sócia de uma empresa de agenciamento de elenco publicitário.

Talvez nenhuma outra cidade, que não Brasília, tivesse nos oferecido tantas oportunidades e uma formação primorosa de que todos nos envaidecemos. Fiz bem em adotar a “habitabilidade” de Brasília.

Assim, minha vida de aposentado consiste hoje em me dedicar a meus dez amores e por eles orar: cinco filhos, três netos e duas mulheres: Denise e Brasília. (EPP).



Topo
Fortaleza tem mais de 40 mil casos confirmados da Covid-19, e Ceará ultrapassa marca de 148 mil



Fortaleza ultrapassou os 40 mil casos confirmados da Covid-19. Em todo o Ceará, o número de diagnósticos positivos soma 148.986 casos, com 7.284 óbitos em decorrência da doença. Os dados são da plataforma IntegraSUS, atualizados pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), às 14h07 desta terça-feira (21).

O IntegraSUS indica ainda que há 73.025 casos em investigação e 608 mortes suspeitas de terem sido causadas pelo novo coronavírus. Em todo o Estado, já foram realizados 390.045 exames para detectar o novo coronavírus. O número de pacientes recuperados chegou a 124.027.

Fortaleza, cidade com os maiores índices da doença, contabiliza 40.019 casos e 3.620 óbitos. A capital entrou na fase 4 do processo de reabertura econômica nesta segunda-feira (20). Bares, academias e aulas presenciais continuam paralisados e restaurantes tiveram o horário de funcionamento estendido.

As cidades com os maiores números de diagnósticos positivos da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) são Caucaia, com 4.752 casos e 304 mortes, e Maracanaú, 4.678 diagnósticos positivos e 220 óbitos.

Sobral, segunda cidade do Ceará em número de casos, acumula 8.974 diagnósticos positivos e 271 mortes. Na Região do Cariri, Juazeiro do Norte concentra 4.815 casos confirmados e 177 falecimentos pelo novo coronavírus. Cidades mais afetadas pela pandemia, Juazeiro, Crato, Barbalha, Brejo Santo e Iguatu estão em lockdown.

O número de casos diagnosticados também chama atenção nas cidades de Quixadá (2.405), Tianguá (2.109), Acaraú (2.078), Camocim (2.072) e Crato (2.020).

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 71,13%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 44,74%;

• A letalidade da doença no Estado é de 4,9%.

• Por G1 CE



Topo
Ceará tem 6,8 mil casos de Covid-19 em profissionais de saúde em investigação



Pelo menos 6.809 casos suspeitos de Covid-19 em profissionais dos serviços de saúde seguem em investigação no Estado. Fortaleza concentra 64% dos casos avaliados. São 4.359 ocorrências em observação na Capital. Os dados foram calculados a partir da atualização mais recente da plataforma IntegraSUS sobre o assunto, publicada na tarde desta terça-feira (21).

Ainda de acordo com a plataforma, 13.556 trabalhadores da área sanitária foram infectados pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2), com a maioria dos casos registrados em profissionais da enfermaria. Técnicos e auxiliares de enfermagem somam 3.925 ocorrências enquanto enfermeiros, a segunda profissão com mais ocorrências de infecção, contabilizam 1.965 profissionais positivados para a doença. Médicos (1.380), agentes comunitários (1.079) e recepcionistas (561) fecham a lista das cinco profissões com mais casos de Covid-19 no Ceará.

Fortaleza

A Capital contabiliza mais da metade dos profissionais positivados para Covid-19 no Estado: 6.919 agentes com a doença estão na cidade, o equivalente a 51% de todos os casos registrados no Ceará. Sobral aparece em seguida, com 632 casos confirmados. Caucaia (616), Maracanaú (214) e Cascavel (200), localizados na Região Metropolitana de Fortaleza, sucedem na lista de municípios com mais profissionais infectados.

O IntegraSUS aponta, ainda, uma alta taxa de recuperação nos serviços de saúde. Até o momento, cerca de 96% dos profissionais infectados pela doença no Ceará já estão curados. Na Capital, o índice de recuperados é maior do que o registrado no Estado: 98% dos agentes positivados para doença em Fortaleza não apresentam mais a infecção.

Covid-19 é mais letal em médicos

Desde o início da pandemia de Covid-19 no Ceará, em março, pelo menos 27 profissionais de saúde morreram em decorrência da doença. Destes óbitos, nove foram contabilizados em médicos, o equivalente a 33% do total. A categoria também apresenta a maior taxa de letalidade entre os servidores sanitários no Estado.

O índice é de 0,7% em profissionais da medicina enquanto os técnicos de enfermagem, maiores infectados pela doença, indicam fatalidade de 0,2%. A taxa de letalidade é calculada dividindo o número de óbitos pelo número de infectados.

Escrito por Redação, metro@svm.com.br 10:33 / 21 de Julho de 2020



Topo
Ceará registra 7.256 mortes pela Covid-19, com mais de 147,8 mil casos confirmados



O Ceará registrou 7.256 mortes em decorrência da Covid-19 e 147.818 casos confirmados da infecção, conforme dados da plataforma IntegraSUS atualizados pela Secretaria Estadual da Saúde às 17h42 desta segunda-feira (20). O número de recuperados chegou a 122.320.

Fortaleza, cidade com os maiores índices da enfermidade, chegou a 39.891 casos, com 3.613 óbitos. A capital entrou na fase 4 do processo de reabertura econômica nesta segunda-feira (20). Bares, academias e aulas presenciais continuam paralisados e restaurantes tiveram o horário de funcionamento estendido.

A plataforma indica que há ainda 72.494 casos em investigação e 609 mortes suspeitas de terem sido causadas pelo novo coronavírus. O Ceará já realizou 385.250 exames para detectar o novo coronavírus.

Na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), as cidades com maior número de diagnósticos positivos são Caucaia, com 4.722 casos e 302 mortes, e Maracanaú, 4.660 diagnósticos positivos e 219 óbitos. Também na RMF, Maranguape registra 2.966 casos da doença e é a sexta cidade em número de confirmações, com 104 óbitos.

Sobral, segunda cidade do Ceará em número de casos, concentra 8.953 registros e 268 mortes. Na Região do Cariri, Juazeiro do Norte concentra 4.703 casos confirmados e 177 falecimentos pelo novo coronavírus. Cidades mais afetadas pela pandemia, Juazeiro, Crato, Barbalha, Brejo Santo e Iguatu estão em lockdown.

O número de casos diagnosticados também chama atenção nas cidades de Quixadá (2.394), Acaraú (2.074), Tianguá (2.070), Camocim (2.047) e Crato (2.009).

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 69%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 40,45%;

• A letalidade da doença no Estado é de 4,9%

• Por G1 CE



Topo
Brasil tem média de 1.055 mortes por dia por coronavírus na última semana; 8 estados têm alta de mortes, mostra consórcio de veículos de imprensa



O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h deste domingo (19).

O país registrou 716 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 79.533 óbitos. Com isso, a média móvel de novas mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 1.055 óbitos, uma variação de +3% em relação aos dados registrados em 14 dias.

Sobre os infectados, já são 2.099.896 brasileiros com o novo coronavírus, 24.650 confirmados no último dia. A média móvel de casos foi de 33.389 por dia, uma variação de -9% em relação aos casos registrados em 14 dias.

MÉDIA MÓVEL: Veja como estão os casos e mortes no seu estado

No total, oito estados apresentaram alta de mortes: PR, RS, SC, MG, GO, MS, PA e TO.

Em relação a sábado (18), apenas o Distrito Federal deixou a lista de estados com alta.

Veja a seguir:

Brasil, 19 de julho

• Total de mortes: 79.533

• Mortes em 24 horas: 716

• Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 1.055 por dia (variação em 14 dias: +3%)

• Total de casos confirmados: 2.099.896

• Casos confirmados em 24 horas: 24.650

• Média de novos casos nos últimos 7 dias: 33.389 por dia (variação em 14 dias: %-9)

(Antes do balanço das 20h, o consórcio divulgou dois boletins parciais, às 8h, com 78.821 mortes e 2.075.361 casos; e às 13h, com 78.871 mortes e 2.076.635 casos confirmados.)

Estados

• Subindo: PR, RS, SC

• Por G1



Topo
CASA DO CEARÁ RECEBE DOAÇÕES PARA MANTER SUAS ATIVIDADES ASSISTENCIAIS AS ÚLTIMAS DOAÕES FORAM DO ITAÚ-UNIBANCO E DA VICE PESIDENCIA DA REPUBLICA



O programa Todos pela Saúde, uma iniciativa do Itaú Unibanco, em uma ação ao combate à Covid-19 junto à população idosa, realizou testagem RT-PCR (coleta de SWAB) na Casa do Ceará nos dias 15 e 16/07.

O laboratório responsável por este procedimento foi o Hermes Pardini e seus parceiros.

O projeto conta com o apoio da instituição OLHE (Observatório da Longevidade Humana e Envelhecimento).

Um visitador da OLHE estará em constante contato com a superintendência da ILPI-Casa do Ceará para oferecer suporte técnico às equipes de cuidado e de apoio quanto à orientação e cumprimento dos protocolos de proteção, testagem e monitoramento.

Além da realização dos exames, foram doados equipamentos de proteção para a entidade, como: luvas, máscaras, aventais descartáveis, álcool gel, sabonete líquido, medidor de temperatura, oxímetro e outros produtos.

Desde dia 30 de abril que a Casa do Ceará vem recebendo doações, iniciadas com a Polícia Militar do Distrito Federal que realizou a entrega de 30 cestas básicas para a Casa do Ceará. Os alimentos foram utilizados na Pousada Crisantho Moreira da Rocha, Instituição de Longa Permanência para idosos que tem capacidade para 22 pessoas.

A Casa conta com o apoio do Governo do Distrito Federal que tem doado material de limpeza, alimentos, álcool em gel e máscaras para a pousada dos idosos.

Outras importantes doações são de voluntários como a professora do curso de corte e costura Santa Terezinha e do locatário da entidade Charles Ferreira que tem confeccionado máscaras e jalecos de proteção para os colaboradores e idosos da entidade.

Em campanha pelo WhatsApp o senhor Charles arrecadou 50 Kg de frango para a pousada. A professora Andrea Matheus e seu esposo José Alberto entrega doações de frutas todos os sábados na pousada. As benfeitoras Fernanda Braga e Ádalis Bruno fizeram uma campanha de arrecadação de recursos para a Casa do Ceará e fizeram a doação de materiais de limpeza, frango e 1 celular para que os idosos possam se comunicar com a família durante o período de pandemia.

A médica Mariângela Cavalcante, parceira da entidade, indicou a instituição para o grupo Jalecos do Bem que confeccionou 69 jalecos e 222 máscaras de TNT e doou para a Casa do Ceará.

A Associação dos Servidores do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios realizou a doação de 15 cestas básicas, por meio da indicação de um de seus associados. Devido a pandemia da corona vírus a arrecadação financeira da Casa caiu muito e a pousada está se mantendo graças a solidariedade de algumas pessoas e de alguns órgãos governamentais. Para manter os idosos protegidos durante a pandemia, a entidade reforçou a higienização de suas instalações, adotou o uso de máscaras para todos os idosos e funcionários e restringiu visitas ao máximo, evitando o contato dos idosos com o público externo.

Por meio de campanha de arrecadação, a entidade conta com o apoio dos benfeitores: João Estenio Campelo Bezerra, Guilherme Campelo Bezerra, Alba Cristina, Luiza Habib, Fabio Alves, Ilda Ribeiro, Nadia M N, Edmilson Caminha e sua esposa Ana Maria Caminha, Adriana Magalhães, Via Flora, Vicente Landim, Vanessa Mara, Juliana Neres, Maria Djanira, João Pedro, Ana Claudia, Maria de Fatima, Ângela Yvonne, Antônia Rita, Josué dos Santos, Francisco Machado e sua esposa Rita de Cássia, Rafaela Mendes, Manoel Macedo, Antônio Florêncio, Barbara M S, Francisco hubner Carneiro, Francisco Aberi Mariano, Francisca G S, Raimundo Barbosa, Wagner Ramos K, Gabriela Cristina, David D.C, Bruno F Santos, Thiago Ribeiro, Veronica Torres, Nadja Maria, Jocebivam Fernando, Paulo Afonso, Gilberto Carneiro, José Alves de Melo, Gabriel Thadeu, Francisco das Chagas, Ernane Keiller e Leticia Correia.

O presidente da Casa do Ceará, José Sampaio de Lazcerda Junior, destacou a doação feita pela 1ª. Dama da República, d. Michelle Bolsonaro, que preside o programa Pátria Voluntária coordenado pela Casa Civil da Presidência da República e que tem ações e projetos transversais como grandes características Voluntariado, que realizou visita de surpresa à Casa do Ceará e entregou cheque para compra de mantimentos para a Pousada.



Topo
Covid-19: casos se aproximam de 146 mil no Ceará; já são 7.165 mortes pela doença



Até a última atualização da plataforma IntegraSUS, o número de casos de Covid-19 no Ceará chegou a quase 146 mil, totalizando 145.938 diagnósticos, na tarde desta sexta-feira (17). Houve um acréscimo de 959 notificações se comparado à primeira atualização deste dia. O Estado já soma 7.165 mortes por causa da doença desde o início da pandemia. Os números são da plataforma IntegraSUS, atualizados às 14h11 pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa).

Conforme a atualização, a taxa de ocupação em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) está em 73,38%, enquanto a de enfermaria está em 41,56%. A quantidade de testes aplicados para detecção da doença, em todo o Estado, chegou a 379.429. Outras 73.843 notificações estão em análise.O Ceará mantém ainda a taxa de letalidade em 4,9%. Por outro lado, 118.988 pessoas já se recuperaram da Covid-19.

A capital cearense segue com a maior quantidade de casos e óbitos, com 39.664 registros e 3.582 óbitos. Em seguida, em número de casos, aparece Sobral, na Região Norte, com 8.837 infectados. Na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), os maiores números estão em Caucaia, com 4.708 casos e Maracanaú, com 4.616 notificações positivas.

Já em Juazeiro do Norte, no Cariri, são 4.557 casos e 167 óbitos. No geral, outros 1.779 casos estão “sem informações” de origem, conforme o boletim da Sesa.

Escrito por Redação, 14:50 / 17 de Julho de 2020



Topo
Ceará registra mais de 144 mil casos confirmados da Covid-19, com 7.139 mortes pela doença



O Ceará contabiliza 144.058 mil casos confirmados da Covid-19, com 7.139 mortes pela doença. Os dados foram atualizados pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), às 17h05 desta quarta-feira (16), na plataforma IntegraSUS. O número de pacientes recuperadas da enfermidade é de 117.563.

O número de casos em investigação, à espera do resultados dos exames, é de 73.513. Os óbitos suspeitos são 588. Desde o início da pandemia foram realizados 371.056 testes para identificar o vírus no organismo.

A capital, Fortaleza, permanece como município que concentra o maior número de casos confirmados do vírus no Estado. São 38.869 casos e 3.573 mortes. Em entrevista ao Bom dia Ceará, o governador Camilo Santana afirmou que as aulas presenciais, bares e academias estarão fora da fase 4 da reabertura econômica. Fortaleza será a primeira cidade do estado a chegar a 4ª fase.

Na Região Norte, Sobral concentra os maiores índices de contaminação, com 8.782 infectados e 266 óbitos pelo novo coronavírus. A cidade é a segunda do Ceará com maior número de casos confirmados. Juazeiro do Norte, na Região do Cariri, possui 4.492 casos confirmados e 167 mortes pela doença.

As duas cidades da Região Metropolitana de Fortaleza que concentram o maior número de diagnósticos positivos são Caucaia e Maracanaú, com 4.675 e 4.566 casos, respectivamente. Caucaia é o segundo município no número de mortes, com 304 confirmações. Maracanaú já registrou 217 óbitos.

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 73,12%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 39,11%;

• A letalidade da doença no Estado é de 5%

Os números apresentados pela Sesa são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Veja como ficam as regiões no plano de retomada econômica:

• A capital cearense continua na etapa 3, e as barracas de praia podem funcionar;

• Demais cidades da macrorregião de Fortaleza seguem na Fase 2;

• Macrorregião do Sertão Central, Litoral Leste seguem na Fase 1;

• Região Norte para fase de transição;

• Cidades da região Cariri e Centro-Sul mais afetadas (Juazeiro, Crato, Barbalha, Brejo Santo e Iguatu) seguem em isolamento social rígido "por mais uma semana".

O plano de retomada das atividades não essenciais tem um ciclo de transição em quatro fases. E cada uma dura 14 dias. Os municípios do Ceará estão em diferentes estágios em relação ao plano conforme a gravidade do cenário da doença, sendo a capital a cidade com maior nível de reabertura.

Por G1 Ceará



Topo
Iguatu volta a ter 100% de ocupação de leitos de UTI para Covid-19



O crescimento de casos e o agravamento de pacientes com Covid-19, na região Centro-Sul cearense, resultaram na ocupação total dos 20 leitos de UTI, na cidade de Iguatu, na noite desta quarta-feira (15). A situação persiste na manhã desta quinta-feira (16). O Município já soma mais de 1.300 casos confirmados da doença e 38 óbitos, segundo boletim da Prefeitura.

O sistema público de saúde local oferece 10 leitos de internação intensiva no Hospital São Vicente, conveniados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e outros dez no Hospital Regional de Iguatu. As duas unidades são referências para o atendimento de pacientes com a doença na região.

Essa é a segunda vez que o problema ocorre. A primeira foi em 23 de junho passado. Além de Iguatu, dez leitos disponíveis no Hospital Regional de Icó também estavam ocupados, naquela data, e pacientes tiveram que ser transferidos para a região do Cariri e até para Fortaleza.

Transferência

O secretário da Saúde de Iguatu, George Xavier, esclareceu que, quando há ocupação total de leitos de UTI, novos pacientes são transferidos para unidades mais próximas que ofertam tratamento intensivo. No Hospital Regional de Icó havia quatro vagas, na noite desta quarta-feira (15). Xavier observou que os casos de Covid-19 vêm crescendo em muitos municípios da região, impactando na ocupação dos leitos de UTI.

“Estamos fazendo nossa parte, mas outras cidades não seguiram a aplicação de medidas mais rígidas e está aí o reflexo. Esse quadro nos traz preocupação, mas é muito inconstante e de uma hora para outra podemos ter alta, ampliar vagas, ou receber mais pacientes”.

Em Iguatu, de acordo com a secretaria de Saúde local, o número de curados tem sido maior do que os de confirmados nos últimos dez dias. Também há uma redução de pacientes com quadros graves. “Nossos dados epidemiológicos de julho estão dentro do esperado e do programado”, pontuou Xavier.

Escrito por Honório Barbosa, regiao@svm.com.br 12:30 / 16 de Julho de 2020.



Topo
Ceará ultrapassa 7 mil mortes pela Covid-19; casos já são mais de 141,8 mil



O Ceará ultrapassou a marca de 7 mil mortes por Covid-19, com 7.081 óbitos. O estado ainda contabiliza 141.832 casos confirmados da doença, conforme dados da plataforma IntegraSUS atualizados às 17h20 desta quarta-feira (15). O número de pessoas recuperadas da enfermidade é de 115.426.

Os três primeiros óbitos pela Covid-19 no Ceará foram confirmados em 26 de março.

O total de testes realizados no Ceará para detectar a infecção pelo Sars-Cov-2 é de 364.289. O número de casos em investigação, à espera do resultado dos exames, é de 72.592. Há ainda 584 óbitos suspeitos.

Fortaleza chegou a 3.553 mortes. Ao todo, a capital contabiliza 38.754 casos. A capital tem oito semanas de redução de mortes e de casos. Desde segunda-feira (13), as barracas de praia e agências de turismo puderam reabrir na capital cearense. O Governador Camilo Santana afirmou que aulas presenciais, bares e academias estarão fora da fase 4 da reabertura, em entrevista nesta quarta-feira (15).

As duas cidades da Região Metropolitana de Fortaleza que concentram os maiores índices do novo coronavírus são Caucaia e Maracanaú, com 4.634 e 4.514 casos, respectivamente. Caucaia é o segundo município no número de mortes, com 304 confirmações. Maracanaú já registrou 215 óbitos.

Depois da capital, em quantidade de casos, está Sobral, com 8.668 diagnósticos positivos e 263 mortes. Juazeiro do Norte, no Cariri, registra 4.346 casos confirmados e 164 mortes pelo novo coronavírus.

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 69,26%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 42,18%;

• A letalidade da doença no Estado é de 5%

• Por G1 Ceará



Topo
Seis em cada dez cearenses acima de 25 anos não completaram estudos básicos, aponta IBGE



Números também mostram diferença entre nível de acesso ao ensino básico entre jovens brancos e negros.

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua da Educação de 2019, divulgada nesta quarta-feira (15), mostram que 59,8% dos cearenses com mais de 25 anos não completaram os estudos. Ou seja, a cada 10 cearenses adultos e idosos, seis têm apenas instrução básica de ensino escolar. A porcentagem é uma soma da quantidade de cidadãos na faixa etária que não concluíram o ensino fundamental (47,2%) e dos que não terminaram o ensino médio (12,7%).

Os números apresentaram queda nos últimos quatro anos. Em 2016, a porcentagem que representava quantas pessoas com mais de 25 anos estavam fora da escola após concluir o ensino fundamental, ou seja, que não terminaram o ensino médio, era de 13,8%. Já a taxa de quem, nesta faixa etária, não tinha instrução ou não terminou de cursar o fundamental era de 51,8%.

A pesquisa, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revela ainda que jovens negros têm menos acesso à educação no Ceará. Dentre eles, 63,5% não completaram os estudos, enquanto a taxa é de 49,6% entre jovens brancos. A discrepância também é percebida nos dados sobre conclusão do ensino superior, já que apenas 9% dos jovens negros têm esse nível de ensino completo. O acesso entre brancos é mais que o dobro, chegando a 20%.

Além da raça, o estudo traz o recorte de gênero para a educação. Homens maiores de 25 anos têm pior escolaridade do que as mulheres; 51,1% deles não têm instrução, apenas 27,1% concluíram o ensino médio e só 9,6% têm ensino superior completo. Segundo a Pnad Contínua, pelo menos 14,2% das mulheres concluíram o ensino superior, 29,1% fizeram o ensino médio e 43,8% não terminaram o ensino fundamental ou não tem instrução básica escolar.

Por G1 CE



Topo
Ceará tem 139.437 casos de Covid-19, com 6.977 mortes pela doença



O Ceará contabiliza 139.437 casos confirmados da Covid-19, com 6.977 mortes em decorrência da infecção, segundo informações da plataforma Integrasus, atualizada às 10h25 desta terça-feira (14).

O número de recuperados da doença chegou a 113.509. Há ainda 595 mortes em investigação e 71.298 casos suspeitos do novo coronavírus. Já foram realizados 354.277 testes para detectar o novo coronavírus no Ceará.

Fortaleza

Fortaleza lidera os índices da doença no Estado e é a segunda cidade em número de casos no Nordeste. A capital registra 38.368 casos confirmados e 3.536 mortes. O levantamento do Consórcio Nordeste indica que outras três cidades também aparecem na lista das 20 cidades do Nordeste com maior número de casos confirmados: Sobral (8.544), Caucaia (4.485) e Maracanaú (4.466).

Na Região Metropolitana de Fortaleza, Caucaia e Maracanaú têm 304 e 214 óbitos pela doença, respectivamente. Caucaia é a segunda cidade cearense em número de mortes. As cidades Região de Saúde de Fortaleza estão na fase 2 do processo de reabertura econômica, enquanto a capital está na fase 3.

Sobral

Em Sobral, principal cidade da Região Norte, 262 pessoas não resistiram à doença. Uma pesquisa da Secretaria de Saúde do Estad (Sesa) indica que 24 mil pessoas já podem ter anticorpos para o novo coronavírus em Sobral. Um outro estudo, publicado pela Universidade Federal de Pelotas no início de julho, indica que 26,4% da população sobralense foi infectada pelo vírus. (veja na reportagem abaixo).

Cariri Juazeiro do Norte apresenta os maiores índices do Cariri, com 4.241 diagnósticos positivos e 148 mortes pelo novo coronavírus. A cidade está em lockdown, na tentativa de barrar a infecção. O isolamento social rígido também está valendo para as cidades de Crato, Barbalha, Brejo Santo e Iguatu.

Outras cidades

O número casos confirmados também se destaca em Maranguape (2.475), Quixadá (2.356), Camocim (2.001) e Acaraú (2.000).

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 71,54%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 40,29%;

• A letalidade da doença no Estado é de 5%.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Veja como ficam as regiões no plano de retomada econômica:

• A capital cearense continua na etapa 3, e as barracas de praia podem funcionar;

• Demais cidades da macrorregião de Fortaleza seguem na Fase 2;

• Macrorregião do Sertão Central, Litoral Leste seguem na Fase 1;

• Região Norte para fase de transição;

• Cidades da região Cariri e Centro-Sul mais afetadas (Juazeiro, Crato, Barbalha, Brejo Santo e Iguatu) seguem em isolamento social rígido "por mais uma semana".

O plano de retomada das atividades não essenciais tem um ciclo de transição em quatro fases. E cada uma dura 14 dias. Os municípios do Ceará estão em diferentes estágios em relação ao plano conforme a gravidade do cenário da doença, sendo a capital a cidade com maior nível de reabertura.

Por G1 CE



Topo
Aeroporto: Tráfego de passageiros aumenta 75,7% em junho na comparação com maio



O tráfego de passageiros no Aeroporto Internacional de Fortaleza aumentou 75,7% em junho na comparação com maio deste ano. No mês passado, passaram pelo terminal mais de 50,1 mil pessoas, enquanto que em maio, foram 28,5 mil viajantes. As informações foram divulgadas nesta segunda-feira (13) pela Fraport AG.

O resultado de junho, no entanto, ainda é 90,3% menor na comparação com igual período de 2019, quando pelo aeroporto passaram 516,6 mil passageiros. A retração do tráfego é consequência direta da pandemia da covid-19, que obrigou a redução de voos em todo o País, desde março deste ano.

No primeiro semestre de 2020, o Aeroporto de Fortaleza movimentou pouco mais de 1,7 milhão de viajantes, enquanto que em igual período de 2020, foram mais de 3,4 milhões de passageiros.

Apesar de lenta, a recuperação no número de passageiros já é notável no terminal. Segundo a Fraport Brasil, subsidiária da Fraport AG, neste mês de julho são esperados em média 31 voos por dia (pousos e decolagens), enquanto que em junho foram 19 voos diariamente.

Embora crescente, a operação ainda está muito distante dos 182 voos por dia que o terminal registrou em julho do ano passado. Em nota, a companhia informou que não tem expectativa para a quantidade de operações em agosto.

Projeção

Além disso, a Fraport Brasil informou que a movimentação só deverá retornar ao patamar pré-crise a partir de 2023.

"Ainda não temos a expectativa de voos para agosto. As companhias aéreas nos reportarão esta previsão no decorrer do mês de julho. Estamos confiantes em uma retomada lenta, mas gradual, da movimentação doméstica, no entanto, voltar ao patamar de movimentação que tínhamos antes da Covid-19, provavelmente só acontecerá em 2023/2024. A perspectiva é que voos internacionais demorem mais a acontecer devido à proibição da entrada de estrangeiros nos países", disse a empresa em nota.

Escrito por Redação, negocios@svm.com.br 20:55 / 13 de Julho de 2020.



Topo
Ceará tem quatro municípios entre as 20 cidades do Nordeste com mais casos de Covid-19



Quatro cidades do Ceará aparecem na lista das 20 cidades do Nordeste com maior número de casos confirmados de Covid-19, de acordo com levantamento do Consórcio Nordeste disponibilizado na plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), na manhã desta segunda-feira (13). Fortaleza, Sobral, Maracanaú e Caucaia são os municípios que compõem o ranking. Juntas, as cidades têm 55.073 registros da doença.

Ainda conforme o IntegraSUS, o Ceará registrava 136.790 casos confirmados da doença e 6.869 óbitos até domingo (12). É o estado com maior número de casos do Nordeste, com cerca de 21,6% do total de registros. Nesta segunda-feira (13), novas atividades, como barracas de praia e jogos de futebol, foram retomadas na capital cearense.

Além do Ceará, o Maranhão é o único outro estado a ter quatro municípios no ranking das 20 cidades nordestinas com mais casos. Pernambuco tem três municípios na lista. Bahia, Paraíba e Rio Grande do Norte aparecem duas vezes, e Sergipe, Piauí e Alagoas só estão na listagem com as capitais.

Os primeiros lugares da lista são ocupados pelas capitais dos nove estados, sendo Fortaleza a segunda com maior número de casos (38 mil), ficando atrás apenas de Salvador (43 mil). Sobral, com 8,3 mil casos, fica no 11º lugar do ranking, e Maracanaú (4,4 mil) e Caucaia (4,2 mil) fecham a lista, no 19º e 20º lugar, respectivamente.

De acordo com os dados do Consórcio Nordeste, o Ceará é o estado que mais testa a população na região, com mais de 345 mil exames de detecção do novo coronavírus já realizados, seguido pela Bahia (308 mil) e pelo Maranhão (206 mil).

Por Alexia Vieira, G1 CE



Topo
Prefeito de Fortaleza anuncia até quarta-feira plano de apoio fiscal para recuperar a economia da cidade



O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, anunciou nesta segunda-feira (13), que a prefeitura deve lançar até a próxima quarta-feira (15), um plano de apoio fiscal para a retomada da atividade econômica do município. Começa a valer nesta segunda-feira mudanças na fase 3 do planejamento de retomada da economia cearense nesta segunda-feira (12), como a abertura de barracas de praia.

“Muito possivelmente até a próxima quarta-feira agora nó vamos lançar o plano de apoio a retomada da atividade econômica aqui da cidade de Fortaleza. A preocupação mais frequentemente reivindicada pelo cidadão que empreende e que trabalha é algum tipo de apoio fiscal com os débitos fiscais junto ao município. É bom lembrar que os impostos municipais cobrados são IPTU e o ISS, ITBI, e algumas taxas municipais", afirmou o gestor municipal em entrevista para o Bom Dia Ceará.

Roberto Cláudio disse ainda que o plano prevê renegociação, principalmente, quanto aos tributos relacionados à atividade econômica do município. "Isso é natural, tem acontecido no Brasil inteiro que aumente a inadimplência. Que as pessoas não tenham condições de pagar alguns desses impostos, principalmente, aqueles relacionados à atividade econômica e o município vai lançar um conjunto de ideias, uma ideia mais central é um plano de apoio fiscal para a retomada da economia, que inclusive vai negociar essas dívidas tributárias, negociar os débitos fiscais, parcelar e dá redução das multas e juros, dependendo da forma de pagamento".

Ainda segundo Roberto Cláudio, Fortaleza entra na sétima semana do plano de retomada sem novo pico de Covid-19 seja de casos ou de demanda por estrutura de saúde. São oito semanas seguidas de redução de óbitos e casos, de acordo com o gestor.

“Felizmente a rigidez dos protocolos e a consciência majoritária da população tem ajudado a gente a não ter nenhum tipo de novo pico [da Covid-19]. Tanto que, como eu disse, já estamos iniciando agora a sétima semana de abertura e parte da vida econômica está voltando ao normal. A gente ainda felizmente não tem assistido como aconteceu em outros locais do mundo algum outro novo pico, tanto de na necessidade assistencial de internação como mesmo pico de casos confirmados ou até mesmo de óbitos”, revelou.

Obras da Alberto Craveiro

Roberto Cláudio ainda falou sobre o prazo de entregas de algumas obras, como por exemplo, a da Avenida Alberto Craveiro. Segundo o gestor, o prazo de entrega da obra, é fim de julho e início de agosto.

“Há ali um conjunto de obras muito importante. Ali a mobilidade da cidade, aquele conjunto da Avenida Alberto Craveiro, é uma grande obra de drenagem. Em época de chuva, fica basicamente debaixo da água porque o braço do riacho Uirapuru passa ali. Quando chove aflora na área baixa. Já estamos fazendo a drenagem, estamos duplicando o viaduto, e muito possivelmente a gente agora no final do mês de julho e começo do mês agosto a gente libera o trânsito inteiro e vai ficar faltando só o acabamento e jardinagem”, afirmou.

Sobre as demais obras o prazo de entrega é para dezembro de 2020. No entanto, por causa da pandemia, alguns trabalhos vão ser entregues apenas algumas etapas.

“E as demais obras todas que nós já tínhamos iniciado nós vamos entregar até dezembro. Algumas obras que tiveram o seu início atrasado que começaram agora, por exemplo, já estavam até licitadas, mas a gente não iniciou porque os seus inícios estavam exatamente neste período da janela da pandemia. Elas já foram iniciadas e nós estamos mobilizando muitas obras nas últimas semanas e alguns desses casos eu não vou conseguir entregar a obra inteira. Vou entregar uma etapa dela, duas etapas delas”.

Por G1 CE



Topo
Casos de Covid-19 chegam a 131 mil no Ceará; 6.741 óbitos foram registrados pela doença



O número de casos confirmados de Covid-19 no Ceará chegou a 131.000 na tarde desta quinta-feira (9). Outros 69.220 casos estão em investigação. Já foram contabilizados 6.741 óbitos em decorrência da doença desde o início da pandemia no Estado. Os números são da plataforma IntegraSUS, atualizados às 13h54 desta quinta-feira (9) pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa).

A quantidade de testes aplicados para detecção da doença é 331.606. O Estado mantém a taxa de letalidade em 5,1%. Já a taxa de de ocupação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é de 71,16%. A de enfermaria está em 41,94%. Em contrapartida, 104.027 pessoas já se recuperaram da doença pandêmica.

A capital cearense segue concentrando o maior número de diagnósticos positivos, com 37.713 registros e 3.453 óbitos. Na sequência, em número de casos, aparece Sobral, na Região Norte, com 7.877 infectados e 253 mortes. Na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), os maiores números estão em Maracanaú, com 4.268 casos e 214 óbitos e Caucaia, com 4.134 notificações positivas e 299 óbitos por covid-19.

Escrito por Redação, 14:57 / 09 de Julho de 2020. Atualizado às 15:01 Diário do Nordeste.



Topo
Juazeiro do Norte passa dos 3 mil casos de Covid-19; Ceará tem quase 130 mil diagnósticos



Juazeiro do Norte ultrapassou os 3 mil casos de Covid-19. Conforme apontado às 20h36 desta quarta-feira (8) pela plataforma IntegraSUS, a cidade do Cariri contabiliza 3.272 diagnósticos e 125 mortes. A região é que tem atualmente os maiores índices de transmissão do estado. O Ceará, por sua vez, já chega a 129.598 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus, além de 6.678 óbitos.

Em razão do aumento nos índices da Covid-19, Juazeiro do Norte, Barbalha, Crato e Brejo Santo, no sul do Ceará, estão em isolamento social rígido, assim como Tianguá, Iguatu e Sobral.

Esta última, inclusive, é a segunda cidade cearense em número de casos, com 7.765 confirmados. 249 pessoas não resistiram à doença no município da região norte. Conforme estudo da Universidade Federal de Pelotas, Sobral tem a maior incidência de contaminados pelo novo coronavírus no Brasil.

menos 92,39% das cidades cearenses já registraram mortes em decorrência da Covid-19. A taxa de mortalidade da doença no Estado está em 5,2%.

Fortaleza concentra os maiores índices da doença, com 37.621 diagnósticos positivos e 3.448 mortes confirmadas. A média diária de óbitos na capital vem reduzindo por sete semanas seguidas, segundo o prefeito Roberto Cláudio. Fortaleza está na fase 3 do processo de reabertura econômica e, nesta quarta-feira (8), tem taxa de reprodução do vírus de 0,8 - o índice é o menor no Estado.

As cidades de Maracanaú e Caucaia, na Grande Fortaleza, têm 4.237 e 4.092 casos confirmados, respectivamente. Caucaia soma 295 mortes e Maracanaú acumula 213, em decorrência da Covid-19. Os 43 três municípios da Macrorregião da capital entraram na segunda fase de retomada nesta segunda (6). A etapa é marcada pela reabertura dos restaurantes, com horário de funcionamento das 9h às 16h.

• Covid-19: Retorno de viagens intermunicipais no Ceará pode aumentar contágio entre municípios, apontam especialistas

• Taxa de isolamento social no Ceará permanece abaixo de 50% há uma semana

O IntegraSUS aponta que há ainda 69.151 casos suspeitos do novo coronavírus. São 614 mortes em investigação. O Estado já realizou 327.612 testes para detectar o vírus.

O número de casos confirmados também se destaca nas cidades de Quixadá (2.246), Camocim (1.940), Maranguape (1.916), Acaraú (1.858), São Gonçalo do Amarante (1.739) e Itapipoca (1.732).

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 68,84%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 44,79%;

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente

Por G1 CE



Topo
Ceará ultrapassa 100 mil recuperados da Covid-19; número de mortes é de 6.665



O Ceará ultrapassou a marca de 100 mil recuperados da Covid-19, com 101.678 pessoas que se curaram da doença. O Estado contabiliza 128.471 casos confirmados do novo coronavírus, com 6.665 óbitos em consequência da enfermidade, de acordo com dados da plataforma IntegraSUS atualizados às 15h26 desta quarta-feira (8).

Pelo menos 92,39% das cidades cearenses já registraram mortes em decorrência da Covid-19. A taxa de mortalidade da doença no Estado está em 5,2%.

Fortaleza concentra os maiores índices da doença, com 37.601 diagnósticos positivos e 3.447 mortes confirmadas. A média diária de óbitos na capital vem reduzindo por sete semanas seguidas, segundo o prefeito Roberto Cláudio. Fortaleza está na fase 3 do processo de reabertura econômica e, nesta quarta-feira (8), tem taxa de reprodução do vírus de 0,8 - o índice é o menor no Estado.

A Região do Cariri tem os maiores índices de transmissão do Estado. O índice de Reprodução Efetiva de Casos (RT) calcula para quantas pessoas saudáveis um infectado pode transmitir a doença. Juazeiro do Norte registrou 2.992 casos confirmados e 125 mortes. A cidade está lockdown, assim como Sobral, Barbalha, Crato, Brejo Santo, Tianguá e Iguatu.

Sobral é a segunda cidade em número de casos, com 7.697 confirmados. 249 pessoas não resistiram à doença na cidade da Região Norte. Conforme estudo da Universidade Federal de Pelotas, Sobral tem a maior incidência de contaminados pelo novo coronavírus no Brasil.

As cidades de Maracanaú e Caucaia, na Grande Fortaleza, têm 4.198 e 4.072 casos confirmados, respectivamente. Caucaia soma 295 mortes e Maracanaú acumula 213, em decorrência da Covid-19. Os 43 três municípios da Macrorregião da capital entraram na segunda fase de retomada nesta segunda (6). A etapa é marcada pela reabertura dos restaurantes, com horário de funcionamento das 9h às 16h.

O IntegraSUS aponta que há ainda 68.914 casos suspeitos do novo coronavírus. São 613 mortes em investigação. O Estado já realizou 324.782 testes para detectar o vírus.

O número de casos confirmados também se destaca nas cidades de Quixadá (2.240), Camocim (1.940), Maranguape (1.870), Acaraú (1.839), São Gonçalo do Amarante (1.732) e Itapipoca (1.730).

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 68,63%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 46,03%;

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Veja como ficam as regiões no plano de retomada econômica:

• Fortaleza avança para a etapa 3;

• Demais cidades da macrorregião de Fortaleza avançam para a fase 2;

• Macrorregião do Sertão Central, Litoral Leste/Jaguaribe avança para a fase 1;

• Macrorregiões Norte e Cariri permanecem na fase de transição da economia.

• E seguem em isolamento social rígido as cidades de Juazeiro, Crato, Barbalha, Brejo Santo, Iguatu, Sobral e Tianguá;

O plano de retomada das atividades não essenciais tem um ciclo de transição em quatro fases. E cada uma dura 14 dias. Os municípios do Ceará estão em diferentes estágios em relação ao plano conforme a gravidade do cenário da doença, sendo a capital a cidade com maior nível de reabertura.

Por G1 CE



Topo
Taxa de isolamento social no Ceará permanece abaixo de 50% há uma semana



O Ceará registra, há sete dias, índices de isolamento social inferiores a 50% da população. Na última segunda-feira (6), 44,8% da população cearense adotou o distanciamento como medida sanitária. Durante a semana, o índice cearense variou entre 41,1% e 48,4%, com o menor valor atingido no dia 30 de junho e o maior no último domingo (5). As informações são da atualização mais recente do levantamento da empresa In Loco.

O mapa utiliza a localização de dispositivos móveis, como aparelhos celulares, para medir a taxa de distanciamento. A empresa estuda o comportamento de localização de 60 milhões de usuários no Brasil e garante que privacidade e anonimato estão preservados.

A última vez que mais da metade dos cearenses esteve em isolamento foi em 7 de junho, quando 51,6% da população permaneceu em casa. Ainda segundo a In Loco, o pico de isolamento no Estado foi registrado no dia 22 de março, com 62% da população adotando a medida sanitária.

Mesmo com o número abaixo do ideal, na segunda-feira, o Estado teve a maior taxa de isolamento do Brasil, à frente do Rio Grande do Norte (43,86) e do Acre (43,04%). A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que pelo menos metade dos habitantes deveriam adotar o distanciamento para evitar o avanço da Covid-19.

O índice que não é atingido no Brasil desde 24 de maio, quando 53,8% da população esteve em casa. Nesta segunda, a base de dados mostrou ainda que apenas 40,2% dos brasileiros adotaram o distanciamento.

Retomada econômica

O Ceará prossegue no plano de retomada econômica e social de atividades. No começo da semana, 43 municípios da Macrorregião da Capital iniciaram a segunda fase de reabertura. A etapa é marcada pela reabertura dos restaurantes, com horário de funcionamento das 9h às 16h.

Primeira a avançar para fase 3 de retomada econômica, que prevê retorno comercial com 100% dos funcionários, Fortaleza é a cidade com maiores números relacionados ao novo coronavírus (Sars-Cov-2). A Capital contabiliza 37.253 diagnósticos positivos e 3.389 mortes em decorrência da infecção segundo a última atualização do IntegraSUS, publicada às 8h57 desta terça (7).

As macrorregiões do Sertão Central e do Litoral Leste/Jaguaribe avançam para a primeira fase da retomada. São permitidos, com 40% de trabalho presencial, a indústria química e correlatados; artigos de couros e calçados; cadeia metalmecânica e afins; saneamento e reciclagem; cadeia energia elétrica; cadeia da construção, têxteis e roupas; comunicação, publicidade e editoração; indústria e serviços de apoio; artigos do lar, cadeia agropecuária, cadeia moveleira.

A Região Norte e o Cariri, contudo, devem ficar ainda em transição devido a alta de casos. Cidades como Juazeiro do Norte, Barbalha, Crato, Brejo Santo, Tianguá e Iguatu permanecem em isolamento social rígido. Na Região do Cariri, Juazeiro do Norte já confirmou 2.566 casos e 144 mortes. Sobral está em lockdown desde 1° de junho, na tentativa de diminuir a disseminação da doença.

Por Cindy Damasceno, G1 CE



Topo
Ceará contabiliza 124.952 casos confirmados da Covid-19 e registra 6.556 óbitos



O IntegraSUS aponta ainda que outros 68.130 casos suspeitos do Taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 73,9%, segundo a plataforma IntegraSUS — novo coronavírus estão em investigação, a espera do resultado dos testes. Ao todo, o Estado já realizou 315.686 exames para detectar a doença. O número de mortes suspeitas pela Covid-19 é de 602.

Fortaleza é a cidade que lidera os índices do novo coronavírus e contabiliza 37.258 diagnósticos positivos e 3.396 mortes em decorrência da infecção. Nesta segunda-feira (6), a capital iniciou a fase 3 do plano de reabertura econômica do Governo do Estado.

Sobral, na Região Norte, é a segunda cidade com os maiores índices do coronavírus no Ceará. O município contabiliza 7.495 casos confirmados e 249 óbitos por complicações da doença. De acordo com um estudo da Universidade Federal de Pelotas, a cidade tem a maior incidência de contaminados pelo novo coronavírus no Brasil.

Cidades como Juazeiro do Norte, Barbalha, Crato, Brejo Santo, Tianguá e Iguatu também estão em isolamento rígido. Na Região do Cariri, Juazeiro do Norte já confirmou 2.584 casos e 124 mortes. Sobral está em lockdown desde 1° de junho, na tentativa de diminuir a disseminação da doença. (veja na reportagem abaixo)

Os municípios de Maracanaú e Caucaia, na Grande Fortaleza, têm 4.121 e 3.999 casos confirmados, respectivamente. Caucaia soma 290 mortes e Maracanaú acumula 217, em decorrência da Covid-19. Os 43 três municípios da Macrorregião da capital iniciaram a segunda fase de reabertura nesta segunda (6). A etapa é marcada pela reabertura dos restaurantes, com horário de funcionamento das 9h às 16h.

As cidades de Quixadá (2.189), Camocim (1.868), Acaraú (1.788), Itapipoca (1.716) e São Gonçalo do Amarante (1.708), chamam atenção com o número de casos confirmados.

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 71,89%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 46,2%;

• A mortalidade da doença no Estado é de 5,2%.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Por G1 Ceará



Topo
Mais de 90% dos municípios cearenses tiveram óbitos pela Covid-19



Pelo menos 92,39% das cidades cearenses já registram mortes pela Covid-19 até esta segunda-feira (6), segundo a plataforma IntegraSUS, da Secretaria de Saúde do Estado. Das 184 cidades, apenas 14 ainda não tiveram óbitos pela doença — em três delas, há uma morte suspeita pelo novo coronavírus.

Até agora, não houve óbitos pela doença em Pires Ferreira, Poranga, Ipaporanga, Antonina do Norte, Potengi, Nova Olinda, Altaneira, Granjeiro, Umari, Potiretama e Fortim. Entre as cidades com casos sob investigação estão Baixio, Guaramiranga e Pereiro.

De acordo com o último boletim epidemiológico, o Ceará acumulava 6.504 óbitos — mais da metade em Fortaleza (3.387). Do perfil das vítimas, cerca de 77% são pessoas com 60 anos ou mais e 58,41% do sexo masculino. No interior do Estado, os municípios que apresentam mais óbitos são Sobral (247), Juazeiro do Norte (114) e Itapipoca (88).

Monitoramento

Das 14 cidades que ainda não registraram mortes, Altaneira e Nova Olinda, na região do Cariri, têm 2 e 20 casos confirmados da doença, respectivamente. Para evitar que o quadro se agrave, as secretarias de Saúde destes municípios apostam na atenção primária e no monitoramento de pessoas acima de 60 anos ou com alguma comorbidade.

A secretária de Saúde de Nova Olinda, Kaline Cavalcante, comemora que, apesar de 20 casos confirmados, nenhum evoluiu para quadro grave, até agora. “A maioria apresentou sintomas leves. Apenas um teve que ficar hospitalizado, mas por 24 horas”, descreve.

Em Altaneira, que registrou o primeiro caso apenas em 29 de maio, os dois moradores que foram infectados já estão recuperados, enquanto ainda há três casos suspeitos. “Os agentes têm esse olhar cuidadoso com os grupos de risco e pessoas com comorbidade. Todos com sintomas respiratórios vão para o hospital municipal para não cruzar com atendimento nos postos de saúde”, conta Jamilla Landim, secretária de Saúde do Município.

O presidente da Associação dos Municípios do Ceará (Aprece) e prefeito de Cedro, Nilson Diniz, reforça que, apesar de preocupantes a quantidade de casos, é preciso estar atento aos municípios onde óbitos acontecem com mais intensidade. “O mais importante é que conseguimos criar condições no interior para atender a população. Criar estrutura nos municípios que não tinham. Aqui na minha região, por exemplo, nem Icó e Iguatu contavam com UTI. É muito angustiante ter um paciente e não ter para onde mandar”, acredita.

Municípios em alerta

Já a cidade de Sobral segue com 7.468 registros da doença. Segundo estudo da Universidade Federal de Pelotas, a cidade da Região Norte tem a maior incidência de contaminados pelo novo coronavírus no Brasil. Sobral tem 247 óbitos e está em lockdown desde 1° de junho, medida para diminuir a disseminação da doença.

O isolamento social rígido também foi renovado nas cidades de Juazeiro do Norte, Barbalha, Crato, Brejo Santo, Tianguá e Iguatu. No Cariri, Juazeiro do Norte já confirmou 2.478 casos e 114 óbitos.

Na Região Metropolitana de Fortaleza, as cidades de Maracanaú e Caucaia têm 4.114 e 3.978 casos confirmados, respectivamente. Os 43 três municípios da Macrorregião da capital avançaram para a fase 2 da reabertura a partir desta segunda-feira; a etapa marca a reabertura dos restaurantes de 9h às 16h. Caucaia atingiu as 289 mortes em decorrência da Covid-19, enquanto Maracanaú tem 217 óbitos.

Por Antonio Rodrigues, G1 CE



Topo
Ceará chega a 122.477 casos confirmados de Covid-19 e número de óbitos vai a 6.481



O Ceará chegou a 122.477 casos confirmados de Covid-19, com 6.481 mortes pela enfermidade, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizados às 14h57 desta segunda-feira (6). O número de recuperados no Estado é de 96.699.

Fortaleza, que lidera os índices do novo coronavírus, tem 37.037 diagnósticos positivos e 3.377 mortes em decorrência da infecção. A capital entrou na fase 3 da reabertura econômica nesta segunda-feira (6), mas bares e barracas de praia ainda estão proibidos. O retomada desses setores estava prevista pelo plano de reabertura do Governo do Estado.

O recuo na retomada foi motivado por um leve aumento nos indicadores em Fortaleza, de acordo com o secretário executivo de Planejamento e Gestão e coordenador do Plano de Retomada, Flávio Ataliba. "Observa-se, infelizmente, um pequeno repique em alguns indicadores. Apesar da trajetória dos últimos 14 dias, seja uma trajetória decrescente, se olhou que nos últimos dias houve aí nos indicadores um pequeno aumento e isso acaba sendo uma alerta para todos nós que precisamos, talvez, ir um pouco mais devagar nessa liberação", afirmou o secretário, durante live na tarde deste domingo (5).

Sobral segue a capital no número de casos, com 7.435 registros. Segundo estudo da Universidade Federal de Pelotas, a cidade da Região Norte tem a maior incidência de contaminados pelo novo coronavírus no Brasil. Sobral tem 247 óbitos e está em lockdown desde 1° de junho, medida para diminuir a disseminação da doença.

O isolamento social rígido também foi renovado nas cidades de Juazeiro do Norte, Barbalha, Crato, Brejo Santo, Tianguá e Iguatu. No Cariri, Juazeiro do Norte já confirmou 2.356 casos e 114 óbitos.

Na Região Metropolitana de Fortaleza, as cidades de Maracanaú e Caucaia têm 4.111 e 3.954 casos confirmados, respectivamente. Os 43 três municípios da Macrorregião da capital avançaram para a fase 2 da reabertura a partir desta segunda-feira; a etapa marca a reabertura dos restaurantes de 9h às 16h. Caucaia atingiu as 288 mortes em decorrência da Covid-19, enquanto Maracanaú tem 217 óbitos.

O número de casos confirmados também chama atenção nos municípios de Quixadá (2.147), Camocim (1.865), Acaraú (1.779), Itapipoca (1.707) e São Gonçalo do Amarante (1.683).

O IntegraSUS indica que há ainda 66.588 casos suspeitos do novo coronavírus, em investigação. O Estado já realizou 307.660 exames para detectar a doença. O número de mortes suspeitos pela Covid-19 é de 598.

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 75,57%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 41,13%;

• A mortalidade da doença no Estado é de 5,3%.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Por G1 CE



Topo
47% dos casos de Covid-19 registrados no Ceará estão na Região Metropolitana de Fortaleza



A maioria dos casos de coronavírus registrados no Ceará está nos municípios do Interior. Mais de 64 mil dos infectados, que corresponde a 53% de todas as confirmações, não são residentes da Região Metropolitana de Fortaleza. A Capital e as outras 18 cidades que compõem a região concentram 47% dos casos, com 57.588 pacientes testando positivo para o vírus. Os dados são da plataforma IntegraSUS.

No início da pandemia no Ceará, Fortaleza era a cidade que concentrava a maioria dos casos da doença, chegando a ter mais de 50% de todos os registros do Estado. No entanto, com o avanço da transmissão do vírus para outras cidades, a situação do Interior vem piorando significativamente. Enquanto municípios da macrorregião da Capital seguem na reabertura planejada pelo governo, sete cidades do interior ainda continuam em lockdown. São elas Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Brejo Santo, Iguatu, Sobral e Tianguá.

Das 19 cidades da região metropolitana, Fortaleza é a que concentra maior número de casos, com 37.023. A Capital é seguida de Maracanaú (4.110), Caucaia (3.949) e São Gonçalo do Amarante (1.686). Fortaleza também é a única a avançar para a terceira fase do plano de retomada econômica proposto pelo Governo do Estado, permitindo esportes individuais ao ar livre e funcionamento pleno de indústrias e comércio.

Escrito por Redação, Diário do Nordeste, 12:51 / 06 de Julho de 2020. Atualizado às 14:59



Topo
Todas as regiões do Ceará apresentam crescimento nos casos de Covid-19



Todas as regiões do Ceará ainda apresentam crescimento nas incidências de casos confirmados de Covid-19 em relação às semanas anteriores. A informação está no no boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) na tarde desta quinta-feira (2) e considera dados coletados até 29 de junho.

No total, o Ceará passou por um aumento de 16,1% em relação aos casos confirmados da semana anterior à análise.

Fortaleza foi a região que teve menor elevação, com 7%. Na região de saúde de Crato, entretanto, foi percebido 62,5% de aumento nos diagnósticos em uma semana. Outras áreas que também receberam importante crescimento foram Iguatu (48,5%), Juazeiro do Norte (34,2%), Tianguá (32,2%) e Sobral (30,1%).

Duas ondas

Observa-se também que o estado já passou por dois picos da Covid-19 desde que o novo coronavírus foi detectado. O primeiro deles foi em 20 de março. Em seguida, houve leve redução no número de casos suspeitos e confirmados, até que os índices começassem a subir de novo, culminando em pico maior entre os dias 1º e 20 de maio, voltando a reduzir no dia 24 do mesmo mês e seguindo em estabilização até a primeira quinzena de junho, quando começaram a passar por redução gradativa.

A maioria dos pacientes que morreram pela doença começaram a ter sintomas entre os dias 28 de abril e 10 de maio, com pico de óbitos em 1º de maio.

A taxa de mortalidade por Covid-19 no Ceará também passou por elevação, indo de 56,5 óbitos por 100 mil habitantes para 62,6. Os maiores acréscimos foram em Juazeiro do Norte, que agora 23,9 mortes por 100 mil habitantes, Tianguá, com 32,1, Camocim (66,7), Russas (25,0), e Acaraú (46,6).

Covid-19 no Ceará

O Ceará contabiliza 115.524 casos confirmados de Covid-19 e 6.284 óbitos em decorrência da doença, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizados pela Secretária de Saúde do Ceará às 13h44 desta quinta-feira (2).

A marca de 6 mil óbitos foi ultrapassada nesta segunda-feira (29). 90.092 pessoas já se recuperaram da Covid-19 no Ceará. O IntegraSUS aponta que a letalidade da doença, proporção entre as taxas de casos e óbitos, está em 5,4%.

Fortaleza ainda é a cidade com maior número de casos no Estado, com 35.784 infectados pela doença e 3.323 óbitos. Em seguida, aparecem Sobral (6.923), na Região Norte, Caucaia (3.747) e Maracanaú (3.712), na Região Metropolitana.

As cidades de Sobral, Juazeiro do Norte, Iguatu, Tianguá, Crato, Barbalha e Brejo Santo estão em lockdown por decreto estadual, medida para combater a disseminação do vírus.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Desde 1º de junho, o estado começou a implementar o plano gradual de retomada das atividades não essenciais suspensas desde 20 de março para conter a escalada da Covid-19. Os municípios do Ceará estão em diferentes estágios em relação ao plano conforme a gravidade do cenário da doença:

Veja como ficam as fases por cidade/região:

• Fortaleza segue na fase 2 como previsto;

• Região Metropolitana de Fortaleza continua na primeira fase;

• Demais regiões seguem na fase de transição;

• Cidades que ficam em lockdown: Sobral, Juazeiro do Norte, Iguatu, Crato, Barbalha, Brejo Santo e Tianguá

• Por G1 CE



Topo
Todas as regiões do Ceará apresentam crescimento nos casos de Covid-19



Todas as regiões do Ceará ainda apresentam crescimento nas incidências de casos confirmados de Covid-19 em relação às semanas anteriores. A informação está no no boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) na tarde desta quinta-feira (2) e considera dados coletados até 29 de junho.

No total, o Ceará passou por um aumento de 16,1% em relação aos casos confirmados da semana anterior à análise.

Fortaleza foi a região que teve menor elevação, com 7%. Na região de saúde de Crato, entretanto, foi percebido 62,5% de aumento nos diagnósticos em uma semana. Outras áreas que também receberam importante crescimento foram Iguatu (48,5%), Juazeiro do Norte (34,2%), Tianguá (32,2%) e Sobral (30,1%).

Duas ondas

Observa-se também que o estado já passou por dois picos da Covid-19 desde que o novo coronavírus foi detectado. O primeiro deles foi em 20 de março. Em seguida, houve leve redução no número de casos suspeitos e confirmados, até que os índices começassem a subir de novo, culminando em pico maior entre os dias 1º e 20 de maio, voltando a reduzir no dia 24 do mesmo mês e seguindo em estabilização até a primeira quinzena de junho, quando começaram a passar por redução gradativa.

A maioria dos pacientes que morreram pela doença começaram a ter sintomas entre os dias 28 de abril e 10 de maio, com pico de óbitos em 1º de maio.

A taxa de mortalidade por Covid-19 no Ceará também passou por elevação, indo de 56,5 óbitos por 100 mil habitantes para 62,6. Os maiores acréscimos foram em Juazeiro do Norte, que agora 23,9 mortes por 100 mil habitantes, Tianguá, com 32,1, Camocim (66,7), Russas (25,0), e Acaraú (46,6).

Covid-19 no Ceará

O Ceará contabiliza 115.524 casos confirmados de Covid-19 e 6.284 óbitos em decorrência da doença, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizados pela Secretária de Saúde do Ceará às 13h44 desta quinta-feira (2).

A marca de 6 mil óbitos foi ultrapassada nesta segunda-feira (29). 90.092 pessoas já se recuperaram da Covid-19 no Ceará. O IntegraSUS aponta que a letalidade da doença, proporção entre as taxas de casos e óbitos, está em 5,4%.

Fortaleza ainda é a cidade com maior número de casos no Estado, com 35.784 infectados pela doença e 3.323 óbitos. Em seguida, aparecem Sobral (6.923), na Região Norte, Caucaia (3.747) e Maracanaú (3.712), na Região Metropolitana.

As cidades de Sobral, Juazeiro do Norte, Iguatu, Tianguá, Crato, Barbalha e Brejo Santo estão em lockdown por decreto estadual, medida para combater a disseminação do vírus.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Desde 1º de junho, o estado começou a implementar o plano gradual de retomada das atividades não essenciais suspensas desde 20 de março para conter a escalada da Covid-19. Os municípios do Ceará estão em diferentes estágios em relação ao plano conforme a gravidade do cenário da doença:

Por G1 CE



Topo
Ceará teve duas ondas de casos da Covid-19, diz Secretaria da Saúde



Desde o início da pandemia do coronavírus, o Ceará já teve duas ondas de casos da Covid-19, conforme registros feitos pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). A oscilação foi observada a partir da análise da curva epidemiológica dos casos.

O aumento no número de casos suspeitos se deu a partir do dia 4 de março, e atingiu o pico no dia 20 do mesmo mês. Um segundo pico foi percebido entre os dias 1º e 20 de maio. Depois disso, diminuiu até o dia 24 e se manteve estável até a primeira quinzena de junho; a partir de então, a curva passou a reduzir gradativamente.

Os dados foram apresentados através do Boletim Epidemiológico da Covid-19, publicado nesta quinta-feira (2) pela Sesa. De acordo com a Pasta, os casos confirmados acompanham a curva dos casos suspeitos, e, na maioria dos casos que evoluíram para a morte dos pacientes, os sintomas começaram entre os dias 28 de abril e 10 de maio, com pico no dia 1º de maio.

Em relação aos casos confirmados, o boletim aponta que 24,9% (26.547) do total estão na faixa etária de 50 a 69 anos, e 21,7% (23.144) têm idades entre 30 e 39 anos. A maior incidência, contudo, está na faixa de 70 anos a mais: são 2.746,2 casos por 100 mil habitantes, no sexo masculino, e 2.186,1 casos por 100 mil habitantes no sexo feminino.

“A maioria (64,8%) dos casos está concentrada nas faixas etárias entre 30 e 69 anos sendo, frequentemente, as economicamente ativas”, acrescenta a Ses

Escrito por Redação, 16:04 / 02 de Julho de 2020. Atualizado às 16:10 ; Diário do Nordeste



Topo
Ceará chega a 113 mil casos confirmados de Covid-19 e tem 6.180 óbitos



O Ceará contabiliza 113.017 casos confirmados de Covid-19 e 6.180 óbitos em decorrência da doença, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizados pela Secretária de Saúde do Ceará às 14h28 desta quarta-feira (1°).

A marca de 6 mil óbitos foi ultrapassada nesta segunda-feira (29). 87.696 pessoas já se recuperaram da Covid-19 no Ceará. O IntegraSUS aponta que a mortalidade da doença, proporção entre as taxas de casos e óbitos, está em 5,5%.

Fortaleza concentra os maiores índices da doença no Estado, com 35.523 diagnósticos positivos e 3.295 óbitos pela doença. A capital está na fase 2 da reabertura econômica, mas o prefeito Roberto Cláudio ressaltou que a retomada pode ser interrompida se os índices da infecção voltarem a preocupar.

Depois da capital, Sobral (6.784), Caucaia (3.673) e Maracanaú (3.660) lideram o número de casos. Na Região Metropolitana de Fortaleza, Caucaia e Maracanaú registram 280 e 215 mortes pelo novo coronavírus, respectivamente.

Sobral concentra os maiores índices na Região Norte e já confirmou 232 óbitos em decorrência da enfermidade. A onda de infecção também ganha força em Juazeiro do Norte, no Cariri, que contabiliza 1.783 casos e 90 óbitos.

As cidades de Sobral, Juazeiro do Norte, Iguatu, Tianguá, Crato, Barbalha e Brejo Santo estão em lockdown, medida para combater a disseminação do vírus.

Há 64.384 casos suspeitos no Estado, ainda em investigação. Já foram realizados 280.475 exames para detectar o Sars-CoV-2 em todo o Ceará.

A quantidade de casos também chama atenção nos municípios de Quixadá (1.982), Acaraú (1.707), Camocim (1.698), São Gonçalo do Amarante (1.629), Itapipoca (1.627) e Maranguape (1.550).

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 77,54%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 45,52%;

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Desde 1º de junho, o estado começou a implementar o plano gradual de retomada das atividades não essenciais suspensas desde 20 de março para conter a escalada da Covid-19. Os municípios do Ceará estão em diferentes estágios em relação ao plano conforme a gravidade do cenário da doença:

Veja como ficam as fases por cidade/região:

• Fortaleza segue na fase 2 como previsto;

• Região Metropolitana de Fortaleza continua na primeira fase;

• Demais regiões seguem na fase de transição;

• Cidades que ficam em lockdown: Sobral, Juazeiro do Norte, Iguatu, Crato, Barbalha, Brejo Santo e Tianguá.

• Por G1 CE



Topo
PIB do Ceará cai 4,65% no primeiro trimestre de 2020



O Produto Interno Bruto (PIB) do Ceará apresentou retração de 4,65% no primeiro trimestre de 2020 na comparação com os últimos três meses de 2019, conforme divulgou na tarde desta terça-feira (30) o Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece). Na comparação com os primeiros três meses de 2019 a queda da atividade cearense foi de 0,4%.

Na avaliação do coordenador de Contas Regionais do Ipece, Nicolino Trompieri, a forte queda na passagem do último trimestre de 2019 para o primeiro trimestre de 2020 -- este último afetado pela pandemia do coronavírus -- também está ligada ao "efeito base".

"A gente teve mais gordura pra queimar. Como a gente tinha essa gordura a mais, a queda foi bem mais significativa [que o resultado do Brasil]".

Na comparação com o quarto trimestre de 2019, todos os setores apresentaram retração. Novamente a maior queda foi na Indústria (-9,8%), seguida pela agropecuária (-9,10%). O setor de serviços apresentou queda de 3,07%.

A principal baixa na comparação com o primeiro trimestre de 2019 foi observada na Indústria, que apresentou baixa de 0,81% no primeiro trimestre de 2020. A Agropecuária foi o único a apresentar resultado positivo: crescimento de 0,66%.

Sobre a Agropecuária, a analista do Ipece Cristina Lima, observa que a atividade no primeiro trimestre é fortemente influenciada pela pecuária. "As atividades relacionadas à produção de leite, ovos e bovinos obtiveram crescimento, embora menos acelerado ante os trimestres anteriores".

Indústria

O analista Wítalo Lima explica que o impacto observado na indústria no período lembra os efeitos sentidos pelo setor durante a greve dos caminhoneiros. "A atividade de transformação é o principal segmento da nossa indústria e ela sente o efeito direto da pandemia, já que o Estado interrompeu a produção. É diferente do comércio, que pôde operar por meio de delivery. A indústria não tem essa característica".

Por Ingrid Coelho, G1 CE

Em relação ao setor se Serviços, o também analista do instituto, Alexsander Lira, destaca que o resultado negativo do comércio é explicado, em parte, pelas medidas restritivas adotadas, mas também por já estar apresentando problemas nos primeiros dois meses do ano.

"A gente não pode esquecer que em março foi realmente uma queda expressiva, apenas o segmento de alimentos apresentou resultado positivo na última Pesquisa Mensal do Comércio", pontua. "O comércio representa em torno de 20% do setor de Serviços, então ele é o fator determinante da queda observada no trimestre", analisa Alexsandre. A atividade do comércio apresentou queda de 1,14% no período ante o primeiro trimestre de 2019



Topo
Sancionado auxílio para instituições de acolhimento de idosos



O presidente Jair Bolsonaro sancionou com vetos a Lei 14.018, de 2020 que destina auxílio financeiro da União no valor de até R$ 160 milhões para instituições de longa permanência para idosos (Ilpis), os antigos asilos, no combate à pandemia da covid-19. A presidência vetou quatro dispositivos do projeto original (PL 1.888/2020) aprovado pelo Senado no início de junho. Entre eles, o que autorizava o repasse apenas às instituições sem fins lucrativos que estivessem inscritas nos Conselhos de Direito da Pessoa Idosa ou Conselhos de Assistência Social, sejam eles no âmbito nacional, estadual, distrital ou municipal. A lei foi publicada na edição do Diário Oficial da União desta terça-feira (30).

Na explicação sobre as razões do veto, o governo alega que ao prever que poderão receber o auxílio financeiro emergencial as instituições sem fins lucrativos inscritas nos Conselhos de Direito da Pessoa Idosa, o dispositivo “contraria o interesse público ao limitar as instituições que serão contempladas pelo auxílio a ser repassado a apenas àquelas inscritas nos Conselhos de Direito da Pessoa Idosa”.

A lei, que teve origem na Câmara dos Deputados, estabelece como fonte do recurso o Fundo Nacional do Idoso, inclusive com o uso dos saldos de anos anteriores a 2020 e contempla até mesmo instituições que tiverem débito ou inadimplência em relação a impostos ou contribuições. Também não será necessária a Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social (Cebas).

O texto determina que o auxílio deve ser aplicado exclusivamente para atendimento à população idosa e de preferência ser direcionado para ações de prevenção e de controle da covid-19, compra de insumos e de equipamentos básicos para segurança e higiene dos residentes e funcionários, compra de medicamentos e adequação dos espaços para isolamento dos casos suspeitos e leves do novo coronavírus.

Os critérios de distribuição do recurso serão definidos pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, considerando o número de idosos atendidos em cada instituição.

Outros vetos

Bolsonaro vetou ainda o dispositivo que estabelecia prazo de 30 dias para que os recursos fossem transferidos da União para as entidades, a partir da data da publicação da lei. Para o governo, o processo de transferência demanda mais tempo do que o fixado no projeto original. “Contraria o interesse público em razão de o processo superar o termo fixado no dispositivo por demandar a celebração de instrumentos, plano de trabalhos específicos, bem como a posterior prestação de contas, para a efetivação da transferência de recursos públicos. Ademais, tal medida viola o princípio da separação dos Poderes, nos termos do art. 2º da Constituição da República”, justifica na mensagem de veto.

Também foi barrado o dispositivo que obrigava as instituições beneficiadas a prestarem contas da aplicação dos recursos aos respectivos Conselhos da Pessoa Idosa estaduais, distrital ou municipais e aos Conselhos de Assistência Social estaduais, distrital ou municipais. De acordo com a presidência, a Constituição já determina a competência de fiscalização sendo de responsabilidade do Congresso Nacional, “inclusive com auxílio do Tribunal de Contas da União, e dos órgãos de controle interno da União”.

Outro item vetado estabelecia prazo de 30 dias, a partir da data do crédito em conta corrente da instituição, para que o ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos disponibilizasse a relação das unidades beneficiadas com informações que trouxessem pelo menos a razão social, o número de inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), o estado, o município e o valor repassado.

A Presidência alegou que já existem normas que dispõem a respeito do assunto, como a Lei de Acesso à Informação, e que a determinação estabelecida por iniciativa parlamentar viola o princípio da separação dos poderes.



Topo
Mais de 6 mil pessoas morreram por Covid-19 no Ceará



O Ceará ultrapassou as 6 mil mortes pela Covid-19, conforme dados da plataforma IntegraSUS atualizados à 16h18 desta segunda-feira (29). São 6.076 óbitos em decorrência do novo coronavírus, com 108.225 casos confirmados no Estado. As primeiras mortes pela doença foram confirmadas no dia 26 de março, há 95 dias.

O índice de 5 mil mortes pelo novo coronavírus no Ceará foi ultrapassado no fia 15 de maio. A mortalidade da enfermidade no Estado, proporção entre as taxas de casos e óbitos, está em 5,8%. Há ainda 619 mortes suspeitas, em investigação.

Na última quinta-feira (25), o Ceará ultrapassou os 100 mil casos, com registros confirmados em todos os 184 municípios. Houve o primeiro diagnóstico confirmado de um residente da cidade de Granjeiro, no sul do Estado, única que ainda não havia registrado infectados. Fortaleza lidera os índices da doença e tem 35.081 diagnósticos positivos. 3.276 pessoas não resistiram à Covid-19 na capital.

Em seguida no número de mortes, estão Caucaia (275), Sobral (225) e Maracanaú (211). Na Região Metropolitana de Fortaleza, Caucaia e Maracanaú contabilizam 3.551 e 3.563 casos confirmados.

Sobral registra os maiores índices do novo coronavírus na Região Norte, com 6.404 confirmações e 225 mortes. A enfermidade também se destaca em Juazeiro do Norte, no Cariri, que contabiliza 1.564 casos e 85 mortes. As duas cidades estão em isolamento social rígido. O lockdown, a partir desta segunda-feira (29), também vale para Iguatu, Tianguá, Crato Barbalha e Brejo Santo.

O IntegraSUS indica que 83.670 pacientes já se recuperaram da Covid-19 no estado. 61.895 casos são apontados como suspeitos, em investigação. Já foram realizados 265.744 testes para detectar o Sars-CoV-2 no Ceará.

A quantidade de casos também se destaca nos municípios de Quixadá (1.843), Acaraú (1.649), Camocim (1.606), Itapipoca (1.582) e São Gonçalo do Amarante (1.582).

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 74,37%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 44,45%;

• 12 óbitos confirmados ocorreram nas últimas 24h;

• A taxa de letalidade da Covid-19 no Ceará é de 5,6

• Por G1 CE



Topo
300 respiradores que chegaram da China serão enviados a cidades do interior do Ceará, afirma secretário da Saúde; 7 já estão definidas



Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Brejo Santo, Iguatu, Icó e Missão Velha estão entre os municípios que contarão com os novos equipamentos para que possam montar leitos de UTI, exclusivamente destinados ao tratamento da Covid-19.

Produzidos na China, os 300 respiradores que chegaram ao Ceará na noite do último sábado (27) serão enviados a várias cidades cearenses, incluindo Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Brejo Santo, Iguatu, Icó e Missão Velha. A lista com a definição das demais cidades ainda está sendo finalizada pela Secretaria da Saúde (Sesa) e também pode incluir a Região Metropolitana de Fortaleza. Os equipamentos viabilizarão a montagem de leitos de unidade de terapia intensiva (UTIs) nestes municípios do interior do estado, que agora passam por um aumento nos números de casos e mortes por Covid-19. A informação foi confirmada pelo secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto, durante entrevista ao Bom Dia Ceará na manhã desta segunda-feira (29).

Os municípios cujas unidades de saúde estão melhor estruturadas, vão receber uma quantidade superior dos equipamentos novos. "Algumas cidades se prepararam [para receber os respiradores] e essas que têm maior preparo vão receber em maior número. Nós distribuímos de uma forma adequada e estabelecemos critérios de prioridade e critérios de gravidade", afirma, exemplificando que o Hospital Regional do Cariri "está ampliando sua capacidade instalada de UTI pra receber pacientes mais complexos".

Em Juazeiro do Norte, o número de casos confirmados do novo coronavírus chega a 1.462, com o registro de 81 mortes, segundo o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde (Sesa) neste domingo (28). Iguatu, aparece com 792 casos e 27 óbitos. Já Crato tem, respectivamente, 636 e 11; Barbalha, 289 e 6; Brejo Santo, 177 e 5; Icó, 175 e 3; e Missão Velha, 144 e 3.

Mais 200 respiradores

Os novos aparelhos entregues no fim de semana fazem parte do terceiro lote de equipamentos adquiridos pelo governo do estado vindos do exterior. Em 26 de abril, foram 90 toneladas de equipamentos de proteção individual e de testes rápidos.

Já em 18 de maio, outros 200 respiradores mecânicos e insumos hospitalares pousaram em Fortaleza. A previsão, acrescenta Dr. Cabeto, é de que até o dia 7 de julho cheguem os 200 respiradores que faltam dos 700 encomendados da China.

Produção chinesa

Conforme o secretário, as centenas de respiradores recentemente adquiridos para utilização no Ceará foram encomendados da China por se tratar do único país do mundo onde - mesmo durante a permanência da pandemia - foi mantida a produção em larga escala do equipamento. "Os respiradores vêm da China porque é o local ainda há maior produção. Nenhum outro país ainda disponibiliza respiradores para venda porque eles passaram por grandes epidemias e também adquiriram do governo chinês".

A escolha pelo fornecedor ainda se justifica, diz ele, porque os produtos oriundos do país tiveram qualidade aprovada por cientistas da saúde. "É fundamental que a população saiba que esses respiradores adquiridos pelo estado do Ceará são da melhor qualidade, nós fizemos avaliação com especialistas. E o Ceará, nesse sentido, tem sido muito feliz: dos 700 respiradores que compramos da China, já recebemos 500. E temos aí, até 7 de julho, a proposta de receber os últimos 200, suprindo toda a rede de necessidade que o estado tem. Tanto nos nossos hospitais, como cedendo em uso ou doando para as outra unidades".

Por Lígia Costa e Halisson Ferreira, G1 CE



Topo
Bolsonaro viaja ao Ceará e inaugura trecho da transposição do Rio São Francisco



O presidente Jair Bolsonaro viajou nesta sexta-feira (26) ao Ceará para inaugurar trecho do Eixo Norte da transposição do Rio São Francisco. Bolsonaro saiu no início da manhã de Brasília e pousou no aeroporto de Juazeiro do Norte, interior cearense, pouco antes das 10h.

Após aterrissar, a comitiva oficial se dirigiu ao distrito de Milagres, no município pernambucano de Salgueiro (PE), na divisa com o Ceará. Lá, Bolsonaro acionou a comporta para liberação das águas da transposição, por volta das 11h. Em seguida, o presidente seguiu para Penaforte (CE), a cerca de 30 quilômetros de Salgueiro, onde viu a chegada das águas.

O governador do Ceará, Camilo Santana, não participou do evento. Em post nas redes sociais, Santana afirmou que só voltará ao local da transposição "após superarmos este grave momento de pandemia". Na publicação, ele agradeceu a todos os presidentes que cumpriram mandato desde que a obra foi iniciada: Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff, Michel Temer e Jair Bolsonaro.

Bolsonaro estava usando máscara nesta manhã, mas chegou a retirá-la para gravar vídeos com apoiadores e posar para fotos, como quando estava ao lado do deputado estadual cearense André Fernandes (PSL).

Ele estava acompanhado de autoridades como os ministros do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, Augusto Heleno, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

A viagem do presidente também foi responsável por criar aglomeração em Juazeiro do Norte (veja vídeo abaixo). Apoiadores de Bolsonaro se reuniram no aeroporto da cidade, que está com medidas restritas de isolamento social devido ao alto índice de contágio de Covid-19 na região, e receberam o presidente com gritos de "mito".

O isolamento social rígido começou na cidade em 20 de junho. O decreto do governo do Ceará determina que se evitem aglomerações, uso obrigatório de máscara em locais abertos e fechamento do comércio e serviços não essenciais.

A multa prevista para quem não usar a máscara ou causar aglomeração é de R$ 200 para pessoa física e de até R$ 50 mil para pessoa jurídica. Até o início da tarde desta sexta-feira, Juazeiro do Norte somava 1.361 casos do novo coronavírus e 71 óbitos. A Região Cariri, onde fica o município, é a que registra a maior parte dos novos casos de Covid-19 no Ceará, segundo dados da Secretaria da Saúde do estado.

Por G1 e TV Verdes Mares



Topo
Fortaleza tem queda de 78,2% na média diária de óbitos por Covid-19 em junho



A média diária de óbitos por Covid-19 caiu 78,2% em Fortaleza, se comparado os números de 1º a 25 de maio com o mesmo período em junho.

Nos primeiros 25 dias do mês passado, 62,44 pessoas morriam, em média, diariamente na capital, com 1.561 óbitos decorrentes da doença computados no total. Já em junho, esse número baixou para 13,6 óbitos por dia em média, sendo registrados 340 mortes até esta quinta-feira (25).

O número de casos de infecção pelo novo coronavírus chegou a 104.422 em todo Ceará. Além disso, já são 5.920 pessoas que perderam a vida em decorrência de complicações causadas pela Covid-19. Nesta quinta-feira (25), todos os 184 passaram a apresentar casos da doença. O estado também ultrapassou os 100 mil registro da enfermidade, cujas primeiras ocorrências foram confirmadas em 15 de março.

Fortaleza continua sendo a cidade com maior número de casos confirmados de coronavírus do Ceará. Desde o início da pandemia, foram mais de 34 mil pessoas infectadas pelo vírus e 3.235 mortes concentradas apenas no município.

Apesar das reduções nas taxas observadas, ainda há crescimento no número de casos e mortes diariamente. A capital segue o plano de flexibilização do isolamento social proposto pelo governo do Estado e é a única cidade do Ceará na segunda fase de reabertura de serviços não essenciais.

Além do número de óbitos, a quantidade de novos casos registrada diariamente em Fortaleza diminuiu. De 1º a 25 de maio, 15.893 pacientes tiveram infecção por coronavírus confirmada. Isso corresponde a uma média de 635,72 novos casos por dia. Em junho, a média diária de novos casos confirmados é de 315,48. É uma redução de 50,3% entre os dois períodos.

Mortes no Ceará

Levando em conta os dados estaduais, maio teve a maior média de mortes diárias de toda a pandemia no Ceará. Com 117,6 óbitos por dia, o mês teve também o recorde de mais mortes em 24 horas no dia 12 de maio, quando 155 pessoas foram vítimas da Covid-19. Em junho, de acordo com o boletim epidemiológico lançado pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), a média de mortes diárias é de 59 pessoas.

Mesmo com a diminuição das taxas observadas, todas as Áreas Descentralizadas de Saúde (ADS) do Estado apresentaram aumento na incidência de casos confirmados e da taxa de mortalidade por 100 mil habitantes, sendo os maiores incrementos registrados no Interior.

Com o avanço da transmissão do vírus nos municípios do interior, cidades da Região Norte e Centro-Sul do Estado encaram lockdowns e altas taxas de ocupação de UTIs, impedindo a continuidade do plano de flexibilização nessas áreas.

Por Alexia Vieira, G1 CE



Topo
Ceará ultrapassa 102 mil casos de Covid-19 e tem 5.875 mortes pela doença



O Ceará ultrapassou os 100 mil casos confirmados de Covid-19 nesta quinta-feira (25), segundo dados da plataforma IntegraSUS, gerida pela Secretaria de Saúde do Ceará. Na última atualização, às 14h21, foram contabilizados 102.126 registros, com 5.875 óbitos pela doença no Estado. A marca de 90 mil casos foi ultrapassada na última sexta-feira (19). Os três primeiros casos do novo coronavírus foram confirmados em 15 de março.

A plataforma indica que 77.089 pacientes já estão recuperados da doença no estado. Há ainda 61.084 casos em investigação. Já foram realizados 248.292 testes para detectar o Sars-CoV-2 no Ceará.

Fortaleza lidera o número de casos e óbitos da Covid-19 no Estado, com 34.313 diagnósticos positivos. A capital já registrou 3.229 mortes pela doença. Desde o fim de maio, no entanto, a doença está crescendo mais no interior do Ceará. Segundo levantamento de 21 junho, apenas um em cada três casos confirmados é registrado em Fortaleza.

Na Região Metropolitana de Fortaleza, Caucaia registra 3.421 diagnósticos e 268 mortes, e Maracanaú 3.282 registros e 204 mortes. As duas cidades, além de Sobral, seguem a capital no número de óbitos. As cidades da Grande Fortaleza e outros 25 municípios entraram na fase 1 da reabertura econômica nesta segunda-feira (22).

Sobral tem maior prevalência do novo coronavírus na Região Norte, com 5.930 confirmações e 205 mortes. A doença também está crescendo em Juazeiro do Norte, que contabiliza 1.325 casos e 70 mortes. As duas cidades estão em regime de isolamento social rígido e somente serviços essenciais podem funcionar.

O número de casos também se destaca nos municípios de Quixadá (1.719), Camocim (1.597), Itapipoca (1.547), São Gonçalo do Amarante (1.540) e Acaraú (1.538). Há também 1.828 casos que não tiveram a localização informada.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 68,36%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 44,24%;

A letalidade da doença, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos é de 5,8%.

Por G1 CE



Topo
Levantamento aponta que taxa de isolamento social no Ceará está em 40,2%



A taxa de isolamento social registrada até esta segunda-feira (22) por meio de mapeamento de sinal telefônico aponta que 40,2% da população cearense obedece às restrições de combate à Covid-19. O levantamento é realizado pela Inloco, empresa de tecnologia.

Em comparação com os dados do dia 15 de junho, a taxa caiu apenas 0,2%, mas sofreu variações na última semana chegando a 36% em 19 de junho e a 47,3% em 23 de junho. O maior índice registrado no Estado foi em 22 de março, dois dias depois da implementação do decreto do Governo do Ceará para o não funcionamento de serviços não essenciais, quando o valor chegou a 63%.

No ranking geral da pesquisa, o Ceará encontra-se na 7ª posição e fica atrás de Acre (43,3%), Amapá (42,8%), Rondônia (41,6%), Amazonas (41,5%), Rio de janeiro (40,5%) e Distrito Federal (40,3%).

O número apresenta queda após a adesão ao plano de retomada econômica pelo Governo do Estado, iniciado no dia 1º de junho. Atualmente, somente a capital ncontra-se na segunda da fase do cronograma que começou nesta segunda (22), já a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e outros 25 municípios avançaram à Fase 1, o restante mantém-se na fase de transição.

• Há 599 óbitos suspeitos de Covid-19

• Por G1 CE



Topo
Ceará registra mais de 97,5 mil casos confirmados de Covid-19, com 5.717 mortes pela doença



O Ceará chegou nesta terça-feira (23) a 97.528 casos de Covid-19. O total de mortes em decorrência da doença está em 5.717. Ao todo, 73.019 pessoas já se recuperaram do novo coronavírus no estado. Os dados são da plataforma IntegraSUS, atualizados às 15h31 desta terça-feira (23) pela Secretária de Saúde do Ceará (Sesa).

Fortaleza se mantém como a cidade que concentra o maior número de infectados, com 3.176 mortes e 33.751 diagnósticos positivos da doença. Nesta segunda (22), a capital cearense entrou na fase 2 da retomada econômica, com a reabertura parcial de restaurantes e templos religiosos. Também são permitidos exercícios individuais e serviços de assessoria esportiva.

Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, já chega a 266 mortes causadas pela Covid-19. As cidades de Maracanaú, também na Grande Fortaleza, e Sobral, na Região Norte do Ceará, já passaram dos 200 óbitos nesta segunda, com 203 e 201 mortes, respectivamente.

Sobral lidera o número de casos na Região Norte, com 5.499 registros da infecção pelo novo coronavírus. A cidade teve o regime de lockdown prolongado desde ontem. O isolamento social rígido também passou a valer para Juazeiro do Norte, que teve crescimento, em 20 dias, de mais de 300% no número de casos confirmados da Covid-19.

Conforme a última atualização, Juazeiro do Norte contabiliza 1.275 confirmações e 67 mortes. Também se destacam em número de casos os municípios de Quixadá (1.593), São Gonçalo do Amarante (1.483), Itapipoca (1.505) e Camocim (1.512). Os municípios do Ceará fora da Região Metropolitana de Fortaleza, inclusive, já somam 45% dos casos de infecção pelo novo coronavírus.

O IntegraSUS aponta ainda que o Ceará tem 59.978 casos suspeitos, em investigação. Já foram realizados 235.917 testes para detectar o novo coronavírus em todo o estado.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Casos de coronavírus no Ceará

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 71,35%;

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 43,12%;

• A letalidade da doença, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos é de 5,9%.

• Por G1 CE



Topo
Governo do Ceará prevê liberação de 100% da atividade econômica até fim de julho



O Governo do Ceará prevê que até o fim de julho 100% das atividades econômicas estejam liberadas para o retorno no Estado. Segundo Flávio Ataliba, secretário Executivo de Orçamento e Planejamento da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), a liberação, no entanto, não significa um afrouxamento dos protocolos sanitários.

"Os protocolos precisam ser observados e temos que ter um comportamento responsável da população", acrescenta. Ao todo, são 16 protocolos sanitários, sendo 1 geral e os demais setoriais.

A partir desta segunda-feira (22), Fortaleza entra na fase 2 do Plano de Retomada Responsável das Atividades Econômicas e Comportamentais. "Já avançamos muito, e talvez estejamos (com a fase 2) com 85% da atividade econômica liberada.

De acordo com Ataliba, a novidade da fase 2 é a volta de restaurantes, atividades religiosas e esportes ao ar livre. "O Governo do Estado está estabelecendo um conjunto de protocolos para que a atividade econômica possa voltar ampliando o número de empregos", reforça.

A partir da fase 2, estão liberados 100% da indústria química e correlatos, artigos de couros e calçados, cadeia metalmecânica e afins, saneamento e reciclagem, cadeia energia elétrica e a construção civil.

Os serviços de alimentação fora do lar, comunicação, publicidade e editoração, indústrias e serviços de apoio, tecnologia da informação, assistência social e esporte, cultura e lazer terão 40% do trabalho presencial liberados.

Covid-19 no Ceará

O Ceará contabiliza 92.866 casos de Covid-19 e 5.523 mortes em decorrência da doença. Os dados são da plataforma IntegraSUS, atualizados às 14h30 deste domingo (21) pela Secretária de Saúde do Ceará (Sesa). Ao todo, 69.277 pessoas já se recuperaram da doença no Ceará.

Fortaleza tem 32.854 diagnósticos positivos e é a cidade com o maior número de casos. A capital já registrou 3.110 óbitos. Em seguida no número de casos está Sobral, na Região Norte, com 5.112 registros. Já foram confirmadas 192 mortes de pacientes com o novo coronavírus na cidade, que tem o regime de lockdown prolongado a partir de segunda-feira. O isolamento social rígido também passa a valer para Juazeiro do Norte, que teve crescimento, em 20 dias, de mais de 300% no número de casos confirmados da Covid-19.

• Por G1 CE



Topo
Ceará tem mais de 94,1 mil casos da Covid-19 e 5.604 óbitos



Chegou a 94.158 o número de pessoas diagnosticadas com Covid-19 no Ceará, enquanto as mortes causadas pela doença subiram para 5.604. Os dados foram informados pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), por meio da plataforma IntegraSUS, em atualização feita às 15h33 desta segunda-feira (22).

A letalidade da doença, no momento, é de 6%. Os dados também mostram que 71.251 pessoas se recuperaram da Covid-19 até então.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, o que não corresponde necessariamente à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Ao todo, já foram aplicados 225.787 testes para identificar ou descartar a doença.

Escrito por Redação, 16:39 / 22 de Junho de 2020



Topo
Como o sistema de saúde reage aos 100 dias da Covid-19 no Ceará



Há 100 dias, fazia sol em Fortaleza. Era domingo. E a polêmica momentânea era o jogo de portões fechados entre Ceará e Sport, na Arena Castelão. O advento do coronavírus já causava temor no Ceará. No Brasil, 14 Estados já contabilizavam casos. Há 100 dias, em 15 de março, o Ceará confirmava os três primeiros pacientes com Covid-19. Agora, se contam 100 dias de dores, perdas, adaptações e superações. E reviravoltas. Mas como era o sistema de saúde antes da pandemia? Que cenário há agora e quais as expectativas para os próximos 100 dias?

Antes, as preocupações, direcionadas no primeiro semestre, sobretudo, às arboviroses - com a expectativa de alta incidência da dengue tipo 2, em 2020 - se voltaram todas para à Covid-19. As emergências e suas demandas diversas como atendimentos cardíacos, neurológicos, traumatológicos e vasculares, dentre outros, não pararam nesse período, é verdade. Mas, em parte, deram lugar à relevância das dores dos acometidos pelo coronavírus. Foi preciso ampliar rapidamente a assistência hospitalar. Até 15 de março, o Ceará confirmou 7.866 casos de arboviroses. Destes, 7.135 eram dengue, conforme dados do IntegraSUS, plataforma da Sesa. Os hospitais seguiam com as demandas corriqueiras, na Capital e demais regiões: leitos ocupados por pacientes com AVC, cardíacos, politraumatizados e também vítimas da violência.

Antes

Na pré-pandemia, só o Instituto Dr. José Frota (IJF), em Fortaleza, entre janeiro e fevereiro, fez 11.563 acolhimentos na emergência para tratar vítimas de queda, engasgo, intoxicações e acidentes de trânsito. Em paralelo, pessoas com doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, também seguiam mantendo a rotina de atendimento nos postos.

"O Ceará, nas últimas décadas, tem melhoria consistente dos indicadores de saúde. Um aumento refletido na expectativa de vida", avalia o médico, professor de Saúde Pública e membro do Grupo de Trabalho de Enfrentamento à Covid-19 da Uece, Marcelo Gurgel Carlos da Silva. Para ele, o Estado é "bem provido de hospitais secundários, hospitais polos e também terciários, como os regionais", e com o passar do tempo, "tem aumentado a capacidade de resposta assistencial". É também, diz o médico, um Estado com boa cobertura da Estratégia de Saúde da Família.

Apesar dos avanços, o Ceará pré-pandemia, relata a professora do Curso de Enfermagem da Uece, Thereza Maria Magalhães Moreira, tinha como grandes desafios e demandas "as doenças crônicas, ou suas complicações: infarto, AVC, diabetes, obesidade e câncer". Essas necessidades, diz, "ficaram, em sua grande maioria, recebendo acompanhamento no domicílio, para evitar que as pessoas fossem às unidades de saúde e se contaminassem com coronavírus, pois representavam exatamente grupos de risco".

O cenário que antecede a chegada do coronavírus, conforme o ortopedista e traumatologista, professor do curso de Medicina da UFC Sobral, João Paulo Tavares Linhares, era um sistema de déficits históricos.

"A deficiência em vagas de UTI vem de muito tempo. A gente que lida diretamente com pacientes graves, na minha área da traumatologia sabe. Na nossa região, o índice de acidente é muito alto, então a gente sempre conviveu com essa realidade de escassez nos recursos, leitos e leitos de UTI", complementa João Paulo .

Com os casos de coronavírus já confirmados, em abril, a Sesa informou que o Ceará tinha 1.181 leitos de UTI no Estado, sendo 680 conveniados ao SUS. Na Capital, relata o prefeito Roberto Cláudio, havia cerca de 1.100 leitos de UTI e enfermaria distribuídos nos 10 hospitais municipais pré-pandemia. Nesses 100 dias, só em Fortaleza, foram criados outros 800 leitos.

thatiany.nascimento@svm.com.br 23:30 / 21 de Junho de 2020



Topo
Ceará chega a quase 90 mil casos confirmados da Covid-19, com 5.460 mortes pela doença



O Ceará contabiliza 89.863 diagnósticos positivos da Covid-19 e acumula 5.460 mortes pela doença. Os dados são da última atualização da plataforma IntegraSUS, feita às 14h42 desta sexta-feira (19). Na segunda-feira (15), três meses após a confirmação dos três primeiros casos da doença no estado, o Ceará ultrapassou os cinco mil mortos em razão da enfermidade.

Em Fortaleza, o número de diagnosticados com o vírus é de 32.473 o maior do estado desde o início da pandemia. A capital contabiliza ainda 3.110 óbitos pela doença.

Os municípios cearenses que apresentam os maiores números da pandemia depois de Fortaleza são Sobral (4.942 casos e 188 mortes); Caucaia (3.236 casos e 249 mortes); e Maracanaú (2.943 casos e 199 mortes).

O IntegraSUS aponta que há ainda 57.980 casos suspeitos, em investigação. Já foram realizados 212.812 testes em todo o estado. Ao todo, 65.927 pessoas já se recuperaram da doença no Ceará.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Casos de coronavírus no Ceará

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 67,13%.

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 46,82%.

• A letalidade da doença, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, é de 6,1%

• Por G1 CE



Topo
Mais de 10 mil profissionais da saúde já foram diagnosticados com Covid-19 e 23 morreram no Ceará



Pelo menos 10.063 profissionais da saúde já foram diagnosticados com Covid-19 em todo o Ceará, segundo dados da Secretaria da Saúde, atualizados nesta quinta-feira (18). Além dos casos, 14 profissionais homens e nove mulheres morreram em decorrência da doença.

Fortaleza concentra o maior número, com 5.736 diagnósticos pela doença pandêmica. Na sequência, surgem os municípios Sobral (493), no interior do Estado, e Caucaia (461), na Região Metropolitana (RMF). Segundo os dados da Sesa, neste mês de junho, até esta quarta-feira (17), a média de casos diário ficou em 34,6.

Dentre os casos, 2.970 são técnicos ou auxiliares de enfermagem; 1.463 são enfermeiros; 1.150 são médicos; 663 são agentes comunitários; 419 são recepcionistas; 274 são agentes de combate a endemias; 223 são técnicos de laboratório; 208 são fisioterapeuta; 210 são condutores de ambulância e 180 farmacêuticos. Por outro lado, 9.358 já foram recuperados no geral.

Pelo menos 346 profissionais afetados têm mais de 60 anos e integram o grupo de risco da Covid-19. Em relação aos óbitos na faixa etária, 13 foram confirmados.

No contexto geral, as mulheres foram as mais acometidas pela doença, responsáveis por 7.232 registros, enquanto os homens somam 2.831 casos. Destes casos, a faixa etária mais infectada é entre 30 a 34 anos, com 1.243 casos. Já nos homens, o grupo mais acometido é entre 35 a 39 anos, com 517 registros.

Por G1 CE



Topo
Ceará tem mais de 87 mil casos confirmados da Covid-19, com 5.377 mortes pela doença



Os dados foram atualizados às 15h27 desta quinta-feira (18), na plataforma IntegraSUS, ferramenta da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).

O Ceará chega aos 87.273 mil diagnósticos positivos do agente infeccioso da Covid-19 e soma 5.377 mortes. Os dados são da última atualização da plataforma IntegraSUS, feita às 15h27 desta quinta-feira (18). Na segunda-feira (15), três meses após a confirmação dos três primeiros casos da doença no estado, o Ceará ultrapassou os cinco mil mortos em razão da enfermidade.

Em Fortaleza, o número de diagnosticados com o vírus é de 32.093l, o maior do estado desde o início da pandemia. A capital contabiliza ainda 3.084 óbitos pela doença.

Os municípios cearenses que apresentam os maiores números da pandemia depois de Fortaleza são Sobral (4.638 casos e 184 mortes); Caucaia (3.165 casos e 244 mortes); e Maracanaú (2.899 casos e 192 mortes).

O IntegraSUS aponta que há ainda 57.335 casos suspeitos, em investigação. Já foram realizados 205.582 testes em todo o estado. Ao todo, 64.176 pessoas já se recuperaram da doença no Ceará.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Casos de coronavírus no Ceará

A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 70,75%.

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 48,65%.

• A letalidade da doença, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, é de 6,2%

7,5% dos municípios do Ceará têm mortes por Covid-19

Por G1 CE



Topo
Balanço da Secretaria Estadual da Saúde aponta que somente 23 cidades não registraram óbitos pela doença



Apenas 23 municípios do Ceará não possuem registros de óbitos por Covid-19. Isso indica que 161 das 184 cidades, ou seja, 87,5% do total, confirmaram mortes provocadas pelo novo coronavírus SARS-CoV-2. A informação foi divulgada na noite desta quarta-feira (17) no boletim epidemiológico semanal divulgado da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa).

O Ceará ultrapassou os 85 mil diagnósticos positivos da Covid-19. O estado soma agora 85.606 casos positivos do novo coronavírus e 5.307 mortes.

O novo panorama reúne dados consolidados até o último dia 15 de junho. Segundo a Pasta, o número de vidas perdidas por causa da pandemia representa um incremento de 5,9% em uma semana. Das 5.133 mortes anotadas até o período analisado, 99,9% são de residentes do Ceará.

O balanço também indica que 76,6% dos óbitos são de pessoas com 60 anos ou mais, sendo a faixa etária mais acometida pela Covid-19. As mortes no sexo masculino correspondem a 57,7%. Do acumulado no Estado, 3.667 (71,5%) tinham comorbidades diagnosticadas.

Até a evolução do quadro clínico para óbito, considerando a data de início dos sintomas da doença e a data da morte, a média foi de 13,6 dias. Já a média de dias entre a data de início de sintomas e a data de internação foi de 6,5 dias.

A última atualização da plataforma IntegraSUS, porém, aponta que até às 18h16 de ontem, o Ceará soma 5.307 mortes, 85.606 casos positivos, dos quais 63.545 estão recuperados.

Casos em hospitais Entre todos os mortes, 99 pessoas contraíram a Covid-19 durante internação em unidades hospitalares no estado do Ceará desde o início da pandemia da doença, O número, segundo a Secretaria da Saúde, representa a taxa de 1,9% de todos os casos.

Ainda sobre a internação em unidades de saúde, o boletim epidemiológico aponta que a média é de 7,9 dias, com variação de 1 a 89 dias. Já sobre a evolução da doença, dados da Sesa mostram que em casos de óbitos, a média de 13,6 dias se passam desde o início dos sintomas até a confirmação do falecimento.

Taxa de transmissão

O Ceará registrou suas menores taxas diárias de transmissão do coronavírus desde o início da pandemia no estado nos dias 15 e 16 de junho. A taxa foi de 0,73 em ambos os dias, conforme os dados foram divulgados pela Sesa.

A taxa de transmissão é informada a partir do número de reprodução efetiva dos casos, que determina a possibilidade de propagação do vírus dentro de condições específicas. Se a taxa for superior a 1, significa que cada paciente transmite o vírus a mais uma pessoa, no mínimo. Com isso, a disseminação do coronavírus é maior.

Por G1 CE



Topo
Ceará tem quase 85 mil casos de Covid-19, com 5.282 mortes



O Ceará tem quase 85 mil diagnósticos positivos do agente infeccioso da Covid-19. O Estado soma agora 84.967 casos positivos do novo coronavírus e 5.282 mortes. Os dados são da última atualização da plataforma IntegraSUS, feita às 14h57 desta quarta-feira (17). Nesta segunda-feira (15), três meses após a confirmação dos três primeiros casos da doença no estado, o Ceará ultrapassou os cinco mil mortos em razão da enfermidade.

Na capital, o número de diagnosticados com o vírus é de 31.779 o maior do estado desde o início da pandemia. Fortaleza contabiliza ainda 3.053 óbitos.

Os municípios cearenses que apresentam os maiores números da pandemia depois de Fortaleza são Sobral (4.436 casos e 181 mortes); Caucaia (3.119 casos e 238 mortes); e Maracanaú (2.870 casos e 189 mortes). Sobral, na Região Norte está em regime de lockdown, junto com outras três cidades da Região Norte.

A taxa de letalidade do Sars-Cov-2 no Estado, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, está em 6,2%. Ao todo, 62.218 pessoas já se recuperaram da doença no Ceará.

O IntegraSUS aponta que há ainda 56.485 casos suspeitos, em investigação. Já foram realizados 199.089 testes em todo o estado.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Casos de coronavírus no Ceará

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 72,48%.

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 50,67%.

• A letalidade da doença, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, é de 6,2

• Por G1 CE



Topo
Ceará registra 32 óbitos por Covid-19 em crianças e adolescentes



Pelo menos 32 óbitos foram registrados por Covid-19 em crianças e adolescentes até 19 anos no Ceará desde março, começo da pandemia do novo coronavírus no Estado. As mortes ocorreram em 19 municípios.

Seguido de Fortaleza, surge Sobral com três óbitos na faixa etária mais nova. Em sequência aparece, com uma morte cada: Aracoiaba, Barro, Beberibe, Cascavel, Granja, Caucaia, Crateús, Frecheirinha, Guaraciaba do Norte, Iguatu, Itapipoca, Maracanaú, Moraíma, Monsenhor Tabosa, Parambu, Pindoretama, São Gonçalo do Amarante e Viçosa do Ceará.

Os 11 óbitos em Fortaleza aconteceram nos bairros Quintino Cunha, Manuel Sátiro, Boa Vista, Bom Jardim, Joaquim Távora, Lagoa Redonda, Centro, Vila Velha, Presidente Kennedy, Jardim Guanabara e José de Alencar.

Por Sabrina Souza, G1 CE



Topo
Ceará passa de 5 mil óbitos por Covid-19 três meses após o anúncio dos três primeiros casos da doença



Três meses após a confirmação dos três primeiros casos de Covid-19 no estado, o Ceará ultrapassa os cinco mil mortos em razão da enfermidade. Conforme a última atualização da plataforma IntegraSUS, feita às 18h22 desta segunda-feira (15), são 5.041 pessoas que não resistiram à infecção pelo novo coronavírus. O número de diagnósticos do agente infeccioso já chega a 79.853.

Na capital, o número de diagnosticados com o vírus é de 30.948, o maior do estado desde o início da pandemia. Fortaleza contabiliza ainda 2.940 óbitos.

Os municípios cearenses que apresentam os maiores números da pandemia depois de Fortaleza são Sobral (4.027 casos e 172 mortes); Caucaia (3.012 casos e 231 mortes); e Maracanaú (2.767 casos e 185 mortes). Sobral, na região norte está em regime de lockdown, junto com outras três cidades da Região Norte.

A taxa de letalidade do Sars-Cov-2 no Estado, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, está em 6,3%. Ao todo, 58.432 pessoas já se recuperaram da doença no Ceará.

O IntegraSUS aponta que há ainda 54.303 casos suspeitos, em investigação. Já foram realizados 185.011 testes em todo o estado.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Casos de coronavírus no Ceará

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 74,02%.

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 55,24%.

• A letalidade da doença, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, é de 6,3%



Topo
Pandemia: arrecadação de impostos no CE recua 45,2% em maio; no ano, queda foi de 11,7%



A pandemia do novo coronavírus impactou diretamente na arrecadação de impostos no Ceará. Segundo a Secretaria da Fazenda (Sefaz), a arrecadação total no Estado caiu 45,2% em maio na comparação com igual período de 2019.

Em maio de 2019, as receitas estaduais haviam somado R$ 2,35 bilhões, enquanto que no mês passado, foram R$ 1,29 bilhão em arrecadação.

Desse total, cerca de 58%, ou seja R$ 746,9 milhões, corresponderam a receitas próprias, compostas pelo Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD), taxas da Administração Pública Direta, Fundo Estadual do Equilíbrio Fiscal (FEEF) e multas. Na comparação com maio de 2019, houve uma variação negativa nominal de 54,7% nessas receitas.

No acumulado do ano (janeiro a maio), a arrecadação total teve queda de 11,7% na comparação com igual período de 2019. Em cinco meses, o Estado registrou receitas de R$ 8,66 bilhões, enquanto que de janeiro a maio do ano passado foram mais de R$ 9,80 bilhões.

“O cidadão precisa ser informado sobre toda a situação do Estado, principalmente neste momento de combate ao novo coronavírus. São os tributos que sustentam as políticas públicas que investimos para enfrentar esta pandemia. A educação fiscal se mostra fundamental. Não há dúvida que temos uma equação difícil de equilibrar, mas estamos totalmente dedicados para diminuir estes impactos na economia e na saúde do povo cearense”, explica a titular da Sefaz, Fernanda Pacobahyba.

Receitas

Dentre os impostos, o ICMS foi o que teve a maior representatividade, sendo responsável por cerca de 86% da arrecadação própria, o equivalente a aproximadamente R$ 641,7 milhões. Quando confrontada com maio do ano passado, a receita desse imposto registrou queda nominal de 37,4%. O IPVA veio em segundo lugar, com 12,9% de participação, somando cerca de R$ 96,2 milhões. Na sequência, esteve o ITCD, com cerca de R$ 3,6 milhões.

Escrito por Redação, negocios@svm.com.br 17:52 / 16 de Junho de 2020



Topo
Quase 5 mil mortes por Covid-19 no Ceará; casos chegam a 79,4 mil



Quase cinco mil pessoas morreram no Ceará em decorrência da Covid-19. Até as 14h32 desta segunda-feira (15), horário da última atualização da plataforma IntegraSUS, um total de 4.999 óbitos foram registrados no estado, assim como 79.462 casos de infecção pelo novo coronavírus.

Em Fortaleza, o número de mortes já chega a 2.915. Em relação aos diagnósticos positivos, soma-se 30.863, o maior do estado.

Depois de Fortaleza, os municípios que somam as maiores quantidades de casos confirmados são Sobral, que ultrapassou hoje os 4 mil casos (4.013), Caucaia (2.997) e Maracanaú (2.763).

Sobral, na região norte, ainda confirmou 172 mortes pela doença e está em regime de lockdown, junto com outras três cidades da Região Norte. Caucaia e Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza, já registraram 230 e 183 óbitos, respectivamente.

A taxa de letalidade do Sars-Cov-2 no Estado, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, está em 6,3%. Ao todo, 58.483 pessoas já se recuperaram da doença no Ceará.

O IntegraSUS aponta que há ainda 53.930 casos suspeitos, em investigação. Já foram realizados 183.840 testes em todo o estado.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Casos de coronavírus no Ceará

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 74,67%.

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 56,1%.

• A letalidade da doença, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, é de 6,3%

• Por G1 CE



Topo
Vacina que virá para o Brasil se mostrou 90% segura em aplicações feitas durante estudo na China



A vacina contra o novo coronavírus que virá para o Brasil e será produzida em parceria entre o Instituto Butantan e o laboratório chinês Sinovac Biotech se mostrou segura em suas primeiras aplicações feitas na China. A empresa chinesa divulgou comunicado em que afirma que mais de 90% das pessoas que receberam a injeção não tiveram efeitos colaterais em um intervalo de 14 dias.

As doses serão testadas no Brasil, em São Paulo, quando o estudo tiver na fase três, que corresponde ao estágio em que os resultados das fases anteriores permitem que os cientistas façam testes em grupos de milhares de voluntários, segundo informações publicadas no Uol.

Na China, análise da vacina foi feita em 743 pessoas, com idades entre 18 e 59 anos. Parte do grupo recebeu doses da vacina e parte um placebo. Para que o teste seja eficiente, nem os cientistas nem os voluntários sabem quem tomou o que.

Segundo o coordenador da clínica de imunizações da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein (SP), Alfredo Gilio, esse procedimento é chamado de “duplo-cego”. “E ele é randomizado, ou seja, sorteia, equilibra os grupos, porque tem um monte de detalhes que podem influenciar no resultado”, declarou ao Uol. Os resultados ainda não foram divulgados em periódicos científicos.

A vacina

O produto está sendo desenvolvido com um vírus inativo, o que a torna mais segura, pois é mais difícil de causar doença. Porém, também há desvantagens porque esse tipo de vacina não desperta o sistema imunológico, sendo necessário usar de adjuvantes, substâncias que precisam ser adicionadas à vacina para induzir a resposta do corpo, segundo explicou o virologista do Centro de Tecnologia de Vacina e pesquisador do Departamento de Microbiologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O corpo é “despertado” pela substância quando uma célula defesa reconhece o vírus, produzindo moléculas químicas que atraem mais células do sistema imune para aquele local. Essa reação produz o anticorpo e mais células de defesa, ou seja, faz com que a vacina funcione, detalhou ao Uol o virologista.

Escrito por Redação, 12:22 / 15 de Junho de 2020. Diario do NOrdeste



Topo
Ceará tem 76.748 casos de Covid-19 e mais de 4,8 mil mortes pela doença; número de recuperados chega a 56.377



O número de casos de infecção pelo novo coronavírus chegou a 76.748 no Ceará. Já o número de pessoas que perderam a vida em decorrência de complicações causadas pela Covid-19 chegou a 4.861. Fortaleza é o município do estado com o maior número de casos com, 30.409 diagnósticos positivos desde o início da pandemia. O número de óbitos na capital também é alto e já chega a 2.853. Os dados são da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde (Sesa), atualizados às 14h16 deste domingo (14).

Depois de Fortaleza, os municípios com maiores números de diagnósticos positivos são Sobral, com 3.860, Caucaia, com 2.969, e Maracanaú, que tem 2.657 registros.

O município de Sobral, na região norte, confirmou 162 mortes pela doença e está em regime de lockdown, junto com outras três cidades da Região Norte. Caucaia e Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza, já registraram 228 e 181 óbitos, respectivamente.

A taxa de letalidade do Sars-Cov-2 no Estado, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, está em 6,3%. Ao todo, 56.377 pessoas já se recuperaram da doença no Ceará.

O IntegraSUS aponta que há ainda 53.242 casos suspeitos, em investigação. Já foram realizados 177.663 testes em todo o estado.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Casos de coronavírus no Ceará

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 73,89%.

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 50,42%.

A letalidade da doença, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, é de 6,3%.

Por G1 CE



Topo
Moradores denunciam entrada ilegal de turistas e falta de fiscalização do isolamento social em Jericoacoara



Moradores da Vila de Jericoacoara, no município de Jijoca de Jericoacoara, no Ceará, denunciam descumprimento das medidas de isolamento social e combate à Covid-19 na região. De acordo com informações apuradas pelo G1, a Prefeitura de Jijoca não tem mantido fiscalização suficiente para coibir aglomerações e entrada ilegal de turistas na praia.

De acordo com a Secretaria de Saúde do município, Jijoca de Jericoacoara tem 189 casos confirmados do novo coronavírus e outros 156 em investigação. A cidade contabiliza cinco óbitos causados pela Covid-19.

A vila recebe milhares de turistas por semana, mas as visitas estão suspensas devido à pandemia. Apesar da proibição, o local segue recebendo turistas que chegam ao local de forma ilegal.

Uma moradora de Jericoacoara, que prefere não ser identificada, afirma que havia uma “sensação de segurança” quando os primeiros casos da Covid-19 foram anotados, já que o prefeito do município ordenou o fechamento dos acessos ao Parque Nacional de Jericoacoara e limitou a saída de moradores apenas ao saque do auxílio emergencial.

Mas a situação, segundo ela, teria mudado quando os primeiros casos surgiram em Jijoca. Mesmo após o primeiro caso confirmado da doença no município, a Prefeitura teria relaxado as prevenções. No lugar de limitar ainda mais a saída das pessoas da Vila de Jericoacoara para o Centro, a locomoção foi ampliada de dois para três dias na semana.

“O primeiro caso foi computado apenas em maio. Não tinha sido feito nenhum teste. Após melhorar dos sintomas, a paciente não fez um segundo teste para saber se havia se recuperado e voltou a circular normalmente. Todo mundo na rua, não sabe quem tem ou quem não tem. Não tem fiscalização nenhuma. Em três meses, a gente vê muita aglomeração e ainda tem uma classe evangélica que não acredita na doença”, completa.

O prefeito de Jijoca de Jericoacoara, Lindbergh Martins, informou informou que “o município está tomando todas as medidas possíveis para fiscalizar e testar a população”, além de “estar aplicando mais de 1.500 testes na região”.

“Nós temos dois policiais por dia fazendo fiscalização no município, mas somos quase duas cidades, que é a Praia de Jericoacoara e a cidade Jijoca”, adiciona Lindbergh. O prefeito afirma ainda que entrou em contato com o Governo do Estado para pedir um reforço no policiamento e que o efetivo extra deve chegar nos próximos dia.

Por Antônio Rodrigues e Cindy Damasceno, G1 CE



Topo
Ceará tem mais de 4,8 mil mortes por Covid-19; Fortaleza ultrapassa 30,2 mil casos da doença



Nesta sexta-feira (12) o Ceará passou a contabilizar 4.812 mortes pela Covid-19 e 75.784 casos da doença. Fortaleza, a cidade com o maior número de casos de Covid-19 no Ceará, ultrapassou os 30 mil casos de infectados com o novo coronavírus. São 30.171 confirmações, bem como 2.848 óbitos. As informações são da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde, atualizada às 17h48.

Uma pesquisa do Centro de Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel) aponta que 15,6% da população fortalezense possui anticorpos para o novo coronavírus.

Nesta quinta-feira (11), o Ceará ultrapassou o número de mortes da China, primeiro país a sofrer com a pandemia do novo coronavírus. O país asiático divulga o número de 4.638 óbitos, segundo a Universidade de Medicina Johns Hopikins, dos Estados Unidos.

Depois de Fortaleza, os municípios com maiores números de diagnósticos positivos são Sobral, com 3.752, Caucaia, com 2.933, e Maracanaú, que tem 2.643 registros.

Sobral já confirmou 162 mortes pela doença e está em regime de lockdown, junto com outras três cidades da Região Norte. Caucaia e Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza, já registraram 228 e 177 óbitos, respectivamente.

A taxa de letalidade do Sars-Cov-2 no Estado, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, está em 6,3. Ao todo, 53.906 pessoas já se recuperaram da doença no Ceará.

O IntegraSUS aponta que há ainda 53.475 casos suspeitos, em investigação. Já foram realizados 176.082 testes em todo o Estado.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Veja outras informações da plataforma:

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 75.37%.

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 54.03%.

• A letalidade da doença, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, é de 6,3%.



Topo
Taxa de mortalidade da Covid-19 no Ceará sobe para 46 mortes para cada 100 mil habitantes



A taxa de mortalidade de Covid-19 no Ceará teve um aumento para 46,8 óbitos por cada 100 mil habitantes do estado, conforme avaliado pelo boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde (Sesa), divulgado na noite desta quarta-feira (10). No informe da semana anterior, o índice alcançava 37,3 mortes para cada 100 mil habitantes.

A nova marca do índice corresponde a um incremento de 25,3% entre as duas últimas semanas.

O documento atual corresponde a análise feita até o dia 8 de junho, quando o estado chegava a 66.130 casos de Covid-19 e 4.248 óbitos no Ceará. Nesta quarta-feira (10), a atualização mais recente da plataforma IntegraSUS, da Sesa, já elevava este número para 71.947 diágnósticos positivos e 4.519 mortes.

As áreas de maior taxa de mortalidade por 100 mil habitantes no estado são Fortaleza (94,1), Maracanaú (57,8) e Itapipoca (47), estando as três com índices superiores aos do próprio Ceará.

Alcance no Ceará

Dos 184 municípios cearenses, apenas um município do Ceará ainda não apresentou casos de pessoas infectadas por Covid-19, conforme o boletim da Sesa. Trata-se de Granjeiro, na região do Cariri.

Em relação à incidência de casos nos outros municípios, chama atenção a região de Acaraú (que abrange Itarema, Bela Cruz, Cruz, Morrinhos, Jijoca e Marco e Acaraú), com 1.231 casos confirmados para cada 100 mil habitantes, índice maior que o da capital Fortaleza (Aquiraz, Eusébio, Itaitinga e a capital), que apresenta 1.049, 2 casos sob a mesma perspectiva.

O Ceará como um todo tem uma incidência de 710,5 para cada 100 mil habitantes. Além das regiões de saúde de Acaraú e Fortaleza, outras que já têm um índice superior ao do estado são: Maracanaú (888,9), Sobral (844,8), Itapipoca (829,5) e Caucaia (812,4). Por Ranniery Melo, G1 CE



Topo
Covid-19 atinge mais de 71,9 mil pessoas no Ceará; número de mortes pela doença chega a 4.519



Um total de 4.519 pessoas morreram no Ceará em decorrência da Covid-19, que também conta com 71.947 infecções no estado até as 17h47 desta quarta-feira (10), horário da última atualização da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde (Sesa).

Em Fortaleza há o registro de 2.714 mortes, enquanto 29.322 pessoas já foram diagnosticadas com o novo coronavírus (SARS-CoV-2).

Caucaia chegou nesta quarta-feira a 209 pessoas que perderam a vida em decorrência da Covid-19. O município da Região Metropolitana de Fortaleza é o segundo com maior número de vítimas, contabilizando também 2.744 casos.

Já Sobral, na região Norte do Ceará, aparece com o segundo maior número de casos, já acumulando 3.510 diagnósticos positivos para o agente infeccioso. Lá foram identificadas 143 mortes.

Os outros municípios que já passaram de mil exames positivos para a doença são Maracanaú (2.545), Maranguape (1.090) – ambos na Região Metropolitana de Fortaleza, e Itapipoca (1.275), na região Norte.

Em todo o Ceará, já foram realizados 164.674 testes de diagnóstico para a Covid-19. Há 55.602 casos suspeitos, ainda em investigação. O número de pacientes recuperados no Estado chegou a 50.537.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Casos de coronavírus no Ceará

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 76,47%.

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 54,21%.

• A letalidade da doença, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, é de 6,3%.

• Por G1 CE



Topo
Pesquisa da UFC prevê estabilização da curva de mortes por Covid-19 no mês de julho, em Fortaleza



Dados da Universidade Federal do Ceará (UFC) indicam que a velocidade de registro de novos óbitos por Covid-19 deve cair em Fortaleza a partir de julho. De acordo com o Sistema de Monitoramento Preditivo (SIMOP), ferramenta desenvolvida por pesquisadores da instituição que utiliza números da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), a previsão é que, por volta do dia 15 de julho, cerca de 90% das mortes causadas pela doença já deverão ter acontecido. O sistema também aponta a redução da velocidade de contágio na capital cearense.

O SIMOP leva em conta os casos confirmados, o nível de testagem, a taxa de ocupação de leitos e UTIs e também o impacto de subnotificações e de casos assintomáticos. No Ceará são mais de 67 mil casos de infecção pelo novo coronavírus e 4.217 mortes, segundo dados do portal IntegraSUS, da Sesa, atualizados na manhã desta terça-feira (9). Fortaleza é a cidade com o maior número de registros (28.169).

Segundo o pesquisador responsável pelo estudo, professor André de Almeida, do Departamento de Engenharia de Teleinformática da UFC, as projeções consideram que a capital atingiu o platô de casos no final de maio. Ou seja, a curva atingiu um pico contínuo e, se continuar assim, será possível registrar queda no número de novos casos neste mês de junho. Os dados podem variar conforme a adesão ou não ao isolamento social pela população.

A quantidade de pacientes nos hospitais também pode diminuir no decorrer do mês de junho, de acordo com os cálculos do SIMOP. O sistema prevê que a taxa de ocupação de leitos de UTI e enfermaria caia de 90% para 65% até o dia 24 de junho, em Fortaleza.

O pesquisador aponta que a fase de sobrecarga maior do sistema hospitalar já passou. Apesar disso, ele não descarta a possibilidade de uma nova onda de contágio que possa encher hospitais novamente.

Covid-19 no Ceará

O Ceará acumula 4.217 mortes causadas pela Covid-19 e 67.604 casos confirmados da doença, segundo o IntegraSUS. Fortaleza chegou a 2.576 mortes registradas. A capital tem até o momento 28.169 diagnósticos do novo coronavírus.

As outras cidades com maiores índices numéricos são Sobral, na Região Norte do estado, com 3.145 confirmações e 136 óbitos; Caucaia, com 2.603 diagnósticos e 155 mortes; e Maracanaú, onde o vírus foi detectado 2.323 vezes e 161 pessoas perderam a vida. As duas últimas cidades estão na Região Metropolitana de Fortaleza.

Por Alexia Vieira, G1 CE



Topo
Ceará registra mais de 4,3 mil mortes por Covid-19 e ultrapassa 68,3 mil casos da doença



O Ceará registra 4.309 óbitos por Covid-19 e 68.384 casos confirmados da doença até as 14h23 desta terça-feira (9), horário da última atualização da plataforma IntegraSUS da Secretaria da Saúde do estado (Sesa).

Fortaleza chegou a 2.615 mortes registradas. A capital tem até o momento 28.366 diagnósticos do novo coronavírus (SARS-CoV-2).

As outras cidades com maiores índices numéricos são Sobral, na Região Norte do estado, com 3.193 confirmações e 137 óbitos; Caucaia, com 2.629 diagnósticos e 172 mortes; e Maracanaú, onde o vírus foi detectado 2.379 vezes e 164 pessoas perderam a vida. As duas últimas cidades estão na Região Metropolitana de Fortaleza.

Em todo o Ceará, já foram realizados 158.214 testes de diagnóstico para a Covid-19. Há 55.373 casos suspeitos, ainda em investigação. O número de pacientes recuperados no Estado chegou a 48.847.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Nesta segunda-feira iniciou-se em Fortaleza a primeira fase do plano de retomada econômica anunciado pelo governador Camilo Santana. Embora o funcionamento das lojas ainda esteja ocorrendo de forma parcial, durante este primeiro dia de reabertura, o maior movimento de pessoas foi percebido desde o início da manhã, tanto de clientes como de comerciantes no Centro da cidade, principal ponto comercial. Antes das aberturas muitas pessoas formavam filas em diversos estabelecimentos.

Casos de coronavírus no Ceará

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 79,74%.

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 53,1%.

A letalidade da doença, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, é de 6,3%

Por G1 CE



Topo
Isolamento social impediu morte de mais de 9 mil pessoas por Covid-19 em Fortaleza, estima prefeito



O número de vidas salvas em razão do isolamento social adotado em Fortaleza superou o número de 9 mil pessoas, conforme estimativa apresentada pelo prefeito Roberto Cláudio durante transmissão ao vivo nas redes sociais na noite desta segunda-feira. O gestor atribui a medida implantada em parceria entre o governo do estado e a prefeitura da capital como a mais importante no controle da transmissão do novo coronavírus (SARS-CoV-2).

"Essa certamente foi a medida mais importante de todas. Em um gráfico de estimativas, a gente calcula que mais de 9 mil vidas foram salvas pela redução da velocidade de contaminação em virtude desse isolamento social precoce, sustentado, e é bom que se diga também, apoiado e cumprido pela larga maioria da população de Fortaleza", apontou Roberto Cláudio.

O prefeito, entretanto, reiterou que a indicação de isolamento social permanece, ainda que Fortaleza tenha entrado hoje em sua primeira fase de retorno das atividades econômicas.

Diminuição da demanda por leitos

Em dados comparativos entre os meses de maio e junho, Roberto Cláudio apresentou que os números de pacientes que procuravam postos de saúde e Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) já necessitando de enfermarias ou UTIs sofreu diminuição.

Em relação a pessoas que compareciam à rede de saúde primária e já se constatava a necessidade de encaminhamento a uma enfermaria, enquanto na segunda semana de maio o número chegava a mais de cem, no último domingo (7), houve uma redução para 13 pessoas nessa situação.

Já aqueles em situação mais grave, que procuravam os postos e UPAs com quadro que demandava a internação em uma UTI, caiu de 32 no dia 5 de maio para nenhum paciente neste domingo (7). No sábado (6), somente um paciente teve essas características, enquanto na sexta-feira (5), foram quatro pessoas.

A chegada de pacientes nos postos de saúde com quadros gripais, sejam eles sugestivos de Covid-19 ou por outros vírus, também sofreu redução. No início de maio, em um dia chegou-se a serem recebias 2.139 pessoas. No começo de junho, por sua vez, o número caiu para 634.

Na última atualização da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde, feita às 17h52 desta segunda, Fortaleza chegou a 2.569 mortes registradas. A capital tem até o momento 27.889 diagnósticos do novo coronavírus.

Fortaleza é a única cidade do estado a passar para a primeira fase de abertura da economia, enquanto todas as demais continuam na fase de transição, com quatro cidades da região norte em lockdown.

• 08/06/2020 19h33 Atualizado há 20 horas



Topo
Ceará registra quase 64 mil casos de Covid-19 e mais de 3,9 mil mortes pela doença



O Ceará tem 63.957 casos de Covid-19 e 3.981 mortes, conforme a atualização das 14h29 da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do estado (Sesa).

A capital Fortaleza segue como primeira em quantidade de casos do Sars-Cov-2, com 27.386 diagnósticos positivos e 2.459 mortes de pacientes contaminados. Sobral, na Região Norte do estado, é a segunda cidade em quantidade de casos, com 3.060 confirmações e 125 óbitos.

Já Maracanaú aparece como a segunda cidade com mais mortes, com 154 óbitos. Lá foram contabilizados 2.222 casos. Também destaca-se Caucaia, com 2.392 confirmações e 148 óbitos pela doença. Os dois municípios fazem parte da Região Metropolitana de Fortaleza.

Sobral, Acaraú, Camocim e Itarema são as quatro cidades do Ceará que vão estar em regime de lockdown de segunda-feira (8) ao dia 14 de junho, na tentativa de diminuir a curva de contaminação do novo coronavírus.

Em todo o Ceará, já foram realizados 149.136 testes de diagnóstico para a Covid-19. Há 55.264 casos suspeitos, ainda em investigação. O número de pacientes recuperados no Estado chegou a 44.364.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

O governador Camilo Santana anunciou neste sábado (6) que Fortaleza vai avançar para a primeira fase do plano de abertura da economia, enquanto as demais cidades permanecem na fase de transição.

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 75,84%.

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 50,89%.

• A letalidade da doença, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, é de 6,2%.

José Eduardo Mariano Araújo, 45 anos, foi o 800º paciente de Covid-19 a ter alta médica do Hospital de Campanha do Estádio Presidente Vargas, nesta sexta-feira (5). A unidade foi erguida para atender exclusivamente pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

Por G1 CE



Topo
Ceará tem 292 mortes em casa causadas pela Covid-19; 75% dos casos não tiveram assistência



O Ceará já registrou 292 mortes em casa causadas pelo novo coronavírus, de acordo com o Serviço de Verificação de Óbitos (SVO). Desse total, 74,5% dos casos não chegaram a receber assistência médica previamente.

Entre os dias 6 e 8 do mês chegaram a ocorrer 38 óbitos, sendo 19 em cada data. Os dados foram divulgados no boletim da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) do dia 2 de junho.

O Ceará já registrou 3.907 mortes por coronavírus confirmadas até este sábado (6), de acordo com o portal IntegraSus. Outras 709 ainda estão em investigação. Já são 62.176 casos positivos da doença.

Governo do Ceará ainda avalia quais setores poderão reabrir na segunda fase

Além das pessoas que morreram em casa, 6 vieram a óbito em abrigos, uma em um hospital, uma em uma UPA, duas em vias públicas e 6 não tem informação de local, totalizando 308.

Dentre as 302 vítimas com dados informados sobre escolaridade, 65,2% só estudaram até o Ensino Fundamental I. O número corresponde a 197 dos óbitos. Pelo menos 115 delas não tiveram acesso nenhum à educação formal.

A maioria dos óbitos são de homens, representando mais da metade das notificações. Em relação a idade dos pacientes, pouco mais da metade tinha 80 anos ou mais. Idosos com 70 a 79 anos foram os segundos mais afetados.

O número de mortes domiciliares por Covid-19 cresce de forma acelerada durante a pandemia. No fim de março, eram apenas quatro óbitos domiciliares. Em abril o número subiu para 38, chegando a 45 no primeiro dia de maio e atingindo 100 mortes em domicílio no dia 12 do mesmo mês.

G1



Topo
Ceará ultrapassa os 61 mil casos de Covid-19; óbitos pela doença chegam a 3.890. Neste fim de semana chegará aos 4 mil



O Ceará ultrapassou os 60 mil casos de Covid-19, conforme os dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria de Saúde, atualizados nesta sexta-feira (5), às 15h43. Já são 61.595 confirmações da doença no estado e 3.890 óbitos registrados.

A marca foi alcançada apenas quatro dias após o Ceará chegar aos 50 mil casos, na segunda-feira (1°). As mais de 10 mil confirmações ocorreram na semana em que o Ceará começou a fase de transição do plano de retomada da economia. O Governador Camilo Santana afirmou que deve anunciar até o próximo sábado (6) se o Estado vai avançar mais uma fase na reabertura econômica.

A capital Fortaleza segue como líder nos números do Sars-Cov-2, com 26.933 diagnósticos positivos e 2.444 mortes de pacientes contaminados. Sobral, na Região Norte do estado, é a segunda cidade em quantidade de casos, com 2.884 confirmações e 112 óbitos.

Já Maracanaú aparece como a segunda cidade com mais mortes, com 147 óbitos. Lá foram contabilizados 2.104. Também destaca-se Caucaia, com tem 2.277 confirmações e 137 óbitos pela doença. Os dois municípios fazem parte da Região Metropolitana de Fortaleza.

Em todo o Ceará, já foram realizados 144.690 testes de diagnóstico para a Covid-19. Há 55.599 casos suspeitos, ainda em investigação.

O número de pacientes recuperados no Estado chegou a 41.024. A letalidade da doença, que indica a proporção de mortes em relação ao total de casos, é de 6,3.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Casos de coronavírus no Ceará

• Houve 10 óbitos ocorridos nas últimas 24 horas.

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 76,99%.

A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 53,27%.

Fonte: Sesa

• Por G1 CE



Topo
Senado confirma R$ 160 milhões para asilos no combate à pandemia; texto vai à sanção



O Plenário do Senado Federal aprovou nesta quinta-feira (4) o auxílio financeiro da União no valor de até R$ 160 milhões para Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), os antigos asilos, no combate à pandemia da covid-19. A votação foi simbólica por unanimidade. Como o Projeto de Lei (PL) 1.888/2020 já foi aprovado pela Câmara dos Deputados, o texto agora segue para sanção presidencial.

O dinheiro virá do Fundo Nacional do Idoso, inclusive dos saldos de anos anteriores a 2020. Pelo texto, poderão receber o auxílio as instituições sem fins lucrativos inscritas nos Conselhos Municipais da Pessoa Idosa ou nos Conselhos Municipais de Assistência Social. Na ausência destes, vale a inscrição nos órgãos equivalentes de esfera estadual ou nacional.

Serão contempladas até mesmo as instituições que tiverem débito ou inadimplência em relação a impostos ou contribuições. Também não será necessária a Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social (Cebas).

Os recursos devem ser aplicados exclusivamente para atendimento à população idosa e devem ir de preferência para ações de prevenção e de controle da covid-19, compra de insumos e de equipamentos básicos para segurança e higiene dos residentes e funcionários, compra de medicamentos e adequação dos espaços para isolamento dos casos suspeitos e leves de covid-19.

O critério de rateio será definido pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, considerado o número de idosos atendidos em cada instituição. Se o projeto for sancionado pela presidência da República, o repasse precisa ocorrer em até 30 dias da publicação da lei no Diário Oficial da União. O ministério tem até esse prazo também para divulgar a lista das instituições beneficiadas e os valores de repasse.

As instituições beneficiadas deverão prestar contas da aplicação dos recursos aos respectivos Conselhos da Pessoa Idosa e Conselhos de Assistência Social estaduais, distrital ou municipais.

Recursos

O PL é de autoria das deputadas federais Leandre (PV-PR) e Carmen Zanotto (Cidadania-SC), e no Senado foi relatado pelo senador José Maranhão (MDB-PB). Maranhão foi favorável ao PL na mesma forma como foi aprovado na Câmara. Ele rejeitou as treze emendas apresentadas por senadores para que a matéria não precisasse voltar à Câmara. Assim, o PL segue agora direto para sanção presidencial.

O relator citou dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que revelaram que, nos primeiros meses de 2011, o Brasil contava com 3.548 ILPIs, que faziam cerca de 83 mil atendimentos. “Como, desde então, a população de idosos no Brasil cresceu aproximadamente 50%, podemos estimar que essas instituições atendam, atualmente, em torno de 120 mil idosos. Dessa forma, o auxílio de R$ 160 milhões equivaleria a R$ 1.333,00 por idoso atendido, o que consideramos um valor razoável”, calculou Maranhão.

“Além de salvar vidas, o uso dos recursos para prevenir a disseminação do novo coronavírus em instituições que atendem idosos irá ajudar a reduzir a utilização de leitos hospitalares, inclusive caras e escassas UTIs, economizando, portanto, recursos públicos e salvando mais vidas”, argumentou.

Fonte: Agência Senado



Topo
Vítimas de Covid-19 no Ceará morrem cerca de 7 dias após início dos sintomas



Pacientes com quadro confirmado de Covid-19 levam cerca de 7,8 dias internados em unidades hospitalares no Ceará, segundo boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). Ainda de acordo com os dados da pasta, as vítimas da doença morrem, em média, 6,5 dias após o início dos sintomas.

Além disso, entre estes casos, a doença levou média de 13 dias para evoluir, levando em consideração o aparecimento dos sintomas até a data do falecimento. Por fim, 1,8% dos casos oficiais foram contraídos dentro dos hospitais.

As mortes em decorrência da Covid-19, de acordo com o boletim, foram registradas na maioria em pessoas de 60 anos ou mais, com taxa de 75,3%, e no sexo masculino, com 58,6%.

Avanço da doença no Ceará

O Ceará tem 58.160 casos positivos de Covid-19 e 3.671 óbitos, segundo dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde.

Além de Fortaleza, que já contabiliza 2.343 pessoas que já faleceram pela doença, outros três municípios já ultrapassaram uma centena de mortes, sendo eles Maracanaú (140), Caucaia (125) e Sobral (105).

Ao todo, 137.434 testes já foram realizados no Ceará. A quantidade de casos investigados do novo coronavírus (SARS-CoV-2) em todo o estado é de 55.081. Houve a recuperação de 39.263 pessoas.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Casos de coronavírus no Ceará

• A taxa de letalidade da doença no Ceará é de 6,3%.

• Houve 2 óbitos ocorridos nas últimas 24 horas.

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 82,72%.

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 63,08%

• Fonte: Sesa

• Por Mylena Gadelha, G1 CE



Topo
Prejuízo estimado aos cofres públicos em fraudes para compras de EPIs no Ceará é de R$ 17 milhões, diz polícia




A Polícia Civil do Ceará (PCCE) investiga práticas fraudulentas em dois processos de compras de equipamentos de proteção individual (EPIs). Conforme os investigadores, os equipamentos vinham sendo adquiridos pela Prefeitura de Fortaleza e Prefeitura de Maracanaú, município da Grande Fortaleza.

Na manhã dessa quarta-feira (3), os policiais deflagraram a Operação Alcateia. Segundo a Polícia, uma família proprietária de, pelo menos, quatro empresas estaria em conluio negociando os EPIs com preços superfaturados. Conforme a Polícia, máscaras que tinham preço médio de R$ 5 vinham sendo comercializadas por R$ 92. Até agora a investigação apontou um prejuízo de, pelo menos, R$ 17 milhões aos cofres municipais. Não foram divulgados nomes das empresas e dos proprietários.

Durante as diligências da Operação Alcateia foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão em dois hospitais, sedes das empresas e residências dos suspeitos. Ninguém foi preso. Foram apreendidos quase R$ 17 mil e equipamentos eletrônicos, como celulares e computadores, que devem passar por perícia e auxiliar no desdobramento da investigação.

Alvos

As investigações tiveram início há quase dois meses, após a Delegacia de Combate à Corrupção (Decor) receber denúncias sobre fraude nos processos de compra dos produtos a serem distribuídos para o Hospital Zilda Arns Neumann, conhecido como Hospital da Mulher, em Fortaleza, e o Hospital Municipal de Maracanaú.

Em nota, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Fortaleza negou que tenha havido compra ou qualquer pagamento referente à aquisição dos objetos que culminaram na operação policial. A Pasta disse que a "operação de busca e apreensão em suas dependências foi totalmente descabida", se referindo às diligências realizadas no Hospital da Mulher. Já a Prefeitura de Maracanaú disse que aguardava mais detalhes sobre a investigação para se manifestar oficialmente.

O delegado-geral da Polícia Civil do Ceará, Marcus Rattacaso, afirmou que familiares de diferentes empresas acertaram entre si fraudar processos de compra e apresentar preços superfaturados. Osmar Berto, titular da Decor, acrescentou que as empresas têm razões sociais diferentes, mas ficou constatada a relação entre elas.

"Essas empresas ofertaram propostas para estes hospitais. Especificamente com relação ao Hospital da Mulher, o processo de compra está em fase de andamento. Em Maracanaú, a contratação efetivamente ocorreu. Há fortes indícios que a empresas fazem parte de um conluio justamente para ludibriar a administração pública, no sentido de que, independente de quem seja o vencedor o dinheiro vai para o mesmo local. A finalidade da contratação acaba sendo de interesse de uma só pessoa", disse Osmar Berto.

Segundo os policiais, até então não há comprovação que os proprietários das empresas mantivessem ligação com membros da administração pública: "Nosso objetivo agora é justamente comprovar esse vínculo e averiguarmos se há agentes públicos envolvidos, se há facilitação por parte deles nessa contratação", disse o delegado.

Por G1 CE



Topo
Ceará contabiliza mais de 56 mil casos confirmados da Covid-19, com 3.605 mortes



O Ceará tem 56.056 mil casos positivos de Covid-19 e 3.605 óbitos, segundo dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde. A atualização foi às 14h49 desta quarta-feira (3). Nesta segunda-feira (1º) o Estado ultrapassou os 50 mil diagnósticos positivos da doença.

Além de Fortaleza, que já contabiliza 2.334 pessoas que já faleceram pela doença, outros dois municípios já ultrapassaram uma centena de mortes, sendo eles Maracanaú (131) e Caucaia (123). Em relação ao número de casos, a capital registra 25.726 diagnósticos positivos. Logo depois, Sobral, na região norte do estado, aparece com 2.503 detecções da doença e Caucaia já identificou a enfermidade 2.072 vezes.

Ao todo, 132.443 testes já foram realizados no Ceará. A quantidade de casos investigados do novo coronavírus (SARS-CoV-2) em todo o estado é de 54.206. Houve a recuperação de 36.996 pessoas.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Casos de coronavírus no Ceará

• A taxa de letalidade da doença no Ceará é de 6,4%.

• Houve 12 óbitos ocorridos nas últimas 24 horas.

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 80,19%.

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 64,16%

• Fonte: Sesa

• Por G1 CE

• 03/06/2020 09h27 Atualizado há uma hora



Topo
Mais de 70 municípios do Ceará são alvos de fiscalização do MPCE após denúncias de irregularidades em uso de recursos para a saúde



Mais de 70 municípios cearenses são alvos de fiscalização do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) após denúncias de irregularidades na aquisição de bens e serviços da saúde durante o combate ao novo coronavírus no estado.

Pelo menos 134 procedimentos foram instaurados até esta terça-feira (2) em 72 municípios. O Ceará tem 55.472 mil casos positivos de Covid-19 e 3.524 óbitos, segundo atualização das 9h08 desta quarta-feira (3) da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa).

Nesta segunda-feira (1º) o Estado ultrapassou os 50 mil diagnósticos positivos da doença. A plataforma aponta ainda o município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, com 118 mortes, sendo a terceira cidade cearense a superar uma centena de óbitos, atrás de Fortaleza (2.278) e Maracanaú (131).

A lista com os procedimentos em cada cidade pode ser acessada neste link. O MPCE divulga, às terças-feiras, o balanço dos procedimentos realizados na investigação, em âmbitos municipal e estadual.

Os procedimentos investigam a instalação de hospitais de campanha, compra de respiradores, de testes para COVID, de EPIs e de outros insumos. As denúncias são recebidas pelas Promotorias de Justiça, órgãos de apoio e de investigação, e Ouvidoria do MPCE.

“Todas as suspeitas que chegam ao conhecimento do MPCE são encaminhadas para os promotores de Justiça, que realizam todas as diligências necessárias para chegar à verdade dos fatos. Não é fácil realizar a investigação de tantos fatos complexos durante uma pandemia, que dificulta a realização dos trabalhos de campo", destaca o procurador-geral de Justiça Manuel Pinheiro.

A aplicação de recursos públicos pode ser acompanhada pelos Portais da Transparência do Ceará e dos municípios. A Lei da Transparência assegura a divulgação de gastos da União, dos estados e dos municípios na Internet em tempo real.

Por G1 CE



Topo
Ceará ultrapassa 3,4 mil mortes por Covid-19; Caucaia é o 3º município cearense a superar 100 óbitos



O Ceará tem 53.073 casos positivos de Covid-19 e 3.421 óbitos, segundo dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde. A atualização foi às 14h55 desta terça-feira (2). Nesta segunda-feira (1º) o Estado ultrapassou os 50 mil diagnósticos positivos da doença. A plataforma aponta ainda o município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, com 111 mortes, sendo a terceira cidade cearense a superar uma centena de óbitos, atrás de Fortaleza (2.231) e Maracanaú (125).

Neste domingo (31), o estado ultrapassou os 3 mil óbitos. No dia anterior, sábado (30), foram registrados 9.427 casos. A grande quantidade de registros ocorreu por causa da liberação do resultados de mais de 20 mil testes, incluindo os do tipo PCR, testes rápidos e sorologia, segundo a Sesa. Ao todo, 124.791 mil testes já foram realizados no Ceará.

Em Fortaleza já foram registradas 2.231 pessoas que não resistiram à enfermidade, além de 24.897 diagnósticos. A quantidade de casos investigados do novo coronavírus (SARS-CoV-2) em todo o estado é de 53.136. Houve a recuperação de 35.184 pessoas.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Casos de coronavírus no Ceará

• A taxa de letalidade da doença no Ceará é de 6,4%.

• Houve 10 óbitos ocorridos nas últimas 24 horas.

• 233 mortes foram confirmadas e inseridas na plataforma nas últimas 24h.

• A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 86,1%.

• A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 58,69%.

• Por G1 CE



Topo
Ceará ultrapassa 50 mil casos de Covid-19, com 3.188 mortes



Mais de 50 mil diagnósticos positivos de Covid-19 já foram registrados no Ceará. Os dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde, apontam 50.504 casos confirmados da doença, além de 3.188 mortes em decorrência da enfermidade. A última atualização foi às 14h53 desta segunda-feira (1º).

Neste domingo (31), o estado ultrapassou os 3 mil óbitos. No dia anterior, sábado (30), foram registrados 9.427 casos. A grande quantidade de registros ocorreu por causa da liberação do resultados de mais de 20 mil testes, incluindo os do tipo PCR, testes rápidos e sorologia, segundo a Sesa. Ao todo, 118.041 mil testes já foram realizados no Ceará.

Fortaleza tem pouco menos da metade de todos os casos do estado, com 24.104. Na capital já foram registradas 2.084 pessoas que não resistiram à enfermidade. A quantidade de casos investigados do novo coronavírus (SARS-CoV-2) é de 53.341 no Ceará. Houve a recuperação de 33.293 pessoas.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Casos de coronavírus no Ceará

• A taxa de letalidade da doença no Ceará é de 6,3%.

• Houve 11 óbitos ocorridos nas últimas 24 horas;

• 185 mortes foram confirmadas e inseridas na plataforma nas últimas 24h.

• Por G1 CE



Topo
Quadra chuvosa no Ceará fica acima da média histórica pela primeira vez nos últimos 10 anos



As chuvas registradas Ceará na quadra chuvosa deste ano, que teve início em fevereiro e se encerrou no domingo (31), ficaram acima da média histórica pela primeira vez desde 2009. Segundo dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) consultados na manhã desta segunda-feira (1º), o estado contabilizou 734.6 milímetros de chuva no quadrimestre, 22.3% acima do normal para o período (695.8 mm).

Do início dos anos 2000 até hoje, somente as quadras chuvosas de 2009 (965.7 mm) e 2008 (768.2 mm) haviam atingido este patamar.

Volumes superiores a 695.8 mm são tratados como “acima da média”. Quando o acumulado no quadrimestre fica entre 505.6 mm e 695.8 mm, é considerado “em torno da média”. Já quando o observado é menor que 505.6 mm, considera-se “abaixo da média”.

Distribuição

Além de ficar acima da média histórica, o ponto alto desta quadra chuvosa foi a distribuição espacial das chuvas. “Embora algumas áreas isoladas possam não ter sido tão beneficiadas pelas chuvas, de um modo geral, diferentemente do observado nos últimos anos, as precipitações foram melhor distribuídas no estado”, avalia Meiry Sakamoto, gerente de Meteorologia da Funceme.

Segundo ela, em fevereiro, março e parte de abril, as condições do oceano Atlântico favoreceram o posicionamento da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) sobre o Nordeste do Brasil, “levando chuvas, inclusive, para o interior do Ceará”, aponta. “Estes números, apesar de preliminares, confirmam os prognósticos climáticos divulgados em janeiro e fevereiro. É o melhor resultado desde 2009, quando as precipitações ficaram 60,8% acima da média do quadrimestre”.

No mês de maio, com o afastamento da ZCIT, foi possível observar uma diminuição das chuvas, que ocorreram, conforme Sakamoto, associadas a áreas de instabilidade formadas no oceano próximo à faixa litorânea, ou se deslocando em direção ao estado, a partir do setor leste da região Nordeste. “Essa tendência de redução ao longo da estação chuvosa havia sido indicada nos prognósticos da Funceme”, ressalta a meteorologista.

Macrorregiões

Entre fevereiro e maio, a macrorregião do Cariri foi a que teve maior variação positiva de chuvas. Com 864 mm, o índice ficou 39,9% acima do normal para a região. Na sequência está o Litoral de Fortaleza, com chuvas 31,8% acima da média, região que em termos absolutos acumulou o maior volume precipitado no período (1.050,2 mm).

Repetindo a tendência histórica, nesta quadra, março foi o mês mais chuvoso, com 275.7 mm (35.5% acima do normal), seguido de fevereiro (192.2 mm) e abril (181.2 mm). Maio apresentou o menor índice pluviométrico, com 86.5 mm (-4,6%). Ainda assim, foi o maio mais chuvoso desde 2013, quando o Ceará registrou 92.2 mm (1.8%).

Reservatórios

As boas chuvas tiveram impacto positivo, também, no cenário hídrico e o Ceará atingiu a marca de um terço da capacidade dos 155 reservatórios monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), situação que não ocorria desde outubro de 2013. Além disso, 35 reservatórios excederam a capacidade máxima e permanecem sangrando, conforme o Portal Hidrológico do órgão.

Os três maiores açudes do Ceará - Castanhão, Banabuiú e Orós, ganharam 13,21%, 7,54% e 22,78% de volume, respectivamente, de janeiro até o hoje (1).

O Castanhão acumula agora 15,97% de seu volume de água, Banabuiú 13,58% e Orós 27,96%. A recuperação fica evidente quando olhamos os índices das bacias onde os reservatórios estão localizados. Na bacia do Médio Jaguaribe, onde fica o Castanhão, o acúmulo é de 15,59%. Em 1º de janeiro, esta taxa era de apenas 2,85%. Já nas bacias do Alto Jaguaribe e do Banabuiú, onde ficam Orós e Banabuiú, a recuperação foi ainda maior. Na primeira, que iniciou o ano com 5,74% da capacidade, este índice chegou a 35,17%. Já na do Banabuiú, onde fica o reservatório homônimo, a capacidade saiu de 6,36%, em 1º de janeiro, para 14,18%.

Os reservatórios da bacia do Litoral, região que concentrou os maiores volumes de chuva no Ceará, estão em situação mais confortável, concentrando 99,86% do suporte total. Dos 10 açudes, sete estão sangrando. Situação semelhante ocorre na bacia do Coreaú, que acumula 98,81% da capacidade e possui sete dos 10 reservatórios sangrando atualmente.

Aumento da demanda

O abastecimento chega em um momento de aumento da demanda com o isolamento social. A Companhia dec Água e Esgoto do Ceará (Cagece), responsável pela distribuição no Ceará, chegou a ampliar o sistema integrado de Fortaleza. As estações de tratamento do Gavião e Oeste tiveram aumento de 3,6% na vazão de água produzida com o objetivo de aumentar a oferta de água distribuída na Grande Fortaleza.

Até 10 de junho, o Hospital Regional do Sertão Central, em Quixeramobim, devem seguir recebendo reforço hídrico durante o isolamento. O aumento acontece a partir da operação controlada de transferência de água do açude Fogareiro, do sistema Banabuiú, para o Açude Quixeramobim, iniciada em maio. “Com a crise provocada pela pandemia, a demanda por água se tornou mais urgente ainda”, explicou o gerente regional, Paulo Ferreira. “A transferência não tem causado impacto no abastecimento das comunidades rurais situadas no entorno do Fogareiro.

Por G1 CE



Topo
Ceará perde seu maior Cantor e compositor ; Morre Evaldo Gouveia



O músico compositor, cantor e violonista cearense Evaldo Gouveia morreu aos 91 anos nesta sexta-feira (29), em Fortaleza, em decorrência da Covid-19. A informação foi confirmada pelo biógrafo do artista, Ulysses Gaspar. Autor de "Sentimental Demais" e do samba-enredo "O Mundo Melhor de Pixinguinha", entre outras canções, Gouveia teve sua obra bastante interpretada e revisitada.

O repertório de Evaldo Gouveia foi impulsionado pelas vozes de cantores consagrados como Altemar Dutra, Nelson Gonçalves, Alaíde Costa e Maysa Monjardim. O cearense fez parte do lendário Trio Nagô, ao lado de Mário Alves e Epaminondas Souza.

O ápice da carreira do cantor, veio da relação com Altemar Dutra (1940-1983). O cearense levou Dutra às boates de Copacabana, no Rio de Janeiro (RJ), e o sucesso do cantor mineiro, interpretando as composições de Evaldo, levou ambos ao auge.

Trajetória

Evaldo Gouveia nasceu na cidade de Orós, no sul do Ceará no dia 8 de agosto de 1928. A família se mudou para a cidade vizinha, Iguatu, quando ele tinha apenas três meses de idade. Gouveia é referência da Música Popular Brasileira da era do rádio, que teve seu auge no Brasil nas décadas de 1940 e 1950.

A base para a consagração do cantor no estado do Rio de Janeiro, no final da década de 1940, teve raízes na sua reputação pelo circuito de bares de Fortaleza e pelos prêmios em programas de calouros da extinta Ceará Rádio Clube, com sede na capital cearense. Após essa fase, Gouveia ajudou na fundação do Trio Nagô, grupo com o qual ele teve um amplo circuito de shows.

Por G1 CE



Topo
Evaldo Gouveia, falece aos 91 anos, vítima de Covid-19. deixa muitas saudades



Morreu nesta sexta-feira (29), em um hospital particular de Fortaleza, vítima de Covid-19, o músico compositor, cantor e violonista cearense Evaldo Gouveia. A informação foi confirmada pelo biógrafo do artista, Ulysses Gaspar. O corpo de Evaldo Gouveia foi sepultado, na manhã deste sábado (30), no Cemitério Jardim Metropolitano, com a presença da esposa, a cantora Liduína Lessa, seguindo todas as normas recomendadas para sepultamento nesta época de pandemia.

Livro de memórias do compositor Evaldo Gouveia foi á lançado

Autor de "Sentimental Demais" e do samba-enredo "O Mundo Melhor de Pixinguinha", dentre outras canções que ganharam espaço na memória dos ouvintes dos tempos áureos do rádio até cá, Evaldo Gouveia teve sua obra bastante interpretada e revisitada.

Conforme Ulysses, Evaldo estava com a saúde debilitada desde o fim de 2017, quando apresentou um quadro de pneumonia, em São Paulo. Na época, o artista se internou e no hospital teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC). De volta a Fortaleza, Evaldo ficou em tratamento até contrair o novo coronavírus, que debilitou ainda mais seu quadro.

Com 1.200 composições e cerca de 700 músicas gravadas, o estouro de seu repertório, na frequência radiofônica, foi impulsionado pela voz de cantores como Altemar Dutra, Nelson Gonçalves, Alaíde Costa e Maysa Monjardim. Antes de emplacar carreira solo, o cearense fez parte de formações como a do lendário Trio Nagô, ao lado de Mário Alves e Epaminondas Souza.

A relação com Altemar Dutra (1940-1983), em especial, marcou o ápice da carreira de Evaldo Gouveia. O cearense levou Dutra às boates de Copacabana, no Rio de Janeiro (RJ), e o sucesso do cantor mineiro, interpretando as composições de Evaldo, levou ambos ao auge.

Com o capixaba Jair Amorim (1915-1993), parceiro por mais de três décadas, compôs sucessos como “Tango para Teresa”, “Brigas”, “Bloco da Solidão”, “O Trovador”, “Que queres tu de mim”, “Alguém me disse” e “O Conde”. Em “O mundo melhor de Pixinguinha”, a dupla contou com a participação de Euzébio do Nascimento.

Trajetória

Evaldo ajudou a fundar o Trio Nagô, grupo com o qual trilhou um amplo circuito de shows.

Natural de Orós (CE), Evaldo nasceu no dia 8 de agosto de 1928 e tinha a memória identificada com o município de Iguatu (CE), para onde a família do artista se mudou quando ele tinha apenas três meses de idade. O compositor é referência da MPB da era do rádio, período que teve seu auge nas décadas de 1940 e 1950 no Brasil.

A consagração no Rio de Janeiro teve sua base, no fim da década de 1940, na reputação de Evaldo Gouveia pelo circuito de bares de Fortaleza e pelas premiações em programas de calouros da extinta Ceará Rádio Clube. Foi depois dessa fase que o cearense ajudou a fundar o Trio Nagô. Com o grupo, trilhou um amplo circuito de shows.

O trio fez sucesso no programa do radialista César de Alencar (uma espécie de "Faustão" do rádio), na Rádio Nacional (RJ). Nelson Gonçalves deu fôlego à repercussão de "Deixe que ela se vá", música do Nagô. E nasceram, neste período da primeira metade da década de 1950, composições como "Somos Iguais", "Serenata da Chuva" e "Sentimental Demais".

Memória

Ulysses Gaspar lembra que a trajetória do conterrâneo inspirou a produção de livros e filmes. Em agosto de 2019, Gaspar escreveu "O que me contou Evaldo Gouveia", livro de memórias do compositor, finalizado após mais de 400 horas de conversas gravadas, entre Fortaleza e o Rio de Janeiro. A obra foi concluída em 2017, mas o lançamento aconteceu apenas dois anos depois.

O biógrafo Ulysses Gaspar com o compositor e esposa, Liduina Lessa, no lançamento do livro " O que me contou Evaldo Gouveia", em agosto de 2019 Reprodução

O evento, na Livraria Leitura, em Fortaleza, marcou a última aparição pública de Evaldo Gouveia. "Além de ser um grande compositor, ele era um grande contador de histórias. Tinha uma lucidez tremenda e eu queria passar tudo para o papel. O maior desafio é que o livro é como um filho: dá prazer, mas dá muito trabalho. O trabalho de escrever e de pesquisar, porque foram pesquisas de coisas antigas. Se ele falava de Jair Amorim, César de Alencar, precisava explicar para o leitor quem eram esses personagens", detalha o autor.

Segundo ele, Gouveia tinha uma memória impressionante e, durante o processo de apuração do livro, o papo entre os dois chegava a durar sete horas seguidas. Cerca de cinco anos antes, o produtor lançou uma caixa de DVDs intitulada "Grandes Nomes da Música Cearense". No material, Gaspar reuniu documentários sobre a estrada de Evaldo, Fausto Nilo, Fagner, Amelinha, Ednardo e Nonato Luiz.

"Foi muito gostoso de fazer também, a edição trouxe imagens ricas e Evaldo me contou uma síntese da trajetória dele. Desde o nascimento, a passagem pela vida artística, até os dias mais atuais", complementa Gaspar.

Tributos

Em 1982, Evaldo Gouveia foi agraciado como Troféu Sereia de Ouro, um reconhecimento concedido, desde 1971, pelo Sistema Verdes Mares a personalidades que se destacaram e deram sua contribuição ao desenvolvimento do Ceará – em seus diferentes setores de atuação.

Recentemente, uma série de tributos marcou as comemorações pelos 90 anos de vida do compositor, completados em agosto de 2018. Em fevereiro de 2019, a homenagem do Carnaval da Saudade do Clube Náutico Atlético Cearense sinalizou sobre a contribuição da obra do cearense para os festejos carnavalescos.

"O Mundo Melhor de Pixinguinha", em parceria com Jair Amorim, virou samba-enredo da Portela em 1974, e Evaldo ainda criou as chamadas "marchas-rancho", a exemplo de "Bloco da Solidão", celebrada nos bailes durante os anos de 1970.

O reconhecimento do apelo diverso de suas composições se deu, ainda, pela homenagem recebida na programação oficial do Carnaval de Fortaleza, em 2011. Como o parceiro Fausto Nilo, homenageado no ano anterior, Evaldo foi lembrado e teve sua obra revisitada, na ocasião, por 20 intérpretes nacionais e locais, com o lançamento do CD "Lá vai meu bloco, vai".

Produzido pelo percussionista cearense Pantico Rocha, o disco reuniu nomes como Elba Ramalho, Jane Duboc, Zé Renato e Dominguinhos, pelo time nacional. E, dentre os locais, o próprio Evaldo participou (com "Canto Cearense" e "Esquinas do Brasil"), além de sua companheira, Liduína Lessa, Kátia Freitas, Marcus Caffé, Waldonys e a bateria do bloco Unidos da Cachorra.

Show

O conterrâneo Marcos Lessa, conhecido pelo Brasil desde o sucesso do programa 'The Voice', da TV Globo, em 2013, preparou, em setembro de 2018, um show dedicado à interpretação do cancioneiro de Evaldo Gouveia.

Além de celebrar a amizade e a parceria dos dois artistas - concretizada por meio de canções feito "Entre o mar e o sertão", o tributo evidenciou como o legado de Evaldo, durante mais de sete décadas de trajetória artística, foi periodicamente "reinventado" pelas novas gerações.

Para montar o show, Lessa deu espaço ao "clássico" e ao "novo" dentre as criações de Evaldo Gouveia. O repertório trouxe a interpretação de canções como "O Conde", "Bloco da Solidão", "Alguém me disse" e "O Trovador", além de quatro canções inéditas do homenagea. Por Felipe Gurgel, 21:22 / 29 de Maio de 2020 Atualizado às 15:13 / 30 de Maio de 2020



Topo
Casos de Covid-19 no Ceará são quase 37,5 mil, com 2.686 óbitos



O número de mortes provocadas pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) chegou a 2.686 nesta quinta-feira (28) no Ceará. Os casos de infectados pela Covid-19 chegou a 37.448, conforme a atualização das 14h21 da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do estado (Sesa).

Fortaleza, que concentra o maior número de ocorrências do estado, aparece com 21.057 pessoas acometidas pela enfermidade e 17.084 pessoas que perderam a vida em razão da doença.

Outros municípios que passaram de mil infectados são Caucaia, Sobral e Maracanaú. Enquanto Caucaia contabiliza 1.270 pessoas com a Covid-19 e 75 óbitos, Sobral tem 1.180 diagnósticos e 54 mortes. Já Maracanaú aparece com com 1.066 casos da doença e 95 falecimentos.

A quantidade de casos investigados do novo coronavírus (SARS-CoV-2) é de 46.922 e em todo o estado houve a recuperação de 24.749 pessoas.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Casos de coronavírus no Ceará

Veja outras informações da plataforma:

• 91.499 testes realizados;

• A taxa de letalidade da doença no Ceará é de 7,2%.

• Por G1 CE



Topo
Prefeitura de Fortaleza move processos milionários contra empresa que não entregou respiradores



A Prefeitura de Fortaleza deu entrada em dois processos milionários na Justiça cearense contra a empresa BuyerBR, após a contratada não ter entregue 150 respiradores adquiridos para atender necessidades emergenciais de pacientes devido à pandemia do novo coronavírus. Os processos foram abertos horas depois que a Polícia Federal deflagrou a Operação Dispneia, na última segunda-feira (25), para apurar um suposto superfaturamento no preço dos aparelhos.

Dos 150 respirados, 100 foram adquiridos pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS), no valor aproximado de R$ 22 milhões, e 50 pelo Instituto Doutor José Frota (contrato de R$ 11,7 milhões). Nessa quarta-feira (27), a juíza Cleiriane Lima Frota, da 3ª Vara da Fazenda Pública, decidiu acerca de um dos processos.

PF investiga prejuízo de R$ 25,4 milhões na compra de respiradores em Fortaleza

Conforme a decisão, estão bloqueados R$ 11,7 milhões das contas da BuyerBR. O montante deve ser depositado na conta jurídica do IJF, no prazo máximo de 48 horas a contar da decisão. Em seguida é preciso a empresa comunicar o feito para que Justiça reanalise a ordem de bloqueio. Para o processo da SMS ainda não há decisão.

A assessoria jurídica da BuyerBR afirmou ao G1 que, até a noite dessa quarta-feira (27), desconhecia os dois processos e que ainda não haviam sido notificados. “Quanto à devolução por parte da empresa, do saldo remanescente, aguardamos apenas o cumprimento da burocracia bancária”, disseram. A Buyer ainda destacou que chegou a pedir à Prefeitura uma extensão do prazo para a entrega, mas não houve a flexibilidade.

Investigação

De acordo com a Polícia Federal, há suspeita de irregularidades nas aquisições dos 150 respiradores. Ao todo, a Prefeitura de Fortaleza comprou os aparelhos por um valor de R$ 33,8 milhões.

Destes, quase R$ 23 milhões foram pagos antecipadamente à BuyerBR. Nenhum equipamento foi entregue na data programada e houve destrato dos dois contratos. A Prefeitura tenta reaver o valor pago. Até então, há informação que R$ 5,19 milhões foram devolvidos aos cofres do município.

O delegado regional de Combate ao Crime Organizado da PF, Paulo Henrique de Oliveira Rocha, afirmou durante coletiva de imprensa na última segunda-feira que as compras têm indícios de sobrepreço e de contratação de empresa sem capacidade técnica. O custo de cada um dos 150 respiradores adquiridos era de, aproximadamente, R$ 234 mil.

"Essas contratações foram feitas para atender necessidades emergenciais, devido à Covid-19, mas foram verificados que os preços não estavam de acordo com o mercado e que a empresa teria recebido parte dos recursos de forma adiantada e sem as devidas garantias", disse o delegado.

O procurador da República do Estado do Ceará, Ricardo Mendonça, informou ainda que durante as investigações foi percebido que a empresa em questão não tem porte econômico para fornecimento desses respiradores e já teria descumprido contrato firmado em Rondônia.

Por G1 CE



Topo
SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -