Boa madrugada, sexta-Feira, 20 de Setembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras


































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Janeiro 2009

Tempo dos Retratos


Um tempo destes, ao voltar de Lisboa, levei a maquina Fotográfica paleontológica, segundo minha irmã Cleia, a loja de fotografias, em busca de revelação. Fi-lo, porem, encabulado que nem no tempo de adolescente quando procurava o caixeiro de sexo masculino que estivesse mais distanciado dos colegas para lhe pedir a compra de uma camisa de Venus.

Quando fiz a pergunta, se revelava filmes, em voz baixa, ele me tranquilizou respondendo normalmente que sim.

Ai me lembrei de meus tempos de Sobral e do Coelhinho que fora empregado de meu pai na Fabrica de bebidas Santa Catarina e que se estabelecera como fotografo. Continuava nosso amigo. Quando um tio veio nos visitar, na Princesa do Norte, obvio que o convocamos para registrar o acontecimento. Ele veio, pressuroso, cheio de boa vontade e fotografou-nos de todas as maneiras. Nada, porem, de nos entregar as fotos. Quando meu pai o apertou pelo resultado do trabalho, ele se saiu com esta explicação: ”Seu” Costa, não tinha dinheiro para comprar o filme e fiquei encabulado de lhe pedir. Daí que bati os retratos, sem filme mesmo

Foi, por isso, que apelidei de Coelhinha, uma charmosa vice reitora da UVA que fotografou a entrega do titulo de doutor honoris causa da instituição a mim, sem ter mais espaço em sua moderna maquina, para fazer o registro fotográfico.

Nos tempos modernos, ha uma tendência há acabar com o numero de fotos que existe por conta do uso de maquina modernas cujo resultado é mostrado no computador e em sua impressora pode ser impresso. Com isto, tende a se reduzir também o numero de álbuns Fotográficos porque tendem a ser armazenados no micro.

Antigamente, a revelação de filmes demorava. Ou é porque o fotógrafo só a fazia quando havia utilizado a totalidade do filme? Então foto colorida era uma dificuldade. Falava-se que eram reveladas na America Central.

Depois em S. Paulo. E por fim entre nos, sem cumprir tantas e tamanhas distancias.

Quando fiz meu primeiro terno, apressei-me em ir ao Coelhinho para registrar o acontecimento. Fiquei danado da vida porque ele, distraído, não notou que a camisa não estava toda passada e assim aparecia um pedaço da pança do adolescente que eu era. Com o correr do tempo, achei que o descuido dava certo charme, originalidade ao registro fotográfico e passei a lhe dar o maior valor. Gosto muito de fotografias. Lembro-me de, após lançar a primeira edição com o Anuario do Ceará, trabalho conjunto com Dorian Sampaio, fui gastar o dinheiro em Paris onde, por felicidade, se encontrava Paulo Elpidio de Menezes Neto. Lá muito saímos e sua companhia foi prazerosa como é ainda hoje. À certa altura, achei de lhe pedir me fotografasse fazendo o lançamento do livro no Sena. E ele o fez. No “Itinerário do Lustosa”, obra de Luiza Amorim, lá estou eu no bateau mouche, diante da torre Eiffel, Fingindo jogar nas águas do rio o produto de nosso trabalho. Era lançamento físico e não literário, tarde ou noite de autógrafos. Uma blague Como papagaio de pirata,nem sempre tive a melhor performance..

Outros Blogs do Lustosa da Costa

http://sobralense.blig.ig.com.br/

http://sobralense.blog.uol.com.br/

http://sobralense.fotoblog.uol.com.br/index.html

Biblioteca Lustosa da Costa

http://biblioteca.sobral.ce.gov.br/index2.html\

(*) Lustosa da Costa (Sobral), jornalista e escritor.


Untitled Document

Lustosa da Costa
Jornalista e Escritor

                                            


:: Outras edições ::

> 2012

–Outubro
30 anos de “Sobral de meu Tempo"
–Setembro
Educandário S. José
–Agosto
Hábitos antigos
–Julho
Morrer não está com nada
–Frio em Brasília
Sucesso com louras em Paris
– Abril
Sucesso com louras em Paris
– Março
Lavar as mãos
– Fevereiro
O quarto senador

> 2011

– Novembro
Sem peúgas nem borzeguins
– Setembro
Chagas, o bom companheiro
– Agosto
Gente assim torna o mundo melhor
– Julho
Tarcísio Tavares/TT, uma saudade
– Maio
Os oitenta anos de Claudio Castelo
– Junho
Nada de perseguição
– Abril
Na Fazenda Pocinhos e no passado
– Fevereiro
Guerra ao Carnaval
– Janeiro
Tempo dos Retratos
– Dezembro
Chico Romano da Ponte
– Novembro
Última campanha
– Outubro
Cidade Luz
– Setembro
Oriano Mendes
– Agosto
Educandário São José
– Julho
Luiz Costa, meu tio inesquecível
– Junho
Os Manguitos das Moças de Sobral
– Maio
Um saudosista incurável
– Abril
Bairrismo de Sobral
–Março
A época dos “entas”
– Fevereiro
Avenidas dos ricos e dos pobres
–Janeiro
Uma Paula Pessoa de muita fibra
–Dezembro
Setenta anos de bom caráter
– Novembro
Discurso só conciso
– Outubro
Costa do IAPC
– Setembro
O Bispo Conde
– Agosto
Chico Romano da Ponte
– Julho
Por que não fui
– Junho
Mata o velho
– Maio
Por que publicar livros



:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -