Boa tarde, domingo, 15 de Setembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras


































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Junho 2010

Nada de perseguição


Uma das primeiras lições que ouvi e lembro de meu pai foi quanto à marcação de professores, a eventual perseguição que o mestre ou a mestra movia contra um dos alunos. Ele não acreditava em tais sentimentos e quando neles criava, não achavam iam durar muito. Para ele, o bom aluno, que estuda, que rala, que da duro nao alimentava tais razões de queixas.

O que ele não queria permitir à prole, simplesmente, é que debitassse a terceiros as razões de seu fracassado. Não passassem a outrem o que era resultado de pouco estudo ou pouca aplicação ao estudo.

Isto também evitou a maior parte dos filhos as queixas contra os que os prejudicaram na vida. Nada disso. O fracasso é meu, só meu.

***

Escrevo muitas páginas autobiograficas e os leitores hão de lembrar de que elas não são recheadas apenas de coisas boas, de exitos. Também falam de derrotas, de vexames. Nunca, porém, responsabilizei ninguém por eles.

***

Fui demitido do alto posto de Editor Chefe dos Diarios Associados por haver respondido, com palavrão altissonante a acusação do superior hierarquico que achava indevida. Depois, cabeça fria quando ocupava outro emprego, não tive duvidas em lhe pedir desculpas não pelo gesto em si e simplesmente pela falta de educação. Perdido o emprego, não fiquei em casa me queixando do algoz nem de vida. Fui a luta e, graças a Deus, ganhei dinheiro e prestígio produzindo, com Dorian Sampaio, edições do Anuário do Estado do Ceará.

***

Disputei o mandato de deputado federal. Perdi. Candidato sem eira nem beira, sem dinheiro nem apoio de chefes políticos tradicionais do interior, era inexoravel o malogro. Perdi, aceitei a perda simplesmente porque conhecia os costumes políticos da epoca e os aceitara quando ingressei na disputa.

***

15 anos
Mais tarde em Brasília, trabalhei, durante quinze anos na sucursal de O Estado de S.Paulo. Os Mesquitas passaram este tempão todo para descobrir minha incompetência. Quando o descobriram, puseram me no olho da rua. Eu e a maioria da equipe. Nao fui me queixar da vida, pedir aos amigos tivessem pena de mim, um pobre desempregado que nunca mais trabalharia num jornal tao grande, de tamanha tiragem no país. Continuei a exercer minha profissão no DN, em moderno jornal de provincia. Nele fiz amizade com José Saramago, Mário Soares, lancei livros em Paris em Lisboa, em Praia e tenho recebido tantas homenagens que, às vezes, ma acode a indagação pessimista do Narcelio Limaverde: Estarei próximo a morrer, diante de tantas coisas boas que me tem acontecido nos ultimos tempos? Ao invés de apontar alguém como responsável por minha demissão, queixar-me deste outro algoz, fui à luta, escrevi meus livros, divulguei os aqui e no exterior e não tenho razoes de me queixar da vida. Por que? Ao invés de ficar, na coxia, raspando minha sarna com caco de telha, em tristes lamentações, fui à luta. Suei a camisa.

***

A meus filhos tento passar a mesma lição. Primeiro que fujam à dependencia. Nada de esperar empregos dados por amigos do pai. E ,sim,atraves de concurso publico. Depois lá, imponham-se pelo trabalho.

É a lição que se puder darei, por igual aos netos. Vão à luta que so ela garante o êxito duradouro e a paz consigo mesmo. Queixas dos outros, lamentações da vida, reclamações contra o Destino em nada aliviam nossas penas e servem apenas de contentamento aos que de nos nao gostam.

.

Outros Blogs do Lustosa da Costa

http://sobralense.blig.ig.com.br/

http://sobralense.blog.uol.com.br/

http://sobralense.fotoblog.uol.com.br/index.html

Biblioteca Lustosa da Costa

http://biblioteca.sobral.ce.gov.br/index2.html\

(*) Lustosa da Costa (Sobral), jornalista e escritor.


Untitled Document

Lustosa da Costa
Jornalista e Escritor

                                            


:: Outras edições ::

> 2012

–Outubro
30 anos de “Sobral de meu Tempo"
–Setembro
Educandário S. José
–Agosto
Hábitos antigos
–Julho
Morrer não está com nada
–Frio em Brasília
Sucesso com louras em Paris
– Abril
Sucesso com louras em Paris
– Março
Lavar as mãos
– Fevereiro
O quarto senador

> 2011

– Novembro
Sem peúgas nem borzeguins
– Setembro
Chagas, o bom companheiro
– Agosto
Gente assim torna o mundo melhor
– Julho
Tarcísio Tavares/TT, uma saudade
– Maio
Os oitenta anos de Claudio Castelo
– Junho
Nada de perseguição
– Abril
Na Fazenda Pocinhos e no passado
– Fevereiro
Guerra ao Carnaval
– Janeiro
Tempo dos Retratos
– Dezembro
Chico Romano da Ponte
– Novembro
Última campanha
– Outubro
Cidade Luz
– Setembro
Oriano Mendes
– Agosto
Educandário São José
– Julho
Luiz Costa, meu tio inesquecível
– Junho
Os Manguitos das Moças de Sobral
– Maio
Um saudosista incurável
– Abril
Bairrismo de Sobral
–Março
A época dos “entas”
– Fevereiro
Avenidas dos ricos e dos pobres
–Janeiro
Uma Paula Pessoa de muita fibra
–Dezembro
Setenta anos de bom caráter
– Novembro
Discurso só conciso
– Outubro
Costa do IAPC
– Setembro
O Bispo Conde
– Agosto
Chico Romano da Ponte
– Julho
Por que não fui
– Junho
Mata o velho
– Maio
Por que publicar livros



:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -