Bom dia, sexta-Feira, 20 de Setembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras


































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Abril 2012

Sucesso com louras em Paris

Foi há muito tempo. Dormia num dos apartamentos do le Grand Hotel de Suez, ali no Boulevard Saint Michel em Paris quando batem á porta. Estranho. É madrugada.

Não espero ninguém. Com a insistência, vou ver quem é. Trata-se de duas escandinavas, bem vestidas, altas e bonitas. Parecem divertidas diante do susto do mestiço latino-americano cujo sono vêm de perturbar. Espantado diante daquele Papai Noel inesperado só sei balbuciar, trêmulo, nervoso, assustado, em português: “ Não é aqui, não “. Foi uma espécie de “ Senhor, eu não sou digno”. Não mereci o mimo de Natal antecipado. As louras perceberam o engano e foram cantar noutra freguesia.

***
Gata na cama

Encontrei outra loura na cama. Foi em Paris e mais recentemente em 1995. A família fora à Espanha. Adormeci com a porta do apartamento que dava para ampla área na Rue Brancion aberta por causa do calor insuportável. Quando desperto, vejo, a meu lado, no leito, uma gata fulva. Dum louro quase dourado. Que esplendia, entre lençóis, na madrugada. Mas era gata de quatro patas que tratei logo de mandar embora, eu que abomino a proximidade física com animais. Foram minhas principais aventuras galantes em terras de França..

Contista preguiçoso

Estou querendo concluir conto “ Deu camelo, meu amor” sobre um inveterado jogador que morre na ilusão de haver ganhado, sozinho, o grande prêmio da Loteria federal. Foi começado no “Tabac de La Sorbonne”, na Place de Sorbonne a 14 de outubro de 1995, sentado eu em frente ao busto de Augusto Comte, sorvendo um thé-citron e lembrando amigo, recentemente falecido em Sobral.

Sonhando com Portugal

Continuo fazendo fézinha semanal na Sena e Megasena. Entre outros investimentos planejados, pretendo rever Portugal. Ando morrendo de saudades da terrinha. Quero ver a nova Lisboa, depois da Expo 1998. Dar um pulinho a Leira a fartar o bandulho no “Tromba Rija” de que Jorge Bornhausen fala tanto. E encarar uns mariscos na Cervejaria do Ramiro, na Almirante Reis, aonde me levou quando estive na capital portuguesa e era ele Embaixador do Brasil. Se encontrar ALGUM ECIANO, pretendo dar um bordo com ele em algum sítio freqüentado por Eça de Queiroz de que ambos somos devotos. E com o cônsul do Brasil em Lisboa o qua se cearense João Almino.

Conversa de feira

Em Paris, saía cedo, aos domingos, enquanto a família dormia e ia até a Porte de Vanves. Ou então subia á Place de Tertre, depois de passar pela Sacre Coeur de Jesus. Aprazia-me ouvir um alemão tangendo seu violoncelo, no canto da praça, dando para o Museu Salvador Dali.

Em Brasília, em tal transe, vou à feira do Guará. Adoro andar em feiras, principalmente onde se vende comida. Lá, ao comprar macaxeira, a vendedora me pergunta se não quero inhame. Digo-lhe que não. Só comi tal tubérculo quando criança. Ela insiste:

“ Pois tem o mesmo gosto de quando o senhor era menino.”

“ Acontece que sou outro”, replico na defensiva.

“ O inhame é o mesmo”, insiste a vendedora.

Outros Blogs do Lustosa da Costa

http://sobralense.blig.ig.com.br/

http://sobralense.blog.uol.com.br/

http://sobralense.fotoblog.uol.com.br/index.html

Biblioteca Lustosa da Costa

http://biblioteca.sobral.ce.gov.br/index2.html\

(*) Lustosa da Costa (Sobral), jornalista e escritor.

Untitled Document

Lustosa da Costa
Jornalista e Escritor

                                            


:: Outras edições ::

> 2012

–Outubro
30 anos de “Sobral de meu Tempo"
–Setembro
Educandário S. José
–Agosto
Hábitos antigos
–Julho
Morrer não está com nada
–Frio em Brasília
Sucesso com louras em Paris
– Abril
Sucesso com louras em Paris
– Março
Lavar as mãos
– Fevereiro
O quarto senador

> 2011

– Novembro
Sem peúgas nem borzeguins
– Setembro
Chagas, o bom companheiro
– Agosto
Gente assim torna o mundo melhor
– Julho
Tarcísio Tavares/TT, uma saudade
– Maio
Os oitenta anos de Claudio Castelo
– Junho
Nada de perseguição
– Abril
Na Fazenda Pocinhos e no passado
– Fevereiro
Guerra ao Carnaval
– Janeiro
Tempo dos Retratos
– Dezembro
Chico Romano da Ponte
– Novembro
Última campanha
– Outubro
Cidade Luz
– Setembro
Oriano Mendes
– Agosto
Educandário São José
– Julho
Luiz Costa, meu tio inesquecível
– Junho
Os Manguitos das Moças de Sobral
– Maio
Um saudosista incurável
– Abril
Bairrismo de Sobral
–Março
A época dos “entas”
– Fevereiro
Avenidas dos ricos e dos pobres
–Janeiro
Uma Paula Pessoa de muita fibra
–Dezembro
Setenta anos de bom caráter
– Novembro
Discurso só conciso
– Outubro
Costa do IAPC
– Setembro
O Bispo Conde
– Agosto
Chico Romano da Ponte
– Julho
Por que não fui
– Junho
Mata o velho
– Maio
Por que publicar livros



:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -