Bom dia, segunda-Feira, 16 de Setembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras


































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Agosto 2014

O Ceará poderia ter tido mais um presidente: Juarez Távora

O Ceará teve dois presidentes da República: o ministro José Linhares (29.10.1945 a 21.01.1946) , presidente do Supremo Tribunal Federal, e o marechal Humberto de Alencar Castello Branco (15.04.1964 a 15.03.1967). Poderia ter tido mais um: o marechal Juarez do Nascimento Fernandes Távora (Jaguaribemirim, atual Jaguaribe) nascido em 1898, um dos lideres da Coluna Prestes , do tenentismo e da Revolução de 1930, junto com seu conterrâneo, Juracy Magalhães (Fortaleza) Em 1930, suas tropas cercaram o Rio de Janeiro e o comandante militar do Rio, general Arelano Passos, rendeu-se entregou-lhe a sua espada: afirmando ;

- o governo é seu!

Juarez que era um dos lideres da Revolução de 30, com muita expertise em levantes, conspirações, sedições e sublevações militares , limitou-se a dizer: - O comandante da Revolução é Getúlio Vargas. Ele está chegando do Rio Grande do Sul. Fosse outro, se tivesse ambição de poder, teria assumido o governo e se instalado no Palácio do Catete pois os revoltosos depuseram o presidente eleito, Júlio Prestes, que sucederia a Washington Luiz (1926-1930) Em 1955, disputaria a sucessão do presidente Café Filho, pela União Democrática Nacional-UDN, perdendo para Juscelino Kubitschek, Partido Social Democrático-PSD.

A trajetória militar de Juarez Távora começou aos 21 anos quando concluiu a Escola Militar do Realengo, em 1919, tornando-se aspirante. Em1924, participou da Revolução Paulista contra Artur Bernardes (1922-1926), sendo preso, julgado e condenado a três anos, perdendo a sua patente no Exército. Bernardes governou quatro anos, sob estado de sítio. Em 1926, já no governo Washginton Luis , rodou pelo Paraná e Rio Grande do Sul participando de levantes revolucionários, acabando por aderir ao comando do capitão Luís Carlos Prestes, na Coluna Prestes, que durante dois anos percorreu o interior do Brasil. Juarez desempenhou papel de destaque no comando da Coluna, até ser preso nos arredores de Teresina (PI). Em 1927, fugiu da prisão e passou a viver na clandestinidade. Em 1929 exilou-se na Argentina.

Em 1930, já de volta ao Brasil, dirigiu-se ao Nordeste, onde comandou a Revolução de 30 para impedir a posse de Julio Prestes, eleito para um mandato até 1934. Assumiu o posto de comandante militar do movimento revolucionário no Nordeste, foi aclamado “Vice Rei do Norte”. Seus seguidores usavam um lenço vermelho . Rompeu com Luís Carlos Prestes, que criticava o apoio dado à Getúlio Vargas. Com a posse de Getúlio\( 03.11.1930 a 29.,10.1945) foi ministro da Viação e Obras Públicas por um dia 04.11.1930 a 05.11.1930. Participava do chamado “Gabinete Negro”, grupo restrito que se reunia regularmente com Vargas no Palácio Guanabara, então residência do Presidente da República. Em janeiro de 1931 foi designado delegado militar junto aos dirigentes dos estados do Norte e Nordeste Nessa posição promoveu mudanças nas interventorias estaduais designadas nos primeiros dias do novo regime. No Ceará, nomeou Francisco Menezes Pimentel (Santa Quitéria) interventor. Em dezembro desse ano, por sua sugestão, a delegacia militar do Norte-Nordeste foi extinta. Ainda em 1931, participou da fundação do Clube 3 de Outubro, agremiação que buscava conferir maior coesão à atuação dos “tenentes” revolucionários.

Em 1932, combateu ao movimento Constitucionalista de São Paulo e foi nomeado para o Ministério da Agricultura ( 22.12.1932 a 24.07.1934) Como ministro, participou dos trabalhos da Assembléia Nacional Constituinte, entre novembro de 1933 e julho de 1934, Em 1934, retomou sua carreira militar. Em 1936, ingressou na Escola de Estado-Maior do Exército, concluindo seu curso em fins de 1938. Durante a Segunda Guerra Mundial tomou parte na organização da Força Expedicionária Brasileira (Feb).

Em 1945, rompeu com Getúlio Vargas e filiando-se à União Democrática Nacional (UDN), partido que se opunha à ditadura do Estado Novo. Em 1946, atingiu a patente de general. 1937, envolveu-se no debate em torno do petróleo brasileiro, defendendo a participação do capital estrangeiro em sua exploração . Em 1952 assumiu a direção da Escola Superior de Guerra (ESG). Em 1954 foi eleito vice-presidente do Clube Militar, ao mesmo tempo que apoiava o movimento que exigia a renúncia de Vargas. Após o suicídio do presidente, assumiu a chefia do Gabinete Militar do governo de Café Filho (24.08.1954 a 14.04.1955). quando foi lançado candidato a presidente da República pela UDN, perdendo para Juscelino Kubitscheck, Em 1962, elegeu-se deputado federal pelo estado da Guanabara na legenda do Partido Democrata Cristão (PDC). Atuou na oposição ao governo do presidente João Goulart, e apoiou o golpe militar que o afastou da presidência, em março de 1964, embora não tenha participado diretamente das articulações. Com Castello Branco foi ministro da Viação e Obras Públicas (15.03.1964 a 15.-03.1967). Morreu em 1975, no Rio de Janeiro.

(*) JB Serra e Gurgel (Acopiara), jornalista e escritor.

Untitled Document

JB Serra e Gurgel
Jornalista e Escritor
http://www.cruiser.com.br/girias
gurgel@cruiser.com.br


:: Outras edições ::

> 2017

– Outubro
Como os cearenses vem os cearenses nativos e forasteiros

– Setembro
Ascensão e queda de Cleto Meireles: Colmeia, Haspa e Cidade Ocidental

– Julho
Para a Forbes, o Califa Abu Bakral Bagdadi é a 57ª pessoa mais poderosa do mundo

> 2016

– Setembro
Sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor

> 2015

– Novembro
Para a Forbes, o Califa Abu Bakral Bagdadi é a 57ª pessoa mais poderosa do mundo

– Outubro
Um cavaleiro andante que caminhou entre aforismos e citações

– Setembro
Por uma claraboia no meio do Salão Nobre do Palácio da Abolição

– Agosto
As cem edições do Jornal da Gíria. Um marco no mundo gírio

> 2014

– Setembro
Acopiara : “Meton, notas de uma vida”, uma trajetória e um exemplo

– Agosto
O Ceará poderia ter tido mais um presidente: Juarez Távora

– Julho
Sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor

– Junho
Dionísia aumentou a presença de Acopiara na Siqueira Gurgel

– Maio
Estão querendo Revogar a lei do morro: não sei, não vi, não conheço

– Abril
Faça como o velho marinheiro...

– Março
Tereza Aragão Serra, uma lenda quase esquecida em Tauá

– Fevereiro
José de Alencar e a língua portuguesa

– Janeiro
Moreira de Acopiara - o poeta popular de Diadema/SP

 

> 2013

– Dezembro
A presença dos Cearenses na população de Brasília

– Novembro
O cearense que escolheu o local para implantação de Brasília

– Outubro
Acopiara – Tia Nenem uma guerreira entre os Guilherme

– Agosto
As citações que marcam o cotidiano de Osvaldo Quinsan

– Julho
O último apito do trem que passava por Acopiara

– Junho
Dionísia aumentou a presença de Acopiara na Siqueira Gurgel

– Maio
Estão querendo Revogar a lei do morro: não sei, não vi, não conheço

– Abril
Faça como o velho marinheiro...

– Março
Tereza Aragão Serra, uma lenda quase esquecida em Tauá

– Fevereiro
José de Alencar e a língua portuguesa

– Janeiro
Moreira de Acopiara - o poeta popular de Diadema/SP

> 2012

–Dezembro
O acopiarense Vicente dos dez mares e oceanos

–Novembro
A presença de marranos e ciganos no Ceará

–Outubro
No modo de dizer dos italianos, as raízes de expressões brasileiras

–Setembro
Nobreza Cearense: Barões e viscondes não assinalados

–Agosto
A linguagem de Paco, regional e universal

–Julho
As armas e os barões assinalados

–Junho
Acopiara - Eita Brazilzão sem porteira

–Maio
Acopiara - Nertan Holanda Gurgel. Auto retrato de um homem simples

–Abril
José Alves de Oliveira: “árvore velha não se muda”

– Março
A gíria presente na obra de Eça de Queiroz II

– Fevereiro
Miguel Galdino - uma vida pelas justas causas

– Janeiro
História do Ceará de todos nós, presentes e ausentes

> 2011

– Dezembro
A gíria ou o calão presente na obra de Eça de Queiroz

– Novembro
A gíria ou o calão presente na obra de Eça de Queiroz
– Setembro
Como o Ceará libertou seus 30 mil escravos
– Agosto
Manoel Edmilson Teixeira um homem simples e de bem
– Julho
Acopiara - Apelidos e o que não falta
– Junho
Acopiara -Zé Marques Filho, uma referencia de respeito
– Maio
Os cearenses do Rio de Janeiro
– Janeiro
Acopiara - não é só mineiro que é desconfiado

> 2010

– Dezembro
Acopiara – os brasileiros reclamam de que mesmo?
–Novembro
Marcas da presença do Ceará na Guerra do Paraguai
– Outubro
Como o Brasil começou a fabricar seu papel moeda
– Junho
Um cearense acima de qualquer suspeita
– Maio
Acopiara – O centenário de Alcebíades da Silva Jacome
– Abril
Acopiara e o Seminário do Crato
– Fevereiro
A queda de braço entre o Presidente Castello Branco e seu irmão Lauro

> 2009

– Dezembro
Os desencontros entre José de Alencar e dom Pedro II
– Novembro
Tem uma Teresa que foi a 1ª. mulher cearense a ser delegada da mulher em Brasília
– Outubro
Acopiara - Dom Newton 60 anos de padre, 30 anos de bispo
– Agosto
Acopiara - O passado é um pais estrangeiro
– Julho
Futebol cearense atravessa mau momento
– Junho
Acopiara – O Estrago da Crise Global
–Maio
Meu avô – Henrique Gurgel do Amaral Valente II
–Abril
Acopiara - Reverência aos nossos heróis anônimos
– Fevereiro
Acopiara vista à distancia, em cruzeiro
– Janeiro
Chico Sobrinho o líder do clã que fará 20 anos de poder em Acopiara

> 2008

– Dezembro
- Acopiara comemorou cinco centenários em 2008
– Novembro
- Acopiara – os 50 anos do padre Crisares.
– Outubro
-Acopiara – como nos despedimos dos que se foram
– Setembro
-Acopiara – Mazinho e Erosimar, os empreendedores
– Agosto
-Acopiara – Ezequiel partiu e deixou saudade
– Julho
- Acopiara - Meu avô, Henrique Gurgel do Amaral Valente
– Junho
- As mães que povoaram Acopiar
– Maio
- Chico Guilherme, a hora e a vez do Coronel




:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -