Boa tarde, sexta-Feira, 22 de Novembro de 2019
Casa do Ceará

Imprima



Ouça aqui o Hino do Estado do Ceará



Instituições Parceiras
































:: Jornal Ceará em Brasília



— Última Edição —
— Edições Anteriores —

Untitled Document

Julho 2013

No Ceará é Assim

A Casa do Ceará em Brasília foi fundada para ajudar os cearenses que vieram participar da construção da cidade. Hoje, ela continua abrigando os “Sem Ceará”, expressão criada pelo historiador Adirson Vasconcelos para identificar todos nós que vivemos longe da terrinha. Não tem os Sem Casa, os Sem Terra?, nós somos os Sem Ceará.

O cearense vai embora, fugindo da seca, da fome, da miséria ou, simplesmente, cumprindo o destino de “andar por esse país/ Pra ver se um dia/Descansa feliz”, como cantava Luiz Gonzaga. Nós saímos pelo mundo com a certeza de que nada pode ser pior do que já passamos. É a mesma coragem que leva o jangadeiro a enfrentar o mar bravio, o mesmo destemor que move o vaqueiro nas quebradas da caatinga atrás de um boi. Em meio as mazelas e as surpresas que a vida apronta, não perdemos o humor, a solidariedade, a presença de espirito.

O repórter Hermann Hesse saiu numa madrugada da TV Verdes Mares, em Fortaleza, para fazer reportagem no interior do Ceará. Pegou a BR-222, rumo a Sobral. Quando o dia começou a clarear, parou num restaurante, na beira da estrada, para o café da manhã. Casa simples, mas mesa farta: cuscuz, tapioca, beijú, batata, doce-de-leite, melancia, banana, mamão, ananás. Jerimum, pão, queijo, café e leite. Ao lado, uma gamela cheia de ovos.

Como se não estivesse contente com tanta fartura, olhou pra senhora que estava atendendo e pediu: - “A senhora pode preparar dois ovos pra mim?”

- “Han! Num preparo nem pra mim”, disse a mulher que deu uma rabissaca e sumiu do salão.

Além de brincalhão, o cearense é solidário amigo. O sr. Dimas, que foi dono da Leão do Sul, que vende pastel e caldo de cana na praça do Ferreira, resolveu mandartrês de seus treze filhos passear em Aurora, sua terra natal. Enviou um telegrama para o compadre antes de despachar os meninos: “Compadre seguem trem amanhã Marshal, Pedro Jorge e Dimas Filho”. Quando chegaram à estação estava a esperá-los uma jardineira. Em casa, os quartos tinham treze redes armadas. O dono da casa foi logo ´perguntando pelos outros irmãos. Não reclamou, nem fez cara feia quando soube que o erro foi do Correio que colocou lá “Marsal, Pedro Jorge e demais filhos”.

Uma outra característica do cearense, além da coragem, é a presença de espirito. Manuel Marinho chegou de surpresa à fazenda, perto de Sobral, e encontrou o capataz dormindo. E começou a cobrar serviço: “cadê a cerca, você não desmamou o bezerro. Assim não dá”, disse aborrecido. O cabra respondeu na hora: - pois então bote outro.

Marinho, gritou com ele: -então é isso que você quer? Pois vou botar outro no seu lugar.”

- Não, doutô. Tô pedindo pro sr. botar outro é pra me ajudá

Nós que vivemos por aqui não desgrudamos de lá. A casa é a ponte. É como o mar. A gente sabe que ele está alí, não tomamos banho toda hora porque não queremos. Muitos cearenses de Brasília não frequentam a casa, mas sabem que ela está aqui para quando precisar.

(*) Wilson Ibiapina (Ibiapina), jornalista

Untitled Document

Wilson Ibiapina
Jornalista

                                            


:: Outras edições ::

> 2017

– Outubro
Cearês

– Setembro
Um cearense longe de casa:Debaixo de chuva, frio e neve

> 2015

– Novembro
Capado, mas muito macho

– Outubro
Capado, mas muito macho

– Setembro
Os chefes cearenses

– Agosto
Morreu Orlando Orfei Os Circos que alegraram nossas vidas

> 2014

– Setembro
Carlos Augusto, Ava Gardner e Fernando César

– Agosto
A praça é do povo como o céu é do Condor

– Julho
Rui Diniz, um português bem brasileiro

– Junho
Lembrando Tarcísio Tavares

– Maio
Os Paraquedistas da Política

– Abril
Zé Tatá, esse era macho

– Março
A cidade de Ibiapina está sendo tombada

– Fevereiro
O Adeus a Flávio Parente

– Janeiro
Gente que nunca morreu nem tem inveja de quem morre

> 2013

– Dezembro
O Lançamento do livro do Bartô em ritmo de Facebook

– Novembro
Você ainda tem vergonha de pedir uma cachaça?

– Outubro
Ivanildo Sax de Ouro

– Agosto
A Imprensa nossa de cada dia

– Julho
No Ceará é Assim

– Junho
Lembrando Tarcísio Tavares

– Maio
Os Paraquedistas da Política

– Abril
Zé Tatá, esse era macho

– Março
A cidade de Ibiapina está sendo tombada

– Fevereiro
O Adeus a Flávio Parente

– Janeiro
Gente que nunca morreu nem tem inveja de quem morre

> 2012

– Dezembro
-Oscar Niemeyer, o Amigo solidário que tinha medo da morte

– Novembro
-O uso do chapéu por cearenses A Elegancia do Chapéu

– Novembro
-Um paraibano que amava Sobral

– Outubro
-Operário da Justiça

– Setembro
-No Ceará é assim

– Agosto
-Ava Gardner e o cantor cearense Carlos Augusto

– Agosto
-Velha República: O presidente que exibiu o corta jaca no Catete

– Julho
- Pulando a cerca

– Junho
- Lúcio Paco Brasileiro no Espaço e no Tempo

– Maio
- As “MENINAS” de Brasília
- Um cearense na guerra

– Abril
- As “MENINAS” de Brasília

– Março
- Os Chefs Cearenses

– Fevereiro
- O melhor Rei Momo do Ceará

– Janeiro
- Vamos exibir nossa cultura, sem vergonha

> 2011

– Novembro
- Ubajara que o tempo levou
– Setembro
- Pega Pinto: uma bebida que refrescava os fortalezense
– Agosto
- Pra onde vamos?
– Julho
- Julho em Ubajara
– Junho
- História do Ceará
– Junho
- Pise no chão devagar
– Maio
- O inventor de talentos que alegrava a cidade
– Maio
- Jornalista, que profissão!
– Abril
- O balão que iluminou Fortaleza
– Março
- O defensor da Natureza
– Fevereiro
- Quando se vê, não tem mais tempo
– Janeiro
- Vaidade que mata

> 2010

– Dezembro
- O Ano Novo e suas ameaças
– Novembro
- Os jardineiros de Brasília
– Outubro
- Quando se vê, não tem mais tempo
– Setembro
- Vamos comer farinha
–Agosto
- Cearense anônimo, mas nem tanto
– Julho
- Vamos Repensar o DF
– Junho
- Cearense anônimo, mas nem tanto
– Junho
- A morte do Augusto Pontes, o homem que brincava com as palavras. Foi-se o guru.
– Maio
- O Tempo do Rádio
– Abril
- Fortaleza: bela e amada cidade
– Março
- Um recanto dentro da noite
– Fevereiro
- Vale cultura
– Janeiro
- A última do Português

> 2009

– Dezembro
- Um presente para Fernando
– Novembro
- Da caserna para o livro
– Outubro
- Falta Garçon
– Setembro
- Cidade sem cara
– Agosto
- De quem é a floresta amazônica?
– Julho
- Memórias de Tarcísio – O Repórter
– Junho
- Esperança negra
- Apagando a cidade
- Novo Dinheiro
– Maio
- No escurinho do cinema


:: Veja Também ::

Blog do Ayrton Rocha
Blog do Edmilson Caminha
Blog do Presidente
Humor Negro & Branco Humor
Fernando Gurgel Filho
JB Serra e Gurgel
José Colombo de Souza Filho
José Jezer de Oliveira
Luciano Barreira
Lustosa da Costa
Regina Stella
Wilson Ibiapina
















SGAN Quadra 910 Conjunto F Asa Norte | Brasília-DF | CEP 70.790-100 | Fone: 3533-3800
E-mail: casadoceara@casadoceara.org.br
- Copyright@ - 2006/2007 - CASA DO CEARÁ EM BRASÍLIA -